Ir ao conteúdo
Entre para seguir isso  

Formatos de Arquivos Gráficos

       
 142.891 Visualizações    Tutoriais  
 5 comentários

Aprenda as diferenças entre os padrões de imagens Bmp, Jpeg, Gif e Tif e quando se deve usar cada um deles.

Formatos de Arquivos Gráficos
Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

Todos usuários precisam vez por outra usar imagens em seus trabalhos. As imagens podem ser salvas em uma grande variedade de formatos, e o formato escolhido influencia diretamente na qualidade da imagem e no tamanho do seu arquivo. Explicaremos hoje as diferenças entre os quatro principais tipos de imagem (Bmp, Jpeg, Gif e Tif) e quando cada um desses tipos deve ser usado.

O formato Bmp (bitmap ou mapeamento de bits) é o formato de imagens mais "puro". Ele não usa nenhum tipo de compressão e, por isso, a qualidade de imagem é a melhor possível. Justamente por não usar nenhuma compressão, o tamanho do arquivo fica gigantesco. Para você ter uma idéia, uma imagem 1024x768 com 16 milhões de cores terá 2,25 MB. Se você precisar inserir uma imagem dessas em um documento do Word ou mesmo enviá-la por e-mail será super "pesado".

O tamanho que uma imagem Bmp terá pode ser calculado usando-se a seguinte fórmula: número de pontos horizontais x número de pontos verticais x bits de cor / 8. O resultado será dado em bytes. Para obtê-lo em KB divida o resultado por 1.024 e para obtê-lo em MB divida o resultado por 1.048.576. Em "bits de cor", use 24 para imagens com 16 milhões de cores simultâneas, 16 para imagens com 65.536 cores, 8 para imagens com 256 cores e 4 para imagens com 16 cores.

Se você precisar usar imagens com qualidade máxima (normalmente quem trabalha com imagens que serão impressas em trabalhos profissionais precisa disso), uma alternativa ao Bmp é o padrão Tif. Este padrão comprime a imagem mas sem perder qualidade, fazendo com que o tamanho do arquivo fique bem menor do que um arquivo Bmp. Fizemos alguns testes com imagens 1024x768 com 16 milhões de cores e o tamanho do arquivo ficou entre 600 KB e 800 KB. O tamanho final varia dependendo dos elementos presentes na imagem, como cores.

O tipo de arquivo de imagem mais popular hoje é o Jpeg (Jpg). Este padrão difere-se do Bmp e do Tif por usar compressão de dados com perda de qualidade. O Jpeg reduz o tamanho final da imagem removendo pontos da imagem original. Com isso, o Jpg possui qualidade inferior aos dos outros dois padrões apresentados, mas é útil em várias situações do dia-a-dia. Por exemplo, torna-se inviável colocar fotos com 800 KB cada em sites da Internet (demoraria uma eternidade para cada uma ser carregada), então o formato Jpeg é o preferido para fotos na web. Para enviar fotos por e-mail para os seus amigos esse também é o formato a ser usado.

Ao salvar um arquivo Jpeg, você pode escolher a taxa de compressão. Esta taxa varia de 0 a 12. Quanto maior o valor, menor é a taxa de compressão e, com isso, maior a qualidade (menor a perda de dados da imagem original) e maior o tamanho final do arquivo. Atualmente as câmeras digitais salvam as imagens neste formato, porém com uma taxa de compressão alta. Assim, ao editar fotos no seu aplicativo gráfico (Photoshop, por exemplo) você pode "brincar" com dois fatores para diminuir o tamanho da foto: o seu tamanho (Imagem, Tamanho da imagem, no Photoshop) e a sua compressão (que no Photoshop é perguntada quando você mandar salvar o arquivo como Jpeg usando a opção Salvar Como).

Você só terá problemas com o formato Jpeg em situações que exijam qualidade. Por exemplo, ao receber uma foto de um amigo por e-mail (que já foi editada para diminuir o seu tamanho), ao imprimi-la usando uma impressora de alta qualidade em papel fotográfico você possivelmente perceberá as falhas na imagem causadas pela compressão Jpeg.

É importante notar que neste caso não adianta converter a imagem para outro formato como Bmp ou Tif, pois a questão toda é que o arquivo que você possui está com baixa qualidade e salvá-lo em outro formato não corrigirá este problema.

