Teste do SSD WD Blue de 1.000 GiB

       
 14.717 Visualizações    Testes  
 11 comentários

Testamos o WD Blue de 1.000 GiB, SSD intermediário de 2,5 polegadas e interface SATA-600. Vamos ver como é o seu desempenho.

Rafael Coelho Editor-chefe do Clube do Hardware

Introdução

Nós testamos o modelo de 1.000 GiB de capacidade da linha WD Blue da Western Digital. Confira o desempenho deste SSD.

Depois de adquirir a SanDisk ano passado, a Western Digital (WD) lançou a linha de SSDs WD Blue, que é uma família de SSDs intermediários, e a linha WD Green, voltada a baixo custo e baixo consumo de energia. Ambas as linhas estão disponíveis no formato de 2,5 polegadas e M.2 2280, nos dois casos utilizando a interface SATA-600.

Nós testamos o WD Blue de 1.000 GiB no formato de 2,5 polegadas, código WDS100T1B0A. Além desta capacidade, a empresa ainda oferece unidades desta linha com 250 GiB e 500 GiB de capacidade.

O WD Blue de 1.000 GiB tem 1.024 GiB (1 TiB) de memória total, mas é vendido como sendo de 1.000 GiB, pois 24 GiB são reservados para uso interno (“overprovisioning”), usados pelos mecanismos de coleta de lixo e balanceamento de desgaste. Aqui é muito importante perceber que 1.000 GiB não é a mesma coisa que 1 TB ou 1 TiB e o usuário médio certamente se confundirá. Um disco rígido de 1 TB armazena 1.000.000.000.000 bytes (10^12 bytes), enquanto que um SSD de "1 TB" (na realidade, 1 TiB) armazena 1.099.511.627.776 bytes (2^40 bytes). Como o sistema operacional reporta capacidades em potência de dois, um disco rígido de 1 TB é reportado pelo sistema operacional como sendo de 931,32 GiB, mas um SSD de 1 TiB é reportado como sendo de 1 TiB. A unidade analisada traz um espaço de armazenamento disponível de 1.000 GiB, ou seja, 1.073.741.824.000 bytes. (A informação na embalagem do produto informado que ele é uma unidade de "1 TB" está incorreta.) Para mais informações sobre essas nomenclaturas, leia "Confuso com kB x kiB, MB x MiB, GB x GiB, TB x TiB?"

Antes de prosseguirmos com este teste, nós sugerimos a leitura do tutorial “Anatomia das unidades SSD”, onde você encontrará informações sobre estas unidades.

O WD Blue utiliza memórias TLC (triple level cell), que armazenam não dois bits por célula como a maioria das memórias MLC, mas três bits. Isso permite uma maior densidade de dados e, com isso, um menor custo de fabricação para um modelo de mesma capacidade.

A desvantagem das memórias TLC frente às memórias MLC de dois bits (e mais ainda em relação às memórias SLC) são a menor velocidade (devido ao mecanismo de correção de erro) e a menor durabilidade, pois há mais desgaste das células a cada processo de apagamento (utilizado antes da escrita de dados).

O total de bytes gravados (TBW, que significa a quantidade de dados gravados na unidade até que a mesma possa ter problemas por desgaste) do WD Blue de 1.000 GiB é de 400 TiB (o mesmo valor, por exemplo, de um Kingston UV400 de 960 GiB). Assim, esse modelo (bem como como todo modelo que utilize memórias TLC) é recomendado para aplicações domésticas, mas não é aconselhável para aplicações que exijam uma grande quantidade de gravação de dados, como servidores, por exemplo.

Como nós não tínhamos outro modelo de mesma capacidade à disposição, nós comparamos o WD Blue de 1.000 GiB com o HyperX Savage de 480 GiB, que é um SSD SATA-600 de 2,5 polegadas topo de linha. Desta forma, lembre-se de que ambas as unidades não são concorrentes diretas.

Na tabela abaixo comparamos as unidades testadas. Ambas as unidades usam interface SATA-600 e são baseadas no formato de 2,5”, com altura de 7 mm (podendo, desta forma, ser instaladas em notebooks ultrafinos que necessitam de unidades de armazenamento com esta altura).

Fabricante

Modelo

Código do Modelo

Capacidade Nominal

Preço nos EUA

Western Digital

WD Blue

WDS100T1B0A

1.000 GiB

US$ 265

Kingston HyperX

Savage

SHSS37A/480G

480 GiB

US$ 189

Os preços foram pesquisados no dia da publicação deste teste na Newegg.com.

Na tabela abaixo, nós fornecemos um comparativo de detalhes técnicos das duas unidades.

