Ir ao conteúdo
Entre para seguir isso  

Athlon XP

       
 83.222 Visualizações    Artigos  
 0 comentários
AMD

Conheça tudo sobre o novo processador da AMD.

Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

Aproveitando-se do lançamento do Windows XP, a AMD resolveu batizar o seu mais novo processador de Athlon XP. Esse mesmo processador (que tem o nome-código Palomino) havia sido anunciado anteriormente pela AMD com o nome comercial Athlon 4. Ou seja, Athlon XP e Athlon 4 são o mesmo processador. Como já haviam sido lançados processadores Athlon 4 para notebooks, na realidade Athlon 4 é o nome usado para a versão do Athlon XP para notebooks.

Tecnicamente falando, o Athlon XP não traz nenhuma grande novidade estrutural. Ele é um Athlon com um novo nome comercial. Internamente, o Athlon XP funciona exatamente da mesma maneira que o Athlon (a bem da verdade, o Athlon XP possui as instruções SSE, que antes só existiam no Pentium III e no Pentium 4 da Intel). Ou seja, trata-se apenas de uma jogada comercial para vender mais processadores e para "atualizar" o mercado informando que este processador está "preparado" para o Windows XP (ou melhor, dando a noção que ele é "melhor" para rodar o Windows XP) e que ele é o concorrente do Pentium 4 da Intel. Pura jogada de marketing, já que todos os processadores estão "preparados" para o Windows XP (tecnicamente falando, esse tipo de afirmação não faz o menor sentido).

O grande problema é que o processador Athlon original foi lançado na época do Pentium II e a maioria dos usuários infelizmente pode associar a imagem do processador Athlon como um processador concorrente do Pentium II ou Pentium III e não como sendo um processador "de última geração". Daí a necessidade que os fabricantes têm de, vez por outra, fazerem uma "plástica" em seus produtos. Não podemos nos esquecer nunca que o próprio Pentium III era um processador internamente idêntico ao Pentium II, com um novo nome por motivos de marketing.

Externamente, o Athlon XP possui o mesmo sistema de encaixe do Athlon e do Duron, chamado Soquete A. Seu encapsulamento, no entanto, não é mais cerâmico como ocorre no Athlon e no Duron, mas sim plástico (na realidade, de fibra de vidro), tornando o processador muito mais leve.

O Athlon XP pode ser instalado em qualquer placa-mãe desenvolvida originalmente para o Athlon de soquete, ou seja, qualquer placa-mãe soquete A. Na maioria das vezes é necessário um upgrade de BIOS (procedimento que pode ser feito por software) para que a placa-mãe reconheça corretamente o processador. Ocorre que a maioria dos modelos de Athlon XP funcionam externamente a 133 MHz e daí a necessidade da placa-mãe operar nessa freqüência de operação. Como os processadores da AMD trabalham transferindo dois dados por pulso de clock - e não apenas um, como é o normal - o barramento externo atinge o dobro do desempenho. Por esse motivo, você encontrará referências de que esse processador opera a 266 MHz. Na realidade, isso não ocorre. Ele trabalha a 133 MHz transferindo dois dados por clock, atingindo um desempenho como se estivesse operando a 266 MHz - embora fisicamente falando só esteja trabalhando a 133 MHz.

Mas o grande problema do Athlon XP é que a AMD voltou com ele a usar a nomenclatura do tipo PR, Performance Reference, que havia sido abandonada a partir do processador K6. Isto é, em vez de discriminar o processador pela sua freqüência de operação (clock), a AMD classifica o processador de acordo com o seu desempenho comparado a um Pentium 4. Por exemplo, o Athlon XP 1500+ trabalha a 1,33 GHz e, segundo a AMD, possui um desempenho igual ou superior a um Pentium 4 de 1,5 GHz. Na tabela abaixo mostramos os modelos de Athlon XP já lançados e sua verdadeira freqüência de operação.

Processador Clock Interno
Athlon XP 1500+ 1,33 GHz
Athlon XP 1600+ 1,4 GHz
Athlon XP 1700+ 1,47 GHz
Athlon XP 1800+ 1,53 GHz

Compartilhar



  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Comentários de usuários


Não há comentários para mostrar.



Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×