Ir ao conteúdo
Entre para seguir isso  

Análise comparativa entre AMD, Intel e NVIDIA

       
 20.710 Visualizações    Artigos  
 31 comentários

Por serem as três empresas mais importantes de hardware para computadores pessoais, muitos usuários pensam que elas têm o mesmo tamanho, o que não é verdade. Neste artigo fazemos uma análise comparativa entre elas.

Análise comparativa entre AMD, Intel e NVIDIA
Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

Por serem as três empresas mais importantes de hardware para computadores pessoais, muitos usuários pensam que a AMD, a Intel e a NVIDIA têm o mesmo tamanho. Neste artigo fazemos uma análise comparativa entre elas para dismitificar essa questão.

Em tempo: esta é uma análise estritamente financeira. Em momento algum estamo inferindo que os produtos da empresa “A” são “melhores” ou “piores” que os produtos da empresa “B” ou “C”.

Todas elas são empresas abertas, isto é, com ações negociadas em bolsa, o que significa que todos os dados da empresa são públicos. Nos EUA, ao contrário do Brasil, as empresas podem definir um ano fiscal diferente do ano do calendário. Isto é, enquanto que no Brasil o calendário das empresas para sua contabilidade vai de primeiro de janeiro a 31 de dezembro, nos EUA é possível usar outras datas. Por exemplo, o ano fiscal da AMD e da Intel encerrou-se em 27/12/2014, mas o da NVIDIA encerrou-se em 25/01/2015, então os número da NVIDIA incluem janeiro de 2015 (mas não incluem janeiro de 2014). Portanto, apesar de estarmos comparando os dados referentes ao ano de 2014, há essas pequenas diferenças em relação a quando o ano fiscal começa e termina.

O valor de mercado (ou capitalização de mercado) é quanto a empresa vale em um determinado momento, basicamente pegando-se a cotação de sua ação e multiplicando-se pelo número de ações disponíveis. Este valor foi coletado no dia da publicação deste artigo, e ele varia de acordo com a variação no preço das ações das empresas.

 

AMD

Intel

NVIDIA

Fundação

1969

1968

1993

Empregados

9.687

106.700

8.800

Faturamento (2014)

US$ 5,5 bilhões

US$ 55,87 bilhões

US$ 4,68 bilhões

Lucro/(Prejuízo) (2014)

(US$ 403 milhões)

US$ 11,7 bilhões

US$ 630,59 milhões

Ativos (2014)

US$ 3,77 bilhões

US$ 91,96 bilhões

US$ 7,2 bilhões

Dívidas (2014)

US$ 2,21 bilhões

US$ 13,71 bilhões

US$ 1,38 bilhões

Fim do exercício

27/12/2014

27/12/2014

25/01/2015

Valor de mercado

US$ 2,37 bilhões

US$ 161,59 bilhões

US$ 12,21 bilhões

Obviamente os números apresentados mostram apenas a situação atual, sem considerar anos anteriores. Tampouco é nosso intuito fazer uma análise mais aprofundada (pois, afinal, não somos um site de economia nem de contabilidade). Mas os números apresentados nos dão claramente algumas informações muito importantes.

A primeira delas é que a Intel não está no mesmo patamar das outras duas empresas. Ela é muito maior, por qualquer um dos números que você selecione para comparar: faturamento dez vezes maior, e onze vezes mais funcionários que a AMD e doze vezes mais funcionários que a NVIDIA, etc. É importante também lembrar que a Intel não está apenas no mercado de processadores para computador ou placas de vídeo; ela atua na fabricação de chips para diversas outras finalidades (redes, por exemplo). Ela tem fábricas próprias, enquanto que nem a NVIDIA nem a AMD têm fábricas próprias. A AMD já teve, mas devido à sua eterna crise, separou as suas fábricas em uma empresa à parte, chamada GlobalFoundries, e vendeu essa empresa. Atualmente a AMD não tem qualquer participação na GlobalFoundries, que é a empresa que efetivamente fabrica seus processadores (os chips da NVIDIA são fabricados pela TSMC).

