Ir ao conteúdo
  • Comunicados

    • Gabriel Torres

      Seja um moderador do Clube do Hardware!   12-02-2016

      Prezados membros do Clube do Hardware, Está aberto o processo de seleção de novos moderadores para diversos setores ou áreas do Clube do Hardware. Os requisitos são:   Pelo menos 500 posts e um ano de cadastro; Boa frequência de participação; Ser respeitoso, cordial e educado com os demais membros; Ter bom nível de português; Ter razoável conhecimento da área em que pretende atuar; Saber trabalhar em equipe (com os moderadores, coordenadores e administradores).   Os interessados deverão enviar uma mensagem privada para o usuário @Equipe Clube do Hardware com o título "Candidato a moderador". A mensagem deverá conter respostas às perguntas abaixo:   Qual o seu nome completo? Qual sua data de nascimento? Qual sua formação/profissão? Já atuou como moderador em algo outro fórum, se sim, qual? De forma sucinta, explique o porquê de querer ser moderador do fórum e conte-nos um pouco sobre você.   OBS: Não se trata de função remunerada. Todos que fazem parte do staff são voluntários.
Foxwalt

Tutorial: como descobrir se sua fonte de alimentação é bomba?

Recommended Posts

Olá pessoal,

 

devido às dúvidas frequentes relacionadas com a noção de qualidade de fontes de alimentação, decidi criar este tópico. A escolha de uma fonte de alimentação vai muito além do simples "suporta ou não suporta", já que envolve a segurança do equipamento e do usuário, o gasto de energia elétrica e o aquecimento do computador. Por não ser o assunto direto do tópico, não explicarei tudo aqui. Se você quer entender mais sobre o assunto, encontrará valiosas informações no Clube do Hardware, como neste artigo. A fonte de alimentação é o componente de vital importância para o computador, o mais importante que, no entanto, costuma ser negligenciado. Não compre fonte ruim: esse "barato" vai sair MUITO caro depois.

 

Além de erros relacionados à qualidade e à procedência da fonte de alimentação, é comum vermos pessoas escolhendo fontes de potência elevada sem que isso sequer chegue perto de ser necessário para o computador. Se quer entender melhor sobre o dimensionamento de fontes, este e este tópicos podem ser de grande utilidade. Por fim, saiba que o uso de estabilizadores e nobreaks vagabundos coloca seu equipamento em risco enquanto não traz benefícios: sobre isso, assista a este vídeo e leia este e este tópicos.

 

Se você usa algum destes equipamentos: estabilizadores, módulos isoladores ou shortbreaks - nobreaks vagabundos, livre-se dele neste exato momento. Ele pode e vai atrapalhar sua fonte, podendo inclusive queimá-la e levar outros componentes junto. A mania errada de usar esses equipamentos só existe no Brasil e eles são feitos para enganar você, consumidor.

 

O objetivo será manter este tópico atualizado sempre que possível. Peço aos colegas usuários suas valiosas críticas e sugestões. Se vocês acham que algo deveria ser acrescentado ou não concordam com algo do que foi dito, por favor respondam abaixo. Peço também auxílio quanto à classificação dos fabricantes ao final do tópico. Se encontrarem algum erro de ortografia, favor apontar também.

 

Indo direto ao ponto: este tópico será útil tanto para aqueles que já possuem uma fonte e querem concluir algo sobre sua qualidade quanto para aqueles que desejam comprar uma fonte e procuram saber como julgar a qualidade da mesma. Será que sua fonte é um produto bomba? Será que seu equipamento está correndo risco? Será que você entrou ou pretendia entrar em uma fria?

 

A resposta correta e mais adequada para essas perguntas pode ser encontrada procurando análises de fontes de alimentação provenientes de sites e organizações confiáveis. Antes de qualquer coisa, procure por testes de sua fonte. O Clube do Hardware, por exemplo, dispõe de diversos testes completos de fontes de alimentação. Se você não encontrou testes confiáveis ou quer confirmar as informações apresentadas, pode seguir este pequeno guia para ter uma conclusão parcial (não posso dizer que à prova de falhas, mas muito certeira) sobre determinada fonte. Pois bem: o que analisar?

