Ir ao conteúdo

Por que no Brasil eletrônicos são tão caros? - parte 1

       
 10.080 Visualizações    Vídeos  
 50 comentários

Neste videoeditorial, debatemos alguns dos motivos pelos quais produtos eletrônicos serem tão caros no Brasil.

Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware


Comentários de usuários




Eu acho que o país deveria investir em algumas medidas:

 

Reforma tributaria = taxar os mais ricos, as grandes empresas e diminuir os impostos sobre consumo que afeta o consumidor.

 

Aplicar sim protecionismo, mas investir de fato na produção tecnológica, se as burguesias nacionais não tem entusiasmos para isso, que o estado assuma esse papel e desenvolva em conjunto com as universidades tecnologia de ponta. Que o estado avance no desenvolvimento tecnologico.

 

Pra mim a falha é também da industria, a industria vê mais negocio em montar produtos com peças da china do que desenvolver no pais, se não é interesse dos empresarios nacionais que o estado assuma esse papel.

 

Acredito que o país deveria investir na politica das pequena-media empresas, não podemos ter uma mesma legislação para as pequenas e grandes, deve haver uma diferença, que os grandes paguem mais, afinal ganham mais.

 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
24 minutos atrás, Matheus32sXe disse:

Eu acho que o país deveria investir em algumas medidas:

 

Reforma tributaria = taxar os mais ricos, as grandes empresas e diminuir os impostos sobre consumo que afeta o consumidor.

 

Aplicar sim protecionismo, mas investir de fato na produção tecnológica, se as burguesias nacionais não tem entusiasmos para isso, que o estado assuma esse papel e desenvolva em conjunto com as universidades tecnologia de ponta. Que o estado avance no desenvolvimento tecnologico.

 

Pra mim a falha é também da industria, a industria vê mais negocio em montar produtos com peças da china do que desenvolver no pais, se não é interesse dos empresarios nacionais que o estado assuma esse papel.

 

Acredito que o país deveria investir na politica das pequena-media empresas, não podemos ter uma mesma legislação para as pequenas e grandes, deve haver uma diferença, que os grandes paguem mais, afinal ganham mais.

 

 

Muito pelo contrário, taxar ainda mais ricos, empresas e tudo mais, simplesmente não funciona e por motivos óbvios. Protecionismo também não funciona e o Brasil resume bem isso. O Brasil não desenvolve nenhuma tecnologia não porque os burgueses não tem entusiasmo, e sim porque você como empresário paga imposto pra caral## ou gasta com pesquisa e desenvolvimento, ou seja, não existe a segunda opção. E as universidades hoje só se resumem em os professores baterem o ponto e ir embora. O próprio governo cria barreiras para o desenvolvimento tecnológico, se continuar desse jeito nunca vamos sair do status de subdesenvolvido. 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Realmente muito caro!! Comprei as peças para montar meu novo PC, AMD Ryzen, e gastei pouco mais de 4 mil reais com processador, placa-mãe, memórias e SSD, pagando tudo à vista!!! 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

É mister salientar, que um dos pilares para sustentação e cumprimento dos princípios fundamentais da Constituição Federal, sem duvidas é a arrecadação de recursos, é importante a sociedade moderna do século XXI entender como se opera esse Sistema Tributário Nacional, e nossa legislação infraconstitucional vulgo CTN - Código Tributário Nacional.

