Imprimir artigo
O maior problema da nova tomada brasileira
por em Editoriais
Última atualização:
99.675 visualizações
Página 2 de 3

O principal problema da tomada brasileira

O grande problema da tomada NBR 14136 é que ela pode ser usada tanto em redes 127 V quanto 220 V. Dessa forma, apenas olhando para a tomada, não é possível dizer se ela é 127 V ou 220 V. Isso é um grande inconveniente, pois ao viajarmos dentro do Brasil sempre precisamos perguntar a alguém qual é a tensão da tomada, como se estivéssemos viajando ao exterior..

Por outro lado, essa norma criou dois tipos de tomada: 10 A e 20 A. Os plugues de 20 A são mais grossos e, com isso, não podem ser encaixados em tomadas de 10 A. Mas, com certeza haverá gente fazendo modificações para encaixar um tipo de plugue em outro tipo de tomada, gerando sérios riscos, especialmente encaixar um plugue de 20 A em uma tomada de 10 A.

Portanto, apesar de o Inmetro propagar o maior nível de segurança da nova tomada, ele simplesmente não eliminou o risco de conectarmos um aparelho 127 V em uma tomada de 220 V, o que pode gerar explosões, curtos-circuitos e queimas de aparelhos. Isso é um erro gigantesco de um órgão teoricamente responsável por zelar pela segurança dos brasileiros.

Apenas olhando, é impossível dizer a tensão da tomada
Figura 1: Apenas olhando, é impossível dizer a tensão da tomada

Nós temos a solução para esse problema e vamos dá-la aqui de graça: a criação de um chanfrado delimitador. A tomada de 127 V teria um chanfrado em um local e a tomada de 220 V teria um chanfrado em outro local. Aparelhos com plugue 127 V só encaixariam em tomadas 127 V e aparelhos com plugue 220 V só encaixariam em tomadas 220 V. E o plugue de aparelhos com fonte de alimentação universal (“full range”, que permitem o uso de qualquer tipo de rede elétrica entre 100 V e 240 V) teria um desenho que permitiria ser encaixado em qualquer um dos dois tipos de tomada.

Solução melhor seria adotar a tomada Norte-Americana para tomadas de 127 V e manter o novo padrão de tomadas apenas para tomadas de 220 V, já que é na tensão de 220 V a 60 Hz que o Brasil é totalmente único, como explicamos.

Há outras questões também em relação à nova tomada, como o fato de as pessoas estarem trocando tomadas antigas pelo novo modelo, mas sem fazer a conexão do pino terra, e o total desconhecimento por parte do cidadão comum dos dispositivos DR. Essas duas questões nós discutimos no tutorial “Tudo o que você precisa saber sobre o aterramento” e recomendamos a sua leitura.

ARTIGOS RELACIONADOS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS EM ENERGIA
ÚLTIMOS ARTIGOS
530.136 usuários cadastrados
618 usuários on-line