Ir ao conteúdo
Entre para seguir isso  

Teste da Fonte de Alimentação Casemall Powerex 600 W

       
 90.496 Visualizações    Testes  
 23 comentários

Mais uma fonte de marca nacional no forno. Será que o modelo de 600 W da Casemall aguenta o tranco?

Teste da Fonte de Alimentação Casemall Powerex 600 W
Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

Introdução

Mais uma fonte de marca nacional no forno. Será que o modelo de 600 W da Casemall aguenta o tranco?

A grande diferença deste modelo de 600 W para os modelos de 400 W e de 500 W que já testamos é que ele vem com circuito PFC ativo, sendo baseado em um projeto completamente diferente. Internamente, porém, esta fonte usa a obsoleta topologia meia-ponte. Esta é a primeira vez que vemos uma fonte com PFC ativo baseado nesta topologia; em geral fontes com PFC ativo são baseadas em topologias mais modernas.

Tendo PFC ativo, ela possui seleção automática de tensão, e aqui começa uma série de equívocos. Até ontem o site da Casemall indicava esta fonte como tendo seleção manual de tensão. Após avisarmos a eles do erro, eles imediatamente corrigiram, mas sites de vendas ainda listam esta fonte como tendo seleção manual de tensão. Para complicar a situação, a amostra que compramos veio com uma etiqueta vermelha escrito “AC 230 V” perto do conector de alimentação (ver Figura 1), só que esta informação está errada. Por algum motivo, o fabricante original da fonte colou a etiqueta errada nesta fonte. Curiosamente a foto desta fonte no site do fabricante original mostra a etiqueta correta: “AC 90-264 V”. Aqui vale a pena você abrir o site do fabricante original para ver que a foto que eles colocaram no site deles é a foto da fonte da Casemall – preste atenção na etiqueta e você verá a logomarca da Casemall e do Inmetro!

Esta fonte, assim como os demais modelos da Casemall, vêm ainda equivocadamente com a logomarca do Inmetro em sua etiqueta. De acordo com a Casemall isso foi equívoco do fabricante original, pois eles não pediram para esta logomarca ser adicionada (eles apenas requisitaram que o cabo de força tivesse a homologação do Inmetro).

Pela série de equívocos e pela troca de e-mails com a Casemall onde eles afirmavam que os produtos deles conseguiam sim entregar a potência rotulada (tanto o modelo de 400 W quanto o de 500 W explodiram em nossos testes muito abaixo da potência rotulada) e nos acusando de que estaríamos tentando queimar o filme deles no mercado (realmente, como se a gente fosse se importar com uma empresa que ninguém nunca ouviu falar), só temos a concluir que estamos realmente diante de uma empresa chinesa de quinta categoria, e os resultados do modelo de 600 W só vêm reforçar isso. Mas não vamos nos adiantar...

Casemall Powerex 600 W
Figura 1: Fonte de alimentação Casemall Powerex 600 W.

Casemall Powerex 600 W
Figura 2: Fonte de alimentação Casemall Powerex 600 W.

A Casemall Powerex 600 W tem 14 cm de profundidade e uma ventoinha de 120 mm em sua parte inferior. Apenas o cabo principal da placa-mãe tem proteção de nylon e fios com a bitola correta (18 AWG), todos os demais fios são mais finos do que o recomendado (20 AWG). A Casemall Powerex 600 W vem com os seguintes cabos e conectores:

  • Cabo principal da placa-mãe com conector de 20/24 pinos (37 cm).
  • Um cabo com dois conectores ATX12V que juntos formam um conector EPS12V (49 cm).
  • Dois cabos com um conector de seis/oito pinos para placas de vídeo cada (40 cm).
  • Dois cabos com três conectores SATA cada (40 cm até o primeiro conector, 15 cm entre conectores).
  • Um cabo de alimentação para periféricos com três plugues padrão e um conector de alimentação para unidades de disquete (40 cm até o primeiro conector, 15 cm entre conectores).

Até que a configuração de cabos não é ruim para um produto de baixo custo.

Casemall Powerex 600 W
Figura 3: Cabos.

Vamos agora dar uma olhada no interior desta fonte de alimentação.

Compartilhar



  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Comentários de usuários


A Casemall não só devia trocar de fabricante de fonte, como também deveria em seguida fazer um recall(algo raríssimo aqui no BR) dessas bombas no mercado.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

kkkkkkkkkkkkkk

Parabéns pelo teste GT, mais uma vez desmascarando uma fonte nacional que não presta, que aliás, são muitas! :wacko:

A única que parece realmente estar seguindo um bom caminho é a C3Tech, que possui a PSH-750V e a DSA5060V2 (que está sendo recomendada no fórum), mas ainda comete alguns erros, como rotular errado algumas fontes.

