Ir ao conteúdo

Placa-mãe ASUS PRIME B250M PLUS/BR

       
 13.100 Visualizações    Artigo  
 16 comentários

A ASUS Prime B250M PLUS/BR é uma placa-mãe intermediária para processadores Intel soquete LGA1151 fabricada no Brasil. Vamos ver quais são os recursos que ela oferece.

Placa-mãe ASUS PRIME B250M PLUS/BR
Rafael Coelho Editor-chefe do Clube do Hardware

Introdução

A ASUS PRIME B250M-PLUS/BR é uma placa-mãe básica/intermediária soquete LGA1151 baseada no chipset Intel B250, suportando os processadores Core i de sexta (“Skylake”) e de sétima (“Kaby Lake”) gerações. Ela traz dois slots PCI Express 3.0 x16, quatro soquetes para memória DDR4, seis portas SATA-600 e seis portas USB 3.0. Vamos dar uma boa olhada nela!

Como fica claro pelo sufixo BR ao final do nome, esta placa-mãe é produzida no Brasil, pela Foxconn.

O chipset B250 é o modelo intermediário da nova série da Intel para o soquete LGA1151. As principais diferenças do B250 em relação ao modelo mais topo de linha, o Z270, são o suporte a apenas doze pistas PCI Express 3.0 controladas pelo chipset (o Z270 tem 24 pistas PCI Express 3.0, enquanto o H270 tem 20), seis portas USB 3.0 (o Z270 suporta dez portas USB 3.0, e o H270 oito), a impossibilidade de dividir as linhas do slot PCI Express 3.0 x16 em dois slots trabalhando a x8/x8 ou mesmo três slots, trabalhando em x8/x4/x4. Além disso, o B250 não tem suporte a overclock em processadores desbloqueados; o Z270 é o único que oferece este recurso.

Porém, assim como os modelos superiores, o B250 oferece suporte à tecnologia Optane da Intel (clique aqui para ler nossa análise da memória Optane), às tecnologias Smart Response versão 15 (que permite utilizar um SSD como cache para o disco rígido principal), Smart Connect (que permite que o computador receba e-mails e atualize páginas mesmo em modo de suspensão) e Rapid Start (inicialização mais rápida).

Você confere a placa-mãe ASUS PRIME B250M-PLUS/BR na Figura 1. Ela usa o padrão microATX, medindo 224 x 244 mm.

asus-B250MpLusBR-01.jpg

Figura 1: placa-mãe ASUS PRIME B250M-Plus/BR

Compartilhar

  • Curtir 6


  Denunciar Artigo

Comentários de usuários


Placa-mãe produzida no Brasil, mas com preço americano (NewEgg). Esse é daqueles itens que são produzidos no Brasil e vendidos para o mercado externo a um preço e no interno por outro?

 

Aos que vierem participar, se não for contra as regras do Fórum, postem preços dessa placa-mãe no mercado nacional. Tem diferença em favor dos brasileiros fabricar componentes eletrônicos?

 

Eu fiquei curioso principalmente por ser um produto fabricado no Brasil. O projeto e os componentes utilizados, independentemente disso, não deveriam variar substancialmente, já que a marca e o fabricante não desejam ter seus nomes sujos por um trabalho ruim. Parece ser o caso, os componentes são de ótima qualidade.

 

Comparativamente à placa-mãe da Gigabyte (custa US$ 8,00 a menos) testada recentemente, essa placa da ASUS tem uma pequena vantagem quando falamos de circuito controlador de tensão. Além disso o dissipador que foi instalado sobre esse circuito parece ser melhor.

 

Outro ponto de diferença em relação ao modelo da Gigabyte é a presença de um slot M2 a mais em substituição a uma porta PCI-E 1x. Pode ser vantagem para uns, desvantagem para outros, depende do uso que esse produto terá. Eu até vejo vantagem, pois um usuário entusiasta ou profissional pode instalar duas memórias M2 e fazer RAID0 via software e obter um ganho de desempenho de leitura e gravação sobre memórias que já têm altíssimo desempenho. Para quem trabalha com edição de vídeos pode ser muito bom, já que transferir arquivos consome tempo. Entretanto não sei se vale a pena ($$$$).

