Ir ao conteúdo

Por que os provedores de internet querem limitar o tráfego dos usuários?

       
 17.289 Visualizações    Editoriais  
 55 comentários

Editorial onde Gabriel Torres discute o real motivo dos provedores de internet quererem limitar o tráfego dos usuários.

Por que os provedores de internet querem limitar o tráfego dos usuários?
Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware


Comentários de usuários




creio que um dos motivos da cobrança por cota de dados seria não garantir a velocidade de conexão

eles irão vender pacotes de dados sem mencionar a velocidade e cobrar valores absurdos por pacotes que vão durar poucos dias :mad:

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Outro problema no Brasil é que os provedores de Internet também são, na maioria, empresas de TV a cabo ou por satélite. Estas empresas estão perdendo clientes por causa do "efeito Netflix": eu mesmo conheço várias pessoas que reduziram ou cancelaram sua TV a cabo depois que passaram a usar Netflix com frequência. Para garantir seu negócio vendendo TV a cabo, estas empresas estão querendo a limitação de dados para reduzir a concorrência dos serviços de streaming.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Concordo o brasil quer limitar a banda larga ,pois seria a favor se funcionasse porque querem se igualar a países de 1º mundo mas não há uma infraestrutura adequada para a alta demanda de usuários, pois a grande maioria de usuários de internet no brasil são os de baixa velocidade ou seja de 5 megas para baixo, eu por exemplo sou refém de uma velocidade de 2 mega mais de 10 anos e sem contar que ainda não é 100% funcional então gostaria de saber quais os planos para essa maioria? Olhe esse imagem isso foi de quando foi anunciado a primeira vez.

comparativo.png

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Quem poderá nos defender?!?!

Aqui vai passar de R$150 por apenas 15mbs...

 

Tenho as opções de voltar para época das cavernas ou dar no pé desse país de m****.

 

Alguém enviou esse vídeo para o Kassab?

Pelo menos ele vai entender a ***** que iria concordar, ou quando "molharem a mão" do cara que seja com um pouco mais de peso na consciência.

 

Alguma sugestão do Gabriel sobre o que fazer?

Por enquanto vou continuar pagando mais caro no plano que eu já tinha onde não existia nada sobre limitação.

 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

A solução pra isso é abraçar a causa libertária. Exigir o fim da Anatel e suas concessões. Proibir de vez o financiamento de campanha e impor limites rígidos em pessoas fisicas que o forem fazer.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
3 horas atrás, fenixcload disse:

creio que um dos motivos da cobrança por cota de dados seria não garantir a velocidade de conexão

eles irão vender pacotes de dados sem mencionar a velocidade e cobrar valores absurdos por pacotes que vão durar poucos dias :mad:

Olha, eu sou contra e a favor. Aqui em casa somos clientes NET, ela já delimita há muitos anos, antes mesmo de surgir essa ideia de limitação. Contudo a grande realidade na maioria das vezes é essas limitações nem afetam a esmagadora maioria das pessoas, aqui em casa são 90 Gb por mês, mais ou menos 3 Gb por dia, há anos, desde a contratação do serviço, mesmo sendo 5 pessoas usando todos os dias o dia inteiro e assistindo streeam, nunca nossa velocidade foi reduzida. A esmagadora maioria fica no facebook e no WhatsApp, mesmo que 20% assista Netflix.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Comentei quando surgiu as primeiras notícias da limitação e concordo que o problema é a infraestrutura que não oferece capacidade para a demanda crescente, hoje qualquer celular é smartphone, logo usa conteúdo multimídia que era incomum a alguns anos.

 

Aqui os PTT ajudaram muito ao meu ver a aumentar a oferta acessos mais rápidos, como grande parte do conteúdo é utilizado é local os acessos mais rápidos funcionam bem. O problema ao meu ver é com a globalização pouco importa onde está armazenado os dados, você quer acessá-los usando os parâmetros da conexão local. Um exemplo disto é você fazer testes usando o speedtest em servidores locais e depois em servidores internacionais, verifica-se que mesmo tendo acesso de dezenas de Mbits você consegue apenas 10% porque a comunicação externa é muito limitada.

