• Comunicados

    • Gabriel Torres

      Seja um moderador do Clube do Hardware!   13-02-2016

      Prezados membros do Clube do Hardware,

      Está aberto o processo de seleção de novos moderadores para diversos setores ou áreas do Clube do Hardware. Os requisitos são:
        Pelo menos 500 posts e um ano de cadastro; Boa frequência de participação; Ser respeitoso, cordial e educado com os demais membros; Ter bom nível de português; Ter razoável conhecimento da área em que pretende atuar; Saber trabalhar em equipe (com os moderadores, coordenadores e administradores).   Os interessados deverão enviar uma mensagem privada para o usuário @Equipe Clube do Hardware com o título "Candidato a moderador". A mensagem deverá conter respostas ao formulário abaixo:    Qual o seu nome completo? Qual sua data de nascimento? Qual sua formação/profissão? Já atuou como moderador em algo outro fórum, se sim, qual? De forma sucinta, explique o porquê de querer ser moderador do fórum e conte-nos um pouco sobre você.   OBS: Não se trata de função remunerada. Todos que fazem parte do staff são voluntários.
Maurício Cé

Empresa de Suporte Técnico...

18 posts neste tópico

Olá pessoal, atualmente trabalho como autonomo, gostaria de saber se valeria a pena colocar um negócio somente de prestação de serviços, nada de venda de equipamentos.

Por exemplo, registrar uma firma, pois vejo que poderia divulgar meus serviços mais facilmente. Alguém saberia me informar por cima quanto pagaria de impostos, escritório contábil, etc, etc. Se alguém pudesse dar umas dicas para abrirmos uma discussão seria interessante.

Abraço a todos...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Postado Originalmente por Maurício Cé@06 dez 2004, 11:00

Olá pessoal, atualmente trabalho como autonomo, gostaria de saber se valeria a pena colocar um negócio somente de prestação de serviços, nada de venda de equipamentos.

Por exemplo, registrar uma firma, pois vejo que poderia divulgar meus serviços mais facilmente. Alguém saberia me informar por cima quanto pagaria de impostos, escritório contábil, etc, etc. Se alguém pudesse dar umas dicas para abrirmos uma discussão seria interessante.

Abraço a todos...

Caro Maurício,

não há NADA, absolutamente NADA que você como profissional autônomo não possa fazer para ganhar dinheiro do que abrindo uma empresa.

Estou a 10 anos no mercado de prestação de serviços e mesmo com todo o boom de 1996 não me aventurei a abrir uma empresa.

Trabalho totalmente legalizado e faturo muito mais como autônomo do que se tivesss na época aberto uma empresa.

Hoje por exemplo se tivesse uma empresa pagaria por uma nota de R$ 800 o absurdo de 38% ao passo que como autônomo pago apenas 5% de ISS.

Ou seja as pessoas dão um duro, pegam um serviço de R$ 800, mas só levam R$ 500, o restante vai para esse "Gobierno de ######".

Você não está faturando pouco porque é autônomo, mas porque AINDA não se tornou um bom administrador e excelente empreendedor.

Faça os cursos on-line do SEBRAE e veja como sua vida e negócios mudarão.

Bem se é para lhe mostrar custos, então la vai: Para abrir um empresa você deverá gastar no mínimo 900 só para cosntituí-la e aproximadamente 2 salários-minimo por mês para o contador manter seus dados contábeis em dia.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Você não está faturando pouco porque é autônomo, mas porque AINDA não se tornou um bom administrador e excelente empreendedor.

Pois é Quemel, eu ultimamente até estou conseguindo um número considerável de clientes, sabe quando o cara consegue um, dois, três, depois o cara (no meu caso) quer conseguir mais e mais clientes, talvez seja por isso que me passou pela cabeça, que abrir uma empresa seria melhor, já fazem uns 4 anos que trabalho como autonomo e só agora que estou aprendendo o famoso jeito de "como cobrar" os serviços e algumas técnicas de lidar com os clientes.