 

Em suma, parece um ótimo produto, mas esperava um preço mais competitivo. Claro, talvez o preço no mercado nacional seja melhor, mas sem dados não dá para tirar conclusões. Obrigado @Rafael Coelhopor mais este review.

adicionado 55 minutos depois

 

Kabum - R$ 498,90 à vista

Terabyte Shop - R$ 487,90 à vista

Pichau - R$ 499,00 à vista

 

Média de preço: R$ 495,27

Dólar agora: R$ 3,1825

Valor em dólar:  US$ 155,62 (+63,81% o preço da NewEgg).

 

Será que a placa-mãe vendida na NewEgg é fabricada nos EUA????

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Pois é, podemos colocar o preço no Brasil sim.

Na verdade "fabricado no Brasil" significa "montado no Brasil". O PCB e os componentes vêm de fora na forma de kits completos, e são apenas encaixados e soldados os componentes aqui. Em geral isso barateia um pouco por conta de incentivos fiscais, mas na prática a diferença de preço não é tão grande assim.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
52 minutos atrás, Rafael Coelho disse:

 

Pois é, podemos colocar o preço no Brasil sim.

Na verdade "fabricado no Brasil" significa "montado no Brasil". O PCB e os componentes vêm de fora na forma de kits completos, e são apenas encaixados e soldados os componentes aqui. Em geral isso barateia um pouco por conta de incentivos fiscais, mas na prática a diferença de preço não é tão grande assim.

e o popular me engana que eu gosto

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
4 horas atrás, Rafael Coelho disse:

 

Pois é, podemos colocar o preço no Brasil sim.

Na verdade "fabricado no Brasil" significa "montado no Brasil". O PCB e os componentes vêm de fora na forma de kits completos, e são apenas encaixados e soldados os componentes aqui. Em geral isso barateia um pouco por conta de incentivos fiscais, mas na prática a diferença de preço não é tão grande assim.

 

Ok, dá para entender que são aplicados impostos sobre o valor dos componentes que vêm de fora, mas se o mesmo modelo está sendo vendido por 61% do valor que é praticado no Brasil, esse produto certamente não é importado do Brasil, ele é produzido lá fora. Aí eu me pergunto: porque o BR no nome do produto se ele é fabricado em qualquer parte do mundo?

 

Se o produto vendido lá fora é produzido no Brasil, então o que temos é um preço para cada mercado. No mercado brasileiro a Foxcon ganha 100% e lá fora, 20%. Os brasileiros pagam a conta duas vezes: com incentivos e pagando os lucros extras da Foxcon.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Bacana ver que já melhoramos um pouco neste quesito, que não estão fazendo só as placas "pé de boi" por aqui, pena que não se refletiu no preço, como o @Zeca Pagodinho bem demonstrou.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
6 horas atrás, Zeca Pagodinho disse:

Aí eu me pergunto: porque o BR no nome do produto se ele é fabricado em qualquer parte do mundo?

 

O /BR só é usado nas placas fabricadas no Brasil. Nos EUA a placa não tem esse /BR e o preço da Newegg publicado pelo Rafael refere-se ao modelo vendido nos EUA, que não leva o /BR e é fabricada em Taiwan ou na China.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Por mim tinha que dar uma surra nesses engenheiros que colocam os conectores sata ao lado do pci-e sabendo que iremos matar eles ao conectar uma vga.

otimo review...

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Em 17/07/2017 às 11:57, fenixcload disse:

e o popular me engana que eu gosto

 

Não é não. São regras para evitar tributação que o proprio Brasil cobra se entender que esse produto é "Importado". Uma vez montado aqui, é possível declarar como "nacional" e não sofrer mais tributações de produtos de fora. Como esse produto não passa ao regime de drawback, ele precisa receber o que vem de fora e declarar ele montado como nacional. Isso influi menos impostos a fabricante.