Por outro lado, a AMD e a NVIDIA possuem tamanhos similares em termos de faturamento e número de funcionários, o que é certamente de se espantar. Afinal, a AMD comprou a ATI, principal concorrente da NVIDIA, em 2006, em um negócio de US$ 5,4 bilhões. Em 2007, fizemos uma análise do impacto da compra da ATI, análise esta que será muito útil agora para fazermos algumas comparações quase nove anos depois da compra da ATI.

A ATI tinha, em 2006, um valor de mercado de US$ 5 bilhões (incrivelmente o dobro de quanto a AMD vale hoje) e a AMD valia, na época, US$ 9 bilhões. Depois de comprar a ATI ela deveria valer US$ 14 bilhões, certo? Porém, mesmo com a compra da ATI, a AMD não parou de afundar. Hoje ela vale apenas US$ 2,37 bilhões, depois de ter se desfeito de todas as suas fábricas, e só tem prejuízo. Em 2014 esse prejuízo foi de US$ 400 milhões, enquanto a NVIDIA teve um lucro de US$ 630 milhões.

O mercado de ações flutua, naturalmente, e você poderia aventar que o mercado como um todo caiu, e não só a AMD. Porém, em 2006 a NVIDIA tinha um valor de mercado de US$ 6,9 bilhões e a Intel tinha um valor de mercado de US$ 99 bilhões. Hoje elas valem US$ 12,2 bilhões e US$ 161,59 bilhões, respectivamente.

Se a AMD afundou por causa da ATI ou se a ATI evitou que ela afundasse ainda mais é uma grande pergunta sem resposta, que exploraremos em nosso próximo artigo (aguardem!). O fato concreto, porém, é que nem a Intel nem a NVIDIA querem que a AMD quebre. E nem os consumidores deverão querer. Pois se isto ocorrer, tanto a Intel quanto a NVIDIA terão sérios problemas, pois elas se transformarão em monopólios nas áreas de processadores e placas de vídeo, respectivamente, e os órgãos competentes nos EUA e na União Europeia impedirão o funcionamento das empresas por causa das leis antitruste, podendo ocasionar a divisão da empresa em outras menores, especialmente no caso da Intel.

Fontes:

Editado por

Compartilhar



  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Comentários de usuários




Acredito que numa possível situação de quebra da AMD, a Intel procederia como a Microsoft fez, na década de 90, com a Apple, capitalizando a empresa via parcerias de desenvolvimento de produtos e compra de ações não preferenciais,antendo-a, assim, em condições de se reestruturar.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

@Daniel S. Toledo

 

Seja bem-vindo e obrigado por se cadastrar apenas para deixar seu comentário. Espero que você curta o nosso fórum e continue participando.

 

Uma opinião pessoal minha, que acabei não colocando no artigo e deixei mais para postar aqui é justamente isso. Eu não acredito que a AMD vá fechar as portas. Antes de isso acontecer algum outro grupo a comprará.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Li a um tempo atrás que a compra da AMD pela ATI não era para ocorrer e sim uma fusão entre AMD e Nvidia. Mas dois figurões Jen-Hsun Huang (fundador e CEO da NVIDIA) bem como Hector Ruiz (CEO da AMD a época) por querem os dois serem CEO. Pior que o embrólio começou por frivolidades, mas demonstrou diferenças de gestão. A Nvidia queria apostar mais no mercado móvel, já a AMD não. Hoje vemos que a AMD estava errada e que a Nvidia é melhor gerida. Para piorar a AMD perdeu mercado no final do ano passado e a Nvidia, mesmo com o escândalo da GTX 970 ainda assim é capaz de capitalizar mais que a AMD. Isso porquê a nova série R9 ainda é um mistério e o ano está passando. Enquanto isso a Maxwell ganha drivers mais maduros e mantém-se mais eficiente energeticamente que todos os concorrentes no mercado. Isso é importante, pois apenas EUA e China tem energia elétrica baratas, países como Alemanha, Suécia, Reino Unido (não um país, mas vocês entenderam), Espanha e até Austrália tem energia bem caras (agora o Brasil também na lista).