 

1) Marca.

 

Sim: em nosso caso, a marca da fonte importa. É o primeiro sinal para julgar a qualidade da fonte. Se sua fonte é de marca conceituada, com muito tempo de mercado e excelente histórico de produtos bem feitos, começamos bem: é altamente provável que ela seja boa. Se sua fonte é de marca desconhecida ou com histórico de produtos de baixa qualidade que enganam o consumidor, é altamente provável que você tenha uma bomba instalada em seu computador. Veja artigos e procure discussões sobre fontes da mesma marca que a sua: procure pelo histórico. Mais informações sobre marcas podem ser encontradas ao final desta leitura.

 

Atenção: "altamente provável" não significa "lei universal". Estamos tratando de indicativos, não de fatores decisivos. Portanto, é altamente recomendável sempre verificar cada modelo específico de fonte para garantir que você está comprando um produto seguro e com o maior custo x benefício da categoria. Não confie totalmente em marcas com bom histórico e nem despreze aquelas que cometeram alguns erros.

 

2) PFC ativo.

 

Uma maneira simples de analisar se sua fonte possui PFC ativo é observar a parte traseira dela. Se possuir a chavinha "110V/220V", não tem PFC ativo. A falta do PFC ativo é um forte indicador de fonte de baixa qualidade e/ou projeto antigo. Se você está analisando alguma fonte que pretende comprar, procure por vídeos de unboxing: alguns fabricantes e lojas podem manipular ou esconder fotos que revelariam a presença da maldita chavinha.

 

3) Certificação 80 Plus.

 

Nem toda fonte que tem Certificação 80 Plus é boa (isso está muito longe de ser realidade), mas quase toda fonte boa tem Certificação 80 Plus. Se a fonte possui a Certificação, bom sinal. Mas tenha cuidado: é possível que o Selo da fonte em questão seja falsificado, ou seja, que tenha sido colocado sem a fonte ter sido sequer submetida aos testes. Verifique a presença do modelo no site da Ecova. Vale lembrar que a Ecova testa apenas a eficiência da fonte: ter alta eficiência é sinal de projeto atual e bem feito, mas não significa que isso será realidade e que a fonte é segura. Importante ressaltar que os testes são realizados em temperatura ambiente - o que não corresponde à temperatura dentro de um gabinete de computador - e que não possuem padrão fixo. Importante lembrar também que são feitos em países de clima mais frio que o nosso. Portanto, os resultados de eficiência obtidos nos testes deles serão, na maioria das vezes, diferentes do que se vê na prática. O Selo é um sinal, não uma garantia, e tem diversas falhas.

 

4) Preço.

 

Se você encontrou fonte de suposta potência com preço muito baixo quando comparando às fontes de mesma potência com qualidade comprovada, desconfie! É extremamente comum empresas mentirem a potência de suas fontes de alimentação no Brasil, assim como outras informações.

 

5) Distribuição de cabos.

 

Se sua fonte realmente tem a potência que alega ter, deve ter configuração de cabos compatível. Não faz sentido, por exemplo, uma fonte de 700W, 600W ou até mesmo 500W com apenas um conector PCI-E de seis ou oito pinos para a placa de vídeo. Compare com fontes conhecidas e confiáveis de mesma potência declarada. Se a configuração de cabos da sua é simples demais para a potência prometida, desconfie: você pode estar diante de um belo produto bomba.

 

6) Distribuição de potência.

 

Os computadores atuais dependem muito da linha de +12V. Se a fonte possui muita potência nas linhas de +3.3V e +5V e pouca potência na linha de +12V, considerando o padrão de potência, é suspeita de projeto antigo: é bomba e/ou inadequada para computadores modernos. Você não entende isso? Calma. É simples: procure a distribuição de potência de fontes confiáveis e de boas marcas, com mesma potência declarada, certificadas e que são conhecidas e testadas. Observe a distribuição de potência nas linhas. Se a fonte que você tem ou está olhando apresenta muita discrepância do que você viu ali, desconfie.