 

23 horas atrás, Zeca Pagodinho disse:

 

Ok, dá para entender que são aplicados impostos sobre o valor dos componentes que vêm de fora, mas se o mesmo modelo está sendo vendido por 61% do valor que é praticado no Brasil, esse produto certamente não é importado do Brasil, ele é produzido lá fora. Aí eu me pergunto: porque o BR no nome do produto se ele é fabricado em qualquer parte do mundo?

 

Se o produto vendido lá fora é produzido no Brasil, então o que temos é um preço para cada mercado. No mercado brasileiro a Foxcon ganha 100% e lá fora, 20%. Os brasileiros pagam a conta duas vezes: com incentivos e pagando os lucros extras da Foxcon.

 

Porque ele ao trazer componentes ao Brasil é taxado dos dados de Importação. Ao montar a placa com os componentes evita de pagar novamente como produto importado. Ou seja, é o proprio Brasil jogando a culpa ao cara que "trás de fora" como se tais componentes tivessem sua fabricação existente aqui.

 

Pode até existir um componente ou outro... mas a realidade é que para evitr qualquer tributação adicional ou mais tributação em cima dos componentes, se diz fabricado no Brasil para reduzir os impostos incidentes em cima do produto pronto.

 

Dito isso, eles estão pagando os tributos nos componentes que vieram ao Brasil, como novamente enfatizo, não há produção (fabricas) que produzam na totalidade dos componentes (e digo mais: a maioria)

adicionado 3 minutos depois

Sobre minha opinião: Parece que pegaram a mesma placa e distribuiram entre as fabricantes.

 

Como eu não fui atrás, as vezes as nomenclaturas podem confundir qual é melhor ou mais atual, tal qual "a placa" de som. E pensar que faz anos que não mexo com hardware... as vezes dá vontade de montar um computador só para matar essas saudades.

 

Mas fico imaginando uma "plaquinha" dessas, com 64gb de RAM, um HD SSD e outro SATA (para armazenar dados), uma fonte de seus 450w (Corsair) e uma placa de vídeo entre mid end e high end.... seria interessante. Minha esposa me encheria o saco, mas seria legal ter esse nivel de computador. Só acho que atualmente os processadores estão abusivo em preços e não acompanham o barateamento dos preços dos demais hardwares... incluso Fonte e Placa de video.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
3 horas atrás, eds2008 disse:

 

Não é não. São regras para evitar tributação que o proprio Brasil cobra se entender que esse produto é "Importado". Uma vez montado aqui, é possível declarar como "nacional" e não sofrer mais tributações de produtos de fora. Como esse produto não passa ao regime de drawback, ele precisa receber o que vem de fora e declarar ele montado como nacional. Isso influi menos impostos a fabricante.

 

 

Porque ele ao trazer componentes ao Brasil é taxado dos dados de Importação. Ao montar a placa com os componentes evita de pagar novamente como produto importado. Ou seja, é o proprio Brasil jogando a culpa ao cara que "trás de fora" como se tais componentes tivessem sua fabricação existente aqui.

 

Pode até existir um componente ou outro... mas a realidade é que para evitr qualquer tributação adicional ou mais tributação em cima dos componentes, se diz fabricado no Brasil para reduzir os impostos incidentes em cima do produto pronto.

 

Dito isso, eles estão pagando os tributos nos componentes que vieram ao Brasil, como novamente enfatizo, não há produção (fabricas) que produzam na totalidade dos componentes (e digo mais: a maioria)

adicionado 3 minutos depois

Sobre minha opinião: Parece que pegaram a mesma placa e distribuiram entre as fabricantes.

 

Como eu não fui atrás, as vezes as nomenclaturas podem confundir qual é melhor ou mais atual, tal qual "a placa" de som. E pensar que faz anos que não mexo com hardware... as vezes dá vontade de montar um computador só para matar essas saudades.