Só para ter uma ideia, muitos clientes que consegui eram de lojas da minha cidade, no começo eles ficavam meio desconfiados dos meus serviços porque não me conheciam, porque afinal tinha e tem tantos "picaretas" nesta área que as pessoas demoram bastante para ter a nossa confiança.

Fico por aqui e obrigado pelos conselhos....

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Caro Maurício,

mas essa ideia passa pela cabeça de qualquer pessoa quando os negócios começam a crescer. Eu mesmo tenho essa ideia TODOS os anos, mas quando vou calcular os impostos e benefícios eu desisto. Olha que faço isso desde 1993. Faturo como prestador de serviços, pois por enquanto é suicídio profissional abrir uma empresa no Brasil.

E você deve apriomar cada vez mais seu atendimento. Vou contar o segredo do meu negócio:

Meu negócio é vitálicio. Atendo toda a família. Hoje é o pai, mas amanhã é o filho que virou universitário e precisa de um computador novo. Depois de amanhã é o profissional que casou, arrumou emprego e saiu de casa para ter sua própria família e isso não tem fim. Viu como não há mistério? A palavra é uma só:

RELACIONAMENTO

Fato das pessoas estarem te procurando, significa um indício que querem algo mais do que preço. Elas querem qualidade acima de tudo.

Porque então eu cobrando R$ 370 as pessoas fazem fila para ter meu atendimento contra R$ 80 das lojas de informática? Na teoria eu devia cobrar R$ 40 para ganhar da concorrência, mas faço o contrário, quanto mais caro mais pessoas aparecem

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O que o amigo citou acima é verdade,

tenho uma empresa no ramo alimenticio e eu vejo que meu

movimento é maior do que meus concorrentes quem vendem mais barato

o segredo "QUALIDADE" eles não se importam em pagar um pouco mais caro

quando se tem certeza do que se está comprando ou sendo feito serviço.

Como trabalho no ramo alimenticio sou obrigado a tem empresa e tudo certinho,

te digo uma coisa

Governo simplesmente quer acabar com as micro e pequenas empresas

é imposto em cima de imposto

:angry:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bom dia,

Em primeiro lugar, quero desejar um feliz ano novo para todos e que possamos em 2011 estabelecer grandes realizações.

No caso do nosso colega, o MEI não seria uma solução??

Abraços

Snoopygeek

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Caro snoopy, salve!

O MEI é uma boa solução e ao mesmo tempo o fim dos técnicos fundo de quintal.

Por que ao se cadastrarem no MEI, nunca mais poderão usar software pirata.

O risco é a denuncia por parte dos concorrentes legalizados.

Tenho conhecimento que alguns técnicos desistiram do forma jurídica MEI apenas por não conseguirem se sustentar com programas originais.

Eu vinha me preparando a um bom tempo para isso. Desde de 2010 que só aceito clientes com programas originais, foi difícil e doloroso, mas consegui colocar ordem na casa.

Bração e boa $orte,

Quemel

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Caro snoopy, salve!

O MEI é uma boa solução e ao mesmo tempo o fim dos técnicos fundo de quintal.

Por que ao se cadastrarem no MEI, nunca mais poderão usar software pirata.

O risco é a denuncia por parte dos concorrentes legalizados.

Tenho conhecimento que alguns técnicos desistiram do forma jurídica MEI apenas por não conseguirem se sustentar com programas originais.

Eu vinha me preparando a um bom tempo para isso. Desde de 2010 que só aceito clientes com programas originais, foi difícil e doloroso, mas consegui colocar ordem na casa.

Bração e boa $orte,

Quemel

Saudações nobre colega Quemel,

Sim, com certeza. Esse foi um dos motivos que preferi trabalhar exclusivamente com empresas e corri de usuários domesticos, clientes embirentos, inhaqueiros e por aí vai.

Os clientes que não queiram ou não possam utilizar software original, eu instalo linux (tenho clientes que da recepção a diretoria é linux).

Se de tudo o cliente não quiser, vá procurar outro pois eu não trabalho com software não legalizado. Simples assim.

