Ir ao conteúdo
Entre para seguir isso  

IDF Fall 2003 - 3º Dia

       
 36.597 Visualizações    Artigos  
 0 comentários

Veja a cobertura completa do terceiro dia de eventos da IDF Fall 2003, leia sobre IEEE 802.16, memórias não-voláteis e PCI Express.

Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

IEEE 802.16

A apresentação de hoje foi com Eric Mentzer e Pat Gelsinger, que apresentaram, mais uma vez, novas tecnologias que a Intel está desenvolvendo, desta vez para soluções wireless.

Dentre os assuntos abordados, o mais interessante em nossa opinião foi o novo padrão IEEE 802.16, que a Intel chama de Wi-Max, que é uma rede sem fio de alto desempenho, com uma taxa de transferência máxima de 75 Mbps, alcance de até 48 Km e permitindo até 1.000 usuários por estação-base. Esta é uma solução para redes metropolitanas que os provedores de Internet norte-americanos estarão testando durante o ano que vem (2004) e que começará a ser oferecido aos usuários americanos em 2005. Esta tecnologia é realmente muito promissora, não só porque oferecerá Internet muito mais rápida do que temos hoje, mas também porque é sem fio, sendo um ponto realmente fantástico, pois não será necessário passar cabos para atingir os usuários. O problema, por outro lado, é o tamanho da antena. Foi apresentada uma demonstração ao vivo desta tecnologia, e na Figura 1 você confere, a esquerda, a antena (do usuário) e, a direita, a antena usada na estação-base.

IDF Fall 2003 - 3º Dia
Figura 1: Antenas IEEE 802.16 (Wi-Max).

Foram discutidos ainda os principais problemas de desempenho da transmissão sem fio. O primeiro grande problema é o fato do sinal não oferecer um desempenho linear durante a sua transmissão dentro de um canal de rádio. Veja na Figura 2 que, em vez de o desempenho de transmissão ser uma linha reta, o desempenho varia bastante de ocordo com a posição do sinal dentro do canal.

IDF Fall 2003 - 3º Dia
Figura 2: Problema com desempenho de transmissão sem fio de sinais.

A solução proposta pela Intel para este problema chama-se Modulação Adaptativa. Funciona da seguinte forma: em vez de o sinal usar um único tipo de modulação para a sua transmissão, como é o normal, a transmissão passa a usar vários tipos de modulação, dependendo da posição do sinal dentro do canal. Dessa forma, nos pontos que um determinado tipo de modulação apresenta baixo desempenho (curvas para baixo na Figura 2) o sistema passa a usar naquela porção do canal um outro tipo de modulação que ofereça melhor desempenho. Veja esta técnica em funcionamento na Figura 3. As áreas marcadas em preto, que são as que oferecem menor desempenho, estão usando um tipo de modulação diferente do resto do sinal. Com esta técnica é possível dobrar a taxa de transferência da transmissão, segundo Pat Gelsinger.

IDF Fall 2003 - 3º Dia
Figura 3: Modulação adaptativa.

O segundo grande problema das transmissões sem fio diz respeito as antenas. Se existirem obstáculos entre a estação-base e a antena do computador cliente, a taxa de transferência obtida não é a máxima. A solução para isso é o uso de um novo conceito, chamado MIMO ou Multiple Input, Multiple Output. Em vez de se usar apenas uma antena de cada lado, pode-se usar mais antenas para um maior desempenho. O desempenho da rede é proporcional ao número de antenas usadas.

Por exemplo, em uma rede onde com uma antena a transmissão esteja sendo feita a 6 Mbps, ela passa para 24 Mbps se for usado um arranjo 4x4 (4 antenas na estação-base e quatro antenas no cliente). Ou seja, adicionando-se quatro antenas, a taxa de transferência é multiplicada por quatro.

Segundo Pat Gelsinger, no futuro notebooks e PDAs poderão usar duas antenas em vez de uma para aproveitar esta tecnologia.

E o terceiro grande problema de desempenho ocorre quando máquinas com um menor desempenho de rede (sinal mais fraco) entram na rede sem fio. Quando isso ocorre, o desempenho da rede toda cai, por conta da maneira com que as redes sem fio funcionam. A solução apresentada para este problema é o uso de roteadores (access points) sem fio, funcionando como um repetidor. Um roteador wireless precisa estar obrigatoriamente conectado ao backbone da rede através de cabo. Este novo tipo de roteador comunica-se com o roteador principal sem usar cabo, funcionando como um repetidor dos sinais do roteador principal, fortalecendo o sinal na região.

Pat Gelsinger mostrou mais detalhes do Comunicador Universal que foi apresentado por Paul Otellini na abertura do IDF. Um dispositivo que é uma mistura de celular com PDA e que usa o conceito de rede adaptativa que vimos na apresentação pré-IDF. Este aparelho tem tanto conexão celular (GSM) quanto conexão wireless (IEEE 802.11). A comunicação entre dois aparelhos desses é feita usando o sistema que estiver disponível, de forma automática. Se ele perceber que é possível fazer uma conexão 802.11, então essa será a conexão usada. Se a conexão 802.11 cair ou não estiver disponível, então a conexão GSM é usada. O interessante é que no caso da conexão cair, a GSM é usada sem que os usuários percebam que houve esta troca. Este aparelho, portanto, é o primeiro protótipo do conceito que a Intel quer usar de rede adaptativa.

Após esta apresentação, tivemos uma importante aula sobre novas tecnologias memórias não-voláteis, isto é, o futuro das memórias Flash.

Compartilhar



  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Comentários de usuários


Não há comentários para mostrar.



Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×