Ir ao conteúdo
  • Comunicados

    • Gabriel Torres

      Seja um moderador do Clube do Hardware!   12-02-2016

      Prezados membros do Clube do Hardware, Está aberto o processo de seleção de novos moderadores para diversos setores ou áreas do Clube do Hardware. Os requisitos são:   Pelo menos 500 posts e um ano de cadastro; Boa frequência de participação; Ser respeitoso, cordial e educado com os demais membros; Ter bom nível de português; Ter razoável conhecimento da área em que pretende atuar; Saber trabalhar em equipe (com os moderadores, coordenadores e administradores).   Os interessados deverão enviar uma mensagem privada para o usuário @Equipe Clube do Hardware com o título "Candidato a moderador". A mensagem deverá conter respostas às perguntas abaixo:   Qual o seu nome completo? Qual sua data de nascimento? Qual sua formação/profissão? Já atuou como moderador em algo outro fórum, se sim, qual? De forma sucinta, explique o porquê de querer ser moderador do fórum e conte-nos um pouco sobre você.   OBS: Não se trata de função remunerada. Todos que fazem parte do staff são voluntários.
lithium_ion

Placa reinicia ao acionar um motor

Recommended Posts

Olá! Tenho dois helicópteros de controle remoto, modelo v911 da WLtoys.

 

Ao acelerar para acionar o motor, um deles reinicia a placa por completo, perdendo até mesmo a conexão com o controle. Não é problema de bateria, pois uso as mesmas baterias nos dois que tenho, e um deles funciona normalmente. Acionando e forçando os servos não acontece nada de reiniciar, funciona normalmente. Para testar, girei o motor com a mão e acelerei, funcionou normalmente, com velocidade máxima, desacelerei, acelerei tudo normal. Quando o motor parou fui acelerar e ele reiniciou, persiste o defeito. Dá só uma mini-movimentação no motor e reinicia.

 

Pensei que poderia ser o pico de corrente que dá por algum motivo cai muito a tensão e ele reinicia, mas não vejo motivo para tal.

 

Peço que me ajudem nesse problema. OBRIGADO!!!

 

 

adicionado 16 minutos depois

Fiz alguns testes e constatei que de fato é queda de tensão. Tirei as pás da hélice e ao acelerar ele apaga também, menos vezes, só dá uma piscada no LED quando não reinicia. Os servos, que sabem a posição deles por um divisor resistivo dentro dão uma mexida, os dois para o mesmo lado, indicando que o valor da tensão deles cai, e eles procuram outra posição. 

Coloquei um capacitor que achei aqui, de 100uF em paralelo na placa, e não adiantou, reinicia do mesmo jeito.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

É difícil fazer diagnóstico a distância, mas vamos lá.

- Motor DC na partida é quase que um curto. Se for servo, pior ainda. ,

- Uma bateria pequena não suporta grandes picos de corrente sem arrear.

- São duas as formas de se implementar um soft-start: softer e hardware.

- Por softer, dificilmente uma função se perde e o resto do programa continua a funcionar.

- Por hardware, costuma ter sua implementação com uso de capacitor ou por realimentação de corrente para limitar seu valor. Fuça o drive do motor e, principalmente, o circuito que o controla que o problema provavelmente está lá.

Boa sorte.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Se eu entendi direito, as hélices do helicóptero são movimentadas por servomotores. Na partida deles, porém, a placa eletrônica é reiniciada devido à inércia do sistema, que solicita altos picos de corrente. É esse mesmo o problema F5Rua4D.gif ?

 

 

 

Bem, a solução para mim, até o momento, parece ser o desenvolvimento de circuitos de soft-starting para os motores de saída. Por provavelmente serem servos DC (vale a pena conferir), o projeto seria como para um motor DC comum.

 

 

 

Espero ter ajudado GbhmuXl.gif.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Autor do tópico
  • 1 hora atrás, Sérgio Lembo disse:

    É difícil fazer diagnóstico a distância, mas vamos lá.

    - Motor DC na partida é quase que um curto. Se for servo, pior ainda. ,

    - Uma bateria pequena não suporta grandes picos de corrente sem arrear.

    - São duas as formas de se implementar um soft-start: softer e hardware.

    - Por softer, dificilmente uma função se perde e o resto do programa continua a funcionar.

    - Por hardware, costuma ter sua implementação com uso de capacitor ou por realimentação de corrente para limitar seu valor. Fuça o drive do motor e, principalmente, o circuito que o controla que o problema provavelmente está lá.

    Boa sorte.

     

    O driver do motor principal é um simples transistor pnp, onde os pulsos de pwm vem direto do ucontrolador, sem realimentação ou coisa do tipo.

     

     

    1 hora atrás, rjjj disse:

    Se eu entendi direito, as hélices do helicóptero são movimentadas por servomotores. Na partida deles, porém, a placa eletrônica é reiniciada devido à inércia do sistema, que solicita altos picos de corrente. É esse mesmo o problema F5Rua4D.gif ?