 

Então parabéns @Gabriel Torres que colocou um vídeo para explicar o que ocorre. Realmente as operadoras precisam investir mais em infraestrutura, agora parte da morosidade para melhorar a infraestrutura é do governo, porque para se adquirir equipamentos que obviamente são importados os impostos tornam os investimentos em cifras muito maiores.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

em 15 dias de ferias com 2 pessoas de visita o fluxo aqui foi de 1500gb apenas no netflix, não estou contabilizando masseffect2 que precisei baixar duas vezes e que estava free e nem metade dos games da steam free.

Se eu baixar todos os meus games e apps da steam passa fácil de 2tb, isso usando conexão de 50mb.

 

Agora imagino os clientes que visito com link de 200mb dropbox pro netflix 6 computadores 4 tvs no netflix, deve passar fácil dos 20gb mensais.

 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

@Zufil tenho uma média de 250GB mensais, mas hoje uso muito streamming porque não uso mais TV Paga apenas Netflix, Globosat, etc. Mas já usei algo perto de 1TB quando fiz download de vídeos para levar para férias. E conto uns 10 pontos de uso de internet (considerando PCs, SmartTV, Celular, Tablet, etc)

 

Então depende do uso mesmo, por exemplo tive alguns meses que meu upload ficou igual ao download, porque usei serviço de backup em nuvem.

 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
1 minuto atrás, dwatashi disse:

@Zufil tenho uma média de 250GB mensais, mas hoje uso muito streamming porque não uso mais TV Paga apenas Netflix, Globosat, etc. Mas já usei algo perto de 1TB quando fiz download de vídeos para levar para férias. E conto uns 10 pontos de uso de internet (considerando PCs, SmartTV, Celular, Tablet, etc)

 

Então depende do uso mesmo, por exemplo tive alguns meses que meu upload ficou igual ao download, porque usei serviço de backup em nuvem.

 

nem me diga backup em nuvem, quando estou na faculdade nos usamos os servicos do business do onedrive loucamente, isso foi nas ferias qeu eu usei imagina em aula enviando banco de dados e codigos, fotos trabalhos loucura ainda mais meu curso ser a distancia e faço 4 cursos assim aqui.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

@Adilsonex @dwatashi Vocês tocaram em um ponto que eu não havia pensado em incluir no vídeo. O custo no Brasil é mais alto do que nos países de primeiro mundo justamente porque os equipamentos são importados e, logo, o custo da infraestrutura é pelo menos 2x maior do que em países desenvolvidos (fora que lá fora a taxa de juros para financiar as empresas a comprarem esses equipamentos é muito inferior) e os impostos pornográficos brasileiros. Serviços de telecomunicações têm um ICMS de 25% a 37%, dependendo do estado, o que é um absurdo. Com isso, de acordo com a consultoria Teleco, entre 30% e 42% da sua conta de telecomunicações vai para o governo: http://www.teleco.com.br/tributos.asp

 

E o que o governo faz com esse dinheiro? Teoricamente seria para investir em infraestrutura, né?

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

@Gabriel Torres "deveria", mas com em tempos de Lava Jato, fica claro que existe muita farra feita com estes impostos... Infelizmente no BR temos que pagar 3,4,5x para ter mesmo serviço que em outros lugares do mundo.

 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

@dwatashi Exatamente. Veja o caso da Telemar, atual Oi, com dividas de bilhões e pedindo socorro ao governo. Fora a história mal contada de ela ter investido milhões em uma empresa de games (que, até onde eu saiba, não produziu nada) do filho do ex-presidente. É impressionante como no Brasil um cara compra um monopólio, recebe ajuda do governo e ainda assim consegue quebrar a empresa.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
12 horas atrás, Rafael Coelho disse:

Estas empresas estão perdendo clientes por causa do "efeito Netflix": eu mesmo conheço várias pessoas que reduziram ou cancelaram sua TV a cabo depois que passaram a usar Netflix com frequência. 

 

Eu!
Só Netflix e Youtube, nem TV aberta assisto mais, e como isso é bom.

