Ir ao conteúdo
Entre para seguir isso  

Teste da Fonte de Alimentação Cougar CMX 700 W

       
 56.752 Visualizações    Testes  
 23 comentários

Vamos dar uma olhada nesta fonte de alimentação de 700 W com sistema de cabeamento modular e certificação 80 Plus Bronze da Cougar.

Teste da Fonte de Alimentação Cougar CMX 700 W
Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

Introdução

A Cougar é uma marca que pertence à HEC/Compucase e seus produtos eram originalmente destinados apenas ao mercado europeu. Recentemente eles começaram a expandir para o mercado norte-americano. A série CMX é formada por fontes com certificação 80 Plus Bronze e sistema de cabeamento modular, e está disponível em versões de 550 W, 700 W, 1.000 W e 1.200 W. Vejamos se o modelo de 700 W é uma boa opção.

As versões de 1.000 W e 1.200 W possuem projeto DC-DC no secundário, recurso não disponível nos modelos de 550 W e 700 W.

Cougar CMX 700 W
Figura 1: Fonte de alimentação Cougar CMX 700 W

Cougar CMX 700 W
Figura 2: Fonte de alimentação Cougar CMX 700 W

A Cougar CMX 700 W mede 16 cm de profundidade e tem uma ventoinha de 140 mm em sua parte inferior (Power Logic PLA14025S12M). A etiqueta da ventoinha diz que ela é um modelo com rolamento hidrodinâmico, mas o número do modelo diz que a ventoinha é um modelo com rolamento de mancal (ver a letra “S”;  ventoinhas com rolamento hidrodinâmico usam a letra “H”).

A fonte tem um sistema de cabeamento modular com seis conectores: dois conectores de alimentação vermelhos para placas de vídeo e quatro conectores de alimentação pretos para periféricos e dispositivos SATA. Além disso, quatro cabos estão permanentemente instalados na fonte. Os cabos inclusos são os seguintes:

  • Cabo principal da placa-mãe com um conector de 20/24 pinos, 60 cm de comprimento, permanentemente instalado na fonte
  • Um cabo com um conector EPS12V e dois conectores ATX12V que juntos formam outro conector EPS12V, 60 cm de comprimento até o primeiro conector, 30 cm entre os conectores, permanentemente instalados na fonte
  • Um cabo com um conector de seis pinos para placas de vídeo, 50 cm de comprimento, permanentemente instalado na fonte
  • Um cabo com um conector de seis/oito pinos para placas de vídeo, 50 cm de comprimento, permanentemente instalado na fonte
  • Um cabo com um conector de seis pinos para placas de vídeo, 51 cm de comprimento, sistema de cabeamento modular
  • Um cabo com um conector de seis/oito pinos para placas de vídeo, 51 cm de comprimento, sistema de cabeamento modular
  • Um cabo com três conectores de alimentação SATA, 50 cm até o primeiro conector, 15 cm entre os conectores, sistema de cabeamento modular
  • Um cabo com três conectores de alimentação SATA e um conector de alimentação para periféricos, 50 cm até o primeiro conector, 15 cm entre os conectores, sistema de cabeamento modular
  • Um cabo com dois conectores de alimentação SATA e dois conectores de alimentação para periféricos, 50 cm até o primeiro conector, 15 cm entre os conectores, sistema de cabeamento modular
  • Um cabo com três conectores de alimentação para periféricos, 50 cm até o primeiro conector, 15 cm entre os conectores, sistema de cabeamento modular
  • Um adaptador para converter um conector de alimentação para periféricos em um conector de alimentação para unidades de disquete, 15 cm de comprimento

Todos os fios são 18 AWG, que é a bitola correta a ser usada.

A configuração de cabos é excelente para uma fonte de 700 W.

Cougar CMX 700 W
Figura 3: Cabos

Vamos agora dar uma olhada no interior desta fonte de alimentação.

Editado por

Compartilhar



  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Comentários de usuários


Lamentável. O modelo GX 700W, testado anteriormente, tinha se saído tão bem. Resta apurar se a regulação de tensão tem problemas apenas nesse modelo específico de 700, ou se contempla toda a série CMX, que se sai bem nos testes germânicos, porém à temperatura ambiente.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Pois é... também esperava mais da Cougar.

Inicialmente parecia ser uma boa opção custo x benefício, mas nem tanto.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Pode até não ser uma fonte impecável. Mas pelo que constatei não deveria

receber o selo de 'Produto Bomba'. Ou será que só eu penso assim?

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Pode até não ser uma fonte impecável. Mas pelo que constatei não deveria

receber o selo de 'Produto Bomba'. Ou será que só eu penso assim?

Se ela oferece risco ao PC, então merece o selo de produto bomba...