Quanto a Casemall, uma vergonha, rotular a fonte com sendo de 600W e não entregar mais de 250W com segurança... O que é isso? É palhaçada!? :mad:

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Pra varia

Gabriel será que não dava pra usar a caixa pra alguma coissa, fiquei com pena de uma caixa dessas sendo jogada fora

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Oi pessoal,

Esqueci de postar no teste a foto com a minha recomendação de uso desta fonte...

Abraços,

Gabriel Torres

Fala sério, R$ 178 nessa fonte?:ahh::chicote:

Que Deus te restitua em dobro :lol:

Desse jeito e melhor recomendar a 3r System Iceagede. E pensar que quase comprei essa porcaria -_-fonte-do-mall

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

é aquela vvelha historia, 178,00 numja fonte que nao consegue chegar nos 240w com tensoes dentro do padrão atx, ou seja ela nao tem nem 240w de potencia real!

e a velha mtek 250w chega ate 330w com tensoes estáveis e dentro do padrão, custando 115,00 reais e nao recebeu nem o selo "produto honesto"

uma sugestao:

criem outros 2 selos, um "PRODUTO 100% HONESTO" quando a fonte for boa e cumprir com todo que promete porém nao tiver a eficiencia dentro dos 80%;

E um selo "PRODUTO ENGANOSO DIGNO DE SER JOGADO NO LIXO" para aquelas fontes que sao realmente um lixo que nao conseguem entregar nem a metade da potencia, alem de serem carissimas e oferecerem riscos ao computador, como essa que foi testada!

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Usuários Comerciais também pagam multa por energia reativa, Pelo menos num Supermercado onde eu dei assistência eles pagavam 500 reais todo mês de multa numa conta de 8000,00, aqui no interior do estado de são paulo.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Usuários Comerciais também pagam multa por energia reativa, Pelo menos num Supermercado onde eu dei assistência eles pagavam 500 reais todo mês de multa numa conta de 8000,00, aqui no interior do estado de são paulo.

É verdade, R$ 500 por mês é bastante, dava para trocar todas as fontes dos CPUS, colocar capacitores nos circuitos de iluminação e resolver este problema.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Hora .... Medalha de Ouro para Casemall, está invicta todos os modelos de fonte testados até agora foram pro vinagre, outro belo exemplo de falta de responsábilidade e competência de marcas nacionais. A maioria dos fabricantes renomados zelam por sua marca, pela qualidade de seus produtos e pela satisfação dos seus clientes, empresas que vendem produtos como essa fonte tambem tem a zelar, por dinheiro, dinheiro e dinheiro. Acho que essas fontes deveriam ser equipadas com timer, assim quem usa ouviria o "bip" e teria tempo de correr antes dela "explodir". Piadas a parte é uma vergonha que ainda exista praticas desse tipo nesse pais.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Eu penso que, como muitas coisas aqui no Brasil, esse negócio de baixa-qualidade em produtos essenciais esta enraizado culturalmente.

Quantas pessoas compraram e ainda comprarão essa tralha? Muitas e muitas pessoas, ainda mais disfarçado sob o selo do INMETRO, respeitadíssimo orgão.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Oi pessoal,

Esqueci de postar no teste a foto com a minha recomendação de uso desta fonte...

Abraços,

Gabriel Torres

Hahahahaha, destino perfeito pra essa fonte, só acho que devia comprar uma cesta de lixo maior, porque o que tem de fonte brasileira vagabunda que merecia ser jogada no lixo não é brincadeira (Braview que o diga rsrsrs)

