Entre para seguir isso  
Seguidores 0

Quanto uma Fonte Genérica de 500 W Realmente Fornece?

       
 111.437 Visualizações    Testes  
 41 comentários

Testamos uma fonte genérica de 500 W para descobrirmos quanto de potência ela realmente consegue fornecer e as diferenças entre uma fonte de alimentação boa e uma ruim.

Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

Introdução

Nós decidimos pegar uma fonte de alimentação “genérica” de 500 W – mais especificamente uma Advanced Electronics FX-500 (também conhecida como ATX-LPJ22-23) – e a testá-la usando a mesma metodologia usada nas fontes de alimentação de “marca”. A ideia por trás deste teste é de ser o mais educativo possível e responder a algumas questões importantes: quanto uma fonte de alimentação genérica realmente consegue fornecer? Quais são as diferenças entre uma fonte de alimentação genérica e uma de “marca”? Corremos algum risco em usarmos uma fonte de alimentação genérica em nosso PC? Porque fontes genéricas custam tão pouco? Continue lendo e veja nossas descobertas.

Nós chamamos de “genérico” qualquer produto simples e barato que nós não conseguimos descobrir qual é o verdadeiro fabricante – normalmente porque o fabricante não quer ser encontrado! No caso das fontes de alimentação, fontes genéricas custam poucos reais (a fonte que testamos custa R$ 50,00) e normalmente vêm de graça em gabinetes mais simples. Nenhuma atenção é dada ao acabamento do produto e elas seguem o tradicional projeto ATX, com uma ventoinha de 80 mm na parte traseira e algumas ranhuras na parte frontal da fonte. Elas são menores e muito mais leves do que fontes de alimentação de “marca”. Na verdade, antigamente quando era difícil encontrar boas fontes de alimentação um macete usado por vários técnicos era escolher a fonte de alimentação mais pesada. Elas também têm uma tomada CA na parte traseira para você conectar seu monitor de vídeo e este recurso não é mais visto em fontes de “marca”.


Figura 1: Fonte de alimentação Advanced Electronics FX-500 (ATX-LPJ22-23).


Figura 2: Fonte de alimentação Advanced Electronics FX-500 (ATX-LPJ22-23).

Aqui nós podemos ver a primeira diferença importante entre uma boa fonte de alimentação e uma fonte genérica: refrigeração. Mesmo quando uma boa fonte de alimentação usa apenas uma ventoinha de 80 mm na parte traseira ela tem muito mais ranhuras na parte frontal (com várias fontes substituindo o painel frontal por uma grade), o que aumenta o fluxo de ar e evita que o seu computador se superaqueça. A fonte de alimentação é um elemento chave na dissipação de calor dentro do micro já que ela é responsável por puxar o ar quente de dentro para fora do micro (através dessas ranhuras), através da ventoinha da fonte de alimentação. Na Figura 3 nós ilustramos isto.


Figura 3: Fluxo de ar e dissipação de calor em um PC típico.

Claro que para diminuir os custos as fontes de alimentação genéricas não têm circuito PFC (leia mais sobre o PFC em nosso tutorial Fontes de Alimentação) e também assumimos que elas têm uma baixa eficiência, abaixo de 70%, mas claro que mediremos a eficiência durante nossos testes com esta fonte de alimentação. Quanto maior a eficiência, melhor – uma eficiência de 80% significa que 80% da potência extraída da rede elétrica é convertida em potência nas saídas da fonte de alimentação e apenas 20% é desperdiçada, o que significa uma conta de luz mais baixa.

Outra principal diferença externa entre uma boa fonte de alimentação e uma fonte genérica são os cabos usados. Fontes de alimentação genéricas usam fios mais finos do que o recomendado, normalmente com bitola 20 AWG. A bitola mínima exigida para os padrões de hoje é 18 AWG. Além disso, as fontes de alimentação genéricas vêm com poucos cabos se comparadas com fontes de “marca”. A fonte de alimentação que testamos, a Advanced Electronics FX-500 (ATX-LPJ22-23), por exemplo, tinha apenas dois cabos, um com dois conectores de alimentação para periféricos e outro também com dois conectores de alimentação para periféricos mais um conector de alimentação para a unidade de disquete, mais o cabo de alimentação principal da placa-mãe e um cabo ATX12V – nenhum conector de alimentação SATA (apesar de algumas fontes de alimentação genéricas terem esses conectores) e nenhum conector de alimentação auxiliar para a placa de vídeo.