 

7) Diferença entre a potência total prometida e a potência entregue pela linha de +12V.

 

Quando a diferença entre a potência total prometida e aquela que é entregue pela linha de +12V é muito discrepante, temos mais um indicativo de fonte ruim, com projeto antigo e/ou mentira na potência prometida. Quando a diferença for maior que 50W, comece a suspeitar.

 

8) Presença de duas ou mais linhas de +12V.

 

Há benefícios e desvantagens em ter mais de uma linha de +12V, assim como há benefícios e desvantagens em manter tudo na mesma linha. O que você precisa saber: atualmente, a tendência é que as fontes apresentem apenas uma linha de +12V. Se sua fonte apresenta mais de uma linha, pode ser indicativo de projeto mais antigo. Isso não quer dizer que a fonte é ruim, já que alguns fabricantes optam por fazer a distribuição de duas ou mais linhas em fontes de excelente qualidade.

 

9) Distribuição "bizarra" de linhas de +12V.

 

Além da presença de mais de uma linha de +12V, observe como essas linhas estão divididas. Coisas bizarras como a presença de quatro linhas de +12V ou números muito discrepantes entre as linhas não costumam ser algo muito interessante e também podem revelar projeto antigo. Logicamente, assim como no fator anterior, isso não quer dizer que sua fonte é ruim, mas pode ser um indicativo.

 

10) Aparência.

 

Sim. Você leu direito. Fontes de boa qualidade geralmente são pintadas, bem acabadas e apresentam etiquetas simples de entender e de bom gosto. É válido apontar isso como algum sinal de qualidade, mas não seja ingênuo: tem muita fonte "bonita" que não presta e muita fonte "feia" que presta. Isso vale também para os cabos da fonte e até mesmo para a embalagem da fonte.

 

11) Peso.

 

Se você tiver a oportunidade de comparar o peso da sua fonte ou da fonte que quer comprar com o peso de uma conhecida fonte de boa qualidade e mesma potência declarada, faça. Fontes de boa qualidade usam mais componentes e, além disso, são componentes melhores. Também costumam caprichar no acabamento e na estrutura de seu produto. Tudo isso geralmente pesa mais. No entanto, é necessário ressaltar que isso não é conclusivo e que o peso de uma fonte pode ser influenciado por fatores que não tornam o produto bom. Você pode encontrar fontes de baixa qualidade mais pesadas que fontes confiáveis, assim como pode ocorrer o contrário.

 

12) Presença de expressões como "Watts reais", "fonte gamer", "potência real", "fonte real" e derivados:

 

Watt é uma unidade de medida. Não existem "Watts reais", porque senão deveriam existir "Watts irreais", ou quem sabe "fantasmagóricos", "do além", "sinistros" e coisa do tipo. Além disso, sua fonte existe, correto? É um pedaço de matéria, com massa, ocupando espaço? Então é um corpo existente. Ou seja, ela é real!

 

Isso é indicativo de fonte boa? Não! Essa expressão incorreta infelizmente pegou no Brasil e muita gente acha que isso é sinal de fonte boa. Não! Como resultado, tem muita empresa picareta que adora escrever isso para promover seus produtos. Se você ler essas coisas, o efeito é o de ficar longe: é sinal de fonte bomba. É claro que isso também não é nada decisivo, já que há empresas decentes que "caíram no jeitinho" e começaram a escrever isso também, ou mesmo lojas que acrescentam isso em seus anúncios.

 

Existe fonte que presta e entrega o que promete com segurança e fonte que não presta e não entrega, podendo até explodir. É algo simples. Toda fonte é real, já que ela existe. Saiba diferenciar a fonte que presta da fonte que não presta. Ponto.

 

Observação: essas expressões podem ser decorrentes de lojas e vendedores, não do fabricante. Portanto, procure observar sua presença na caixa do produto.

 

13) LEDs bonitinhos, heatpipes e dual fan.