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

PFC ativo não é uma questão geográfica. Não importa se é Brasil, Europa, Tasmânia, Cazaquistão, Madagascar ou Bangladesh. Primeiro, economia energética é bom para qualquer país. Isso não depende de o consumidor pagar ou não. Minha diária de hotel é fixa, já inclui o que vou gastar com água e luz, mas nem por isso deixarei a torneira aberta e o ar condicionado ligado sem necessidade. Segundo, o consumidor brasileiro doméstico não paga diretamente pela energia reativa, mas paga indiretamente. O preço do KWh, que pagamos, se reflete nos custos de geração e distribuição de energia, custos esses que incluem o que se perde com energia reativa. Se as perdas e custos fossem menores, é evidente que o preço do KWh poderia ser menor. Essa questão beneficia até a tribo perdida da Amazônia, que nunca usou energia elétrica na aldeia. Se o Brasil gastasse menos, não precisaria transformar a aldéia indígena em mais uma usina hidrelétrica. Terceiro, PFC ativo não diz respeito apenas a energia gasta ou não gasta. Com PFC ativo a fonte trabalha leve e solta, como a carreta numa descida. Muito menor estresse, maior durabilidade. A fonte sem PFC ativo, com baixíssimo fator de potência, será como a carreta na subida. Mal comparando, é claro. Apenas para facilitar entendimento. Quarto, em vista do que foi dito anteriormente, na fonte com PFC ativo ocorre menor distorção harmônica. Quinto, a fonte com PFC ativo não é bivolt, nem é bivolt automática. Ela não precisa selecionar tensão. Ela é full range (tensão universal), trabalhando de 90 a 264V. Bivolt automático (autoswitch) é a fonte sem PFC ativo que a Positivo vem colocando atualmente em seus micros.

Para quem quiser ir mais além na questão, vou indicar a matéria do Faller sobre PFC ativo:

http://forum.clubedohardware.com.br/correção-fator-potencia/431794

Editado por Kayke

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
A Casemall não só devia trocar de fabricante de fonte, como também deveria em seguida fazer um recall(algo raríssimo aqui no BR) dessas bombas no mercado.

Acabei de receber um e-mail da Casemall e eles vão trocar de fornecedor, vão passar a usar a 3R System... Não tem nem comparação, como disse a eles é como comparar um FIAT 147 1979 cheio de plastique com um Gol 2008... Quanto ao recall realmente não sei se eles fariam isso. Mas sei que eles lêem estes tópicos de comentários, então está aí lançada a sugestão para eles.

Abraços,

Gabriel Torres

A única que parece realmente estar seguindo um bom caminho é a C3Tech, que possui a PSH-750V e a DSA5060V2 (que está sendo recomendada no fórum), mas ainda comete alguns erros, como rotular errado algumas fontes.

Olha, de cinco fontes da C3Tech que testamos só a PSH-750V passou no nosso crivo, o resto é tudo fonte rotulada com a potência errada. A DSA5060V2 nós ainda não testamos. Importante sempre notar que o fato de estar sendo recomendada por outros usuários não significa que ela passou ou passará em nossos testes, pois nenhum usuário do fórum tem os equipamentos necessários para o teste de fontes da maneira correta. Portanto é importante ter cautela antes de pular a conclusões precipitadas.

Usuários Comerciais também pagam multa por energia reativa, Pelo menos num Supermercado onde eu dei assistência eles pagavam 500 reais todo mês de multa numa conta de 8000,00, aqui no interior do estado de são paulo.

Obrigado pelo esclarecimento, vou corrigir o texto.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Bom, pelo menos eles tiveram humildade para reconhecerem o erro, e mudar de fabricante.

Inicrível como estes testes estão surtindo efeito, em sua entrevista ao site iMasters, você disse que 2 empresas já cairam devido a grandes baixas por causa dos testes. Parabéns pelo seu trabalho, continue arrebentando!

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

A Casemall parece bem intencionada e não deve continuar a trazer essas fontes. Um dos problemas de nossos importadores/representantes é justamente esse: Muitas vezes não entendem e não sabem o que estão trazendo. Daí a grande utilizade desses testes. Mostrar para os chineses que aqui não é mais um paizinho de terceira categoria que aceita qualquer coisa. Lugar de lixo é no lixo. Reciclável de preferência.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Ótimo resultado repercurtiu-se com esse teste. Conseguimos fazer a Casemall trocar de fornecedor, isso é excelente e prova a utilidade pública do CDH.

A fonte é ridícula e por hora a Casemall está de parabéns em se propor a dar a volta por cima. Agora é testar a próxima fonte de 600W que será lançada no lugar desta para ver se aprenderam a lição.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Inicrível como estes testes estão surtindo efeito, em sua entrevista ao site iMasters, você disse que 2 empresas já cairam devido a grandes baixas por causa dos testes. Parabéns pelo seu trabalho, continue arrebentando!

Para constar: Braview e Powerstrike

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
calma ae, nao vai jogar fora uma fonte dessas... :mad:

ela ainda serve pra peso de porta! :D

abraços

rsrsrsrsrsrsrsrsrs

Essa foi legal d+!

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Ola, eu queria saber como eu faço pra trocar a fonte? pois como vi os testes aqui e a fonte nao é o que o fabricante mostra. eu queria saber se tem como fazer algo sobre isso? troca da fonte reembolso, ou seja la o que for. PERDI MEU DINHEIRO!

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×