Por que a internet no Brasil é tão cara?

       
 14.017 Visualizações    Editoriais  
 25 comentários

Editorial onde Gabriel Torres discute os motivos pelos quais o acesso à internet ser tão caro no Brasil.

Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

 

Compartilhar

14 pessoas curtiram isso



Comentários de usuários


Gabriel Torres meu amigo, te apresentando a  "melhor"  internet residencial banda larga do Brasil, um super plano de 2 megas por "180 reais", um plano que vale por muitos, OI Velox Paulo Afonso - BA. Nesse cidade o maior problema na justiça era por isso, esse seu vídeo foi basicamente a resposta do Juiz para o pessoal aq do Bairro onde meus pais moram. A resposta do advogado da OI foi essa "Não podemos fazer nada".

1 pessoa curtiu isso

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

esta tanto tempo sem o pt e o governo tem cada vez menos dinheiro para pagar os funcionários e aposentados 

1 pessoa curtiu isso

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Você esqueceu da anatel que barra o livre comercio de novas empresas criando um cartel de lixos

2 pessoas curtiram isso

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Muito bom o vídeo, GT. A verdade é que o Brasil é um país com muito estado e pouca liberdade, e tudo o que o PT quer é mais estado, com mais impostos. Lamentável!

1 pessoa curtiu isso

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Eu discordo totalmente do Gabriel, quando ele diz que o dinheiro vai para o governo e não vai para o bolso dos empresários. Governo é propriedade dos empresários, no brasil, a denominação correta é patrimonialismo¹. 

 

Os empresários recolhem impostos e esses, num primeiro momento, vão para o governo, mas depois retornam em benefícios e serviços para as empresas desses empresários. Aqui, se fala muito em investimentos por parte de empresas, mas a maior parte desses "investimentos" são pagos pelo governo, é raro os casos, quando as empresas metem no bolso próprio. Não é difícil para qualquer cidadão, é só olhar as manchetes... volta e meia aparecem mostrando operadoras como investidoras, mas quem paga a conta é sempre o governo. 

 

Por isso, pra diminuir imposto, as empresas têm meter a mão no próprio bolso... mas quebrar com o patrimonialismo é difícil no brasil, é algo que está arraigado culturalmente.  

 

¹Eu recomendo a todos que assistam aos vídeos da fecomerce (2015), alguns deles falam sobre patrimonialismo.

3 pessoas curtiram isso

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Concordo com a questão do imposto, mas no Brasil qual setor não possui tributação exagerada? Acredito que o principal fator é mesmo a falta de concorrência e o "cartel" promovido pelas operadoras. Se você vai pesquisar por um plano, quase todos apresentam valores muito próximos, com diferença de centavos entre eles. As que querem fazer diferente, como foi o caso da GVT, logo são engolidas por outra maior, como foi a compra da mesma GVT pela Vivo, matando os seus planos com valores diferenciados. No fim acaba tudo naquela mesma história: ou você aceita o valor injusto e o serviço não tanto satisfatório ou fica sem internet.

 

Como cereja do bolo tem ainda aquela história do perdão da dívida de mais de R$ 20 bi das teles pelo governo e a doação a elas de um patrimônio de mais de R$ 100 bi, contemplando cabeamento, antenas de transmissão e até prédios, patrimônio este que deveria ser devolvido à União com o final do prazo de concessão. Todo este processo, felizmente, está parado pois a presidente do STF pediu uma explicação para tal absurdo. E como protagonista desta tragicomédia está ninguém menos que Gilberto Kassab, aquele tão preocupado com as empresas e nem tanto com os consumidores...

4 pessoas curtiram isso

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
2 horas atrás, dirsors disse:

Muito bom o vídeo, GT. A verdade é que o Brasil é um país com muito estado e pouca liberdade, e tudo o que o PT quer é mais estado, com mais impostos. Lamentável!

Essa mentalidade é nociva e é uma das pequenas contribuições que fazem o Brasil ser tão ruim como é, pois é um desserviço!  A situação Brasil é complicada a muito tempo... Fizeram um impeachment repetindo a mesma ladainha culpando um partido e resolveu o que? Nada...

 

Pra começar, no dia que passou o pedido no congresso, o partido que tu culpa já não mandava nada... Se tivesse maioria dos votos lá não iria passar o pedido. Isso é, um ano antes da mulher cair... e o que o congresso fez? Nada... só show publicitário com discurso de impacto pra ganhar voto.

 

O problema do brasil não é um partido ou dois, é todo um sistema de engrenagens que envolve a corrupção institucionalizada e que impede a progressão e aplicação mais eficiente de recursos e conhecimento em todas as áreas. Então, se quer brigar por algo que vá brigar por reforma política, que essa sim iria deixar um LEGADO positivo!