 

Se a fonte possui LEDs bonitinhos, que legal, não quer dizer que é boa. Isso é mais um apelativo de marcas que buscam atrair o consumidor com a proposta de um produto "gamer", sendo que se trata de algo que muitas vezes não presta. E presença de heatpipes "parrudos" aparecendo na saída de ar da fonte? Algumas pessoas interpretam isso como sinal de que o fabricante "preocupa-se e é muito cuidadoso com o calor gerado", o que pode acabar sendo verdade em algumas ocasiões, mas pode ser interpretado também como: "esse negócio esquenta tanto que precisou de heatpipes, a eficiência deve ser ruim". A presença dos heatpipes pode também ser só mais um fator do tipo "olha que bonitinho, sou uma fonte gamer (e como adoram essa palavra, não é mesmo?)". O mesmo raciocínio é aplicado às tais fontes com dual fan: se precisa de dois, pode acabar (ou não) sendo a consequência de baixa eficiência e maior liberação de calor.

 

14) Etiquetas escondidas, confusas e incoerentes.

 

Uma boa marca de fontes não tem nada a esconder. Se você observa que fotos e anúncios de tal fonte procuram esconder a etiqueta, desconfie.  As etiquetas de bons produtos são curtas e claras, bem simples de entender. Os dados são coerentes e bem organizados. Se você encontrar fontes com etiquetas confusas, com diversas medições de potência máxima presentes (do tipo "potência de pico", "potência nominal" e "potência real"), com informações sem sentido e coisa do tipo, desconfie.

 

15) Nome com número apelativo.

 

Há empresas que colocam números chamativos no nome dos modelos de suas fontes dando a entender que se trata da potência das mesmas. Cuidado. Muitas vezes a potência prometida é outra totalmente diferente. Não é porque a fonte chama "XingLingChan 600KT" que ela promete ou entrega 600W. 