 

 

http://www.tomshardware.com/reviews/amd-merge,1774-4.html

http://www.anandtech.com/show/8446/the-state-of-pc-graphics-sales-q2-2014

 

Num tom mais alegre, me mandaram aqui no fórum a explicação do engenheiro da Nvidia.

 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Só lembrando que esse vídeo é de humor, ok pessoal? Pegaram um vídeo aleatório e colocaram legendas humoradas que não correspondem ao que o camarada está de fato falando...

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

O artigo é tão esclarecedor que me sinto até qualificado para explicar o assunto. Excelente! Comparações entre Intel e AMD agora só com bastante ressalva.

Editado por Eruru

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

O que eu não entendo é isso, como mesmo vendendo chips para consoles a AMD não consegue sair do buraco? O grande problema dela foram dois então; comprar a ATI e desfazer de suas fábricas?

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

@padreqdedo Os erros deles foram vários erros de má gestão. Quando recusaram a oferta da Nvidia compraram a ATI por um valor muito acima do mercado. Não produziram processadores competitivos com a qualidade da Intel e ainda disserem que mobile (processadores para celular) era apenas hype. Então se afundaram num mercado restrito, com pouco crescimento e com um produto pouco competitivo. Quando finalmente obtiveram crescimento no setor de GPU (série HD 7900) não mostraram nenhum novo chip por 3 anos e as placas R9 290 e R9 290X consomem muita energia comparadas as soluções da Nvidia. Assim essas placas só compensam nos EUA e China onde a energia elétrica é barata. Não preciso dizer que os processadores é a mesma coisa.

O motivo por terem obtido o contrato com a Microsoft e a Sony para fazer os chips dos consoles são principalmente dois: os consoles dessa geração são fabricados pelo menor custo possível e ambas as companhias tiveram brigas com a Nvidia. A Sony com o PS3 e a Microsoft com o primeiro Xbox.

Editado por andrighi

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Excelente post sobre as três empresas. Isto ajuda a esclarecer a dúvida de muitas pessoas sobre cada empresa.

No geral, é sabido das dificuldades sofridas pela AMD para se manter no mercado e mesmo que muitos já se falaram do possível "fechamento" ou "venda" devido às ameaças de quebra, fica claro que isto de fato não tem como acontecer por conta do rigor que os governos impõem sobre o monopólio(a não ser é claro que apareça uma empresa inovadora que roube a fatia da AMD e dispute diretamente com Nvidia ou Intel, neste caso, acredito eu, é justifiável).

Para ajudar sobre anti monopólio, temos o exemplo da Standard Oil, que dominou o setor em que atuava (petróleo) no início do século XX aplicando o seu método de venda (já que não tinha concorrente à altura), até o governo intervir. Acredito eu que graças a essa ação ocorrida é que temos uma variedade de marcas que oferecem o mesmo produto mas a preços condicionais, que possam chegar a todas as classes sociais envolvidas, oferecendo o que cada empresa tem de melhor. 

Editado por wilsansilva

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

@padreqdedo Os erros deles foram vários erros de má gestão. Quando recusaram a oferta da Nvidia compraram a ATI por um valor muito acima do mercado. Não produziram processadores competitivos com a qualidade da Intel e ainda disserem que mobile (processadores para celular) era apenas hype. Então se afundaram num mercado restrito, com pouco crescimento e com um produto pouco competitivo. Quando finalmente obtiveram crescimento no setor de GPU (série HD 7900) não mostraram nenhum novo chip por 3 anos e as placas R9 290 e R9 290X consomem muita energia comparadas as soluções da Nvidia. Assim essas placas só compensam nos EUA e China onde a energia elétrica é barata. Não preciso dizer que os processadores é a mesma coisa.

