Ir ao conteúdo
Entre para seguir isso  

Teste do Disco Rígido Seagate Barracuda XT 2 TB

       
 75.264 Visualizações    Testes  
 2 comentários

Vamos dar uma olhada no desempenho do primeiro disco rígido SATA-600 a chegar ao mercado, o Barracuda XT da Seagate.

Teste do Disco Rígido Seagate Barracuda XT 2 TB
Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

Introdução

O Barracuda XT é o primeiro disco rígido SATA-600 a chegar ao mercado. Ele também é o primeiro disco de 2 TB da Seagate com velocidade de rotação de 7.200 rpm – o outro disco de 2 TB da Seagate, o Barracuda LP, é um modelo “ecológico” e trabalha a 5.900 rpm. Vejamos se a nova interface SATA-600 realmente faz diferença.

SATA-600 é a terceira geração da interface Serial ATA e como você pode assumir, sua taxa de transferência máxima teórica é de 600 MB/s. Esta interface também é chamada SATA 6 G (6 Gbps). Como a interface SATA transfere dados em série, sua taxa de transferência deve ser anunciada em bps (bits por segundo), que é a unidade usada para medir a transferência de dados em série. Mas como estamos acostumados com o formato paralelo – ou seja, B/s, bytes por segundo – 6 Gbps é convertido para 600 MB/s (e não 750 MB/s, que seria a correta conversão de 6 Gbps para MB/s) porque o mesmo canal é usado para transferir tanto informações de dados quanto informações de controle. Quando removemos as informações de controle, acabamos com 600 MB/s.

Você deve ter em mente que esta nova velocidade é a taxa de transferência máxima teórica da interface e não do disco rígido, e apenas mede a velocidade entre a porta SATA na placa-mãe e a controladora do disco rígido. Discos SATA-600, especialmente os primeiros modelos como o Barracuda XT, não chegarão nem perto desta velocidade, da mesma forma que aconteceu quando os primeiros discos SATA-300 foram lançados.

A nova interface SATA-600 é fisicamente idêntica às interfaces SATA-300 e SATA-150, o que permite a você instalar discos SATA-600 em placas-mães sem esta interface. Até agora há apenas dois fabricantes de placas-mães oferecendo produtos com portas SATA-600, a ASUS e Gigabyte, e apenas em placas-mães soquete LGA1156 topo de linha baseadas no chipset Intel P55. A High-Point oferece uma placa de expansão chamada Rocket 600 equipada com portas SATA-600 que pode ser instalada em qualquer computador com um slot PCI Express x1 disponível.

Seagate Barracuda XT 2 TB
Figura 1: Seagate Barracuda XT 2 TB.

Seagate Barracuda XT 2 TB
Figura 2: Seagate Barracuda XT 2 TB.

Aqui está um resumo dos discos rígidos que testaremos:

Fabricante

Modelo

Número do Modelo

Velocidade de Rotação

Buffer

Interface

Mercado

Preço nos EUA

Seagate

Barracuda LP

ST32000542AS

5.900 rpm

32 MB

SATA-300

“Ecológico”

US$ 179,99

Seagate

Barracuda XT

ST32000641AS

7.200 rpm

64 MB

SATA-600

Desktop

US$ 299,99

Western Digital

Caviar Green

WD20EADS

5.400 rpm

32 MB

SATA-300

“Ecológico”

US$ 199,99

Western Digital

Caviar Black

WD2001FASS

7.200 rpm

64 MB

SATA-300

Desktop

US$ 299,99

Western Digital

RE4

WD2003FYYS

7.200 rpm

64 MB

SATA-300

Corporativo

US$ 299,99

A Western Digital não informou a velocidade de rotação do seu disco Caviar Green; 5.400 rpm é nossa suposição.

Os preços foram pesquisados na Newegg.com no dia da publicação deste teste, exceto para o Barracuda XT, onde o preço é o estimado.

Os discos rígidos normalmente consomem entre 8 e 10 W; os modelos “ecológicos” consomem praticamente metade disto. O problema é obviamente o desempenho: como os discos “ecológicos” trabalham com uma velocidade de rotação menor eles apresentam um desempenho menor. Discos desta categoria são voltados principalmente para gabinetes externos conectados ao micro através de uma porta USB ou FireWire. Como este tipo de porta limita o desempenho do disco, o disco rígido não precisa ser o mais rápido do mercado, e desta forma você pode economizar tanto no custo do disco quanto na sua conta de luz.

Os discos voltados para o segmento corporativo (servidores), por outro lado, são mais confiáveis, como exigido por este segmento de mercado, com alguns fabricantes oferecendo termos de garantia diferenciados (pelo menos nos EUA). Em algumas situações, por exemplo, o fabricante pode enviar um novo disco em caso de falha antes mesmo de o cliente devolver o disco defeituoso, reduzindo assim o tempo de inatividade do servidor.

A capacidade real dos modelos de 2 TB que testamos é de 1,82 TB ou 1.863 GB (3.907.029.168 setores). Como você deve saber, a capacidade anunciada pelos fabricantes de discos rígidos não é a capacidade real do disco. Leia nosso tutorial Limites de Capacidade dos Discos Rígidos para mais informações sobre este assunto.

Vamos agora comparar o desempenho desses quatro discos de 2 TB.

Compartilhar



  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Comentários de usuários


Os Hds magnéticos ainda são as melhores opções, mas pelo visto precisarão de alguns anos para melhorarem mais ou serem extintos de vez pelos SSDs, lendo a introdução já imaginava a conclusão, não mudou quase nada, por aqui Seagate tem de monte, mas os Western são raros e caros, pelo visto são melhores, mas pesquisando na newegg e lendo o comentario dos compradores vi gente reclamando de problemas com Raid 0 com os WD, mas nenhum problema com os Seagate.

Só uma correção, já saiu uma mobo com sata 600 plataforma AMD, postada a notícia ontem se não me engano.

Editado por Sambaquy

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

O HD Seagate Barracuda, de 2 TB, o "verde" com 5.400 rpm, parece ter um problema relacionado com bug de projeto. As queixas e referências ao "clicking noise" são muitas, mundo afora. Apesar de nenhum utulitário ter constatado quaisquer problemas, lógico ou de hardware, o hd fica fazendo aquele click da morte, deixa o usuário inseguro. Em contato com o suporte tecnico da Seagete, mandaram trocar? Mas afinal, lançam um produto, seu firmware é o CC34 e vem com bug? Só trocar? O o retrabalho, risco de perda de dados dos utilizadores? E a imagem da poderosa Seagate? Dificícil de entender essa situação.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×