 

@Gabriel Torres, muito bom o editorial!
Felizmente a proposta está suspensa por hora, no carnaval eles soltam isso na nossa cara e não teremos como reagir. :(

Ainda sobre isso, em outras ocasiões apareceram juízes com bom senso (ou muita gana midiática) para barrar operações do tipo, não estamos de todo perdidos.

adicionado 0 minutos depois
13 minutos atrás, Gabriel Torres disse:

@dwatashi Exatamente. Veja o caso da Telemar, atual Oi, com dividas de bilhões e pedindo socorro ao governo. Fora a história mal contada de ela ter investido milhões em uma empresa de games (que, até onde eu saiba, não produziu nada) do filho do ex-presidente. É impressionante como no Brasil um cara compra um monopólio, recebe ajuda do governo e ainda assim consegue quebrar a empresa.


E depois ainda falam de meritocracia, de boca cheia..

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Essa discussão é complexa, mas tem um ponto que o Gabriel tocou mas não se aprofundou muito, a questão do trabalho em paralelo entre público e privado. Provavelmente é o ponto mais importante pois o mesmo principio se aplica a todos os setores... Basicamente a prática comum no Brasil é: x, y ou z empresas investem em uma gama de partidos e consequentemente candidatos pra manterem a sua própria agenda de interesses, o que cria um ciclo vicioso pois o marketing é o que mais pesa nas nossas eleições... Só entrar no site do TRE e ver lá que quem mais investe em campanha, é quem mais ganha eleição e os doadores são os mesmos grupos! Então, por aí já dá pra saber que brasileiro não vota por projetos e propostas de governo e sim por propaganda... E o mais triste é que essas mesmas empresas investem nos partidos que tem maior visibilidade... No caso da lava jato por exemplo, as mesmas empreiteiras, os mesmos bancos, a mesma turma investe pesado nos mesmos partidos o que por sua vez só muda a forma que é feita a propaganda, pois cada partido tem a sua... Mas o plano de governo é o mesmo!!!! Justamente por conta disso que toda vez que vejo comentários do tipo "OOHHHH MEL DELS, OS COMUNISTAS VÃO TOMAR CONTA DO BRASIL, ESTÃO FAZENDO LAVAGEM CEREBRAL NAS NOSSAS CRIANCINHAS! HEIL TIO SAN!" Sinto vontade de sair correndo e fico triste por saber que essa mesma pessoa vota e o seu voto tem peso...

 

O que quero dizer é que... a culpa de certa forma é dos próprios brasileiros. Concordo que falta concorrência mas deixando tudo na mão de empresas o resultado não é bom para a sociedade de maneira geral, da mesma forma que deixar tudo apenas na mão do estado também não é interessante...  Principalmente se for considerar que vivemos em um mundo capitalista pós globalizado onde desde meados dos anos 90, grandes fusões começaram a serem feitas e hoje em dia tu encontra meia dúzia de grupos que controlam praticamente tudo. E isso é válido para todas as indústrias... alimentícia, farmacêutica, bélica, tecnológica...  Então o estado existindo em função da nação e como agente regulador não pode ser descartado, o  que por sua vez é complicado quando se lida com um estado tão corrupto e burocrático como o nosso. 

 

E o brasileiro ainda é muito perdido nisso... vive como se o mundo ainda estivesse no período da guerra fria...

 

O que falta é uma separação entre público e privado e pra isso acontecer, só na hora que alterar o sistema eleitoral e impedir a ligação entre política e setor privado da forma existente.

 

Uma coisa é ter planos de criar estrutura física para comunicações, como no caso da Oi com imensas regalias e apoio estatal pra implantar estrutura e que no final das contas deixou uma dívida de 50 e poucos bilhões... Outra é colocar isso em prática de maneira transparente onde as partes não possam  lucrar diretamente. Só a transparência e simplificação é que podem combater essas práticas e melhorar a nossa situação como brasileiros e como consumidores.

 

Ahhh, e desculpem se parece apenas divagações... mas são alguns pontos que vejo diariamente pessoas tomando lado sem ao menos tentar ver o problema de maneira neutra. :thumbsup:

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

O negocio é simples : o pais não tem infraestrutura fisica pra aguentar o aumento de demanda , as empresas que gerenciam a situação estão mais quebradas que arroz de terceira e todo o dinheiro extra que vem dos impostos vão parar nos bolsos dos "espertos".

 

Vejam só o que anda acontecendo no Rio de Janeiro quebrado e a recente crise no sistema prisional , é so uma questão de tempo ate que esse caos todo va avançando sobre outras camadas como, saude , transporte , educação e obviamente telecomunicações em geral .