O motivo por terem obtido o contrato com a Microsoft e a Sony para fazer os chips dos consoles são principalmente dois: os consoles dessa geração são fabricados pelo menor custo possível e ambas as companhias tiveram brigas com a Nvidia. A Sony com o PS3 e a Microsoft com o primeiro Xbox.

E esqueceu de citar que a AMD renomeou as placas para dizer que eram "novas".

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

A AMD é aquela empresa que é melhor deixar quieta lá no canto dela. Se comprar e absorver ela só se criam problemas.

Mas que é assustador, ver que a Intel poderia, teoricamente, comprar a AMD com "troco de pinga", é. :P

 

Pois é, @padreqdedo . Também achei que o mercado de APUs para os consoles renderia muito dinheiro à AMD. Estranho mesmo.

 

Ao meu ponto de vista, também investir em outras áreas não é viável para a AMD agora, pelo fato de P&D ser extremamente caro. Ela esperou demais e agora o jeito é segurar as pontas para não despencar barranco abaixo.

Editado por edurc

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Acredito que esteja ocorrendo com essas três marcas algo parecido com o que acontece atualmente no mercado mobile. A exemplo da Apple, Intel e Nvidia vieram nos últimos anos vendendo produtos atrativos (bem recebidos pelo consumidor) com margens de lucro elevada, enquanto a AMD apostou em produtos de baixo custo (e margens apertadas), semelhante ao acontecido com a Samsung. Esse tipo de situação deixa a empresa menos "resistente" nos casos de retração do mercado, produtos mal sucedidos ou investidas acertadas da concorrência.

Creio que a AMD ainda possua alternativas para retomar crescimento - antes de recorrer a medidas radicais de sobrevivência, mas isso dependerá do sucesso da nova família de GPUs e de um bom desenvolvimento das APUs.


Só lembrando que esse vídeo é de humor, ok pessoal? Pegaram um vídeo aleatório e colocaram legendas humoradas que não correspondem ao que o camarada está de fato falando...

Mas, como diz o ditado, toda brincadeira tem uma pontinha de verdade. kkk...

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

@Eruru

@padreqdedo

@Daniel S. Toledo

@wilsansilva

@edurc

@Romário Barros

@andrighi

 

Estou preparando uma continuação deste artigo, será uma análise exclusiva da AMD, sobre os últimos 20 anos desta empresa e os motivos que a levaram para o buraco, continuando em onde eu parei neste artigo. Mas posso adiantar que o @andrighi postou acima está 100% correto. Foi um problema sério de má-gestão, compra da ATI por um valor muito acima do que ela de fato valia, e uma relativa demora dos acionistas em chutar o CEO da empresa na época (Hector Ruiz), que ainda foi acusado de insiding trading por ter contado a um amigo sobre a GlobalFoundries antes do anúncio oficial. Aguardem!

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

1º um erro no artigo: a TSMC é tb a produtora principal da AMD, e a Global Foundries quase nem produz chips para a AMD, já que foi criada para atender uma requisição da Intel para o licenciamento da arquitetura x86, quando a AMD ganhou na justiça a não necessidade de ter produção própria, vendeu a GF e azar de quem comprou! Olha ai um tiro no pé da Intel quando tentou tirar do mercado as empresas que trabalhavam com a arquitetura x86, fechando na marra a Cyrix e outras, e tendo no momento só a VIA e a AMD como licenciadas, mas ninguém nem vai comentar a VIA aqui. (menos de 1% do mercado)

 

2º andrighi: de boa cara, o vídeo é uma zuação com os usuários da nVidia, e você posta ele aqui como o q? você colocou até bem as coisas antes, mas esse vídeo ficou desconexo de tudo o que você disse.

 

3º padreqdedo: ambas as marcas produzem requentation's edit, dê uma olhada na última tabela de GPU's AMD e nVidia do CdH.