A tributação no Brasil é algo para se discutir, hoje com a forma de arrecadação de verbas, desenfreada por inúmeros tributos, sendo eles os principais: Impostos, Taxas e até mesmo as contribuições de melhorias, deixa o brasileiro perdido em meio a tanta tributação. O tributo vem acompanhando o homem ao longo do tempo, desda criação das primeiras sociedades com surgimentos de lideres e chefes de tribos que detinha um certo cargo "politico", onde cobrava uma contraprestação do seu povo, em troca de melhorias e manutenção do seu povo, aperfeiçoamento da saúde, armas para caça, artilharia, ou seja, tudo era mantido com a arrecadação de "tributos". Segundo Arantes Filho: Uma nação rica, é aquela que sabe administrar e arrecadar de forma justa os seus tributos, para a manutenção final da sua população e saciar todas as suas necessidades. É fácil dizer que o governo brasileiro é corrupto, tem que mudar seu sistema de arrecadação e distribuição de tributos, todavia o maior problema no Brasil não se encontra apenas na corrupção tributária em geral do governo frente à sociedade. O maior problema no Brasil, é a falta de investimento na EDUCAÇÃO, tornando uma sociedade ignorante em todos os aspectos, com educação eleva-se a qualidade cultural, valores éticos e morais, fazendo com que toda a lacuna existente no país venha diminuindo. Não adianta fazer uma reforma tributária, se a sociedade continuar da mesma forma, vendendo praticamente a sua alma em troca de um prato de "lentilhas". Eu sou a favor da tributação justa e investimento cultura e educacional para o povo brasileiro.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

enquanto o povo compra sem reclamar, fazer um sindicato, algo assim. nunca vai mudar.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Concordo plenamente contigo Gabriel parabéns pelo vídeo :thumbsup:

Editado por Evandro
~removendo formatação

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

O Brasil é um Estado muito burocrático e pesado, sustentar toda esta engrenagem não é barato, fora o custo da corrupção, que deve multiplicar os custos.

Se dependesse de mim tinha videos do Gabriel Torres todos os dias.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

#Brasil um pais de todos falidos :mad:

alem do excesso de impostos temos o excesso de obrigações fiscais que acabam fazendo o empresário não crescer ou para crescer ter que abrir uma nova empresa 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

isso é mais uma forma de corrupção só que legalizada, que exclui o acesso da maioria restringindo esse mercado a poucos importadores. (Caso mudar a taxa de importação fosse interesse da maioria já teriam feito isso). Está cheio de raposa velha, com esquema na alfandega, sonegando e mantendo os preços ultra competitivos, enquanto o correto que se ferra. E quem perde é o povo brasileiro que só consegue comprar tecnologia restrito a base da época da descoberta fogo, pau e pedra que é  lançado como sendo novidade. Hoje em dia a China é a indústria do mundo, então não tem mais porque proteger a indústria nacional. Muito pelo contrario, essa alta carga tributaria, e o difícil acesso a ferramentas e maquinários e do comercio, e só desestimula o crescimento da economia.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

O problema não é pagar altos tributos, mas não termos retorno pelo que pagamos e ainda somos roubados pela grande maioria dos gestores que administram o país, estados, prefeituras.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

De fato, a reforma que mais queremos ver é a tributária. Mas, infelizmente o que ouso é de unir impostos já existentes e não de diminuir porcentagem paga. Facilita o pagamento, mas não diminui. Parece que não há economistas no governo, pois não sabem que diminuir impostos pode aumentar a receita até, já que terá menos gente sonegando e maior quantidade de riqueza gerada.

 

Mas claro, o certo é diminuir gastos e tamanho do governo, focando apenas no básico que ele tem que fazer.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Seria interessante algo análogo ao que foi feito na Coréia do Sul no pós guerra,  injeção de dinheiro em determinados segmentos da industria com o intuito de torna-las eficientes e competitivas no mercado internacional, só que ao contrário do Brasil o dinheiro não era distribuído para qualquer um (tipo o cara que ficou bilionário aqui com promessas apresentadas em power point) , era necessário a apresentação de um plano de desenvolvimento consistente , havia cobrança e caso a empresa falhasse a mesma era punida. Bom, é só olhar  o PIB , as condições de vida e capacidade de desenvolvimento  tecnológico da Coréia do Sul hoje, lembrando que esse país até metade do século XX se ***** com 2 guerras. Sei que isso soa um pouco com corporativismo , mas se fosse algo transparente e feito nesses moldes creio que poderia ser uma boa opção.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Brasil país do povo acomodado que só se importa com futebol , carnaval , ***** , big brother e por aí vai , acho que pro negócio mudar por aqui só alguém com peito pra pegar um rifle e sair eliminando 1 por 1 já que ladrão vagabundo nesse país não fica preso , mas ninguém tem peito pra isso , mas pra roubar gente pobre trabalhadeira tem ...