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

A questão da infraestrutura para atender a crescente demanda de trafego é apenas um viés de uma discussão que vai além. As operadoras usaram argumentos semelhantes quando empenharam esforços para barrar a conexão dos usuários da telefonia móvel após o término de suas franquias, o pretexto foi o de melhorar o serviço mas o objetivo intrínseco era o de aumentar as receitas, os usuários adquiriam planos pré-pagos e permaneciam conectados com velocidades reduzidas, isso logicamente reduzia a perspectiva de venda de pacotes adicionais de dados já que navegar em uma velocidade menor era um fator aceito por boa parte dos utilizadores do serviço, nesse caso existia também o congestionamento de algumas redes, no Brasil existe uma dificuldade enorme em se instalar novas antenas para melhorar e ampliar a cobertura do sinal por duas razões, temos um conjunto de leis ambientais que dificulta a melhora do serviço da maneira como precisamos e o investimento das teles tem sido insuficiente.

 

O tempo passou e a implementação de franquias foi estudada como a galinha dos ovos de ouro, o exemplo que as operadoras tiveram com o modelo implantado no setor mobile serviu de impulso para pressionar o governo alegando saturação da infraestrutura com a demanda de tráfego oriunda de serviços de streaming e outros, conseguiram aumentar suas receitas vertiginosamente com os usuários adquirindo pacotes de dados extra para a telefonia móvel e agora é a vez das redes de internet e telefonia fixa. O Brasil não teve a melhora no serviços de 3G e 4G como foi propagandeado pelas teles com a nova modalidade de corte de conexão após o final das franquias, isso foi apenas um embuste no melhor estilo engana trouxa. As operadores exercem um lobby muito forte no ministério das comunicações, na Anatel e em outros organizações  governamentais, não há autoridade que não baixe as calças de imediato para as prestadoras de serviço assim que assume um cargo público.      

 

O modelo de franquia adotado por alguns países que seguiram esse conceito prevê uma quantidade generosa de dados, algo completamente destoante do que foi proposto pelas teles "brasileiras", uma armadilha pensada propositadamente para tomar mais dinheiro dos clientes que tem planos contratados.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Parabéns pelo vídeo, é muito interessante e importante saber várias opiniões de pessoas diferentes. Concordo com a maioria dos pontos de vista aqui citados, as empresas de telefonia, estão jogando o preço da internet nas alturas, e "barateando" a internet, caso você adquira um combo Internet, telefone, e TV por assinatura, pois o serviço de streaming tomou conta do mercado. Eu por exemplo, não assisto TV aberta, vivo de streaming, Netflix, Youtube, etc. E tudo que fico sabendo (Noticias), são pela internet.

Querem nos fazer engolir calados, uma internet cara, que não entrega tudo que promete. E que além de tudo está monopolizada. 

Onde resido (Guarulhos-SP), a aproximadamente 12 anos, no meu bairro, só tinha a VIVO operando, consequentemente, o valor era alto, e a internet vivia com problemas, o suporte era demorado, etc... 

Tudo bem que não era tão acessível como é hoje, porém, tudo isso só melhorou com a chegada da GVT como concorrente, a GVT "roubou" praticamente todos os clientes da VIVO, e os obrigou a se renovarem, e começarem a investir em infraestrutura, e planos mais acessíveis, logo depois a NET também chegou no bairro, e a disputa ficou mais sadia. Porém, com a aquisição da GVT para a VIVO, a disputa já voltou a meados de 2005, onde o preço era alto e o suporte não era tão satisfatório. Mas o problema, realmente é o preço, pois o monopólio, não te da opções, ou você engole o preço alto, para ter o produto, ou paga equivalente o mesmo, para o único "concorrente". 

Faço T.I como acredito que uma grande parte dos usuários do fórum, e nós sabemos o quanto é grande a regressão, se pensar em limitar internet, com desculpa de "infraestrutura" não suporta. É simples jogar pra cima dos usuários a consequência de empresas que só visam o lucro, e não o bom serviço. Pra quem não concorda, vai no "RECLAME AQUI" das empresas de telefonia... HAHAHA

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Eu acho que o problema está muito fácil de resolver, o próprio Gabriel comentou no vídeo, o governo tem que pegar as principais empresas do pais e dizer " o problema é de vocês se não resolverem a concessão será caçada, quero uma internet de qualidade ". Me desculpem mas acho que ficar discutindo é uma grande perda de tempo é só o governo fazer sua parte e tudo vai se resolver, se tivermos que pressionar alguém, esse alguém é o governo...

