Imprimir artigo
Teste do Mouse Xenon da Ozone
por em Testes
Última atualização:
15.966 visualizações
Página 6 de 6

Conclusões

Honestamente, ficamos chocados com as limitações do Xenon. O preço no mercado americano é relativamente baixo, mas há rivais na mesma faixa que incluem botões laterais. Até um simples mouse para escritório oferece isso, o que torna fácil acionar comandos básicos como copiar e colar com o polegar. O que intriga é que, fisicamente, o Xenon é um bom mouse: preciso, boa pegada tradicional, ambidestro, e ainda oferece dois revestimentos diferentes, de plástico ou borracha. Outro mistério é o software que anuncia como “controles avançados” o que qualquer sistema operacional consegue configurar..

O mousepad Shooter L se mostrou bem estável e respondeu bem não só ao Xenon como outros mouses que já testamos.

Pontos Fortes

  • Design ambidestro
  • Opções de revestimento e cores diferentes
  • Boa pegada tradicional (com a mão inteira sobre o periférico)

Pontos Fracos

  • Apenas três botões programáveis (e dois deles são essenciais)
  • Software básico e limitado
  • Resolução média com patamares fixos
  • Não grava macros
AUTOR
André Gordirro
André Gordirro
Colaborador

Um fanático por engenhocas e viciado em games, André Gordirro escreve há dez anos sobre cultura pop, cinema, Internet e tecnologia. Ele é colaborador da revista SET, a maior publicação de cinema do país. Tijucano e tricolor, pode ser encontrado tanto no Maracanã quanto numa boa festa eletrônica - mas sua mente, dizem, habita o ciberespaço.

ARTIGOS RELACIONADOS
ÚLTIMOS ARTIGOS
530.111 usuários cadastrados
1.019 usuários on-line