Ir ao conteúdo
Entre para seguir isso  

O Que Comprar Neste Natal

       
 22.589 Visualizações    Artigos  
 0 comentários

Opções de compra neste natal.

O Que Comprar Neste Natal
Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

Se você está planejando comprar um micro novo neste natal, considere levar um K6-III para casa. Esse processador, que testamos na semana passada, tem um desempenho de processamento 46,06% maior do que um Pentium II de mesmo clock e o que é melhor: custa quase a metade do preço (leia o teste em http://www.clubedohardware.com.br/artigos/processadores/k6-iii-vs-k6-2-pentium-ii-e-celeron-r34347/). Mas tome cuidado: a escolha de uma boa placa-mãe para ele é essencial, ou você terá um micro com baixo desempenho e que vive dando problemas. A melhor placa-mãe para processadores K6-III é a FIC VA-503+, conforme testes que publicamos em 13 de outubro de 1999 (http://www.clubedohardware.com.br/artigos/placas-mae/placas-mãe-super-7-5-modelos-r34082/).

Caso a grana esteja curta, você poderá economizar comprando uma placa-mãe que tenha vídeo e som on-board, isto é, embutidos na própria placa-mãe. Esse tipo de placa-mãe dispensa o uso de uma placa de vídeo e uma placa de som adicionais, representando uma economia no preço final do micro. Mas lembre-se de que micros com dispositivos on-board em geral possuem desempenho menor, já que será o próprio processador da máquina que terá de controlar o vídeo, por exemplo. Se você puder, faça um esforço monetário e compre um micro com placas avulsas, isto é, sem ser on-board.

Se você optou por levar um micro sem vídeo on-board, a escolha de uma boa placa de vídeo é essencial para um bom desempenho do micro. Se você for usar o micro apenas para tarefas simples, como o uso de processador de textos e planilha eletrônica, a qualidade da placa de vídeo não irá fazer tanta diferença assim. Mas, se você for um usuário exigente ou se gosta de jogos, um boa placa de vídeo é essencial. A maioria das boas placas de vídeo incorporam recursos 3D, mas nem todas são boas. Existem placas de vídeo 3D que custam menos de R$ 100,00 e outras que chegam a custar mais de R$ 500,00. As placas de vídeo topo-de-linha hoje são a Voodoo3, da 3dfx, e as que usam o chip TNT2, como a placa Diamond Viper v770 – isso sem contar os lançamentos mais recentes que estão programados para este final de ano. Caso você não tenha bala na agulha para torrar o seu décimo terceiro inteiro em uma placa de vídeo, você pode comprar uma boa placa de vídeo com desempenho intermediário, como a Diamond Viper v330 ou a Diamond FireGL, por exemplo. É claro que você encontrará diversos outros modelos no mercado e a regra em geral é: quanto mais cara, melhor.

Não se esqueça que a memória RAM do micro atualmente deverá ser do tipo PC-100 ou o seu micro poderá ficar travando aleatoriamente.

E, por fim: desconfie de micros muito baratos. Em geral os micros mais baratos usam componentes on-board e peças de baixa qualidade, como, por exemplo, monitores de vídeo de quinta categoria e placas-mães "Xing-Ling" (isto é, placas que nem o vendedor sabe qual é a marca). Escolha um monitor de vídeo que seja de marca conhecida, como Samsung, Phillips, LG, Sony, NEC, Hyundai, etc. O mesmo é válido para placas-mães. As marcas mais conhecidas de placas-mães são Soyo, ASUS, ABIT, Tekram, ECS (Elite), A-Trend, MSI, entre outras. Só tome cuidado com as placas-mães da PCChips, que são as que tem a pior reputação no mercado devido ao seu altíssimo índice de usuários insatisfeitos e, infelizmente, é a marca de placa-mãe que você encontra em qualquer esquina.

Compartilhar



  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Comentários de usuários


Não há comentários para mostrar.



Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×