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Pra mim, o erro está em relacionar o Brasil com os países civlizados. Simplesmente não dá pra comparar maçãs com bananas. Preços abusivos, serviço de má qualidade... e povo inerte. São situações que não se veem em países europeus desenvolvidos, por exemplo. Ou, se acontecem, são em menor proporção. E a internet é apenas um entre diversos serviços brasileiros precários como saúde, educação, etc.  Não seria esta uma causa mais nobre para uma marcha do que a legalização da maconha?

 

Apesar de achar um serviço fantástico, eu nunca aderi ao Netflix. De alguma forma eu sempre senti que isso ia virar uma farra que iria incomodar as empresas e, consequentemente, o governo refém delas. Mesmo caso do Whatsapp com as operadoras de telefonia. A questão é que quando toda sua vida (entretenimento, documentos, vídeos, fotos, livros, recordações, etc) passa para a nuvem, automaticamente você vira refém de empresas que podem decidir sobre sua vida como bem entenderem.

 

Imagino como os netflixmaníacos devem estar tensos, neste momento.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Pessoal,

 

Gostaria de agradecer a todos os comentários, que estão sendo de alto nível e enriquecendo muito o debate. Vi que vocês gostaram da ideia do "video editorial" e devo gravar então mais vídeos deste tipo.

 

Como disse um pouco mais acima, os comentários de vocês me fizeram pensar em alguns pontos que eu deixei de fora no vídeo e com isso, penso em fazer uma "continuação" para debatê-los. Estou apenas agora coletando dados para confirmar minha opinião e não falar besteira... ;) Então aguardem que possivelmente semana que vem tem mais! :)

 

Abraços,

Gabriel.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Parabéns @Gabriel Torres pela iniciativa.

 

Sobre a questão da agência reguladora preferir apoiar as empresas, em abril de 16, a jovenpan postou um vídeo que elucida bem esse fato. O vídeo chega a ser engraçado por conta do besteirol dito. É ele quem comanda a agência...

E fica a pergunta: quem coloca o presidente da agência lá?

 

 

 

12991459_1711342232477508_1298744844_n.mp4

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Em 18.1.2017 às 20:01, persona disse:

São situações que não se veem em países europeus desenvolvidos

@personaQuem disse que não? Hahaha, claro que é algo que não acontece em toda residência pela Europa, mas existem os casos à parte. Eu moro na Alemanha. Você acha que pode fazer download de tudo que tem pela internet? A resposta é sim e não. Infelizmente trata-se de sorte. Quem pensar que o sistema europeu é perfeito se engana. Nesses quase 10 anos vivendo por aqui eu vejo a quantidade de falhas, corrupção e muitos outros problemas que fazem esse sistema não perfeito. Claro que comparado ao Brasil os aspectos são bem em outro nível. Tenho amigos que baixam em média de 450gb mensais. Tem deles que já receberam carta da agência de internet acusando de violação de direitos autorais. Vem uma 'cartinha' que dependendo do dano avaliado você tem de pagar até determinada data um valor exorbitante. Até o momento ouvi falar entre 950 e 3500 euros (mas tem casos que chegam a 10.000 euros). Nisso vem o custo com advogado, pois toda besteira que os humanos aqui se vêem encarcerados procuram ganhar o caso na justiça. O que se ganha aqui realmente é um saldo negativo na conta. Eu tenho uma conexão de 10mb. Valor = 20 euros. Upload 1mb. Se eu quisesse mudar para 250mb isso custa um pouco mais de 35 euros. Mas vale a pena? Com certeza não. Eu entendo que no Brasil a problemática é amplamente política, mas eu realmente iria preferir usar os 5mb do Brasil que aqui. Quando preciso baixar qualquer coisa vou para um cyber café. Isso é um roubo de liberdade para mim. Então essa coisa de endeusar Europa haha é um caminho sem volta. Se vai ter jeito no Brasil eu não sei, mas espero que sim, não ficarei a vida toda aqui.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites



Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×