Ir ao conteúdo
Entre para seguir isso  

Placa de Vídeo Chaintech GeForce MX 4000

       
 209.016 Visualizações    Testes  
 0 comentários

Testes realizados com a Placa de Vídeo Chaintech GeForce MX 4000.

Placa de Vídeo Chaintech GeForce MX 4000
Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

Introdução

O recém lançado GeForce MX 4000 é atualmente o chip gráfico mais simples da NVIDIA, e é voltado para o mercado de PCs de baixo custo.

O GeForce MX 4000 é baseado no núcleo NV18, o mesmo do GeForce 4 MX 440 AGP 8x. Enquanto o GeForce 4 MX 440 AGP 8x roda a 275 MHz com memória a 512 MHz, o GeForce MX 4000 roda a 250 MHz com memória a 500 MHz. Podemos dizer que o GeForce MX 4000 é um GeForce 4 MX 440 AGP 8x piorado.

Tecnologicamente falando, o GeForce MX 4000 é um chip gráfico de três gerações atrás. O núcleo NV18 é baseado no núcleo NV17, usado pelos chips GeForce 4 MX 420, 440 e 460 (AGP 4x). A diferença entre o NV18 e o NV17 é somente o suporte ao barramento AGP 8x. Este núcleo, por sua vez, é baseado no GeForce 2 MX, só que com um controlador de memória redesenhado. Todos esses chips gráficos são DirectX 7.

Isto quer dizer que, além do baixo desempenho, este chip não incorpora funções de qualidade de imagem existente em chips gráficos superiores – algumas delas consideradas básicas hoje em dia, como o Pixel Shader e o Vertex Shader. Com isso, não espere obteve com este chip a mesma qualidade de imagem de chips de outras gerações, especialmente ao rodar jogos DirectX 9.

Para você entender melhor, os chips GeForce 4 Ti são DirectX 8 (Pixel Shader 1.3), os chips GeForce FX são DirectX 9 (Pixel Shader 2.0) e os chips GeForce 6 são DirectX 9.0C (a versão "C" adicionou o suporte ao Pixel Shader 3.0, recurso que a NVIDIA introduziu nesta nova série).

Confira as diferenças entre os chips gráficos citados na tabela abaixo. Incluimos na tabela somente os chips gráficos mais simples da NVIDIA, já que por motivos óbvios o GeForce MX 4000 não concorre com os chips gráficos topo de linha.

É muito importante notar que placas de vídeo GeForce MX 4000 podem ser encontradas com memórias de 32 bits, 64 bits ou de 128 bits. O modelo testado da Chaintech, SAMX4000, acessa a memória a 128 bits. Os modelos de 64 bits são mais baratos, porém têm a metade do desempenho no acesso à memória em comparação com os modelos de 128 bits. Para esses modelos, você deve dividir por dois o valor da taxa de transferência da memória. Já os modelos de 32 bits são ainda mais baratos, sendo que para esses modelos você deverá dividir o valor da taxa de transferência da memória por quatro.

Chip Gráfico Clock Clock da Memória Memória Taxa de Transf. Memória Pixels por clock DirectX
GeForce 4 MX 420 250 MHz 166 MHz 128 bits 2,6 GB/s 2 7
GeForce 4 MX 440 270 MHz 400 MHz 128 bits 6,4 GB/s 2 7
GeForce 4 MX 440 AGP 8x 275 MHz 512 MHz 128 bits 8,1 GB/s 2 7
GeForce 4 MX 460 300 MHz 500 MHz 128 bits 8 GB/s 2 7
GeForce MX 4000 250 MHz 500 MHz 128 bits 8 GB/s 2 7
GeForce FX 5200 250 MHz 400 MHz 128 bits 6,4 GB/s 4 9
GeForce FX 5200 Ultra 350 MHz 650 MHz 128 bits 10,4 GB/s 4 9
GeForce FX 5500 270 MHz 400 MHz 128 bits 6,4 GB/s 4 9

O GeForce FX 5200, que é o chip mais simples da série FX, roda no mesmo clock da GeForce MX 4000, 250 MHz, e com um clock de memória inclusive inferior, 400 MHz. Entretanto, os chips da série FX processam quatro pixels por pulso de clock, enquanto os da série MX processam apenas dois. Grosseiramente falando, isso significa que para os chips da série MX obterem o mesmo desempenho de processamento dos chips da série FX, eles teriam de rodar no dobro do clock. É claro que há outros fatores envolvidos, já que os chips da série MX são DirectX 7 e os da série FX são DirectX 9.

Isto posto, vamos ao teste da placa de vídeo Chaintech SAMX4000, baseada no GeForce MX 4000 de 128 bits.

Compartilhar



  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Comentários de usuários


Não há comentários para mostrar.



Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×