Ir ao conteúdo
Entre para seguir isso  

Chipset Intel 815

       
 31.883 Visualizações    Artigos  
 0 comentários

Veja as novidades do Chipset Intel 815.

Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

A Intel acaba de lançar o seu mais novo chipset, o Intel 815 (nome-código Solano). Chipset é o nome dado ao conjunto de circuitos integrados utilizados na placa-mãe e ele define detalhes como o máximo de memória RAM que a placa-mãe aceita, além de influenciar diretamente no desempenho do micro. Dessa forma, estudando um determinado chipset - em nosso caso hoje, o Intel 815 - na verdade estamos estudando as características básicas de todas as placas-mães que usam esse circuito.

Destinado ao mercado "mid-end", isto é, o de micros para usuários entusiastas, esse chipset suporta até 512 MB de memória RAM e possui o barramento AGP trabalhando no modo 4x (taxas de transferência de até 1 GB/s), fazendo com que a placa de vídeo AGP atinja o dobro do desempenho se comparado aos demais chipsets existentes hoje no mercado que suportam o barramento AGP somente no modo 2x (taxas de 528 MB/s). É válido lembrar que, para trabalhar no modo 4x, a placa de vídeo deverá ser também 4x.

Possui um controlador de vídeo 3D integrado (on-board), mas este pode ser desativado para a instalação de uma placa de vídeo "verdadeira". Ao contrário do que ocorre com outros chipsets que têm vídeo integrado (como o Intel 810, por exemplo), em placas-mães contendo o chipset Intel 815 encontramos o slot AGP, podendo ser utilizado por uma placa de vídeo convencional.

Um segundo modelo desse chipset, chamado 815E, foi também lançado e diferencia-se por ter quatro portas USB (a maioria dos chipsets possui duas portas USB, incluindo o Intel 815) e suportar o novíssimo padrão de discos rígidos ATA/100, onde o disco rígido consegue atingir taxas de transferência de até 100 MB/s. O chipset Intel 815 "comum" suporta o padrão ATA/66, aceitando discos rígidos Ultra DMA/66, que possuem taxas de transferência de até 66 MB/s.

Outra novidade importante é o uso do conector CNR (Communications and Network Riser), que é uma modificação do AMR (Audio Modem Riser) para aceitar também placas de rede. Tanto o CNR quanto o AMR são conectores existentes na placa-mãe que permitem que você instale uma pequena placa de modem ou som (e, no caso do CNR, rede) que é controlada pelo chipset da placa-mãe, ou seja, utilizando a tecnologia HSP (Host Signal Processing), onde não é o dispositivo mas sim o processador da máquina que fica responsável por controlar a sua tarefa. Dessa forma, esses componentes possuem o mesmo funcionamento dos dispositivos on-board, isto é, um modem AMR tem o mesmo funcionamento de um modem on-board, sendo igualmente controlado pelo processador da máquina, obtendo um desempenho inferior a um modem "verdadeiro". Mas, em compensação, custam 10 vezes menos. Para um estudo mais detalhado dessa tecnologia, recomendamos a leitura do nosso artigo publicado em 5 de abril de 2000

Compartilhar



  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Comentários de usuários


Não há comentários para mostrar.



Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×