 

4 pessoas curtiram isso

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
7 horas atrás, Euler Bel disse:

Você esqueceu da anatel que barra o livre comercio de novas empresas criando um cartel de lixos

 

Esta questão foi sim mencionada em detalhes no vídeo anterior desta série! @Paulo A Almeida você está correto, inclusive chamei inclusive de "capitalismo à la brasileira" no vídeo anterior. Assista: 

 

 

1 pessoa curtiu isso

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
9 horas atrás, piterfraga disse:

esta tanto tempo sem o pt e o governo tem cada vez menos dinheiro para pagar os funcionários e aposentados 

A resposta pra sua frase é essa: Tiraram o sujo, e entraram os mau lavados.

2 pessoas curtiram isso

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

A propósito, pessoal. Eu tenho alguns comentários pessoais que eu deixei de fora da versão final do vídeo por serem um pouco mais contundentes, mas dá o que pensar:

 

1. Brasileiro em geral tem a tendência de reclamar dos portugueses que eram "exploradores". Interessante que os portugueses cobravam 20% de imposto da colônia ("o quinto"). Hoje o governo brasileiro taxa 40% ou mais, e depois são os portugueses que eram "exploradores" e "burros".

 

2. Se você for um trabalhador assalariado acima de um determinado valor, o dinheiro usado para pagar suas contas já foi taxado de imposto de renda, INSS, etc. Aí o governo vem e taxa ainda mais sobre o consumo. Em uma conta muito simplória, supondo que a sua conta de telecomunicações é de R$ 200 e que você paga 27,5% de imposto de renda, significa que para ter esses R$ 200 você na verdade ganhou R$ 275,86. Supondo a carga tributária mais baixa que citei no vídeo (30%), significa que na realidade a conta era de R$ 140, mas você pagou R$ 275,86 por ela. Metade do que você ganha, neste caso, R$ 135,86 ou 49,25%, fica para o governo. A situação é pior em estados onde a carga tributária é maior. Como já mencionado em um dos comentários, em outros tipos de produtos e serviços, a carga tributária é ainda maior.

 

3. A questão toda, e isso eu deveria ter deixado claro no vídeo, é que eu não me importaria de pagar tanto imposto se o dinheiro estivesse sendo aplicado corretamente e o país fosse seguro, com escolas e hospitais de primeiro mundo, sem burocracia, etc. O problema é termos uma carga tributária sueca com serviços públicos de país subdesenvolvido. Ou se a qualidade dos serviços de telecomunicações (o objeto do vídeo) fosse melhor pelo fato de o governo estar investindo o dinheiro do imposto em melhor infraestrutura de telecomunicações. O que não é o caso.

 

4. Por fim, um comentário a respeito dos comentários de cunho político postados aqui. Tentem maneirar, pois o problema não é do partido A, B ou C. É um problema muito maior, pois os políticos brasileiros são muito despreparados no geral e geralmente não entendem de finanças. E nós é quem pagamos a conta...

 

Abraços,

Gabriel.

8 pessoas curtiram isso

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Sr. Gabriel, primeiro lugar quero lhe dar meus parabéns pelo site, é uma fonte rica de informação sobre informática no geral, uma das maiores referências no Brasil.
Segundo lugar, já faz tantos anos que não comento aqui que ainda não tive oportunidade de elogiar sua aparência, eu gosto dela. ;-)

Terceiro é sobre o assunto da matéria, agora sim:
Vejamos o seu ponto 3 é o que sempre venho falando há anos (eu tenho só 28), há muito tempo eu falo que os impostos são altíssimos sobre absolutamente tudo nesse país, mas a gente ainda consegue sobreviver, o que me dá a ideia de que se os serviços públicos e privados mesmo fossem melhores, estaríamos satisfeitos em pagá-los. Mas não são, não são porque quando a "lei do bem" estava em vigor, as empresas deveriam se ajeitar, mas o que acontece é que o governo mesmo deixa as empresas com as rédeas soltas e os órgãos protetores só trabalham do lado dos empresários (como Anatel, por exemplo). É uma canalhice sem tamanho.
Bom essa é um pedaço da minha opinião, para não encher muito aqui. Obrigado.

Editado por Gabriel Torres
Remoção de citação gigantesca para melhorar a leitura
2 pessoas curtiram isso

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

@Gabriel Torres, 9 min de vídeo é pouco para este assunto... talvez umas 9 hs...