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Quando sai fora do permitido pela especificação, é bomba sim. Digamos que a fonte não deveria ser bomba, mas por alguma falha no projeto a regulação de tensão falha e coloca o computador em risco.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Nossa , para mim inusitado pois eu considero as fontes da Cougar demais não só pela quantidade de cabos que é satisfatória , mas é lamentavel a CMX 700 vir com esse problema de fábrica pois o modelo CX saiu tão bem .

Mas vejam outra coisa boa , a Cougar não usou nem mesmo a mesma plataforma da CX 700 que nem outros fabricantes fazem remarcando a fonte & colocando outra carcaça .

Editado por Gabriel Braga

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Nossa , para mim inusitado pois eu considero as fontes da Cougar demais não só pela quantidade de cabos que é satisfatória , mas é lamentavel a CMX 700 vir com esse problema de fábrica pois o modelo CX saiu tão bem .

Mas vejam outra coisa boa , a Cougar não usou nem mesmo a mesma plataforma da CX 700 que nem outros fabricantes fazem remarcando a fonte & colocando outra carcaça .

O que acontece é que a HEC/Compucase faz as suas próprias fontes e as vende sob a marca Cougar.

E nem sempre é necessário usar projetos diferentes. Por exemplo, a Corsair VX450 e a CX400 têm o mesmo projeto. Entretanto, essas fontes não são fabricadas pela Corsair e sim pela Seasonic. Isso anula o fato delas serem boas fontes?

Mas é lamentável que haja fontes com este tipo de problema com a certificação 80 Plus...

Uma curiosidade agora seria saber se a série A não teria este tipo de problema também... tomara que não.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Neste caso, tomando por base a regulação de 5% do padrão ATX12V, temos:

Tensão nominal: +5VSB. Tensão mínima: 4,75 V (Mínimo obtido: 4,65 V)

Tensão nominal: +3,3 V. Tensão mínima: 3,13 V (Mínimo obtido: 3,11 V)

0,1 V a menos na linha +5VSB e 0,02 V abaixo do mínimo de 3,13 V podem, realmente, causar instabilidade no sistema e oferecer risco a todo o equipamento? Sinceramente, eu duvido.

Em todos os outros aspectos a fonte não deixou a desejar.

Não estou dizendo que ela deveria ser recomendada. Só penso que, considerando todo o conjunto de fatores que determinam a qualidade de um produto como este, ele não deveria ser rotulado como 'bomba'.

De qualquer forma, parabéns por nos trazerem tantas informações de mais um produto em um teste sério.

Editado por José M. Costa

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Muito interessante o trabalho de verificar se algum produto é bom, não só pela marca, assim como foi de meu interesse postar um tópico sobre uma determinada fonte da Akasa por não ter encontrado informações suficientes para avaliar... mas enfim, pode até ser capricho meu, mas eu acho as fotos do interior das fontes testadas pelo CDH um pouco escuras... pode até não contar muito para alguns as tais fotos, mas acredito ser de grande valia a observação interna das mesmas, pelos componentes utilizados, qualidade da contrução etc... fica ai a dica... contudo, é um ótimo review da mesma... no mais, com relação aos comentários do selo "bomba", sinceramente, se o produto coloca em risco de alguma forma o investimento da pessoa, merece o famigerado selo... mas não só para esta, mas para qualquer outra que de alguma forma deslize nos quesitos e parâmetros relevados...

Parabéns ao CDH por mais este interessante teste...

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Não , eu quis dizer que o fato delas não terem o mesmo projeto & não usarem os mesmos componentes da CX é meio que esquisito pois a CX se saiu tão bem & a CMX não & também por ser fabricada pelo mesmo fabricante .

Mas concordo com você , é realmente lamentavel estas fontes com certificação 80 Plus terem problemas como a desta Cougar CX , isso leva o consumidor a pensar que uma fonte qualquer que tenha certificação 80 Plus não enfrentará problemas o que não é o caso desta Cougar CX 700 infelizmente :( .

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Deve ser uma fonte de 500~600W remarcada para 700W. Pois abaixo disso ela foi bem.

É uma pena que os testes da certificação 80 Plus sejam numa temperatura irreal, pois fontes como essas acabam recebendo "status" devido ao selo. Ainda bem que o CdH ta aí pra ajudar ^_^

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Gente, eu tô com muito sono ou vi uma fonte da Cougar me decepcionar?

Infelizmente se o nível de ruído estivesse dentro dos níveis aceitáveis, mesmo que seja aqueles das Cougar da série Ax50, seria uma boa fonte.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Acho que não tem nada a ver , se fosse uma fonte remarcada para 500W ou 600W ela nunca teria dado conta de entregar os 895W & ainda mostrar suas proteções em ações ou seja , a fonte sim contém um erro de projeto muito sério .

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Deve ser uma fonte de 500~600W remarcada para 700W. Pois abaixo disso ela foi bem.