A distribuição de potência é também uma diferença muito importante entre fontes genéricas e fontes de “marca”. Fontes genéricas são normalmente baseadas na primeira especificação ATX, que foi desenvolvida na época que a maior parte do consumo do micro era concentrada na linha de +5V. Atualmente o consumo é concentrado nas saídas de +12V, já que o processador (através dos conectores ATX12V e EPS12V) e as placas de vídeo são conectados na saída de +12V, não na saída de +5V. Portanto normalmente as fontes genéricas têm um maior limite de corrente nas saídas de +5V enquanto que as boas fontes de alimentação de “marca” atuais têm um maior limite de corrente nas saídas de +12V. Existe ainda uma diferença principal de como a saída de +3,3V é obtida, mas falaremos sobre isto adiante.

Mas a principal “característica” das fontes de alimentação genéricas é que elas fornecem muito menos potência do que rotulado. A Advanced Electronics FX-500 (ATX-LPJ22-23) é rotulada como uma fonte de alimentação de 500 W (apesar de no site da Advanced Electronics dizer que ela é uma fonte de 230 W) e um dos objetivos deste teste é verificar qual é a potência real desta fonte.

Existem várias maneiras dos fabricantes de fontes de alimentação rotularem seus produtos:

  • Rotular a fonte de alimentação com a potência de pico, que pode ser obtida apenas durante alguns segundos e, em alguns casos, em menos de um segundo.
  • Medir a potência máxima da fonte com uma temperatura ambiente não condizente com a realidade, normalmente a 25°C, enquanto que a temperatura dentro o micro será sempre maior do que este valor – pelo menos 35°C. Os semicondutores perdem a capacidade de fornecer corrente (e consequentemente potência) com a temperatura (fenômeno conhecido, em inglês, como “de-rating”). Portanto a potência máxima medida em uma temperatura baixa pode não ser obtida quanto a temperatura é aumentada.
  • Simplesmente mentir, que talvez seja o caso das fontes genéricas.

Agora que você sabe quais são as diferenças externas entre uma fonte de alimentação genérica e uma de “marca”, vamos ver as diferenças internas.

Compartilhar

1 pessoa curtiu isso


Entre para seguir isso  
Seguidores 0

Comentários de usuários




Alá...sabia!!!

Eu tinha uma dessas...troquei 1 semana depois pela Zalman da assinatura.

Fonte genérica de 500w morreu com 275w! Vishhh...nem 300w passa por ela...Então a potência ficou como 250w reais...omfg! :eek:

A Zalman, até onde me lembro, morreu também! Porém...quando exigiram um enorme "esforço" da danada!

Realmente as vezes vale a pena gastar um pouquinho mais pra ter uma fonte de qualidade e não por em risco todo o seu investimento (equipamento).

Abs!

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Ah, achei que fosse ver mais um "zap" na fonte..

Se o CdH for fazer comparativões dessas fontes vai ser engrado hehehehe

Ah, Diogo, a Zalman não queimou, ela chegou até a 460w se não me engano e depois desligou, o teste vai sair aqui em breve.

E tem uma coisa genérica que é boa: medicamento :) Esses sim seguem um controle rigoroso e são exatamente iguais aos "de marca", até a cor deve ser a mesma.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Pelo menos não explodiu como algumas de marca por aí...

Fonte é realmete desprezada na hora da montagem de um PC, seguindo também por memórias, gabinetes e placas-mãe; tudo mundo só pensa em: é dual? quanto de HD? grava DVD? ; e outros mais.

Sabia que essas fontes são uma mentira, agora metada da potência é um absurdo...

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Muito legal o teste! É sabido que a potencia especificada é a velha potencia de pico. Mas até que a fonte surpreendeu ao fornecer 250W de potencia, sendo no site da fonte especificado como 230W reais. De qualquer forma por um pouco a mais eles poderiam acrescentar um sistema de filtragem um pouco melhor sem aumentar significativamente o custo.

Gostaria de saber qual osciloscópio o Gabriel usa nestes testes!

Obrigado.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Muito instrutivo... Comprei minha fonte baseado em pequenos detalhes e quais são eles?