O problema da tributação exagerada de absolutamente tudo no país é um problema bem antigo e eu não consigo enxergar uma luz no fim do túnel a este respeito. Todos que entram no poder falam sobre diminuir impostos e etc., mas na realidade isso não acontece.

 

O "protecionismo" com relação às importações, neste país, principalmente na área de tecnologia, é discutível ou talvez até hipócrita, pois praticamente não existem empresas nesta área para a tal "proteção'.

 

Aqui não se prega a estratégia arrojada para atrair capital estrangeiro na área de industrialização. Ao contrário disso, taxação de impostos absurdos e muitas vezes injustos.

 

A Coréia do Sul na década de 60 era um dos países mais pobres da região com desenvolvimento quase nulo e praticamente estagnada. Ao se unir aos "tigres asiáticos" a coisa mudou. Na verdade mudou para todos eles. E não é à toa que são chamados de tigres. Agressividade.

A população passou a ter um alto nível de alfabetização, baixo custo na instalação de empresas, isenção de impostos, etc., etc. Algo familiar nisso? nem pensar...

 

Já presenciamos inflações absurdas que quando íamos tomar um café pela manhã já na mesma tarde era outro preço...

Pode parar... Tudo que o Gabriel disse e todas as coisas arroladas nesse assunto só remetem a uma única direção: governo. E concordo que também não é o partido A, B ou C mesmo porque só mudam os nomes e a essência continua igual.

Quando saiu a lava-jato alguns diziam: Nossa !!! como eles estão roubando!!! eu pessoalmente sempre disse que a Petrobras estava sendo roubada desde a tarde de 3 de outubro de 1953 pois a parte da manhã ficou só para conhecer as salas...

 

 

 

4 pessoas curtiram isso

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Uma das opções seria acabar com a tributação por consumo e descontar direto na renda e implantar um sistema de progressão.

No caso do Brasil, independente da renda, todos pagam o mesmo tanto em imposto por consumo... até o andarilho que recebe esmola e compra no supermercado paga imposto pois o mesmo é embutido junto no valor do produto, e essa mecânica por sua vez quando colocada em proporção entre uma pessoa que ganha um salário mínimo e uma pessoa que ganha 20 salários faz quem ganha menos pague mais em % no total de sua renda.

Fora que, tem os descontos por salário... é igual após R$ 4.664,68, podendo ser esse valor ou 200 mil. Então, outro caso onde quanto mais se ganha, menos se paga. E no link abaixo é possível ver as tabelas.

http://www.calculador.com.br/tabela/trabalhista/tabelas-vigentes

 

Não seria uma solução para a carga tributária dependendo do valor que seria descontado, mas pode ser que seja... aí vai depender de como vão atribuir um valor coerente. E é nesse ponto que até boas idéias podem virar um problema nas terras tupiniquins... O congresso adora deturpar tudo e colocar em forma de lei...

 

Outro ponto... espero que a maioria conheça o projeto do MPF, 10 medidas contra a corrupção.

Claro que não é uma solução total, mas já abre espaço pra poder lutar melhor contra esse problema... e mesmo assim, o congresso ainda quer fazer mudanças nos textos pra amenizar o efeito.

http://www.dezmedidas.mpf.mp.br/

 

Pronto! Agora parei de falar política! Há! E não desanimem, pois marasmo com reclamação é algo que o brasileiro tem que se livrar! Hoje em dia até pra reclamar demanda precisão! :D

 

3 pessoas curtiram isso

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Já que todos estão enumerando deixa eu enumerar aqui:

 

0-CLT empresário coitado sofrendo no sol

1-Saude gratuita

2-Educacao gratuita

3-Obras sociais gratuitas

4-Moradia gratuita

6-Previdência (Poupança) gratuita

 

O brasileiro quer tudo isso e "grátis"? Então vamos refazer a lista da forma que as pessoas deveriam entender:

 

0-CLT = Direitos trabalhistas (direito de guerra e não se discute) empresário coitado sofrendo no sol

1-Saude paga pelo governo

2-Educacao paga pelo governo

3-Obras paga pelo governo

4-Moradia paga pelo governo

6-Previdência (aposentadoria/invalidez) paga pelo o governo

 

Temos o seguinte o brasil é uma república democrática, ou seja, em palavras menores regida pelo povo e "administrada" por governanteS eleitoS, ou em outras palavras o próprio povo.

 

Então temos que parar de culpar o governo e querer " mamar " (palavra tirada do nosso hino) e partir para o trabalhar, pois se não gostam dos governantes nem dos impostos é só não votar neles, isso é mais que simples.

