Ir ao conteúdo
  • Comunicados

    • Gabriel Torres

      Seja um moderador do Clube do Hardware!   12-02-2016

      Prezados membros do Clube do Hardware, Está aberto o processo de seleção de novos moderadores para diversos setores ou áreas do Clube do Hardware. Os requisitos são:   Pelo menos 500 posts e um ano de cadastro; Boa frequência de participação; Ser respeitoso, cordial e educado com os demais membros; Ter bom nível de português; Ter razoável conhecimento da área em que pretende atuar; Saber trabalhar em equipe (com os moderadores, coordenadores e administradores).   Os interessados deverão enviar uma mensagem privada para o usuário @Equipe Clube do Hardware com o título "Candidato a moderador". A mensagem deverá conter respostas às perguntas abaixo:   Qual o seu nome completo? Qual sua data de nascimento? Qual sua formação/profissão? Já atuou como moderador em algo outro fórum, se sim, qual? De forma sucinta, explique o porquê de querer ser moderador do fórum e conte-nos um pouco sobre você.   OBS: Não se trata de função remunerada. Todos que fazem parte do staff são voluntários.
Gabriel Torres

Mitos do hardware #08: fontes de potência real

Recommended Posts

Tópico para a discussão do seguinte conteúdo publicado no Clube do Hardware:


Mitos do hardware #08: fontes de potência real


"Derrubamos mais um mito comum no mercado brasileiro, desta vez o das fontes de alimentação de "potência real"."


Comentários são bem-vindos.


Atenciosamente,
Equipe Clube do Hardware
http://www.clubedohardware.com.br

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@Gabriel Torres excelente vídeo, parabéns.

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sinto falta dos testes com fontes, pelo que pude ver o último foi em 2013

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ótimo vídeo! Me fez lembrar daquela relação que era muito usada para vendas de aparelhos de som onde o fabricante/vendedor anunciava que o aparelho tinha '1000W PMPO' em letras bem grandes e no cantinho do anuncio, utilizando uma 'lupa 125 x' às vezes se conseguia ler : 50 W RMS...

Acredito que vale a pena falar sobre a determinação da ABNT para instalações elétricas, onde em uma tomada de uso doméstico / comum (110V, 10A) podem ser extraídos no máximo, estourando mesmo, 1000 W( de acordo com a ABNT).

Nessas tomadas podem ser utilizadas fontes de no máximo 1000 W, acima disso (claro que são casos mais raros...) devem ser utilizadas tomadas de uso específico.

 

Agradeço pelo vídeo, @Gabriel Torres!

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Vixi, agora o @Gabriel Torres arrumou uma boa briga com um pessoal ali no forum que defendem que as fontes devem dimensionadas exatamente com a potencia que o pc consome.

  • Curtir 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Autor do tópico
  • 6 horas atrás, Azarack disse:

    Sinto falta dos testes com fontes, pelo que pude ver o último foi em 2013

     

    Pois é, eu expliquei esta situação em outro canto, mas de forma resumida, não temos condições financeiras no momento de executarmos testes de fontes. Precisaríamos que os fabricantes de fontes anunciassem conosco, mas todos só querem propaganda grátis (para eles, pois nós temos custos executando nossos testes).

     

    4 horas atrás, sdriver disse:

    arrumou uma boa briga com um pessoal ali no forum que defendem que as fontes devem dimensionadas exatamente com a potencia que o pc consome.

     

    Tá tranquilo porque este é assunto que eu já havia explorado em detalhes no outro vídeo que eu menciono! :D

    Além disso a calculadora dá uma margem, se não me falha a memória.

    • Curtir 1

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    Sobre a recomendação de fonte que tenha idealmente o dobro da potencia demandada, não deveria ser então considerado o uso do PC? por exemplo, um PC que sera usado em uma workstation de renderização, ou como servidor, onde a demanda sobre os componentes e portanto o consumo energético fique próximo do máximo, nesse caso a fonte com o dobro da potencia seria o ideal...

     

    Mas e no caso do PC do gamer tipico de fim de semana, que fica a maior parte do tempo apenas acessando a internet, ou fazendo downloads, essa fonte superdimensionada trabalharia uns 90% do tempo com carga minima e baixa eficiência...