Modelo Controlador Buffer Memória
WD Blue Marvell 88SS1074 2 x 512 MiB DDR3-1866 Micron MT41K512M8RG-107 8x 128 GiB SanDisk 05478 128G
HyperX Savage Phison PS3110-S10 512 MiB DDR3L-1600 Nanya NT5CC256M16CP-DI 16x 32 GiB Kingston FQ32B08UCT1-C0

Compartilhar

2 pessoas curtiram isso



Comentários de usuários


Isso vai dar tilt na cabeça de quem não leu seu artigo sobre notações e sistemas binários. :D

3 pessoas curtiram isso

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Deram um miguezinho para a empresa regulamentadora para criar os MiB,GiB,TiB... bando de cara de paus (Iria escrever um palavrão aqui se pudesse). Lembro-me que até os HDs de 20GB e 40GB os fabricantes eram honestos depois disso é que começaram com essa palhaçada afim de lucrar mais.

 

O problema dos SSDs é a pouca durabilidade e o alto custo então só o recomendo para usuários gamers ou para empresas que montam servidores, mas mesmo assim passo as vantagens e as desvantagens... Muitos acabam querendo os HDs de 7200 rpm. 

1 pessoa curtiu isso

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
2 horas atrás, RBMA disse:

Deram um miguezinho para a empresa regulamentadora para criar os MiB,GiB,TiB... bando de cara de paus (Iria escrever um palavrão aqui se pudesse). Lembro-me que até os HDs de 20GB e 40GB os fabricantes eram honestos depois disso é que começaram com essa palhaçada afim de lucrar mais.

 

O problema dos SSDs é a pouca durabilidade e o alto custo então só o recomendo para usuários gamers ou para empresas que montam servidores, mas mesmo assim passo as vantagens e as desvantagens... Muitos acabam querendo os HDs de 7200 rpm. 

Os SSDs já tem um ciclo de vida bem extenso cara, essa de que eles tem pouca durabilidade não cola mais. Alguns atuais já tem uma estimativa de até centenas de anos regravando uma certa quantidade de dados todos os dias.

3 pessoas curtiram isso

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Essa questão de durabilidade é balela a muito tempo, já utilizo um desde 2011 sem nenhum problema, olha que é um OCZ VERTEX 3, a vida é outra, HD só pra armazenar dados mesmo. 

1 pessoa curtiu isso

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
9 horas atrás, RBMA disse:

Deram um miguezinho para a empresa regulamentadora para criar os MiB,GiB,TiB... bando de cara de paus (Iria escrever um palavrão aqui se pudesse). Lembro-me que até os HDs de 20GB e 40GB os fabricantes eram honestos depois disso é que começaram com essa palhaçada afim de lucrar mais.

 

O problema dos SSDs é a pouca durabilidade e o alto custo então só o recomendo para usuários gamers ou para empresas que montam servidores, mas mesmo assim passo as vantagens e as desvantagens... Muitos acabam querendo os HDs de 7200 rpm. 

 

http://techreport.com/review/27062/the-ssd-endurance-experiment-only-two-remain-after-1-5pb

 

SSDs de 240 GiB e de 2 anos atrás aguentaram, sem problemas, 1000 terabytes de ciclos de leitura e gravação..

Quantos anos de uso pra chegar neste fluxo de dados?
Aliás, quanto tempo pro teste ser feito?

Durabilidade já foi um problema. ;)

2 pessoas curtiram isso

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
50 minutos atrás, Evandro disse:

Durabilidade já foi um problema.


Dá um bom tema para um artigo! :)

4 pessoas curtiram isso

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
19 horas atrás, ares0079 disse:

Essa questão de durabilidade é balela a muito tempo, já utilizo um desde 2011 sem nenhum problema, olha que é um OCZ VERTEX 3, a vida é outra, HD só pra armazenar dados mesmo. 

Tem certeza que o seu SSD é TLC amigo? acredito que todos os SSDs fabricados em 2011 são MLC e talvez até SLC. O problema de durabilidade se aplica aos TLC.

 

Uma coisa que eu acho engraçada e até irônica é ver o povo defendendo com unhas e dentes "SSDs TLC *****" fabricados por empresas que só visam o lucro a qualquer custo. Um exemplo disso é a ideia de que com o uso da tecnologia TLC, os SSDs ficariam mais acessíveis ao consumidor sendo que o que eu estou vendo é exatamente o contrário.  Os v300 120gb da kingston eram MLC e custavam 230,00 em uma mega loja conhecida na época em que o dólar estava a 3,50, agora os v400 120gb que usam tecnologia TLC (mais barato não?)  custam 289,00 na mesma loja com o dólar a 3,10.  Quem está lucrando com isso? o consumidor eu posso garantir que não é ao comprar um produto que todos os testes já indicaram que irão durar 30% do que o outro duraria e pagando bem mais caro por isso.

1 pessoa curtiu isso

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
17 horas atrás, fatherofpain disse:

Tem certeza que o seu SSD é TLC amigo? acredito que todos os SSDs fabricados em 2011 são MLC e talvez até SLC. O problema de durabilidade se aplica aos TLC.