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Infelizmente fica difícil mudar quando não se tem ninguém entre os governantes que se importe com isso.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
16 horas atrás, diego.dgc disse:

 

Muito pelo contrário, taxar ainda mais ricos, empresas e tudo mais, simplesmente não funciona e por motivos óbvios. Protecionismo também não funciona e o Brasil resume bem isso. O Brasil não desenvolve nenhuma tecnologia não porque os burgueses não tem entusiasmo, e sim porque você como empresário paga imposto pra caral## ou gasta com pesquisa e desenvolvimento, ou seja, não existe a segunda opção. E as universidades hoje só se resumem em os professores baterem o ponto e ir embora. O próprio governo cria barreiras para o desenvolvimento tecnológico, se continuar desse jeito nunca vamos sair do status de subdesenvolvido. 

Desculpe mas o que você está dizendo não tem cabimento, diversos países no globo aplicam taxas sobre as fortunas, sobre os mais ricos, justamente por conterem um capital acumulado que não serve como giro, ou seja, capital de acumulação que nada mais é do que capital parado que não é investido.

 

Se você é mais rico você nao pode ter a mesma carga tributaria que os mais pobres, e infelizmente é o que acontece hoje no Brasil, é o trabalhador que mais movimenta as taxas no Brasil e não deveria ser assim.

 

O mundo não é magico amigo, você tem duas opções, ou taxa os mais ricos com capital acumulativo que serve apenas para acumular em juros de banco, e também taxa os bancos, ou você direciona toda a carga de impostos para os trabalhadores, e isso cai justamente nos impostos sobre consumo.

 

E sobre as universidades, calma amigo, calma, não é assim que a banda toca, pesquise mais a fundo.

 

Protecionismo funciona sim, pois é vantajoso pro país quando ele protege seus itens para desenvolver o parque industrial, só que isso tem que vir acompanhado de um plano econômico monstruoso e soberano.

 

Recentemente estava vendo uma entrevista do Ciro Gomes falando sobre parque industrial e desenvolvimento tecnologico militar, e infelizmente hoje o Brasil pro exemplo compra GPS do Estados Unidos para servir aos militares, além de um risco profundo que aflinge a soberania militar do pais, o Brasil gasta uma grana do caramba comprando tecnologia sucateada norte americana, e poderia estar hoje empregando e desenvolvendo tecnologia por meio do estado.

 

E por que eu falo por meio do estado? porque as burguesias nacionais tem que ter entusiasmos sim, é arduo, é investimento, é caro, não é mole investir em tecnologia mas tem seu retorno.

 

Enquanto o empresariado estiver interessado apenas em ter lucro atrás de lucro, super lucro, ao em vez de ajudar a desenvolver o pais e também retirar seus bons lucros, vai ser assim. Por isso que eu acho que quem tem que assumir essa proposta de desenvolvimento tecnológico é o estado em conluio das universidades.

Editado por Matheus32sXe

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Quanta ignorância falar que tem que ter protecionismo, o país tem que abrir a economia , as empresas nacionais que se quiserem tem um produto de qualidade competitiva , terá que investir em pesquisas , colocar preço competitivo também, num é essa sacanagem que fazem não , como se Intelbras e Positivo fosse competir com samsung, Apple, Asus, LG , kkkk só rindo , um dos motivos que a Ásia está se desenvolvendo foi abrir o mercado, tem que taxar produtos a no maximo 10% e colocar cota para turistas no exterior , de 500 dólares pra 3 mil dólares, se continuar essa bagunça as empresas nacionais vão fazer produtos ruins de baixa tecnologia com o preço la em cima, essa é minha opinião, cada um tem a sua.

adicionado 0 minutos depois

Gostei muito do video , falou muita verdade.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

@Matheus32sXe Aparentemente você não entendeu nada do que eu falei no vídeo. Tem que é acabar com a burocracia, baixar os impostos para níveis civilizados, melhorar o ambiente de negócios no Brasil. Basta ver os exemplos da Coreia do Sul, Hong Kong, Singapura e Austrália (discuto mais o caso da Austrália abaixo pois é um país mais similar ao Brasil).