 

Mas fico imaginando uma "plaquinha" dessas, com 64gb de RAM, um HD SSD e outro SATA (para armazenar dados), uma fonte de seus 450w (Corsair) e uma placa de vídeo entre mid end e high end.... seria interessante. Minha esposa me encheria o saco, mas seria legal ter esse nivel de computador. Só acho que atualmente os processadores estão abusivo em preços e não acompanham o barateamento dos preços dos demais hardwares... incluso Fonte e Placa de video.

 

Eu tinha me esquecido que no Brasil há o imposto sobre o imposto do imposto X a taxa da "vó-do-badanha" somado da contribuição partidária compulsória (vão inventar isso em breve) e, sobre tudo, o ICMS de cada Estado. Nunca vou esquecer de uma frase que o @Gabriel Torres disse no vídeo sobre o porquê que eletrônicos são tão caros no Brasil: "O empresário tem um sócio que não contribui em nada e recebe >50% do valor do produto, enquanto o empresário tem 10 a 20% de lucro e todas as dores de cabeça para fazer o seu negócio viável". Talvez não tenha sido exatamente assim que ele falou, mas a ideia é essa.

 

Off-topic completo:

Aqui no Canadá a taxa do rotativo do Cartão de Crédito é de 19,9 a 23% AO ANO. Sim, ao ano. Quando comentei com um professor que no Brasil os juros cobrados sobre o saldo devedor do Cartão de Crédito eram de no mínimo 13% ao mês ele disse: "C'est pas possible. C'est trop bizarre." (Não é possível. É estranho demais.) E eu confirmei, ele termina: "C'est la mafia, c'est la seule explication. C'est la mafia!". Aí eu tenho que balançar a cabeça afirmativamente, não há como argumentar.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
7 horas atrás, loveblack disse:

Por mim tinha que dar uma surra nesses engenheiros que colocam os conectores sata ao lado do pci-e sabendo que iremos matar eles ao conectar uma vga.

otimo review...

 

Pois é..

E quando eu quero ter conectores SATA em 90° como ítem obrigatório pra minha máquina, ainda vai ter gente que vai reclamar.

 

1 hora atrás, Zeca Pagodinho disse:

Off-topic completo:

Aqui no Canadá a taxa do rotativo do Cartão de Crédito é de 19,9 a 23% AO ANO. Sim, ao ano. Quando comentei com um professor que no Brasil os juros cobrados sobre o saldo devedor do Cartão de Crédito eram de no mínimo 13% ao mês ele disse: "C'est pas possible. C'est trop bizarre." (Não é possível. É estranho demais.) E eu confirmei, ele termina: "C'est la mafia, c'est la seule explication. C'est la mafia!". Aí eu tenho que balançar a cabeça afirmativamente, não há como argumentar.

 

Se um banco decidir baixar essas taxas de juros com agressividade, o BC não deixa..

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

ela tem suporte para SLI ?

Editado por Gabriel Torres
Remoção de citação desnecessária e incorreta.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
29 minutos atrás, vnsouza disse:

ela tem suporte para SLI ?

 

Está escrito na segunda página do artigo...

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Rafael, é possível utilizar as três saídas de vídeo VGA, DVI e HDMI ao mesmo tempo? 

Se for possível, é configurado via Windows?

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
1 hora atrás, lmarques disse:

Rafael, é possível utilizar as três saídas de vídeo VGA, DVI e HDMI ao mesmo tempo? 

Se for possível, é configurado via Windows?

Infelizmente não chegamos a testar, e não encontramos esta informação.

 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Em 13/09/2017 às 12:27, lmarques disse:

Rafael, é possível utilizar as três saídas de vídeo VGA, DVI e HDMI ao mesmo tempo? 

Se for possível, é configurado via Windows?

 

A Asus B250M-A suporta 3 monitores segundo o site.

A Asus B250M-Plus/BR suporta 3 monitores segundo o site.

https://www.asus.com/br/Motherboards/PRIME-B250M-PLUS-BR/specifications/

Editado por JonasTC

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×