 

Uma coisa que eu acho engraçada e até irônica é ver o povo defendendo com unhas e dentes "SSDs TLC *****" fabricados por empresas que só visam o lucro a qualquer custo. Um exemplo disso é a ideia de que com o uso da tecnologia TLC, os SSDs ficariam mais acessíveis ao consumidor sendo que o que eu estou vendo é exatamente o contrário.  Os v300 120gb da kingston eram MLC e custavam 230,00 em uma mega loja conhecida na época em que o dólar estava a 3,50, agora os v400 120gb que usam tecnologia TLC (mais barato não?)  custam 289,00 na mesma loja com o dólar a 3,10.  Quem está lucrando com isso? o consumidor eu posso garantir que não é ao comprar um produto que todos os testes já indicaram que irão durar 30% do que o outro duraria e pagando bem mais caro por isso.

 

No boletim do Clube do Hardware número 1.573 – 09/12/2016, a Flavia Dutra postou isso:

 

"Preço médio dos SSDs deve aumentar em torno de 25% em 2017

 

De acordo com pesquisa de mercado realizada pela DRAMeXchange, divisão da TrendForce, o preço dos SSDs deve aumentar cerca de 25% em 2017, principalmente por causa da transição para os módulos NAND 3D.

 

A pesquisa mostrou que a alta demanda por SSDs com chips NAND 3D está fazendo com que os fabricantes ampliem suas capacidades de produção, gerando mais gastos, que são repassados para os consumidores com produtos mais caros. Somente no segundo trimestre de 2016 foram comercializados 33,7 milhões desses SSDs no mundo.

 

Além disso, a empresa informou que o preço médio dos SSDs com chips NAND MLC cresceu entre 6% e 10% no quarto trimestre deste ano e os modelos NAND TLC aumentaram de 6% a 9% no mesmo período.

 

No terceiro trimestre deste ano, o mercado mundial de memória NAND gerou US$ 10,23 bilhões, liderado pela Samsung, com 36,6% da quota do mercado, seguida pela Toshiba, com 19,8%, e Western Digital, com 17,1%.

 

Segundo analistas do mercado, a redução dos preços dos SSDs só deverá acontecer a partir de 2018.

 

Mais informações:

http://bit.ly/2gQlVtv"

1 pessoa curtiu isso

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

@mabcardoso essa é uma flutuação pontual, o preço por GiB tende a continuar caindo conforme a tecnologia avança. ;)

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
2 horas atrás, mabcardoso disse:

 

No boletim do Clube do Hardware número 1.573 – 09/12/2016, a Flavia Dutra postou isso:

 

"Preço médio dos SSDs deve aumentar em torno de 25% em 2017

 

De acordo com pesquisa de mercado realizada pela DRAMeXchange, divisão da TrendForce, o preço dos SSDs deve aumentar cerca de 25% em 2017, principalmente por causa da transição para os módulos NAND 3D.

 

A pesquisa mostrou que a alta demanda por SSDs com chips NAND 3D está fazendo com que os fabricantes ampliem suas capacidades de produção, gerando mais gastos, que são repassados para os consumidores com produtos mais caros. Somente no segundo trimestre de 2016 foram comercializados 33,7 milhões desses SSDs no mundo.

 

Além disso, a empresa informou que o preço médio dos SSDs com chips NAND MLC cresceu entre 6% e 10% no quarto trimestre deste ano e os modelos NAND TLC aumentaram de 6% a 9% no mesmo período.

 

No terceiro trimestre deste ano, o mercado mundial de memória NAND gerou US$ 10,23 bilhões, liderado pela Samsung, com 36,6% da quota do mercado, seguida pela Toshiba, com 19,8%, e Western Digital, com 17,1%.

 

Segundo analistas do mercado, a redução dos preços dos SSDs só deverá acontecer a partir de 2018.

 

Mais informações:

http://bit.ly/2gQlVtv"

Valeu por compartilhar amigo mas ainda assim não entendo como um TLC que deveria custar bem menos que um MLC está bem mais caro mesmo com esse aumento de 25% por conta da alta demanda por chips. Acredito que a adoção do TLC visa mesmo o aumento do lucro das empresas com nenhuma vantagem para o consumidor. Enfim, ao menos os SSD's MLC continuam a existir nos modelos High end.

 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Tenho HDs de 150MB da IBM, 2 340MB da Westernny Digital e mais 2 da Seagate um de 1GB e o outro de 4GB funcionando numa boa. (Testei no domingo passando o HD regenerator e depois copiando arquivos. São Hds que já possuem mais de 20 anos e foram muito usados.

 

Para mim SSD não compensa pois eu trabalho com máquina virtual e jogos e com isso preciso de muito espaço em disco na unidade do Sistema e além disso os outros dois HDs estão cheios de arquivos meus.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!


Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.


Entrar agora