 

O governo tem sim obrigação de administrar e aplicar o dinheiro e nós também temos a obrigação de explicar a eles onde queremos isso, se você é tão patriota me diz qual destas eleições facultativas você  participou seu pais para exigir cegamente seus direitos básicos:
 

1- COnselho tutelar

2-Votar/participar em uma sessão da camara  vereadores/deputados

3-Defesa civil

4-Brigada (cidades sem corpo/carro de bombeiros)

5-UPA

6-Eleições escolares

7- AA ou NA

8-Asilo idosos, mental, abandonados (seria assembléia em alguns lugares não eleição)

9-Ocupação/ Zoneamento urbano

 

 

Além é claro das eleições obrigatórias temos muitos outros votos a realizar como mencionado acima que são facultativas e definem a base dos problemas sociais como a reicidencia de crimes de menores no brasil.

 

Mesmo tendo estes votos facultativos esses são sim o verdadeiro fruto do caju (já que o mesmo não o é) onde irá em repecurtir entre dar "kit barraco" para os desabrigados ou "aluguel popular" ou realmente uma reabilitação social fornecendo treinamento e moradia aos necessitados não voltarem mais as ruas ou largarem as drogas.

 

ENtão antes de reclamar dos impostos se assegure que eles estejam sendo bem empregados, pois afinal o Brasil ainda tente ser um pais neo-capitalista com reformas do socialismo é um tanto complexo esse caso de bipolaridade., infelizmente no capitalismo quem faz caridade morre de fome.

 

O que posso dizer queridos é parar de olhar o caju e chamá-lo de fruto e passar a plantar a árvore certa, pois afinal se não adubar as raizes não colherá castanha alguma.

Abrir mão dos direitos pagos para fechar uma ferida não vai ser fácil, porém o facão de cana já cortou a perna agora precisamos estancar o sangramento, mas se vamos perder a perna é questão de tempo entre custurar e chorar.

adicionado 5 minutos depois

EDIT

Colocando um adendo as uestões dos impostos da importação é a falta de investimento de industria de base no setor destinado por exemplo.

No caso dos eletronicos, a fábrica de semicondutoes que nunca saiu do papel reduziria o problema dos custos da industria no brasil aumentando sua competitividade.

brasil-tera-nova-fabrica-de-semicondutores

 

 

 

2 pessoas curtiram isso

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Em 1/27/2017 às 03:11, Triumvirat disse:

O "protecionismo" com relação às importações, neste país, principalmente na área de tecnologia, é discutível ou talvez até hipócrita, pois praticamente não existem empresas nesta área para a tal "proteção'.

 

Obrigado por seus comentários. Estou preparando um editorial expondo em mais detalhes este ponto, com o título "Por que eletrônicos são caros no Brasil?" Inclusive contratei uma consultora aduaneira para me ajudar a detalhar o absurdo que é.

 

Em 1/27/2017 às 04:08, Anderson K disse:

Uma das opções seria acabar com a tributação por consumo e descontar direto na renda e implantar um sistema de progressão.

 

É assim na Austrália e nos EUA. Como disse no vídeo, o imposto sobre consumo é de apenas 10%. Nos EUA nem isso, lá varia de estado para estado, mas na média fica em 8%. Muito melhor: os produtos são muito mais baratos. Basta comparar o preço de um carro nos EUA e o preço do mesmo carro no Brasil.

 

Em 1/27/2017 às 08:56, Zufil disse:

O brasileiro quer tudo isso e "grátis"?

 

Este, em minha opinião, é um dos pontos enraizados na cultura brasileira: o mito do almoço grátis. Em países desenvolvidos, fala-se o tempo todo em "dinheiro dos pagadores de impostos". No Brasil, "pagador de imposto" virou "contribuinte", e vejo muitos mudando a nomenclatura do ano passado para cá para deixar bem claro que somos todos nós quem pagamos a conta. Eu resumo da seguinte forma. Enquanto que no exterior quando falam "x é público", todos pensam "x é de todos nós e nós pagamos". No Brasil, "x é público" vira "x é de ninguém" ou "x é do governo". Como se não fossemos nós que pagamos a conta. Mas como a maior taxação do Brasil é através do consumo, como bem explicou o @Anderson K, o cidadão médio não se dá conta que ele paga imposto em tudo que compra. Pensa em imposto apenas como "imposto de renda".

 

Abraços e obrigado pela participação de altíssimo nível.

 

Abraços!

adicionado 22 minutos depois

PS: acabei de ler esta matéria.

 

http://g1.globo.com/economia/seu-dinheiro/noticia/brasileiros-ja-pagaram-r-200-bilhoes-em-impostos-em-2017-diz-associacao.ghtml

3 pessoas curtiram isso

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Muito bom este Editorial.