 

O que você fala de taxar os ricos não tem pé nem cabeça. Pois quem é rico pode simplesmente mover o dinheiro para outro país, e o país perde. Basta ver o que fizeram na França. Foram taxar mais os ricos e os ricaços simplesmente pediram cidadania de outro país, se mudaram e levaram suas fortunas com eles.

 

Alta taxação só desestimula a ambição. Para que eu vou trabalhar mais para ganhar mais dinheiro se o governo vai tomar meu dinheiro à força?

 

12 horas atrás, OCCT disse:

O problema não é pagar altos tributos, mas não termos retorno pelo que pagamos

 

Perfeita esta sua colocação, concordo 100%. E vou mais além, que é algo que esqueci de comentar no vídeo. É uma matemática básica.

 

Se metade do preço de tudo que compramos é imposto embutido, e se o cidadão classe média paga 27,5% de imposto de renda sobre seu salário (fora INSS, etc.), isso significa que na verdade pelo menos 77,5% do que o cidadão ganha vai para o governo. Realmente fica impossível progredir em um país assim.

 

5 horas atrás, MMoroni disse:

 

De fato, a reforma que mais queremos ver é a tributária.

 

 

O problema é que o governo não quer abrir mão dos impostos. Basta ver o "fim da CPMF". Que não acabou, o governo simplesmente meteu um IOF de 6,38% em operações de câmbio (incluindo cartões de crédito internacionais). Ou seja, em vez de acabar com o IOF o governo na realidade aumentou seu valor em 1.500%.

 

No exemplo que eu dei da Austrália, há muitos detalhes importantes. Na década de 80 o governo lançou uma campanha para acabar com a burocracia e regulamentações excessivas, e a criação do imposto único de 10% (GST). O resultado: a Austrália não tem uma crise desde 1991. São 26 anos sem recessão devido à abertura de mercado, imposto único e fim da burocracia. Tem um vídeo muito bacana que explica em mais detalhes o que foi feito: 

 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Olha o maior exemplo, Coréia do Sul , o que era a Samsung a pouco tempo atrás? 

teve muitas empresas la que cresceram muito , o país abriu o mercado, olha o desenvolvimento apresentado hoje, o Vietnam abriu o mercado e está indo no mesmo caminho. se ja não basta as dificuldades de abrir uma empresa que ja desestimula o cara, ainda tem que comprar uma penca de computadores/eletronicos em geral pro escritório isso também desestimula o empresário, isso afeta mais o micro e pequeno empresário, olhando bem quantas empresas desse porte existe no país? Quantos empregos gerariam se tivesse mais estimulo ao empreendedorismo, que aqui é quase ZERO.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
5 horas atrás, Gabriel Torres disse:

@Matheus32sXe Aparentemente você não entendeu nada do que eu falei no vídeo. Tem que é acabar com a burocracia, baixar os impostos para níveis civilizados, melhorar o ambiente de negócios no Brasil. Basta ver os exemplos da Coreia do Sul, Hong Kong, Singapura e Austrália (discuto mais o caso da Austrália abaixo pois é um país mais similar ao Brasil).

 

O que você fala de taxar os ricos não tem pé nem cabeça. Pois quem é rico pode simplesmente mover o dinheiro para outro país, e o país perde. Basta ver o que fizeram na França. Foram taxar mais os ricos e os ricaços simplesmente pediram cidadania de outro país, se mudaram e levaram suas fortunas com eles.

 

Alta taxação só desestimula a ambição. Para que eu vou trabalhar mais para ganhar mais dinheiro se o governo vai tomar meu dinheiro à força?

 

 

Perfeita esta sua colocação, concordo 100%. E vou mais além, que é algo que esqueci de comentar no vídeo. É uma matemática básica.

 

Se metade do preço de tudo que compramos é imposto embutido, e se o cidadão classe média paga 27,5% de imposto de renda sobre seu salário (fora INSS, etc.), isso significa que na verdade pelo menos 77,5% do que o cidadão ganha vai para o governo. Realmente fica impossível progredir em um país assim.