     

    Um PC gamer/escritorio simples, com consumo máximo de 200W e um consumo tipico de 100W seria melhor alimentado por uma fonte de 250W trabalhando a 40% da capacidade em 90% do tempo do que uma de 400W trabalhando a míseros 25% da capacidade máxima na maior parte do tempo... isso claro, supondo fontes de igual qualidade.

     

     

     

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
    40 minutos atrás, F4b10 disse:

    Sobre a recomendação de fonte que tenha idealmente o dobro da potencia demandada, não deveria ser então considerado o uso do PC? por exemplo, um PC que sera usado em uma workstation de renderização, ou como servidor, onde a demanda sobre os componentes e portanto o consumo energético fique próximo do máximo, nesse caso a fonte com o dobro da potencia seria o ideal...

     

    Mas e no caso do PC do gamer tipico de fim de semana, que fica a maior parte do tempo apenas acessando a internet, ou fazendo downloads, essa fonte superdimensionada trabalharia uns 90% do tempo com carga minima e baixa eficiência...

     

    Um PC gamer/escritorio simples, com consumo máximo de 200W e um consumo tipico de 100W seria melhor alimentado por uma fonte de 250W trabalhando a 40% da capacidade em 90% do tempo do que uma de 400W trabalhando a míseros 25% da capacidade máxima na maior parte do tempo... isso claro, supondo fontes de igual qualidade.

     

     

     

    O problema é que depende muito do perfil de quem usa. Tem gente como eu que 90% do tempo que usa o PC, está usando em jogos e ai desliga ele.  Tem quem deixa o pc o dia todo ligado em idle e joga 1 hora por dia. Dimensionar uma fonte com 50% de sobra sobre a carga total do pc não causa danos ao conjunto, enquanto que ao dimensionar muito perto do limite de carga pode gerar os problemas que o @Gabriel Torres citou. Por outro lado se pensar que voce vai fazer upgrades trocando partes como processador, placa de vídeo e outros, a tendência mundial tem sido gerar equipamentos mais eficientes e econômicos. Ao trocar DDR3 por DDR4, HD por SSD e até mesmo as placas de vídeo top de linha mais novas são mais amigáveis energeticamente e estão vivendo essa tendência de diminuir o consumo. Isso tudo colabora pra que sua fonte fique com mais folga a cada upgrade. Então ate faz sentido realmente comprar uma fonte com sobra menor, mas eu ainda sou da velha guarda e minha recomendação é pelo menos que a fonte tenha uns 30% de potencia extra.

    • Curtir 1

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    Eu comprei a minha EVGA 850W, primeiro pelo preço, era praticamente o mesmo de uma 650W que eu queria na época, pensando em um dia usar 2 placas de vídeo de 150W ou mais... Mas só para me contrariar, acabei comprando uma GTX 750Ti, de míseros 60W, ou seja, no fim das contas não foi necessário comprar uma fonte tão potente, mesmo sendo a 650W que eu queria, mas peguei a 850 por ser quase o mesmo preço da que eu queria quando comprei.

    No fim das contas, uso ela com aproximadamente 250W de consumo (i5 3570 + gtx 750 Ti), ou seja próximo dos 25% dela, onde ela tem eficiência perto da máxima, que é 80+ Silver eu acho [é bronze...]. Quem sabe mais tarde se eu conseguir eu coloco outro kit com mais de uma placa de vídeo, dai sim faria sentido a fonte de alta potencia. Além do mais, paguei 550 na fonte, um ótimo investimento, hoje ela custa mais de 700.

    • Curtir 1

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    Uma das coisa mais difíceis sempre foi a escolha da compra da fonte..... Mesmo de fabricantes famosos, nem sempre o que vem escrito na etiqueta é o que a fonte consegue fornecer , Isso sem contar a enxurradas de etiquetas falsas da certificação 80 plus  .....  Recentemente  um pessoal que fizeram bastante testes com fontes atuais foram pessoal Teclab no youtube  ...  Testes nos moldes parecidos com os eram feitos aqui o Site ...

