Ir ao conteúdo
Entre para seguir isso  

Overclock do Pentium Clássico

       
 37.502 Visualizações    Testes  
 0 comentários

Teste de overclock realizado com o Pentium clássico.

Overclock do Pentium Clássico
Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

Como funciona o overclock

Você deve estar intrigado em como a simples mudança de configuração da placa-mãe pode aumentar o desempenho do micro. Acontece que os processadores atualmente trabalham em um esquema chamado multiplicação de clock. Nesse esquema, o processador trabalha externamente com uma freqüência de operação (clock) e, internamente, multiplica este clock por um fator, atingindo a sua freqüência de operação interna (vide tabela). A maioria dos processadores hoje existentes trabalha com um clock externo de 66 MHz.

Freqüência de operação Mult.
1,5 x
Mult.
2 x
ult.
2,5 x
Mult.
3 x
Mult.
3,5 x
60 MHz 90 MHz 120 MHz 150 MHz 180 MHz  
66 MHz 100 MHz 133 MHz 166 MHz 200 MHz 233 MHz

No caso de processadores que utilizam pinagem soquete 7 - como o Pentium, Pentium MMX, AMD K6 e Cyrix 6x86MX - eles possuem uma limitação inerente à sua construção: eles não sabem qual é a sua própria freqüência de operação!

Por esse motivo, há jumpers (pequenas chaves) na placa-mãe que configuram a freqüência de operação externa do processador (60 ou 66 MHz, por exemplo) e a multiplicação de clock que ele deverá efetuar (2 x, 2,5x, etc).

Portanto, nada impede que você configure um processador Pentium-100 como se ele fosse um Pentium-133, por exemplo! Ele realmente irá funcionar como se fosse um Pentium-133.

Porém, se esse processo irá funcionar já são outros quinhentos. Muitas vezes o overclock não funciona. Erros de "congelamento" e "travamentos" além de "resets" aleatórios são muito comuns em micros com processador trabalhando em overclock. Pode ser, inclusive, que o micro nem ligue. Contudo, não há o que temer: basta desfazer o overclock para que tudo volte ao normal.

Em processadores mais recentes, o fabricante geralmente fixa internamente sua freqüência de operação máxima, a fim de tentar coibir a falsificação de processadores (por exemplo, um Pentium-133 sendo vendido como se fosse um Pentium-166, trabalhando em overclock). Por esse motivo, pode ser que você tente alterar os jumpers da multiplicação de clock em um processador novo mas a configuração não funcione. Nesse caso, entretanto, você continua possibilitado de fazer o overclock da freqüência de operação externa do processador.

Compartilhar



  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Comentários de usuários


Não há comentários para mostrar.



Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×