 

~~~~--------------------------------~~~~

 

Para finalizar, listas a serem constantemente atualizadas com marcas confiáveis, marcas não confiáveis e marcas "meio termo". A lista de marcas confiáveis contém aquelas com histórico de produtos de ótima qualidade: logicamente, não quer dizer que tudo o que colocaram no mercado foi bom ou que nunca disseram alguma "mentirinha" para o consumidor.

 

A lista de marcas não confiáveis inclui o contrário: aquelas que possuem histórico de produtos de baixa qualidade e que podem oferecer risco ao seu computador (o que também não quer dizer que tudo o que colocam no mercado é ruim, mas que a grande maioria é). A lista de marcas com caracterização "meio termo" inclui aquelas com histórico de produzir tanto fontes boas quanto fontes ruins, sendo a proporção de cada caso considerável, incluindo também as marcas de produtos medíocres e marcas antigas e/ou que não mais comercializam fontes, cujo projeto antigo dos produtos não é mais condizente com padrões modernos.

 

*Marcas recomendadas:

  • Seasonic;
  • Silverstone;
  • Antec;
  • Corsair;
  • XFX;
  • PCYes!;
  • EVGA.

 

*Marcas "meio termo", verificar atentamente cada modelo:

 

  • Seventeam;
  • Zalman;
  • Cooler Master;
  • Thermaltake;
  • Cougar;
  • C3Tech;
  • AeroCool;
  • OCZ (já saiu do mercado faz tempo, muitas fontes seguras, mas de projeto antigo).

 

*Marcas não recomendadas (lista da vergonha):

  • BlueCase;
  • BR One;
  • WiseCase;
  • PCTop (Argus);
  • PowerX (Argus);
  • F-New;
  • Fortrek;
  • One Power;
  • HRCS;
  • Empire;
  • Pixxo;
  • K-MEX;
  • Coletek;
  • Duex;
  • Casemall;
  • Spire;
  • Multilaser;
  • GBT;
  • Mymax;
  • Leadership;
  • Lite;
  • Vinik;
  • Xigmatek (pelas mentiras e muitos produtos ruins se passando por fontes melhores).
Editado por Foxwalt
Atualizar texto.
  • Curtir 43

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Excelente tópico, está bem completo. Parabéns :thumbsup:

  • Curtir 3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Parabéns por esse seu apanhado enxuto, claro e abrangente. Senti falta de onde colocar marcas de fontes que exigem, obrigatoriamente, análise individual de modelo a  modelo para se saber da mesma, onde colocaria como exemplos;

Seventeam

Zalman

Cooler Master

Thermaltake

Cougar

.....

Entendo que agregar esses exemplos possa até atrapalhar alguns mas serviria como advertência para, quando se defrontar com a eminência de escolha de alguma delas, ligar o alarme para buscar análise ou aconselhamento acerca do modelo específico antes da compra... São marcas que tem no seu portifólio tanto boas fontes quanto verdadeiras porcarias.

 

Coloco aqui como sugestão apenas, avalie, por ser tão simples a análise da relação da potência que a etiqueta diz ser capaz da fonte entregar em 12 Volts e a potência total da mesma. Se ela for maior que 50 Watts desconfie, fuja dela. Em geral o comprador desconsidera a etiqueta da fonte que é a carteira de identidade da mesma..

 

Não consigo enxergar nada mais a sugerir e mais uma vez parabéns pela análise..

Editado por faller
  • Curtir 5

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fonte Aerocool também é uma bombinha, que não recomendo jamais. 

 

Parabéns pelo ótimo tópico. Estava faltando mesmo um único, para não ter que mastigar a mesma coisa, para vários membros, em vários tópicos.

Editado por alissomrex
  • Curtir 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu sugiro retirar o número 10)

Peso não serve para avaliar nada em uma fonte. Lembre-se  desta fonte com um bloco de cimento dentro:

http://www.clubedohardware.com.br/artigos/teste-da-fonte-de-alimentacao-hantol-silent-atx-700-w-pro/2538/3

 

e fontes com indutores falsos:

http://www.pcpop.com/doc/0/294/294565_all.shtml

 

Ou podem até mesmo ser fontes com PFC Passivo que vão ter um indutor pesado dentro, mas nem por isso são boas fontes:

PPFC-Coil.jpg

 

Sem falar que não existe relação direta entre o peso de uma fonte e a qualidade dela, até porque fontes com maior eficiência utilizam dissipadores menores, que são boa parte do peso de uma fonte.

Editado por Jorno
  • Curtir 4

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Autor do tópico
  • Obrigado pelo apoio, pessoal.

     

    @faller Sobre essas marcas que você citou, tive dúvidas em onde colocá-las. Esperei justamente que alguém comentasse. Acho que criarei outra categoria para elas, uma "meio a meio". Será que colocar a C3Tech nessa categoria seria mais adequado? 

     