 

4º edurc: ai concordo com o qdedo, o problema da AMD é gerencial mesmo, ela até tem bons produtos no mercado, mas falta visão de como o mercado comporta e foco, e isso levou até a erros de engenharia nos últimos tempos, o que coloca ela numa posição tecnológica atrasada e com proplemas para gerir o próprio problema.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

@Scotta o vídeo é uma tradução. Trata-se de uma descontraída com o atual momento vivido pela Nvidia e o seu recente escândalo de marketing com a GTX 970. Nesse processo estou te garantindo que ela vai perder muito dinheiro. Propaganda enganosa é um processo sério em qualquer lugar do mundo.

Comentando a sua 3ª chamada: para os investidores a AMD não está em condições de requentar uma edição. Afinal além de terem pagado muito caro na ATI, eles precisam fazer dinheiro já que a AMD nunca chegou a dominar de fato o mercado de GPU's dedicadas. 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Viu? Vocês não precisavam ter tanto medo assim da AMD? Afinal, ela não oferece perigo à Intel...
Essa é uma boa hora para "chutar cachorro morto", ou então de prestar condolências ao rival derrotado (Freud explica).

Minha única torcida é para que o CH e os usuários entendam que não são acionistas da Intel.

ps: Certa vez eu fiz a besteira de elogiar aqui uma atitude da AMD de oferecer processadores novos compatíveis com soquetes mais antigos. Tive que ouvir uma ladainha enorme de um moderador tentando me convencer de que a AMD sempre foi muito pior nesse sentido, etc.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

@edubsb essa coisa de fanatismo não é nada boa. Cito um caso recente que ocorreu na semana passada. Postamos o teste abaixo:

 

http://www.clubedohardware.com.br/artigos/Teste-do-processador-A6-6400K-vs-Pentium-G3220/3090

 

O pessoal, no Facebook, saiu comentando (sem ler o artigo) que Intel era mais caro, que AMD era melhor porque era mais barato, AMD era melhor porque oferecia melhor relação custo/benefício, etc.

 

Só que neste teste em questão, os dois processadoes custam exatamente a mesma coisa! Então era um comparativo entre dois processadores de mesmo preço!

 

Então o pessoal fica totalmente cego, fala o que quer ver, e não se informa sobre os fatos ou sequer lê os artigos que postamos. Lê o título e olhe lá...

 

A lógica dos fanáticos é a seguinte: "produto/empresa A é ótima" (porque eu tenho um produto da empresa A) e "produto/empresa B não presta" (porque eu não tenho um produto da empresa B )...

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Eu sempre gostei muito dos produtos da AMD pelo seu custo benefício. E de pensar que a AMD já teve a faca e o queijo na mão com os processadores Athlon, os primeiros, que davam de lavada nos pentium 4 que eram caros, esquentavam demais e não tinham a performance esperada. Mas, parece que a soberba foi demais e cegou a AMD. Em contrapartida a Intel viu a falha, correu atrás da solução e lançou os Core 2 Duo. Aí começou a dizimação da AMD que preferiu ficar parada no tempo ao invés de investir em inovação. Hoje eu tenho Intel, mas tenho saudade de quando a AMD conseguia ter alguma chance na briga. E parece que infelizmente a situação não parece que vai melhorar...

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

@semmerket estou preparando um artigo continuação desse para justamente falar isso que você levantou. Acho que vou fazer em vídeo, porque o artigo já está com 10 páginas de Word e nem estou na metade ainda...  :o

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

@semmerket estou preparando um artigo continuação desse para justamente falar isso que você levantou. Acho que vou fazer em vídeo, porque o artigo já está com 10 página de Word e nem estou na metade ainda...  :o

Bacana! Em vídeo será bem mais didático. 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

...


A lógica dos fanáticos é a seguinte: "produto/empresa A é ótima" (porque eu tenho um produto da empresa A) e "produto/empresa B não presta" (porque eu não tenho um produto da empresa B )...

Concordo. Devemos respeitar a decisão de todos e não apontar o que queremos que eles tenham, afinal, isto não é liberdade de escolha.

Editado por wilsansilva

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites



Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×