Sou o tipo de pessoa que adora colocar a cabeça no travesseiro a noite e dormir sossegado.

No inicio foi muito difícil, como você mesmo disse. Cheguei a pensar em desistir. Mas nada melhor do que o tempo para colocar as coisas no lugar.

Abraços

SnoopyGeek

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Caro snoopy, salve!

Quando convoquei os "técnicos" a buscarem superar o modelo de profissional, riram, ridicularizavam (ver posts aqui me chamando de charlatão, extorsivo, aproveitador, etc).

Pregava que se um modelo superior se impusesse no mercado, morreriam de fome. A CDINFO é café pequeno, pois sua única concorrente é a Dell.

Quando os técnicos começaram a quebrar por causa do Carrefour, Ponto Frio Bonzão, Terra, UOL, Telefônica foi que acordaram para uma nova realidade.

Aí já era tarde demais.

Enquanto vendiam os surrados modelos de compuradores, essas empresas fizeram grandes parcerias e passaram a vender serviços.

Pior. Faziam os clientes experimentarem os serviços que possuiam até "cheiro"

Em 2010 quase que quebrei por que não acompanhei direitos os avanços da Dell. HP? Está com um pé na cova. Sony? Reze para não precisar da assistência técnica em notebooks. Posítivo? Superou a HP em nº de vendas.

Agora preciso monitorar a Positivo. Tarefa de Inteligência para 2011. Espero não quebrar!

Quando sugeri que os técnicos estudassem comportamento do consumidor, psicologia do cliente, Inteligência de Negócios, Economia de Serviços, empreendedorismo, programação neurolingusitica dentre outros.

Riram!

Fica a pergunta: quem ri por último, ri melhor ou porque ainda não entendeu o recado, digo a piada.

Bração e boa $orte,

Quemel

Editado por Quemel

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá Quemel.

Pretendo iniciar meus trabalhos por conta própria, possuo hoje cerca de 10 anos na área de tecnologia, com uma boa formação academica e bons conhecimentos em telefonia, redes, hardware, etc, etc, etc...

A pouco, venho sentido aquela necessidade de me tornar o "próprio patrão".

Pois bem, venho lendo a respeito e buscando informações. Quero prestar serviços a profissionais liberais, micro, pequenas e médias empresas, serviços esses de assessoria tecnologica, implantação de redes, telefonia, web e tudo o que eu consegui desenvolver nesses anos de profissão. Não pretendo atuar com pessoas fisicas que utilizam seus equipamentos como lazer, já fiz isso no passado e só tive dor de cabeça e prejuizo...

Minhas perguntas são as seguintes:

1. Para eu prestar serviços a empresas, necessito obrigatoriamente (para estar andando com a lei) de ser pessoas juridica, certo?

2. Como você vê esse mercado em que pretendo atuar? você acredita que há espaço e que há clientes que necessitam desses serviços?

3. Quais as exigencias que você vem notado desses clientes? Quais suas maiores necessidades?

4. você acredita que com a tecnologia cada vez mais "fácil" e com cada vez mais informação o numero de clientes diminuam, uma vez que a redução de custo esta por todo lado?

5. Não quero fazer isso, mas você acredita que contratos ainda fidelizam clientes ou é realmente melhor atender quando da dor de barriga´?

Muito obrigado pela sua atenção.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Caro Erik Pinheiro, salve!

Você me conta um história interessante sobre sua trajetória profissional e me indica boas pistas a que devo perseguir para tentar lhe apontar alguns caminhos. Muito bom essa sua intenção de facilitar meu ofício, pois tenho por onde começar. Afinal, não é isso que você me questiona?

Nem precisava escrever os três “etc” ao final do seu bem elaborado primeiro parágrafo, mas posso lhe garantir que com conhecimentos em redes, hardware e telefonia, visualizo boas perspectivas em sua nova jornada profissional. Principalmente se considerarmos o quesito telefonia um diferencial, mesmo sem saber o que significa os eteceteras.