    Sobre a sugestão da diferença de 50W, vou acrescentar. 

     

    @alissomrex Justamente por isso busquei criar este tópico. Eu repetia isso diversas vezes pelo Fórum (de maneira muito mais resumida, é claro).

     

    @Jorno Citei o peso como algo mais geral, não preocupei com casos específicos. É inegável que fontes de qualidade são geralmente visivelmente mais pesadas que as genericonas da vida. Mas acho que devo deixar de forma mais clara que o peso não é nada conclusivo. Vou editar. 

    • Curtir 3

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
    2 horas atrás, faller disse:

     

    Coloco aqui como sugestão apenas, avalie, por ser tão simples a análise da relação da potência que a etiqueta diz ser capaz da fonte entregar em 12 Volts e a potência total da mesma. Se ela for maior que 50 Watts desconfie, fuja dela. Em geral o comprador desconsidera a etiqueta da fonte que é a carteira de identidade da mesma..

    Concordo em partes, acredito que é bem relativo o que você disse. Por exemplo, uma XFX XT 600W entrega "somente" 540w na linha +12V ou seja, tem 60w "faltando". Isso pode induzir um leigo a fugir dessa fonte por exemplo, que é de excelente qualidade, não acha?

     

    Abraços.

    Editado por Lse7en
    • Curtir 2

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
  • Autor do tópico
  • @Lse7en Bom exemplo. Vejamos o que o @faller pensa. Talvez aumentar um pouco a tolerância da diferença?

     

    Por ora, deixarei a diferença acima de 50W como algo suspeito, mas não conclusivo.

     

    @alissomrex Não tenho muito conhecimento sobre a AeroCool. Seria mais adequado colocá-la como não recomendada ou "meio termo"?

    Editado por Foxwalt
    • Curtir 2

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    @Foxwalt meio termo para a Aerocool seria uma boa opção,

    já que nos vários testes de fontes do mesmo que eu vi no CDH,

    elas não receberam selo bomba, nem de produto ótimo. 

    • Curtir 2

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    @Foxwalt Perfeitamente. Pra mim fica mais claro concluir que as diversas fontes "gamers" de 600w, 750w com linha +12v que possuem uma corrente ridicula de 30A ou até menos, não passam de porcarias, por exemplo.

    Editado por Lse7en
    • Curtir 2

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
    3 horas atrás, Lse7en disse:

    Concordo em partes, acredito que é bem relativo o que você disse. Por exemplo, uma XFX XT 600W entrega "somente" 540w na linha +12V ou seja, tem 60w "faltando". Isso pode induzir um leigo a fugir dessa fonte por exemplo, que é de excelente qualidade, não acha?

    Definitivamente não acho não..

    Veja ai a etiqueta da fonte. Aquela etiqueta que ninguém costuma olhar, analisar..

    XFX%20XT%20600%20Watts_zpsmxxqq1ki.jpg~o

     

    Veja bem que a fonte promete 48 Amperes na linha de 12 Volts o que me parece bem plausível para uma fonte de 600 Watts. Repare agora que 48 Amperes x 12 Volts dá uma potência total de 576 Watts e não aqueles miseráveis 540 que o estagiário de marketing jogou na etiqueta. Desse modo, corretamente analisado ela está prometendo somente 24 Watts abaixo da sua potência total.. Me parece que se trata de erro de revisão resultante de um copiar/colar sem a devida correção e que passou batido na revisão.

    Querendo analisar diferente então ela não passa em outra questão já tocada pelo colega Foxwalt que é a necessidade de clareza e coerência nas especificações e dados fornecidos. Prefiro pensar que foi erro de revisão.. E penso que podes sim deixar os 50 Watts sugeridos como estão..

    O leigo que "fugir" dela é porque já fugiu também da aula de matemática lá no primário e depois da aula de física lá no colégio. :P

     

    E por último... Não é por se tratar de uma XFX que não podemos passar a desconfiar da mesma. O mercado é vil, desonesto e quem sabe uma que outra marca não venha a se irritar com as potências mentirosas e comece a adentrar nesse jogo.. Quem não mente é a demanda do PC típico que dificilmente passa de 50 Watts nas linhas de baixa tensão(3,3 e 5 Volts). Desse modo o que uma fonte realmente vai entregar ao PC são esses 50 dai somados ao que ele é capaz de entregar na linha de 12 Volts.. O resto é bolodório, conversa fiada...

     

    Editado por faller
    • Curtir 3

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
  • Autor do tópico
