Ir ao conteúdo
Entre para seguir isso  

Modems 56K V.92

       
 65.919 Visualizações    Artigos  
 2 comentários

Aprenda sobre o novo padrão V.92 de modems 56K.

Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

Recentemente foram lançados no mercado os novos modems 56 Kbps do padrão V.92. Esse novo padrão de modems trás basicamente três novidades em relação aos modems 56 Kbps tradicionais, que utilizam a padronização V.90.

A primeira novidade é uma maior velocidade de upload. Nos modems 56 Kbps V.90, a taxa de download (transferências no sentido provedor/usuário) máxima é de 56 Kbps, porém a velocidade máxima de upload (transferências no sentido usuário/provedor) é de 33.600 bps. Nos modems V.92, a taxa máxima de upload foi aumentada para 48.000 bps, agilizando o envio de e-mails, upload de arquivos e videoconferência. A taxa de download continua a mesma (56 Kbps). Para você aproveitar dessa maior velocidade, o seu provedor de acesso terá de possuir modems V.92, caso contrário a taxa máxima de upload continuará sendo de 33.600 bps.

A segunda novidade é o sistema chamado modem em espera (MOH, Modem On Hold). Através desse sistema, o computador avisa quando alguém está tentando ligar para você enquanto você estiver conectado na Internet, permitindo que você atenda a ligação. A conexão com o seu provedor de acesso não cai, ela permanece ativa, porém pausada. Assim que você terminar a sua conversa telefônica, você poderá continuar navegando normalmente. Para esse serviço funcionar, você precisará habilitar um serviço chamado chamada em espera junto à sua companhia telefônica.

Em vários outros lugares você verá escrito que essa tecnologia permite a você navegar e conversar ao telefone ao mesmo tempo. Isso não é verdade. Quando você atende a ligação telefônica, a sua conexão com a Internet é pausada. Você só poderá voltar a navegar quando você terminar a conversa telefônica. Somente linhas telefônicas como a ISDN (DVI) e a ADSL é que permitem que você converse e navegue ao mesmo tempo, por possuírem mais de um canal de comunicação. A linha telefônica convencional possui apenas um canal de comunicação, tornando impossível navegar e conversar ao mesmo tempo.

A princípio você também pode usar o circuito de identificação de chamadas do modem (Caller ID) para ver, na tela do computador, o número da pessoa que está ligando, para você decidir se atenderá a ligação ou continuará navegando na Internet. Acontece que esse sistema não funciona em todas as linhas telefônicas. O que ocorre é que o modem utiliza o sistema de identificação de chamadas usando o padrão norte-americano, chamado Caller ID. No Brasil, usamos um sistema de identificação de chamadas projetado nacionalmente, chamado BINA (B Identifica Número de A), que é incompatível com o sistema Caller ID norte-americano. Algumas centrais telefônicas permitem trabalhar no sistema norte-americano, porém não são todas. Portanto, para saber se a sua linha aceita ser programada para usar o sistema Caller ID norte-americano, você deve consultar a sua companhia telefônica.

O terceiro recurso disponível em modems V.92 chama-se conexão rápida (quick connect). O processo de hand-shaking - aqueles ruídos que escutamos sempre que conectamos o nosso micro à Internet - de modems V.90 demora cerca de 20 segundos. Em modems V.92, ele "aprende" as condições da linha telefônica onde ele está instalado na primeira vez que você se conecta ao provedor. Da 2ª vez em diante, ele não executará novamente suas rotinas de verificação da linha, pois ele já a "conhece". Assim, o tempo de hand-shaking cai pela metade, demorando apenas cerca de 10 segundos. Note que se você trocar o modem de linha, o primeiro hand-shaking voltará a demorar 20 segundos, já que ele terá de aprender sobre as condições dessa nova linha.

Alguns modems V.90 permitem ser atualizados para V.92 por software. Você deve consultar a página do fabricante do seu modem na Internet para saber se ele permite esse upgrade.

Compartilhar



  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Comentários de usuários


olha só tem um colega meu que tem uma maquina velha um pentium 233mhz mmx só que esses modens que saun v92 não estão dando compatibilidade com a maquina dele que roda o windows 98se ele se instala tudo certinho mas na hora de conectar a maquina trava ou da algum erro já instou o drive diverssas vezes inclusive já formatou a maquina e resintalo de novo mas mesmo assim não estava dando certo alguns tecnicos disseram que poderia ser problema da bio desatualizada da maquina ou o chip set desses novos modens v92 q estavam dando incompatibilidade com algumas maquinas antigas, fico nessas duvido pois os modens da intel v92 estão dando problema já os antigos v90 funcionan perfeitamente alguem poderia me esclarecer se realmete é problema de chip set antiga ou de bios q no meu ponto de vista saun os mesmo...

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Bom o que acontece é que essas novas placas do padrão PCI, usam a revisão PCI 2.1 e a maioria das placas mãe mais velhas não tem suporte ao 2.1, elas pararam no 2.0. Não necessariamente modens podem ser placas de vídeo, de som e outros.

Para arrumar isso é recomendável fazer um updrade na bios, mas vários fabricantes não estão afim de revisar esses firmwares de placas mais antigas e que julgam estar "obsoletas", mas que na verdade não estão mais lucro para eles. Vejam, por exemplo, o site da PCCHIPS, procurem lá alguma placa mãe de Pentium3, vocês não irão achar nem referência delas.

Sou contra esse tipo de raciocínio, mas também não sei compilar um firmware que tenha tais upgrades necessários hoje em dia, por conta própria.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×