    Link do canal

    https://www.youtube.com/channel/UC7U72Ze-y8s4hvAmRvhXPgQ

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
  • Autor do tópico
  • @F4b10 Sua colocação é perfeita e é realmente algo que eu não me lembrei na hora de gravar o vídeo! Obrigado!

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
    Em 29/03/2017 às 00:23, F4b10 disse:

    Sobre a recomendação de fonte que tenha idealmente o dobro da potencia demandada, não deveria ser então considerado o uso do PC? por exemplo, um PC que sera usado em uma workstation de renderização, ou como servidor, onde a demanda sobre os componentes e portanto o consumo energético fique próximo do máximo, nesse caso a fonte com o dobro da potencia seria o ideal...

     

    Mas e no caso do PC do gamer tipico de fim de semana, que fica a maior parte do tempo apenas acessando a internet, ou fazendo downloads, essa fonte superdimensionada trabalharia uns 90% do tempo com carga minima e baixa eficiência...

     

    Um PC gamer/escritorio simples, com consumo máximo de 200W e um consumo tipico de 100W seria melhor alimentado por uma fonte de 250W trabalhando a 40% da capacidade em 90% do tempo do que uma de 400W trabalhando a míseros 25% da capacidade máxima na maior parte do tempo... isso claro, supondo fontes de igual qualidade.

     

     

     

    Gostei do seu comentário, Sr. @F4b10. Gostaria de complementá-lo analisando 2 pontos:

    1. Fontes mais potentes são mais caras.
    2. Fontes mais eficientes são mais caras.

     Quanto ao primeiro ponto, vai do capricho e desejo de cada um. pois se a pessoa quer uma fonte real de 800 W no HTPC que consome 200 W para ficar vendo fotos ou assistindo TV, tudo bem... só acho que é um investimento inviável.
     Quanto ao segundo ponto, eu gosto de utilizar como referência a certificação 80 plus (acredito que o número 80 não foi pensado durante um churrasco...) então, se eu tenho um sistema de computação que irá consumir em plena carga uns 400 W, então uma fonte de 500W (80% da potência da fonte para o sistema) com certificação 80 plus seria suficiente, mas se eu quiser uma fonte de 500 W com certificação 80 plus platinum, então voltamos ao primeiro ponto!
     Encontrei um artigo no próprio Clube do Hardware falando sobre essas certificações escrito pelo próprio Sr. @Gabriel Torres, a quem desconhecer , quiser se aprofundar ou relembrar sobre isso:

     

    • Curtir 1

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    Fonte apesar de ser o mais importante para o funcionamento do computador, é o pior componente na hora da escolha.

    O primeiro passo é saber quanto que o computador vai consumir, já levando em conta os atuais componentes assim como os futuros upgrades. Apesar de ser interessante o ponto de vista de alguns sobre o consumo referente a situação de consumo diário, vale ressaltar que o computador usado nesta questão um dia pode ser passado para outra pessoa, que esta pode utilizar de maneira bem diferente, ou até mesmo o próprio dono possa mudar seus hábitos.

    Segundo passo e mais preocupante é saber qual modelo de fonte é a mais indicada, pois como bem citado no vídeo, tem que analisar a fonte em todos seus aspectos, além também de seu tamanho e sua colocação em um gabinete.

    Terceiro passo e o mais complicado: O valor, o famoso custo/beneficio! Este critério gera muita encrenca no fórum quando alguém diz querer comprar uma fonte tal de 700W, então outro diz que o computador só puxa 200W e poderia ser então uma fonte de 300W. Ok, até aí tudo bem, mas se o interessado não acha caro e tem condições de comprar sem problemas, por que impedir de adquirir um produto melhor? Não tenho nada a reclamar de minha fonte comprada com a ajuda do pessoal aqui, porém na época com mais R$ 20,00 eu poderia ter pego uma fonte com 100W a mais.

    Desculpem o texto, mas me empolguei. :oops:
    Outro mito é sobre que quanto mais capacidade de potência tem uma fonte, mais ela gastará energia elétrica. Isto procede?

