Ir ao conteúdo
Entre para seguir isso  

Teste do Gabinete Para Discos Rígidos eXtream Icebox

       
 41.376 Visualizações    Testes  
 4 comentários

O Icebox é um gabinete externo para instalação de discos rígidos da eXtream que oferece tanto conexão USB 2.0 quanto eSATA, e promete ter uma instalação sem parafusos em menos de 10 segundos. Confira.

Teste do Gabinete Para Discos Rígidos eXtream Icebox
Rafael Coelho Editor-chefe do Clube do Hardware

Nossos Testes

O programa que usamos para medir o desempenho do disco rígido, DiskSpeed32, é um programa que efetua testes realmente demorados, pois ele lê todos os setores do disco, registrando a taxa de transferência obtida e traçando um gráfico.

Normalmente a taxa de transferência do disco rígido varia de acordo com a parte do disco rígido que está sendo lida. A taxa de transferência do disco é maior nas bordas do disco, diminuindo à medida que se aproxima do centro do disco. Isso ocorre por conta da setorização multi-zona: em trilhas mais longas (as mais afastadas do centro do disco) cabem mais setores, e, com isso, mais dados são lidos a cada rotação do disco rígido. Por esse motivo, os programas apresentam três resultados: taxa de transferência máxima (obtida nos primeiros cilindros do disco, isto é, nas trilhas mais externas), taxa de transferência mínima (obtida nos últimos cilindros do disco, isto é, nas trilhas mais internas) e taxa de transferência média, que na maioria das vezes é o dado que o usuário comum está interessado em saber.

Por conta desse efeito podemos explicar também a necessidade de desfragmentarmos o disco rígido e o porque desfragmentadores profissionais, como o Norton Speed Disk, permitem que você desfragmente movendo os arquivos do sistema operacional para o início do disco rígido. Como explicamos, dados armazenados no início do disco rígido são lidos a uma taxa de transferência maior do que no restante do disco.

Nós usamos um disco rígido Seagate Barracuda 7200.10 160 GB (ST3160815AS, SATA-300, 7,200 rpm, 8 MB buffer) para realizarmos nossos teste. Primeiro nós instalamos ele em uma porta SATA-300 disponível na placa-mãe para avaliarmos o seu desempenho quando instalado dentro do micro, e em seguida dentro do Icebox, ligado ao micro em uma porta USB 2.0. Infelizmente não chegamos a testar esse gabinete usando uma porta eSATA, mas todos os testes que fizemos até agora mostraram que discos externos ligado nesse tipo de porta têm praticamente o mesmo desempenho de quando são ligados internamente, diretamente na placa-mãe. Ao mesmo tempo, praticamente todos os gabinetes e adaptadores que usam conexão USB 2.0 limitam a velocidade de transferência em menos de 30 MB/s. Como você pode ver na tabela abaixo, essa limitação manteve-se nesse produto, e os resultados foram dentro do esperado.

Conexão Rajada Máximo Médio Mínimo
SATA-300 (interno) 208,4 MB/s 90,5 MB/s 65,2 MB/s 36,3 MB/s
USB 2.0 (Icebox) 34,4 MB/s 28,1 MB/s 26,3 MB/s 7,1 MB/s

Abaixo você pode ver os gráficos gerados pelo DiskSpeed32, onde fica bem claro que, ao ser ligado diretamente na porta SATA da placa-mãe, o desempenho é limitado pela própria velocidade de leitura do disco rígido, começando com valores mais altos nas trilhas externas e reduzindo nas trilhas mais internas. Já no gráfico que mostra a leitura do disco ligado na porta USB 2.0, fica claro que existe uma limitação do desempenho de leitura.

eXtream Icebox
Figura 10: Disco rígido ligado na porta SATA.

 eXtream Icebox
Figura 11: Disco rígido instalado no Icebox, ligado na porta USB 2.0.

Dessa forma, fica nosso conselho: se você precisa de desempenho, use a porta eSATA, já que a porta USB reduz muito a taxa de transferência. Porém, a grande vantagem da porta USB é a portabilidade, já que em qualquer lugar que você vá, vai encontrar uma porta dessas à sua espera. Já a porta eSATA ainda não é muito comum, sendo praticamente uma exclusividade de computadores dotados de placa-mãe ou gabinete topo de linha. Ponto para o Icebox, que oferece as duas opções.

Editado por

Compartilhar



  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Comentários de usuários


Rafael, sabe me dizer qual o chip controlador usado nessa gaveta USB?

Experimente também fazer testes de corrompimento de dados pois vários chips Sata-USB ou IDE/Sata-USB corrompem dados:

- Localize um arquivo de tamanho superior a 4GB e obtenha o código hash do arquivo (SHA1 ou MD5);

- Copie para o HD que está instalado na gaveta USB e reinicie o computador;

- Obtenha o código hash do arquivo gravado no HD da gaveta e compare com o código hash original.

> Lembre-se de fazer o teste a partir da conexão USB.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Só achei a gaveta meio cara. Por aqui (no Brasil) não é muito fácil encontrar esse tipo de produto.

No paraguai encontrei uma gaveta, paguei muito barato (foi menos de 50 reais). Essa gaveta possui chip da JMICRON, saida usb e esata, funciona muito bem. A marca não é conhecida (iMICRO)... mas pelo preço!

Os HDs esquentam muito dentro dessas gavetas, a minha é feita de aluminio, mas nao tem cooler (pelo menos nao faz barulho!), porém esquenta bastante no verao.

Mas esse produto ai é bem mais inteligente, possui cooler que pode ser desligado facilmente e é de fácil instalacao!

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Tenho um desses, o unico problema que tive foi o cabo USB que veio com ele estar defeituoso.

Editado por eduardo paiva

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Sei que o tópico é de 2009, mas quero deixar minha opnião.

Eu comprei uma Icebox há muito tempo e ela tem dois defeitos graves

1º ao copiar grandes arquivos ela reinicia por nenhum motivo aparente (já repeti o teste várias vezes), por causa disso corrompe arquivos.

2º para encaixar o hd no conector é necessário fazer pressão, mas o conector da Icebox é fragil, pode entortar ou quebrar (já aconteceu comigo).

Não sei se ainda vendem ela, mas não recomendo que comprem.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×