Ir ao conteúdo
Entre para seguir isso  

Por Dentro do Macintosh 128K

       
 18.099 Visualizações    Tutoriais  
 18 comentários

Hoje nós daremos uma olhada aprofundada em um dos computadores mais icônicos de todos os tempos, o primeiro Macintosh.

Por Dentro do Macintosh 128K
Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

Introdução

Hoje nós daremos uma olhada aprofundada em um dos computadores mais icônicos de todos os tempos, o primeiro Macintosh, lançado em 1984 e renomeado para Macintosh 128K em setembro de 1984, após planos para lançar uma segunda versão do Macintosh com 512 kB em 1985.

Sua importância histórica se deve ao fato de que ele foi o primeiro computador direcionado ao usuário final a vir com um sistema operacional com uma interface gráfica, um mouse e uma unidade de disquetes de 3,5” de 400 kB (naquela época, a maioria dos computadores usava unidades de disquete de 5,25” de 360 kB). Ele apresentava um monitor de vídeo preto e branco de nove polegadas com uma resolução de 512 x 342. Ele tinha 128 kB de memória e era baseado no microprocessador Motorola 68000, que era um dos processadores mais poderosos da época.

O computador não vinha com um disco rígido, portanto o sistema operacional e os programas deveriam ser carregados através de disquetes. Nós vemos com frequência pessoas vendendo Macs no eBay dizendo que ele está com defeito porque o sistema operacional não está carregando e o computador mostra um ícone de um disquete e um ponto de interrogação (o cidadão vendendo o computador aparentemente não sabe que computadores antigos não vinham com disco rígido). No entanto, este é o comportamento normal do computador quando ele não encontra um disquete contendo o sistema operacional, e isto significa que o computador está funcionando como esperado.

O Macintosh 128K apresenta uma cor amarelada, no mesmo tom do Apple lle.

Macintosh 128K
Figura 1: O Macintosh 128K

A primeira coisa que você notará ao ver um Macintosh original é como ele era pequeno. Na Figura 2, nós o comparamos com um monitor LCD de 21 polegadas.

Macintosh 128K
Figura 2: O Macintosh 128K comparado com um monitor LCD de 21 polegadas

Diferentemente do Apple II e Apple III, o teclado não fazia parte do corpo do computador e estava conectado a ele através de um cabo espiralado semelhante aos usados em telefones. O teclado era mecânico, sendo quase idêntico ao usado no Apple lle, exceto que as teclas “Open Apple” e “Solid Apple” foram substituídas pelas teclas “Command” e “Options”, respectivamente.

Macintosh 128K
Figura 3: O teclado

O mouse era retangular com um único botão (por muitos anos os mouses da Apple tinham apenas um botão). Ele estava conectado ao computador através de um conector DE-9 idêntico ao usado nas portas seriais do Macintosh, mas a porta do mouse usava um padrão próprio.

Macintosh 128K
Figura 4: O mouse

Editado por

Compartilhar



  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Comentários de usuários


tem um chip da AMD ali ma placa mãe. Fiquei curioso agora rsrs

A AMD fabricava os mais diversos chips, da mesma forma que outras empresas concorrentes, tais como National, Fairchild e a própria Intel. Isso não quer dizer nada em particular.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Bela matéria. Esse Mac trouxe grandes novidades no mundo da computação mesmo. Apesar que não sou fã de Apple nem de Iphones, Ipads, etc. Mas com certeza o Mac foi importante pra história.

SÓ UMA PERGUNTA:

Cadê a rádio CdH? Parou no tempo é? Tá na hora do Gabriel começar a introdução falando engraçado: "Esta é a Rádio CCCCdddddHHH"!

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Essa seção "museu" é muito interessante, mesmo se tratando de aparelhos com os quais não convivi acabo voltando no tempo.

Tenho impressão de já ter visto nos comentários de alguma matéria dessas que o Gabriel analisará o Intellivision, talvez o próprio o tenha dito. Aí sim volto a ser criança, pois foi meu primeiro videogame, e ele já era um pouco velho lá no fim dos anos 80 (e sou de 83).

Off: Fico contente vendo o GT dizer que teve tempo de reviver a seção museu pois, como o amigo acima, anseio pela nova edição da rádio CdH. Ele "ter tempo" já é um bom sinal, melhor ainda se gravasse uma meia hora. Tem podcast por aí com 40 e tantos minutos que não tem o conteúdo da rádio CdH com 10 minutos!

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
SÓ UMA PERGUNTA:

Cadê a rádio CdH? Parou no tempo é? Tá na hora do Gabriel começar a introdução falando engraçado: "Esta é a Rádio CCCCdddddHHH"!

Eu tive que dar uma pausa, pois estou atoladíssimo terminando de escrever meu novo livro.

Tenho impressão de já ter visto nos comentários de alguma matéria dessas que o Gabriel analisará o Intellivision, talvez o próprio o tenha dito. Aí sim volto a ser criança, pois foi meu primeiro videogame, e ele já era um pouco velho lá no fim dos anos 80 (e sou de 83).

Sim, todos esses videogames antigos e computadores do início dos anos 1980 serão analisados, dentro do possível.

Off: Fico contente vendo o GT dizer que teve tempo de reviver a seção museu pois, como o amigo acima, anseio pela nova edição da rádio CdH. Ele "ter tempo" já é um bom sinal, melhor ainda se gravasse uma meia hora. Tem podcast por aí com 40 e tantos minutos que não tem o conteúdo da rádio CdH com 10 minutos!

Oi Kleber, tenho de explicar melhor então. A nossa meta no Clube do Hardware é publicar um artigo por dia, meta essa que tem sido cumprida religiosamente. Por conta do fim de ano, temos poucos produtos pendentes aqui para escrevermos testes. Então o "tive tempo" é mais no sentido de "não tinha nenhum produto para ser testado aqui e pude usar a minha manhã, que normalmente uso para escrever testes, para escrever este artigo" do que realmente tempo extra (que realmente não tenho no momento!)

Abraços,

Gabriel.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Nos próximos artigos tem como colocar um vídeo nem que seja de dois minutos do eletrônico em funcionamento? (nem precisa fazer um review do funcionamento, só para mostrar como era mesmo)

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Nos próximos artigos tem como colocar um vídeo nem que seja de dois minutos do eletrônico em funcionamento? (nem precisa fazer um review do funcionamento, só para mostrar como era mesmo)

verdade, principalmente o BOOT...

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Pessoal, a ideia era ser um tutorial de hardware e depois um tutorial de software. Preciso primeiro fazer um tutorial explicando como arrumar os disquetes com o sistema operacional e programas (que não vieram com essas máquina, comprei baratinho no eBay), e aí mostro como fazer os disquetes e o bicho em funcionamento.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Antes do macintosh, foi lançado o lisa que ja veio com interface gráfica voltada para o usuário final.

O Lisa **não** era voltado para o usuário final. Era uma estação de trabalho que custava se não me engano US$ 7.000 na época (mais de US$ 15.000 em dinheiro de hoje), sendo um dos maiores fracassos da Apple. Posteriormente o estoquete velho do Lisa foi renomeado para Macintosh XL e relançado por um preço muito inferior.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Gostei da matéria. Sessão nostalgia! rs. Poderia fazer benchmarks comparando processadores antigos com os atuais. Como: Pentium III, 4, os primeiros atlhon da AMD. Seria legal ver a evolução dos processadores.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×