Quero Agradecer o portal Clube do Hardware que eu acompanha a mais de 15 Anos.

Grabriel Torres é um excelente jornalista e tem minha adimiração por expor tantos problemas na área de tecnologia que poucos conseguem enxergar, até porque essa é a intenção dos nossos Governantes, criar uma população inerte e cega.

3 pessoas curtiram isso

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Nossa cara, fiquei com sangue nos olhos quando o Gabriel Torres falou que o governo lucra mais com a empresa do que o próprio dono, patético isso. No dia que puder cair fora desse hospício não vou pensar duas vezes.

2 pessoas curtiram isso

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

@richardfb obrigado por seus comentários nos dois editoriais recentes, e digo que continuarei publicando editoriais nesta linha pois o pessoal gostou do meu estilo "sem papas na língua".

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

ótimo vídeo, da pra notar até o tom  de revolta na voz quando fala sobre a tributação exagerada haha, e não e pra menos.

1 pessoa curtiu isso

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Em 27/01/2017 às 21:50, Gabriel Torres disse:
 Eu resumo da seguinte forma. Enquanto que no exterior quando falam "x é público", todos pensam "x é de todos nós e nós pagamos". No Brasil, "x é público" vira "x é de ninguém" ou "x é do governo". Como se não fossemos nós que pagamos a conta.

 

 

Olá, @Gabriel Torres!

Concordo com você. No Brasil o que é "público" não é de ninguém. A calçada, a praça a rua, são todas públicas e ninguém cuida ou mantém elas limpas. Afinal, é "público". E pensamos que "o que é público é de responsabilidade do governo". É aí que começa todo o problema.

Consequentemente, o dinheiro "público" também é de responsabilidade do governo.Por fim ninguém se "preocupa" muito ele...

Pois bem, se todos cuidássemos da calçada, da praça, da rua e assim por diante, o governo não precisaria gastar tanto dinheiro "público" com elas. Só que nós não cuidamos delas, não advertimos as pessoas que não cuidam e não temos moral para cobrar do governo que ele "cuide", pois nós também não cuidamos. Aí, o que era "público" e de todos, passa a ser de ninguém.

Só que os governos, em todas esferas, continuam aumentando os tributos porque de fato precisam. Precisam pois são, de forma geral, ineficientes, irresponsáveis e enraizados na corrupção.

Enfim, parabéns pelo vídeo! O assunto é amplo e abre espaço para muitas reflexões e discussões.

1 pessoa curtiu isso

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

@Darkmana perfeito. Quando morava nos EUA eu ficava "p" porque os vizinhos mandavam cartinha quando a minha grama estava amarelada e estava baixando o valor da comunidade. Mas eles estão certos. O exercício da cidadania e a preservação do bem comum começa em casa. Farei mais vídeos na mesma linha em breve, o pessoal está gostando e ajuda ao pessoal a começar a pensar nesse tipo de coisa que você menciona, e estamos em um excelente momento no Brasil para essa discussão.

1 pessoa curtiu isso

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Concordo plenamente contigo Gabriel, :thumbsup:

Editado por Evandro
removendo itálico
1 pessoa curtiu isso

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Em 25/01/2017 às 13:34, Paulo A Almeida disse:

Eu discordo totalmente do Gabriel, quando ele diz que o dinheiro vai para o governo e não vai para o bolso dos empresários. Governo é propriedade dos empresários, no brasil, a denominação correta é patrimonialismo¹. 

 

Os empresários recolhem impostos e esses, num primeiro momento, vão para o governo, mas depois retornam em benefícios e serviços para as empresas desses empresários. Aqui, se fala muito em investimentos por parte de empresas, mas a maior parte desses "investimentos" são pagos pelo governo, é raro os casos, quando as empresas metem no bolso próprio. Não é difícil para qualquer cidadão, é só olhar as manchetes... volta e meia aparecem mostrando operadoras como investidoras, mas quem paga a conta é sempre o governo. 

 

Por isso, pra diminuir imposto, as empresas têm meter a mão no próprio bolso... mas quebrar com o patrimonialismo é difícil no brasil, é algo que está arraigado culturalmente.  

 

¹Eu recomendo a todos que assistam aos vídeos da fecomerce (2015), alguns deles falam sobre patrimonialismo.

Não há Cabral sem Eike Batista: o conluio entre setores público e privado

 http://www.poder360.com.br/opiniao/opiniao/nao-ha-cabral-sem-eike-batista-o-conluio-entre-setores-publico-e-privado/

1 pessoa curtiu isso

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!


Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.


Entrar agora