É uma pena que os testes da certificação 80 Plus sejam numa temperatura irreal, pois fontes como essas acabam recebendo "status" devido ao selo. Ainda bem que o CdH ta aí pra ajudar ^_^

Bem que a certificação 80 Plus poderia ter uma categoria específica para fontes testadas entre 45 a 50°C. Já inventaram Bronze, Silver, Gold e Platinum e ainda não criaram nada para essa faixa de temperatura.

Não é a primeira fonte com essa certificação Bronze que falha nessa temperatura. Tem também a eXtream Aurora 700 W e a Antec TruePower Quattro 850 W.

Gente, eu tô com muito sono ou vi uma fonte da Cougar me decepcionar?

Infelizmente se o nível de ruído estivesse dentro dos níveis aceitáveis, mesmo que seja aqueles das Cougar da série Ax50, seria uma boa fonte.

A série A da Cougar é bem maior do que você imagina. tem modelos de 300, 350, 400, 450, 560, 660 e 760.

http://www.cougar-world.de/en/products/power-supply/cougar-a.html

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Creio que não merecia o selo de "produto bomba", mas sim selo nenhum.

Selo nenhum só ocorre quando a o produto não apresenta risco de causar algum problema para o usuário e também não tem qualidades para ganhar o selo de produto recomendado.

Esta fonte pode causar problemas no computador de quem a usa, por isso o selo de produto bomba se aplica.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Aproveitando o tópico... tenho uma fonte dessa mesma família, só que de 550 W e tenho uma dúvida. Uma imagem vale mais do que mil palavras.

FtpqZ.jpg

Se essa medição estiver correta, qual é o risco que meu computador corre trabalhando assim?

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Aproveitando o tópico... tenho uma fonte dessa mesma família, só que de 550 W e tenho uma dúvida. Uma imagem vale mais do que mil palavras.

Mas a imagem não vale tudo isso quando ela é gerada da maneira incorreta. Leituras de tensão por software não são confiáveis.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Aproveitando o tópico... tenho uma fonte dessa mesma família, só que de 550 W e tenho uma dúvida. Uma imagem vale mais do que mil palavras.

FtpqZ.jpg

Se essa medição estiver correta, qual é o risco que meu computador corre trabalhando assim?

Você precisa de um multímetro para ler as tensões da fonte com o mínimo de confiabilidade.

programas são uns bêbados para ler tensões ;)

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Digamos que eu tenha medido com o multímetro e essa tensão esteja assim mesmo. O que pode acontecer com o meu processador?

A especificação ATX12V determina uma variação de, no máximo, 5% (para mais ou para menos).

Para mais significa um máximo de 12,60 V.

Mas (aos especialistas: me corrijam se eu estiver errado) na prática tipicamente um componente

elétrico/eletrônico (no caso, o circuito regulador de tensão de sua placa-mãe) é projetado para

suportar variações de até 10%, o que implica numa variação de 10,8 à 13,2 V.

Quem "sofre" com variações muito grandes (acima de 5%) não é seu processador ou memória, por exemplo,

mas justamente o circuito regulador de tensão (da placa mãe, placa de vídeo, etc.), que tem de fazer

"milagres" para gerar as tensões corretas a partir de tensões ruims.

De qualquer forma, o padrão que garante o funcionamento correto do sistema é de um máximo de 5%.

Além do quê, não é so o valor da tensão que determinha sua qualidade (vide informações no site).

Sou dos que evitam preciosismos, coisas como a fonte entregando 12,70 V na linha de 12 V

na minha opinião são aceitáveis, mas no seu caso o valor é alto.

Um teste válido seria fazendo a leitura da linha de 12 V com o micro ligado e usando um multímetro.

Não confie em leituras por software.

Editado por José M. Costa

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

A especificação ATX12V determina uma variação de, no máximo, 5% (para mais ou para menos).

Para mais significa um máximo de 12,60 V.

Mas (aos especialistas: me corrijam se eu estiver errado) na prática tipicamente um componente

elétrico/eletrônico (no caso, o circuito regulador de tensão de sua placa-mãe) é projetado para

suportar variações de até 10%, o que implica numa variação de 10,8 à 13,2 V.

Quem "sofre" com variações muito grandes (acima de 5%) não é seu processador ou memória, por exemplo,

mas justamente o circuito regulador de tensão (da placa mãe, placa de vídeo, etc.), que tem de fazer

"milagres" para gerar as tensões corretas a partir de tensões ruims.

De qualquer forma, o padrão que garante o funcionamento correto do sistema é de um máximo de 5%.

Além do quê, não é so o valor da tensão que determinha sua qualidade (vide informações no site).

Sou dos que evitam preciosismos, coisas como a fonte entregando 12,70 V na linha de 12 V

na minha opinião são aceitáveis, mas no seu caso o valor é alto.

Um teste válido seria fazendo a leitura da linha de 12 V com o micro ligado e usando um multímetro.

Não confie em leituras por software.

Obrigado por responder a minha pergunta José. Vou arrumar o multímetro.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×