 

 

O problema é que o governo não quer abrir mão dos impostos. Basta ver o "fim da CPMF". Que não acabou, o governo simplesmente meteu um IOF de 6,38% em operações de câmbio (incluindo cartões de crédito internacionais). Ou seja, em vez de acabar com o IOF o governo na realidade aumentou seu valor em 1.500%.

 

No exemplo que eu dei da Austrália, há muitos detalhes importantes. Na década de 80 o governo lançou uma campanha para acabar com a burocracia e regulamentações excessivas, e a criação do imposto único de 10% (GST). O resultado: a Austrália não tem uma crise desde 1991. São 26 anos sem recessão devido à abertura de mercado, imposto único e fim da burocracia. Tem um vídeo muito bacana que explica em mais detalhes o que foi feito: 

 

Tem pé e tem cabeça. Taxar as grandes fortunas é realidade, e o exemplo da França trata-se de um erro na hora de organizar a legislação. A França deveria ter priorizado sua soberania, logo a retirada de fortunas do país para alocar para outros deveria ser crime, proibido, e com medidas cabíveis de expropriação do estado tanto do dinheiro do ricaço qnt seus meios de produção, terra, etx.

 

Por favor leia meio comentário pois eu tento enxergar um horizonte de retirada de capital para investir em tecnologia e desenvolvimento.

 

Minha defesa está na produção cono cobiça do estado, caso não haja empresários encorajados a desenvolver de fato uma tecnologia nacional e de ponta. Se deixar pelo mercado, está ótimo pegar da china e montar aqui, agora desenvolver pesquisas, produzir, sai bem mais caro, mas como retorno vem o desenvolvimento do país.

 

Como eu disse, o governo deve criar incentivos e diferenciar as taxações das pequenas-media-grande empresas  oara dar espaço para o entusiasmo produtivo de algum nicho da burguesia local. Casi não, que o estado assuma integralmente esse papel.

 

Eu entendi sim o seu video, apenas esbocei algumas ideias que podem contribuir nesse debate.

 

Em relação a CPMF que já fora extinta, se eu não me engano é ou deveria ser um imposto progressivo, quanto maior for a quantia que você for movimentar no banco para outra conta, saque etc, maior a porcentagem, mesmo assim algo toleravel diante do capital que estaria sendo movimentado.

 

Ex: 5% de quem vai movimentar um grande capital de 2 milhões, 5, ++ não é nada, o problema seria se o imposto mais uma vez viesse de forma descompassada para o trabalhador, porque imagine retirar 5% de quem vai movimentar 2 mil reais, 3 mil, 1 mil... Não seria justo e adequado.

 

Eu me propus a falar de conceitos e formas de reforma tributária no pais, por que para quebrar um imposto de uma área a gente precisa pegar de outra, e eu acredito que taxar alguns setores do pais pode ser onde a gente desafogaria o imposto sobre o consumo e consequentemente poderíamos investir ainda mais em tecnologia. Então é sim interessante taxar grandes fortunas, taxar os bancos que ganham absurdamente em juros e muitas vezes não é nem na divida real.

 

Essa politica poderia ser fundamental para aplicar no desenvolvimento ou até fundos no BNDES por exemplo, para produção de tecnologia nacional.

 

O exemplo da Australia serve até algum ponto, temos que entender o papel geo-politico do Brasil no mundo, além da economia-politico-histórica do Brasil que é completamente diferente da conjuntura da Australia, ou seja, o Brasil tem outras mazelas para resolver, uma complexidade muito grande que define o quadro nacional de forma peculiar, na economia nós somos basicamente uma economia de exportação, então basicamente desde bomba atomica, até os super pc's que queremos são fabricados com matéria prima brasileira, nós podemos fortificar nosso parque industrial.

 

Então eu concluo que desafogando as taxas sobre consumo, taxando alguns setores que nunca foram taxados e que não fazem capital de giro, o Brasil poderia entrar num caminho muito melhor para o desenvolvimento do parque industrial, mas deveria sim ter ainda algum rigor nas taxações de produtos que vem de fora, mas só de tirar uma grande taxa de consumo aliviaria um pouco e melhoraria. Mas mais do que isso, pra mim, pensando no futuro do pais, a gente precisa desenvolver nossa propria tecnologia e principalmente comprar essa tecnologia, e um pais do tamanho do Brasil tem capacidade e poder para isso, resta saber se isso não feriria interesses de algumas nações que não gostam de concorrência rs.