     

     

     

    Bem, a solução para mim, até o momento, parece ser o desenvolvimento de circuitos de soft-starting para os motores de saída. Por provavelmente serem servos DC (vale a pena conferir), o projeto seria como para um motor DC comum.

     

     

     

    Espero ter ajudado GbhmuXl.gif.

     

    Quase hehehe, os servos na verdade comandam o paço do motor, o que faz a placa reiniciar mesmo é o motor principal que gira as hélices. Essa bateria LIPO aguenta o pico, até com sobra, parece ser problema nos cabos.

     

     

    É minha gente, peço até desculpas, mas o problema é realmente com os cabos. Soldei só um cotoco de fio com o conector para testar a bateria direto na placa, e o LED parece até estar em uma lanterna isolada do circuito, nem mexe, o motor funciona até segurando com a mão e não reinicia.

     

    É tudo muito compacto, não tem a menor possibilidade de fazer um circuito sem ser smd daqueles bem pequenos mesmo. Vou ver o que posso arrumar para reduzir essa resistência série dos cabos.

     

    Me recomendam algum "cabo especial" com baixa resistência? lembrando que o helicóptero tem 29g, qualquer grama a mais já faz uma bela diferença, aí que complica.

     

    showatt.php?attachmentid=4452587&d=13226

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    @lithium_ion

     

     

    Uma opção barata é pegar vários fios de par trançado (cabo de rede), que são bem leves, e conectá-los em paralelo. Essa técnica reduz a resistência equivalente da ligação elétrica, além de aumentar a capacidade de condução de corrente F5Rua4D.gif.

     

     

     

    Antes disso, contudo, verifique se o problema não é de resistência de contato devido a má conexão.

     

     

     

    Espero ter ajudado GbhmuXl.gif.

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    Uma outra solução para economizar com peso e espaço é usar fio de cobre esmaltado, daquele que vai no transformador.

     

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
  • Autor do tópico
  • 10 horas atrás, rjjj disse:

     

    Uma opção barata é pegar vários fios de par trançado (cabo de rede), que são bem leves, e conectá-los em paralelo. Essa técnica reduz a resistência equivalente da ligação elétrica, além de aumentar a capacidade de condução de corrente F5Rua4D.gif.

     

    Gostei da ideia, mas aí não iria gerar a maldita indutância parasita? A corrente instantânea iria ainda reduzir, mas irei testar sim.

     

    10 horas atrás, Mestre88 disse:

    Uma outra solução para economizar com peso e espaço é usar fio de cobre esmaltado, daquele que vai no transformador.

     

    Curti também, aí economiza o peso do encapamento, podendo compensar isso em puro cobre, irei arrumar alguns metros para testar.

    adicionado 18 minutos depois

    Bom, não encontrei nenhum fio esmaltado que de para ligar, somente uns pequenos pedaços, infelizmente. O cabo de rede estava uma b0st@, todo ressecado e é muito fino mesmo ligando os 4 pares deles, achei melhor nem testar, ainda tem o problema do peso. Achei um cabo, até meio fino, blindado, comprei para usar em um amplificador que eu fiz, dois polos e uma malha, liguei os dois polos em paralelo e a malha usei como o negativo. Ficou perfeito, usei para testar todo o cabo que eu tinha, uns 1,2 metros, e não falha, nem travando o motor com a mão. Claro, irei cortar para o tamanho que preciso, mas se funcionou com o fio bem maior, funcionará com o fio no tamanho certo. Bom que ainda blinda, não sei se irá mudar alguma coisa, acredito que no fio do motor mude, mas no do conector da bateria não. 

     

    Obrigado pelo tempo dos Srs!!! até a próxima!

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    @lithium_ion

     

     

    De fato, um cabo de rede quando ressecado perde muito da sua qualidade inicial. Quanto à indutância equivalente, o paralelismo de fios naturalmente a reduz, visto que as regras de associação são as mesmas das resistências F5Rua4D.gif.

     

     

     

     

    t8LCdyO.png

     

     

     

    As indutâncias parasitas, como são conhecidas, na verdade existem em todos os condutores. O que acontece é que elas são muito pequenas e, com o aumento da frequência, elas deixam de ser desprezíveis (fenômeno da reatância). O uso de capacitores de entrada em circuitos digitais de alta frequência faz, porém, com que a fonte (ou bateria) e seus condutores em série não fiquem sujeitos a essas variações sucessivas.

     

     

     

    Espero ter ajudado GbhmuXl.gif.

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    O ruim dos Cabos de rede é que se forem de má qualidade, não são feitos de cobre. 

    Comprei um uma vez que era alumínio banhado com cobre. 

    Isso aumenta a resistência e aí vai dar problema. 

    adicionado 1 minuto depois

    @lithium_ion Arranja um estabilizador pra desmanchar, vai ter fio esmaltado de sobra. 

    • Curtir 2

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    Crie uma conta ou entre para comentar

    Você precisar ser um membro para fazer um comentário






    Sobre o Clube do Hardware

    No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

    Direitos autorais

    Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

    ×