  • @alissomrex Justamente por isso fiquei na dúvida. Inicialmente, a classificação "meio termo" seria utilizada somente para marcas com boa quantidade tanto de fontes boas quanto de fontes ruins. Acho que terei que incluir as fabricantes de fontes medíocres ali na descrição e colocar a AeroCool entre elas.

     

    @faller Nem passou pela minha cabeça a ideia de conferir os dados... Lamentável ver uma fonte da XFX com um erro desses. Bem, deixemos os 50W então.

     

    Acho que vou colocar outro fator ali em cima mencionando diretamente a presença de etiquetas confusas.

    • Curtir 3

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
    17 minutos atrás, Foxwalt disse:

     

    @faller Nem passou pela minha cabeça a ideia de conferir os dados... Lamentável ver uma fonte da XFX com um erro desses. Bem, deixemos os 50W então.

    Não é privilégio da XFX. Até a Corsair já caiu nesse erro:

    Repara ai o que o estagiário colocou na linha de 12 Volts:

    0005457_700_5.jpg

    Ora 46 A x 12 V = 552 Watts e não 522

     

    Veja que na mesma fonte, com cabeamento modular (que se sabe é exatamente a mesma fonte) esse erro já sumiu..

    0006241_700_6.jpg

    Fora os erros de falta de coerência que existem nas fontes xing ling.. São incoerências às pampas....

     

     

    • Curtir 4

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    @faller No caso da XFX, segundo o próprio site da mesma, a potência na linha +12V prevalece e o erro, provavelmente, está na corrente anunciada na caixa. Segue:

    "Max +12V Output Current (A) : 45A (up to 540W, 90% of 600W)

    - See more at: http://www.xfxforce.com/en-us/products/xt-series-bronze-full-wired/xt-series-600w-psu-80-bronze-p1-600b-xtfr#sthash.imjuwUV2.dpuf"

     

    Abraços!

    Editado por Lse7en
    • Curtir 2

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    Excelente tópico!!! Obrigado pelo empenho @Foxwalt !!!

     

    PS: também não concordo que peso seja diferencial ao definir qualidade de uma fonte.

    Editado por braconius
    • Curtir 2

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    Eu acho que seria interessante este tópico ser fixado ou pelo menos colocado no topico de "Tópicos em destaque" já que eventualmente ele vai ficar menos movimentado e vai se perder.

    Editado por Zucchini
    • Curtir 3

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
    14 horas atrás, Lse7en disse:

    No caso da XFX, segundo o próprio site da mesma, a potência na linha +12V prevalece e o erro, provavelmente, está na corrente anunciada na caixa. Segue:

    "Max +12V Output Current (A) : 45A (up to 540W, 90% of 600W)

    - See more at: http://www.xfxforce.com/en-us/products/xt-series-bronze-full-wired/xt-series-600w-psu-80-bronze-p1-600b-xtfr#sthash.imjuwUV2.dpuf"

    E na foto, logo abaixo, mostra o rótulo com os 48A... Essas fontes precisam de testes, pra ter certeza da qualidade delas.. Como já são vendidas lá fora, acho que não demora muito, pra um bom site fazer um teste dela...

    • Curtir 2

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
  • Autor do tópico
  • Agradeço novamente pelo apoio, pessoal.

     

    @Lse7en @RS Faria Acho que agora só um teste mesmo para resolver o mistério... Dureza, em?

     

    @braconius Sei que existem exceções e por isso procurei deixar o peso como algo indicativo, mas nada conclusivo. É normal que fontes decentes e que realmente entregam a potência escrita na caixa pesem mais. Por exemplo, tive o azar de tocar em uma daquelas fontes One Power de 600W (um infeliz, colega meu, adquiriu tal porcaria): a fonte era claramente mais leve que minha confiável OCZ de 600W. 

     

    @Zucchini Agradeço pela sugestão. Irei ver com os superiores aqui, tanto para este tópico quanto para o tópico do @braconius sobre dimensionamento de fontes.

     

    @ApoloBrz Como já tem muita coisa fixada, acho que devo perguntar ao pessoal.

     

    • Curtir 3

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    @Foxwalt excelente o tópico vai ajudar a muito gente e concertez vai diminuir o números de explosivos por ai :)

    • Curtir 3

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    Não sou estudioso do assunto como os que aqui me sucederam, mas eu penso que devido a lei de ohm, que estabelece que potência em Watts é igual a multiplicação da corrente pela resistência, que é válida apenas para circuitos resistivos,  sendo utilizada nesses casos, fontes, motores, etc.,  com a necessidade de outras incógnitas por se tratar de circuito com impedância, é que causa essas confusões.

