Imprimir artigo
Padrão ATX
15/01/1999 às 0h00min por Gabriel Torres em Artigos
51.830 visualizações

ATX é o nome de um novo formato de placas-mães que tem sido bastante utilizado. Esse formato foi criado de forma a melhorar alguns problemas encontrados no tradicional formato de placas-mães (o formato tradicional chama-se Baby-AT), como:

Dissipação térmica: placas-mães ATX apresentam melhor ventilação para seus componentes.

Posição dos cabos: em placas-mães ATX os conectores para cabos ficam próximos do disco rígido, da unidade de CD-ROM e da unidade de disquete, não fazendo com que os cabos fiquem embolados dentro do gabinete, como ocorre quando o micro possui uma placa-mãe Baby-AT.

Posição do processador: em placas-mães Baby-AT o processador é instalado próximo aos slots ISA, impedindo a instalação de placas periféricas que sejam maiores que o slot, como, por exemplo, placas de som. Já em placas-mães ATX, o processador é instalado longe dos slots, de forma a não atrapalhar a inserção de placas periféricas.

Posição da memória RAM: Em placas-mães Baby-AT, os módulos de memória RAM ficam "espremidos" ao lado da fonte de alimentação do gabinete, dificultando a instalação de memória. Na placa-mãe ATX isso não ocorre, pois os soquetes para a instalação dos módulos de memória ficam em outra posição.

Outra grande diferença é que placas-mães ATX necessariamente precisam ser instaladas em gabinetes do tipo ATX pois, como você pode reparar nas figuras, as placas-mães ATX são mais "largas" (possuem um comprimento maior) e mais "curtas" (possuem uma largura menor) que placas-mães Baby-AT. Além disso, a fonte de alimentação dos gabinetes ATX possuem um conector diferente, apropriado para placas-mães ATX. Eletronicamente falando, as fontes de gabinetes ATX possuem mais sinais.

Interessante notar que algumas placas-mães Baby-AT podem ser instaladas em gabinetes ATX, desde que a placa-mãe possua conector de alimentação ATX, o que tem ocorrido com as placas-mães mais modernas. Entre outras vantagens, a fonte de alimentação ATX permite que o micro seja desligado por software, o que pode ser muito útil em tarefas agendadas (por exemplo, você pode programar o micro para fazer um download de um arquivo da Internet e se auto-desligar após o download).

Padrão ATX
Figura 1: Placa-mãe Baby-AT..

 

Padrão ATX
Figura 2: Placa-mãe ATX.

AUTOR
Gabriel Torres
Gabriel Torres
Editor-Chefe

Gabriel Torres criou o Clube do Hardware em maio de 1996, onde escreve artigos e coordena o trabalho dos nosso diversos colaboradores. É também autor de 24 livros sobre hardware, redes e eletrônica. Foi, de 1996 a 2007, colunista do suplemento de informática do jornal O DIA (RJ). Mora atualmente nos Estados Unidos.

ARTIGOS RELACIONADOS
Placas-mãe Clonadas
23/04/2003 às 11h23min por Gabriel Torres em Placas-Mãe
Sensores da Placa-Mãe
25/07/2001 às 0h00min por Gabriel Torres em Placas-Mãe
ÚLTIMOS ARTIGOS
443.659 usuários cadastrados
1.891 usuários on-line
";