 

Não precisa ser arrogante e dizer que eu não entendi nada. :)

Editado por Matheus32sXe

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Desculpa, mas é bizarro afirmar achando que tem coerência "taxem os ricos e bancos!" o que impede os ricos (empresários, lojistas, etc) a aumentar os preços de seus produtos mantendo sua riqueza no mesmo padrão mesmo com mais impostos e jogando tudo em cima do consumidor, trabalhador, classe média baixa?

O que impede os bancos aumentarem as taxas em cima dos pobres trabalhadores?

falar que aumentando taxa em cima de quem realmente tem dinheiro  o país melhora, é achar que utopias existem. Desde quando mexendo no dinheiro de alguém que pode resgata-lo ele simplesmente vai ficar parado olhando e conformado sem querer fazer o que lhe cabe para te-lo novamente?

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
9 minutos atrás, Almeida A. disse:

Desculpa, mas é bizarro afirmar achando que tem coerência "taxem os ricos e bancos!" o que impede os ricos (empresários, lojistas, etc) a aumentar os preços de seus produtos mantendo sua riqueza no mesmo padrão mesmo com mais impostos e jogando tudo em cima do consumidor, trabalhador, classe média baixa?

O que impede os bancos aumentarem as taxas em cima dos pobres trabalhadores?

falar que aumentando taxa em cima de quem realmente tem dinheiro  o país melhora, é achar que utopias existem. Desde quando mexendo no dinheiro de alguém que pode resgata-lo ele simplesmente vai ficar parado olhando e conformado sem querer fazer o que lhe cabe para te-lo novamente?

Não é bizarro, por favor pesquisem antes de colocar qualquer achismo sobre a questão. Os bancos não são taxados e no Brasil nós temos uma carga de juros extremamente alta, imposta sobre os interesses dos bancos que não devolvem o que deveriam devolver para União. Ex: Itau que está tendo uma divida perdoada de 30 bilhões, e é um dos bancos que mais tem lucros, ano passado se não me engano fechou com 30% em plena crise financeira global.

 

Alguns especialistas falam sobre isso:

 

"A taxação do lucro dos bancos é uma das mudanças que o governo poderia fazer pra reduzir essa tendência concentradora da carga tributária no Brasil. Ao tributar o lucro dos bancos, você onera um setor da economia que têm lucros estratosféricos, e que mais concentra riqueza e renda no país. Portanto, contribui pra construir um sistema tributário mais equânime e distributivo. Agora, isso é apenas uma mudança, existem várias outros fatores que podem contribuir nessa mesma direção, como por exemplo, a taxação sobre distribuição de lucros e dividendos, o aumento das alíquotas máximas e do número de alíquotas do imposto de renda, e mesmo a taxação sobre heranças e grandes fortunas que no Brasil”, comentou.

 

 

Tem uma matéria interessante fazendo um panomara histórico sobre esse tema:

 

"o longo do século XX, países que adotaram um sistema de tributação progressiva sobre renda, riqueza e heranças desconcentraram continuamente renda e riqueza. Na verdade, quase todos os países da Europa Ocidental já adotaram um imposto deste tipo. Mesmo sociedades mais liberais, como Reino Unido e Estados Unidos implementaram uma forte tributação sobre heranças, que contribui para equilibrar problemas distributivos." http://www.sul21.com.br/jornal/a-maioria-dos-paises-desenvolvidos-taxa-ou-ja-taxou-as-grandes-fortunas/

 

Eu cito isso, pois acredito que se formos retirar uma taxação, devemos encontrar outros caminhos. O Brasil tem estado, tem saúde publica, educação publica, sem impostos principalmente proveniente de setores econômicos estratégicos não tem como desenvolver a área publica. Por isso eu acho que esse debate tem que ser mais a fundo.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites



Visitante
Este artigo está impedido de receber novos comentários.






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×