-Cabos bitola 16 e 18 AWG;

-Cabos revestidos com malha saindo de dentro da fonte até a extremidade com protetor de borracha;

-PFC ativo (não tem o comutador 110/220V);

-Duas ventoinhas(uma empurrando e outra retirando o ar. eu gosto disso);

-Proteções de corrente;

-Ajuste de velocidade das ventoinhas;

-Fonte certificada pela NVIDIA (Tá lá no SLIZone, sendo: www.slizone.com/object/slizone_build_psu.html --> For Dual GeForce 8800 GTX)

-Gostei do tamanho e peso (hehehe)

e o principal custo/benefício.

Lógico que adoraria ver um review mais detalhado dela. Acredito que se sairia muito bem!

Gabriel, puxar 750W vai maltratar um pouco o seu equipamento, não vai não? hehehe

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Esta é uma história real do dia-a-dia de muitos brasileiros...

Quase todo mundo ta nem ai com a fonte... E tem cara q monta pc pra vender em lojinha com fonte original do gabinete. Depois o pc volta pra ele com "piripaq" (só porque o cliente pediu pro vizinho instalar um gravador de dvd ou mesmo um HD novo na máquina rsrsrs) depois que o pc chega na loja ele fica uma semana na bancada, e o cara lá, tentando descobrir o defeito, do porque que o pc trava, resseta, não reinstala o windows, etc, etc, etc....

No final das contas o cara fala q a placa-mãe do infeliz ta com defeito e q ele tem q trocar...

Ai o coitado do cliente (q não manja nada de informárica) cai no papo do "técnico" e faz um upgrade de novo...

O cidadão sai de um Durom, pra pegar um Celeromzinho (eu ficaria com o Durom) com 512MB de memória DDR genérica, HD pata de 80Gb, video onboard (com possibilidade de expansão pra uma AGP! (Q legal!:lol:) Há sem contar a placa-mãe né, tipo uma ECS (nada contra!) de no máximo R$100... Lógico q aproveitando o Gravador de dvd...

No final das contas o cara fez um Upgrade, trocou tudo inclusive o gabinete! E este novo gabinete veio com uma fonte nova de 500W! Q só entrega 250w (mais do q o suficiênte pra um pc todo onbord) exeto o modem intel ou motorola q o "técnico" impurrou pro infeliz.

Comclusão

Tanto 80% dos tecnicos como 98% das pessoas ligadas à informática "digamos q doméstica" do nosso Brasil não manjam quase nada do q teêm na mão, no caso dos técnicos eles só sabem istalar a placa-mãe no gabinete, parafuzar HD, DVD, espetar a memória, instalar o processador, ligar os cabos de energia, colocar o cd do windows no driver, ligar a máquina e deixar que o processo de instalação faça o resto. Depois fecha a máquina e entrega pro clinte que sai satisfeito, loco pra espetar o cabo do telefone (Obs: o speedy ainda não chegou) e ir logo num site de sacanagem pra ver fotos e só depois msn, orkut, etc.

Até q de pau de novo.... E ai vai

galera, não é bem assim q acontece???.... Tudo por causa da fonte?..... [

valeu.. Abs...;)

Mais um excelente teste!!! Abriu os olhos de muita gente....

Parabéns... q continuem assim....

Abs.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Teste muito bom, só pediriam que não fossem tão repetitivos pra não desestimular a leitura, crítica construtiva...

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Esse review foi muito interessante, e com certeza mais esperado do que os de fontes que nunca poderemos comprar. O mais interessante que achei nem foi o fato dela não conseguir entregar os 500W, coisa que serai óbvia, mas sim o ruído e o rippler que estavam muito acima dos limites qualquer que fosse as condições de uso.... Aí soma isso a um aplaca-mãe pcchips e um estabilizador eletrônico e veremos no que dá:P:p:p

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

muito bom o artigo, queria apreoveitar pra saber se ja fizeram algum teste com a fonte Leadership Gamer, pergunto isso porque eu tenho uma de 600W mas essa não é a poência RMS dela, então queria saber o quanto minha fonte pode realmente fornecer...

abraço!

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

E imaginar que existem milhares de servidores rodando com essa fontes.. muitas vezes em hospitais, escritórios, pequenas empresas etc etc...

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Falam que os caras que montam pc com fonte de gabinete estão errados. Agora, tenta explica pro cliente que ele tem que compra uma fonte de 200 conto, sendo que você compra o gabinete por 80 e a fonte vem inclusa?

Sempre que eu vou montar um pc eu dou a opção, mas a pessoa sempre ri da minha cara. Vai da conta e risco do comprador, não é culpa do técnico.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Muito Bom o teste!

