Ir ao conteúdo
Entre para seguir isso  

Processadores Intel IA-64

       
 52.563 Visualizações    Artigos  
 0 comentários

Conheça aqui os processadores de 64 bits da Intel destinado a servidores de alto desempenho.

Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

O projeto de processadores de 64 bits da Intel já se arrasta por muitos anos. O primeiro processador lançado usando essa tecnologia foi o Itanium e recentemente a Intel lançou mais um processador IA-64, o Itanium 2.

Esses dois processadores possuem características de hardware bastante "pesadas". O Itanium tem os dois caches de memória (L1 e L2) dentro do próprio processador, como ocorre com os demais processadores atualmente, e ainda um cache extra (L3) dentro de seu cartucho, podendo esse circuito ter 2 MB ou 4 MB, dependendo da versão do processador. Ele consegue acessar até 16 EB (Exabytes, 1 EB = 2^60) de memória RAM e usa um barramento externo de 64 bits rodando a 266 MHz, atingindo uma taxa de transferência de 2,1 GB/s. Fisicamente, esse processador é bastante estranho, como podemos ver na foto. Ele é acondicionado dentro de um cartucho, como os processadores Pentium II e os primeiros Pentium III e Athlon, mas usa ao mesmo tempo um soquete, como os demais processadores atualmente usados no PC. Esse processador, portanto, usa uma mistura de soquete com cartucho.

Já o Itanium 2 tem uma memória cache L1 de 32 KB, uma memória cache L2 de 256 KB e uma memória cache L3 de 1,5 MB ou de 3 MB, dependendo do modelo. Seu barramento externo é de 128 bits, rodando a 400 MHz, atingindo uma taxa de transferência de 6,4 GB/s.

Esses dois processadores são voltados exclusivamente para o mercado de servidores de alto desempenho. Isso deixa a AMD em grande vantagem, já que haverá processadores de 64 bits da AMD voltados para usuários comuns (como o Clawhammer), como vimos na semana passada.

Outra vantagem da arquitetura de 64 bits da AMD sobre a arquitetura de 64 bits da Intel é que a arquitetura da Intel não roda nativamente código de 32 bits usado pelos programas atuais, ao contrário do que ocorre nos processadores da AMD, que rodam diretamente esse tipo de código. Isso significa que para rodar sistemas operacionais e aplicativos de 32 bits, os processadores IA-64 (Itanium, Itanium 2 e futuros processadores) precisam traduzir as instruções de 32 bits em instruções equivalentes de 64 bits. Isso faz com que haja uma demora na execução da instrução, pois há tempo perdido com essa conversão. O resultado disso é óbvio: em alguns casos pode ocorrer de sistemas operacionais e programas de 32 bits rodarem mais lentamente nos processadores IA-64 da Intel do que em processadores de 32 bits como o Pentium 4 e o Athlon XP.

Mas, como esses processadores da Intel foram destinados ao mercado de servidores, isso não tem muita importância, já que máquinas usando esses processadores com certeza rodarão programas e sistemas escritos diretamente com instruções de 64 bits. Mas como essa é uma nova tecnologia, não só é demorado reescrever programas antigos como escrever novos programas para essa nova plataforma. É claro que esse mesmo problema existe nos processadores da AMD, isto é, possivelmente demorará algum tempo até existirem sistemas operacionais e programas escritos usando código de 64 bits desses processadores. Mas, por outro lado, eles podem rodar diretamente código de 32 bits, facilitando a entrada desses processadores no mercado.

Processadores Intel IA-64
Figura 1: Processador Itanium.


Para saber mais:

Compartilhar



  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Comentários de usuários


Não há comentários para mostrar.



Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×