Ir ao conteúdo
Entre para seguir isso  

Por que ainda não testamos os últimos modelos de Pentium 4?

       
 28.307 Visualizações    Editoriais  
 1 comentário

Gabriel Torres fala sobre o porquê do Clube do Hardware não ter testado o Pentium 4.

Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

É incrível a quantidade de e-mails que recebemos todos os dias reclamando que ainda não testamos os últimos modelos de Pentium 4 (2,2 GHz para cima) e muitos reclamam que o nosso último teste de processadores, o embate entre o Pentium 4 e o Athlon XP, ambos de 1,5 GHz, estava totalmente defasado, isto é, que deveríamos comparar processadores mais novos do que esses. Muita gente sugere que nós tenhamos vários testes usando os processadores de última geração, a exemplo do que os sites sobre hardware do mundo inteiro fazem.

Acontece que muita gente não sabe, mas nós não temos nenhum apoio da Intel nem da AMD. Com isso, fica difícil testarmos os últimos modelos de processadores. Os sites estrangeiros recebem o apoio da filial local da Intel e da AMD, isto é, recebem de graça os últimos modelos dos processadores para serem testados - muitas vezes antes do lançamento oficial -, o que não acontece conosco. Com isso, temos de comprar os processadores que testamos do nosso próprio bolso. Mesmo que um site gringo sobre hardware não receba o apoio da filial da Intel ou da AMD, eles têm dinheiro para comprar o material, o que não ocorre conosco. O mercado de publicidade de qualquer outro país onde os outros sites estão localizados é muito mais forte que o brasileiro. Em bom português, nós não temos anunciantes suficiente para bancar a compra de processadores de última geração. Como comentamos em um outro editorial, toda a grana que recebemos mal dá para bancar nossos custos. Tudo bem que a partir de outubro conseguimos alguns anunciantes internacionais, como a VIA, a Gigabyte, a MSI, a Chaintech e a ECS, só para citarmos alguns. Mas a grana que recebemos desses anunciantes serviu para basicamente bancar a minha viagem à Taiwan, que foi para o benefício de todos os leitores.

O resultado em Taiwan foi muito satisfatório, como você pode ler nos 17 artigos que escrevemos sobre o que vimos por lá. Lá tivemos a oportunidade de conversarmos com os donos dos maiores sites sobre hardware do mundo e TODOS ELES recebem apoio da AMD e da Intel. Ou seja, o fato da Intel e da AMD não nos ceder material para testes é política exclusiva da filial brasileira.

No caso específico da Intel, eles ofereceram apoio no passado. Mas as condições eram as seguintes: eles cederiam um PC de um parceiro deles e eu teria de assinar um termo me comprometendo a (1) não abrir o PC; (2) só publicar testes de desempenho do PC e não do processador; (3) não poderia fazer testes comparativos de desempenho comparando o PC a PCs usando processadores concorrentes. É óbvio que não concordei.

Com essas condições, o que acontece? Basta abrir as maiores revistas nacionais de informática (não precisamos citar nomes) para vocês entenderem o porque os testes dessas revistas serem tão ruins e sempre compararem somente PCs fechados, e não peças individuais. Ou seja, a Intel só quer que a mídia fale dos processadores dela!

Do que a Intel tem tanto medo? De que ela nos dê material de graça e depois a gente diga que o produto é ruim? Quem não deve não teme, Intel! Aliás, não são vocês mesmos que dizem que o Pentium 4 é o melhor processador do mercado? E o melhor para navegar na Internet (embora qualquer um que entenda um pouco de informática saiba que isso é mentira, já que a velocidade de navegação da Internet não tem nada a ver com o processador da máquina e sim com a velocidade do modem)?

O sucesso do Clube do Hardware é originário de nossos anos de imparcialidade. Nós dizemos a verdade. Tanto que nossos grandes anunciantes sabem disso. Veja que nós temos anunciantes que em alguns testes os produtos deles se comportaram muito mal (como é o caso da ECS). Mas eles são gente grande e sabem que isso faz parte do jogo. Não é porque uma determinada marca é nosso anunciante que vamos só falar bem do produto deles. Se o produto é bom, se saiu bem em nossos testes, falamos bem. E nós só emitimos opinião de produtos após a realização de testes comparativos de desempenho em laboratório.

E mais: a Intel prefere apoiar mídia impressa, muito embora o Clube do Hardware seja maior que praticamente todas as revistas de informática do Brasil. Temos 700.000 visitantes por mês e só nosso boletim de notícias tem 100.000 assinantes (a maioria das revistas de informática no Brasil tem tiragem de 20.000 ou 40.000 exemplares por mês; as maiores têm 70.000, e a maior de todas, 200.000).

Conclusão: se você está chateado porque não testamos os últimos modelos de Pentium 4 nem o novo processador Celeron soquete 478, não reclame conosco. Reclame com a Intel Brasil.

Compartilhar



  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Comentários de usuários


Já reclamei no link fornecido no artigo

Vamos nos unir e encher a caixa postal deles demonstrando a nossa indignação

Parabéns ao Clube do Hardware pela transparência.

Cosme Silva

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário







Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×