    Ao multiplicar E (tensão) x I (corrente) em circuitos não resistivos, você está obtendo a potência aparente, talvez fique mais adequado ao ponto de vista comercial.

    Eu acredito que deveria constar a potência em Watts de forma correta em todas elas, seja xing ling ou não, isso acabaria com as confusões e compras mal especificadas.

    Para finalizar, temos que ver quem são os verdadeiros fabricantes desses equipamentos, normalmente quem fabrica para outros provavelmente não irá transferir totalmente a sua tecnologia, irá guardar para seus produtos comercializados com o próprio nome a exemplo do que já existe nos Supermercados faz tempo, empresas fabricarem para estes que apenas entram com o nome, mas nas especificações constam o nome e o CNPJ do verdadeiro fabricante, coisa que creio não vir nas fontes.

    Obs: Nada melhor do que incorporar a dica do GT a este tópico já que são assuntos inerentes.

     

    http://www.clubedohardware.com.br/artigos/como-descobrir-o-verdadeiro-fabricante-da-sua-fonte-de-alimentacao/1270/3

    • Curtir 2

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
  • Autor do tópico
  • @GabrielLP14 Obrigado.

     

    @misterjohn Agradeço pelo comentário. Sobre o caso da confusão com a potência da fonte, o problema é que a etiqueta diz uma coisa e o site diz outra: só saberemos qual está correto se encontrarmos testes.

     

    No mais, como nem sempre (na maioria das vezes) quem fabrica a fonte não é a empresa que coloca a marca, estarei editando o termo "fabricante", usado no texto, e colocando o termo "marca". Como esse tópico tem como objetivo ser simples e direto, deixarei a indicação de recomendação ou não recomendação por conta das marcas mesmo.

    • Curtir 2

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    @Foxwalt fala camarada, achei novos pacotes  de C4 na kabum

    esta da "Lite"

    http://www.kabum.com.br/produto/46513/fonte-lite-200w-204-pinos-sem-cabo-52310
    e esta outro chamada "VINIK"

    http://www.kabum.com.br/produto/65855/fonte-vinik-atx-204-600w-real-vx600-22095

     

    novas marcas no caso que poderia adicionar hehe

    • Curtir 2

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
  • Autor do tópico
  • @GabrielLP14 Essas fontes da Vinik realmente são bombas fáceis de detectar, basta bater o olho na falsa promessa de potência e na ridícula distribuição de cabos para perceber. Receberia o Selo Produto Bomba no teste sem dúvidas. Essa marca acho que realmente merece ser adicionada na lista da vergonha. 

     

    Quanto à outra marca, a fonte está prometendo apenas 200W, mas o fabricante afirma na etiqueta "450W max". Além disso, a distribuição de potência nas linhas indica projeto antigo. É a genérica tradicional. Mais uma bomba do mesmo fabricante: http://www.kabum.com.br/cgi-local/site/produtos/descricao.cgi?codigo=59350&origem=52&gclid=COvDkKK3z8wCFQIfhgodeQYGKA

     

    Obrigado pela contribuição.

    • Curtir 2

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
     

    Não sou estudioso do assunto como os que aqui me sucederam, mas eu penso que devido a lei de ohm, que estabelece que potência em Watts é igual a multiplicação da corrente pela resistência, que é válida apenas para circuitos resistivos,  sendo utilizada nesses casos, fontes, motores, etc.,  com a necessidade de outras incógnitas por se tratar de circuito com impedância, é que causa essas confusões.

    Ao multiplicar E (tensão) x I (corrente) em circuitos não resistivos, você está obtendo a potência aparente, talvez fique mais adequado ao ponto de vista comercial.

    ......

    Caro colega misterjohn..

    Mas de que estás falando????

    Pensei estarmos falando em fontes de alimentação onde nada disso acontece. Ela entrega tensão, em Volts e corrente, em Amperes e se trata de corrente contínua quer para cargas de comportamento resistivo, indutivo, capacitivo ou até mesmo para cargas não lineares, aonde não existe fator de potência, não existe impedância ou melhor, não faz diferença nenhuma, não tem potência ativa/reativa. Isso de que falas só tem sentido em corrente alternada, de modo que seu entendimento acerca dessa questão está errado, completamente errado..

    • Curtir 2

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    Crie uma conta ou entre para comentar

    Você precisar ser um membro para fazer um comentário






    Sobre o Clube do Hardware

    No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

    Direitos autorais

    Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

    ×