Ir ao conteúdo
Entre para seguir isso  

Criptografia

       
 211.804 Visualizações    Tutoriais  
 1 comentário

Saiba mais sobre o que é Criptografia e conheça seu funcionamento.

Criptografia
Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

Criptografia é o ato de codificar dados em informações aparentemente sem sentido, para que pessoas não consigam ter acesso às informações que foram cifradas. Há vários usos para a criptografia em nosso dia-a-dia: proteger documentos secretos, transmitir informações confidenciais pela Internet ou por uma rede local, etc.

O método de criptografia mais difundido utiliza a técnica de chave pública/chave privada. A criptografia é uma fórmula matemática, fórmula essa que gera duas chaves, uma pública e outra privada (ou secreta). A chave pública, que qualquer pessoa pode saber, é usada para criptografar os dados. Já a chave privada, que só o destinatário dos dados conhece, é usada para descriptografar os dados, ou seja, "abrir" os dados que ficaram aparentemente sem sentido. O interessante dessa jogada é que a partir da chave pública é impossível descriptografar os dados nem tampouco deduzir qual é a chave privada.

O sistema de criptografia usado atualmente é extremamente seguro. Especialistas estimam que para alguém conseguir quebrar uma criptografia usando chaves de 64 bits na base da tentativa-e-erro, levaria cerca de 100.000 anos usando um PC comum. Em setembro passado, um site chamado Distributed.net (http://www.distributed.net) conseguiu vencer um concurso promovido pela RSA Security (http://www.rsasecurity.com), que existe desde a data da fundação desta empresa, pagando US$ 10.000 para o primeiro que conseguisse quebrar sua criptografia de 64 bits. Só um detalhe: o Distributed.net só conseguiu quebrar essa senha porque ele pedia para as pessoas que quisessem colaborar com esse desafio rodassem em seu micro parte do processo de tentativa-e-erro, baixando um pequeno programa existente no site deles. No total, foram 300.000 pessoas colaborando com esse projeto ao longo de 5 anos. Levando-se em conta que a criptografia de 128 bits já é uma realidade e os especialistas estão cada vez mais empenhados em criar sistemas de criptografia ainda mais seguros, podemos afirmar com certeza que a criptografia usada no PC hoje é 100% segura (em outras palavras, mesmo que um hacker intercepte o número do seu cartão de crédito pela Internet em uma transação segura, ele estará criptografado e, a não ser que o hacker arrume 300.000 computadores e 5 anos da vida dele sobrando, ele não terá acesso).

Usar criptografia para mandar e-mails e proteger arquivos do nosso micro é um sistema, portanto, praticamente inviolável. Em relação aos e-mails, explicamos como funciona esse procedimento na coluna da semana passada. Em relação a arquivos, há vários programas no mercado que permite que você criptografe um arquivo, diretório ou mesmo um disco (disco rígido, CD, etc) por inteiro, como, por exemplo, o Juzt-Guard (http://www.juzt.com). Um excelente programa freeware que você pode usar para criptografar os seus arquivos chama-se Blowfish Advanced CS e pode ser baixado em http://web.bsn.ch/lasse/bfacs.htm.

A criptografia fica ainda mais forte se unirmos o hardware do PC como parte da criptografia. O smart card (ver tutorial de 04/12/2002) pode ser usado para armazenar o seu certificado digital, que contém a sua chave privada. O interessante do smart card é que não há como ler a chave privada armazenada nele. O chip do cartão é que faz o processo de descriptografar os dados, fazendo com que o sistema não tenha acesso à sua chave privada. Ou seja, se você usar um sistema de criptografia baseado no smart card, torna-se praticamente impossível você descriptografar os dados sem ter o cartão fisicamente inserido no dispositivo leitor conectado ao micro.

A Aladdin criou um sistema ainda mais interessante que o smart card, chamado eToken (veja em http://www.ealaddin.com/etoken/default.asp). Trata-se de uma chave que é ligada à porta USB do micro contendo o mesmo chip usado pelo smart card. Ou seja, é um smart card USB. A grande vantagem é que atualmente todos os micros têm porta USB, mas são raros os que têm dispositivo leitor de smart card.

Compartilhar



  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Artigos similares


Comentários de usuários




Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×