Imprimir artigo
Por Dentro do Macintosh SE
por em Tutoriais
Última atualização:
16.025 visualizações
Página 7 de 7

A Placa-Mãe do Macintosh SE/30

A placa-mãe para o Macintosh SE/30 era completamente diferente da usada em outros modelos do Macintosh SE..

Macintosh SE Tutorial
Figura 28: A placa-mãe do Macintosh SE/30

O Macintosh SE/30 usava um processador diferente, o 68030 (rodando a 16 MHz em vez de 7,8 MHz como nos modelos anteriores), que era mais poderoso que o 68000 usado nas versões anteriores do Macintosh, com um barramento de dados externo de 32 bits (lembre-se que o 68000 usava um barramento de dados externo de 16 bits, então quando combinando um clock mais alto com o número maior de bits para acessar a memória, o 68030 tinha uma largura de banda para acesso à memória quatro vezes maior que o 68000 usado em modelos anteriores) e um barramento de endereço de 32 bits, permitindo que o processador acessasse até 4 GB de memória (em teoria). Ele também tinha um cache de instrução de 256 bits e um cache de dados de 256 bits, recursos não disponíveis no 68000.

O SE/30 usava um coprocessador matemático Motorola 68882, um recurso não disponível em modelos Macintosh anteriores.

A placa-mãe do Macintosh SE/30 apresentava oito soquetes SIMM-30, permitindo que você instalasse até 128 MB de memória RAM, caso oito módulos de 16 MB fossem usados. A ROM do computador estava disponível em um módulo SIMM-72.

Alguns chips usados no Macintosh SE/30 eram os mesmos usados em modelos Macintosh anteriores, porém melhorados. O controlador SCSI usado era um 53C80, uma versão melhorada do 5380 usado em modelos anteriores. Para controlar as duas portas seriais disponíveis (impressora e modem), um controlador de comunicações em série Z8530 era ainda utilizado, mas com encapsulamento PLCC em vez de DIP, que ocupa menos espaço na placa do circuito impresso. E para o controle do teclado e do mouse, ele usava dois chips 65C22 (em vez de apenas um como no Macintosh SE comum), mas agora com encapsulamento PLCC em vez do DIP. O SE/30 usava um chip SWIM (Super Woz Integrated Machine ou Super Máquina Woz Integrada) para controlar a unidade de disquete, suportando unidades de 1,44 MB. Diferentemente do SE comum, o SE/30 apresenta apenas uma única porta para unidades de disquete.

O Macintosh SE/30 usava um chip personalizado chamado GLUE (General Logic Unit ou Unidade Lógica Geral), fabricado pela VLSI, em vez do chip BBU presente no Macintosh SE ou dos chips PAL presentes em modelos anteriores.

Existem dois chips de 256 kbits para a memória de vídeo, perfazendo 64 KB de memória de vídeo dedicada. Em modelos Macintosh anteriores, parte da memória RAM principal era usada como memória de vídeo.

O áudio foi melhorado dos modelos anteriores, com a adição de um chip personalizado chamado ASC (Apple Sound Chip ou Chip de Som da Apple) e dois chips de processamento de som da Sony, oferecendo som estéreo com até quatro vozes simultâneas. Modelos anteriores usavam uma técnica chamada PWM (Pulse Width Modulation ou Modulação por Largura de Pulso) para gerar o áudio e somente áudio mono estava disponível. Além disso, em modelos anteriores, o circuito PWM também controlava a velocidade das unidades de disquete de 400 KB.

Assim como o Macintosh SE, o Macintosh SE/30 apresentava um conector de expansão PDS, chamado PDS 68030. Este conector, no entanto, não era o mesmo usado no Macintosh SE e, portanto, você não podia instalar placas de expansão desenvolvidas para o Macintosh SE no Macintosh SE/30.

AUTOR
Gabriel Torres
Gabriel Torres
Editor Executivo

Gabriel Torres criou o Clube do Hardware em maio de 1996, onde escreve artigos e coordena o trabalho dos nossos diversos colaboradores. É também autor de 24 livros sobre hardware, redes e eletrônica. Foi, de 1996 a 2007, colunista do suplemento de informática do jornal O DIA (RJ). Morou nos Estados Unidos de 2007 a 2013 e atualmente mora na Austrália.

ARTIGOS RELACIONADOS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS EM OUTROS
ÚLTIMOS ARTIGOS
529.466 usuários cadastrados
1.295 usuários on-line