    • Curtir 1

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
  • Autor do tópico
  • 18 horas atrás, Lost Byte disse:

    Outro mito é sobre que quanto mais capacidade de potência tem uma fonte, mais ela gastará energia elétrica. Isto procede?

     

    Excelente lembrança. Anotei aqui. (Não, não procede -- o que mede o gasto de energia é a eficiência e não a potência). Outro mito similar que já ouvi algumas vezes é a pessoa achar que, pelo fato da fonte ser de 750 W, ela vai puxar 750 W da rede elétrica.

    • Curtir 2

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    Prova disso é os testes que fiz no folding at home... que um overclock já altera tudo. Não... ela não puxará toda a potência.. mas por pouca coisa que fizeres, ela vai puxar e bastante, até mais que a potencia nominal dela...

     

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
    Em 28/03/2017 às 12:27, André Ferreira da Silva disse:

    Ótimo vídeo! Me fez lembrar daquela relação que era muito usada para vendas de aparelhos de som onde o fabricante/vendedor anunciava que o aparelho tinha '1000W PMPO' em letras bem grandes e no cantinho do anuncio, utilizando uma 'lupa 125 x' às vezes se conseguia ler : 50 W RMS...

    Acredito que vale a pena falar sobre a determinação da ABNT para instalações elétricas, onde em uma tomada de uso doméstico / comum (110V, 10A) podem ser extraídos no máximo, estourando mesmo, 1000 W( de acordo com a ABNT).

    Nessas tomadas podem ser utilizadas fontes de no máximo 1000 W, acima disso (claro que são casos mais raros...) devem ser utilizadas tomadas de uso específico.

     

    Agradeço pelo vídeo, @Gabriel Torres!

    Ótima observação. 

    adicionado 2 minutos depois

    Essa série de mitos ta da hora.

    • Curtir 2

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    Lembro de alguns mitos absurdos de quando lançou os i3/5/7, de que o i7 era tão poderoso que não precisava de placa de vídeo dedicada.

     

    Sugiro um "Mitos do hardware sobre "Freesync, G-sync, Vsync deixam o jogo mais fluído?" ou ainda um "Altos FPS realmente deixam um jogo totalmente fluído?", e nisso falar dos impactos de cada tecnologia, como o input lag, frametime, tearing, e como a escolha de um monitor é adequada para garantir a Fluidez, como também uma pequena dica para jogadores querem os tais "MONITORES 144HZ PLUS GAMER EDITION" com painel TN e alguns até com altos input lag, mesmo com 144Hz.

     

    • Curtir 1

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

     

    O cara, dono do fórum, está recomendando comprar uma fonte super dimensionada (só usar 50% da fonte) para colocar no pc para "upgrades futuros"... upgrades futuros é comprar outro pc ... (se o pc futuro não gastar menos* ).

     

    A apesar de ter a "curva" o que o fabricante vende no selo 80 plus ou sei lá o nome que vão dar (+80% de eficiência ) o que ainda é atingido mesmo quando a fonte está com +90% de uso com temperatura maiores que do laboratório... Se não ela é uma fonte ruim, simples assim.

     

    Achei um exagero... enfim...

    adicionado 11 minutos depois

     

     

    Adicionando: O resto do vídeo é legal lol X)

    adicionado 22 minutos depois

    adicionando 2: Quer fonte com mais eficiência ? Compra gold... Platinum  ... agora subutiliza ...

     

    esse vídeo mexeu comigo huauhaahuauh

     

    vou parar de reclamar e fuizzzzzzzzzzzzzzz

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
  • Autor do tópico
  • @Bommu Perneta Como eu mesmo disse no vídeo, é uma recomendação que na prática não é possível de ser seguida, ainda mais no Brasil! ;)

     

    Enfim, era só para enfatizar que a eficiência máxima da fonte é normalmente obtida quando a fonte está entregando 50% de sua potência rotulada.

     

    Abraços e obrigado por sua participação.

    • Curtir 1

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    Crie uma conta ou entre para comentar

    Você precisar ser um membro para fazer um comentário






    Sobre o Clube do Hardware

    No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

    Direitos autorais

    Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

    ×