Fazendo bom uso do testador de fontes, hein? :)

...

Poxa, metade da potência rotulada?

Ai ja é sacanagem O.o

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

vocês podiam testar fontes de marca mais baratas como as Prodigy ou as Spire, que são mais baratas que as Cooler Master - que eu também apreciaria ver testes.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

pow o teste foi muito massa gabriel tenho uma "genérica" também uma c3 tech de 500 w reais gostaria que um dia desses vocês aí testassem o transformador dela é bem grande não dá pra ver a outras partes to juntando uma grana pra comprar a 620w da corsair ali é uma fonte excelente abraços e o teste foi bom essas fontes são um lixo empresas cada vez mais pior em termnos de qualidade nas lojas aqui esse tipo de fonte vende que é uma beleza a galera não se importa muito com fonte e só vai nas mais baratas valeu !!!!!!!!!!!

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Muito bom o teste .

Achei que no final do teste a fonte ia explodir ...

Muitas vezes a culpa não é do técnico, já me aconteceu várias vezes : eu monto o pc e sugiro uma fonte confiável de 200 reais , o cliente ri e diz que prefere a fonte que vem no gabinete , aí eu falo que a confiabilidade do pc fica comprometida mas mesmo assim ele prefere economizar 200 reais por causa da fonte ...

O cliente quer saber do tamanho do hd , marca do cpu e modelo de vga ...

Fonte de alimentação é algo totalmente ignorado...

"pra que uma fonte de 200 reais se posso comprar uma de 50 ?" é o que 99% dos clientes pensam...

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Poxa, essa fonte me surpreendeu muito em uma coisa....

Ela não explodiu! :eek:

:P

PS: O nível de ruido deveria dar cadeia pros fabricantes... achei isso o maior insulto ao consumidor possivel... rotular a potencia em freezer na china ja é uma piada... agora aquele nivel de ruido é um crime...

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Bom, sei que isso vai contra a "moral e os bons costumes", mas pra um pc de escritório com tudo do mais básico possível, é uma boa fonte.

Ainda digo mais... tem gabinete que é vendido na faixa dos R$ 80 já com fonte. E uma fonte xing ling dessas já é o suficiente pra um pc que só vai ser usado para internet e digitar textos. Ela segura um Celeron 420 com 1 gb de memória, uma pl-mãe com vídeo onboard, 1 HD e 1 gravador de DVD. Para esse uso, não precisa gastar R$ 150 numa fonte.

Especificamente nesse caso que eu citei, não acho que uma fonte genérica é ruim.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Acho que isto merece correção:

"Na seção de chaveamento fontes de alimentação genéricas usam transistores unijunção em vez de transistores de potência MOSFET ..."

Estou ainda por ver alguma fonte que utilize transistores unijunção ... creio que houve confusão com transistores bipolares ...

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Bom, sei que isso vai contra a "moral e os bons costumes", mas pra um pc de escritório com tudo do mais básico possível, é uma boa fonte.

Ainda digo mais... tem gabinete que é vendido na faixa dos R$ 80 já com fonte. E uma fonte xing ling dessas já é o suficiente pra um pc que só vai ser usado para internet e digitar textos. Ela segura um Celeron 420 com 1 gb de memória, uma pl-mãe com vídeo onboard, 1 HD e 1 gravador de DVD. Para esse uso, não precisa gastar R$ 150 numa fonte.

Especificamente nesse caso que eu citei, não acho que uma fonte genérica é ruim.

mas a questão realmente foi o nivel de ruido que foi alto em qualquer potência.

mesmo que o pc puxe 100w ele pode ficar instável pelo alto nivel de ruido.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Acho q você's mataram uma charada! um amigo estava tendo 1 problema c/ o windows q só carregava em modo de segurança, no modo normal ele ficava agarrado na tela de load! ele formatava e logo depois voltava! hoje compramos 1 HD de 500GB Samsung 16MB sata II, 2 x 1GB Kingston 667MHZ! o HD novo é porque o de 80 q ele estava usando ele desconfia q esteja c/ problemas apesar do scandisk não pegar nenhum erro! e a fonte é uma genérica das bravas igual essa do teste ele tem 2 gravadores de DVD, 2 HD'S e acabaram os cabos de alimentação!

Ele estava acahando q o problema era o HD mas deve ser a fonte!:confused:

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites



Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!


Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.


Entrar agora