Já o formato Gif também usa compressão de imagens, mas de uma forma diferente. Ele limita a quantidade de cores simultâneas possíveis. Assim, se você tem uma imagem com poucas cores – uma logomarca ou um ícone, por exemplo, este é o melhor formato. Com quanto menos cores o arquivo Gif for configurado, menor será o arquivo final. Importante notar que o formato Gif por padrão é configurado em 256 cores. Se sua logomarca só tem 3 cores, você pode diminuir a quantidade de cores do arquivo para que ele fique bem menor. No Photoshop você consegue diminuir o número de cores indo em Imagem, Modo, Cores indexadas. A qualidade final da imagem Gif depende, portanto, da quantidade de cores que a sua imagem original possui. Se ela tem até 256 cores, ela ficará perfeita no formato Gif: mesma qualidade do arquivo original porém com tamanho menor. Se ela tem mais cores, haverá perda de qualidade, pois você terá de diminuir a quantidade de cores primeiro. Por isso para fotos o formato Gif normalmente não é bom.

Compartilhar



  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Comentários de usuários


Postado Originalmente por Equipe Clube do Hardware@29 de abril de 2005, 14:19

Tópico para a discussão do seguinte artigo publicado no Clube do Hardware:

Formatos de Arquivos Gráficos

http://www.clubedohardware.com.br/artigos/952

Aqui está um pequeno trecho do artigo:

"Todos usuários precisam vez por outra usar imagens em seus trabalhos. As imagens podem ser salvas em uma grande variedade de formatos, e o formato escolhido influencia diretamente na qualidade da imagem e no tamanho do seu arquivo. Explicaremos hoje ..."

Comentários são bem-vindos.

Atenciosamente,

Equipe Clube do Hardware

http://www.clubedohardware.com.br

Olá, Gabriel!

O artigo é bom para o usuário leigo, mas padece Do mal da informática¨, muito comum hoje em dia. . .Tende a transformar ciência da informação em ¨Tecnologias Microsoft¨ No segundo parágrafo:

¨Se você precisar inserir uma imagem dessas em um documento do Word ou mesmo enviá-la por e-mail será super "pesado".¨

A forma do atalho continua sendo seguida, é muito comum, porém errada e massificada. Inserir imagens no Word elimina a possibilidade cientificamente correta de ¨inserir imegens no editor de textos¨...Existem muitos editores de texto: MS Office, Open Office, StarOffice, COrel Word Perfect, Abiword, Ted...Limitar a informática, que é uma ciência amparada em padrões, como o XML e o W3C, é cientificamente errado, e acaba com a diversidade...Pois o mundo dos programas não é feito apenas de tecnologias Microsoft.

O argumento de que seus produtos são usados por 90% dos usuários cai por terra, pois denota massificação, que não é inteligência nem qualidade, (Ex.: nos anos 70, 70% das pessoas fumavam...) e além do que significa o diagnóstico de um problema, sem lhe atribuir o juízo de valor. . .Mais é diferente de melhor!

É uma falha grave, muito comum em cursos de informárica, gera confinamento e induz o usuário a usar apenas um tipo de produto, quando há tantos, criando um monopólio. Não é de se esperar que uma pessoa culta e detentora de imensos conhecimentos, como o Gabriel Torres, não atente a para a diversidade da informática além do ¨Bill Gatês¨. . .Existem padrões, como o OASIS recentemente adotado por Massachussets nos EUA, que corrigem vicios da informática e permitem interoperabilidade entres produtos e plataformas.

Gabriel, você é um grande mestre, mas esses pequenos erros, intencionais ou não, fogem aos padrões acadêmicos. . .Priciplamente quando se fala em formatos, não se pode fugir a padronização.

Leitura Recomendada:

Ilegalidade em Editais de Concurso que cobrem Conhecimento em Software Específico e Proprietário

SITIO: http://www.vivaolinux.com.br/artigos/verAr...php?codigo=2697

Sem mágoas...

Bruno Maia

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Lí o interressante artigodo Gabriel, assim como o comentário do Bruno Maia, e como iniciante só tenho mesmo é que ler e aprender.

AGM-Hp

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×