Com o crescimento da economia, o setor de micro e pequenas empresas tem se tornado um grande mercado de TIC. Isso não é opinião, é fato. Também estudo esses mercados, caso o nicho doméstico deixe de ser para mim bastante atraente. Atualmente a minha única concorrente é a Dell e seus preços de serviços se aproximando dos meus, inclusive com a qualidade e tempestividade no atendimento. HP e Sony? São apenas marcas que prometem, mas não entregam qualidade, vendem apenas bons produtos.

São cerca de 4 milhões de micro e pequenas empresas que não dispõem de um departamento de informática e precisam de um profissional generalista que as peguem pelas mãos e avancem mercado afora.

Seus questionamentos serão respondidos na sequencia em que foram escritos e em seguida contribuo com um visão pessoal.

Para prestar serviços para pessoas jurídicas não há necessidade de ter a mesma natureza tributária. Você poderá receber por intermédio de um Recibo de Pagamento a Autônomo (RPA) caso não possua uma empresa registrada.

Mas essa forma acarreta alguns ônus a mais para a contratante (20% de INSS) e deve ser usada por no Maximo três meses. Tempo suficiente para você ser um MEI.

Outra vantagem de ser pessoa jurídica é poder comprar em revendas e caso queira repassar produtos.

Após esses 90 dias de experiência com a contratante verifique a possibilidade de elaborar um contrato de manutenção mensal ou trimestral, na forma de visita programada.

Nesse mercado de PME que necessitam de um prestador de serviços em TI, a necessidade primordial é de infra-esttutura e adequação das soluções existentes a nova organização. Equalizada essa questão, você será requisitado a executar prospecção tecnológica, haja vista que sua postura como consultor de TI será o de reduzir os custos operacionais e aumentar a lucratividade da contratante. Usando os conhecimentos de TIC.

Essas empresas estão cada vez mais exigentes quanto a escolha dos prestadores de serviços, pois tem na Internet ma primeira forma de consultoria e busca de informações. Boa apresentação e fluência em nosso idioma são os destaques para você causar uma boa 1ª impressão. Não se iluda: você não terá uma 2ª chance.

O mais difícil é justamente o 1º contrato, pois lembre-se que você está a vender serviços, coisa muito difícil de vender numa economia que privilegie produtos e relegue os serviços para o segundo plano. É justamente aqui, dominando a economia de serviços que você poderá se tornar um “mosca branca”, uma raridade na arte de prestar um excelente serviço.

Aconselho-o a estudar Programação Neurolinguística e neutralizar essa primeira barreira que é vender serviços no primeiro contato.

Empresas de pequeno e médio porte necessitam de profissionais generalistas que a ajudem a vencer o confronto inicial do embate tecnológico e depois que as habilitem a estabilizarem os processos. Um bom conhecimento de O&M ajuda a permanecer além do trabalho técnico-instrumental.

A promessa que a tecnologia nos daria mais tempo livre ainda é uma completa falácia, por isso que você pode reduzir alguns custos relativos à informatização, mas o capital humano será sempre o mais importante. Veja como grandes empresas estão quebrando por que acreditaram nessa falsa promessa e agora descobrem que são os funcionários a sustentarem os processos.

A maioria dos consultores de TI quando efetivam os processos informáticos, passam a fase seguinte que é a de Comunicação e depois Organização e Métodos. Por isso que se transformam e se reciclam em consultores empresariais.

Imagina um consultor de TI que implementou uma rede sem fio para a empresa contratante. Depois de ter implementado, treinando os funcionários, precisa fazer com que isso se tornar um meio e não um fim único para o lucro.

É chegado agora de novos processos, desta vez comunicacionais, do tipo como usar a Web para trazer mais clientes e aumentar nossa visibilidade. Entender apenas de database marketing não ajuda muito.

Estudar psicologia do cliente, comportamento do consumidor, empreendedorismo, programação neurolinguística, inteligência de negócios e processos de comunicação tornará você um profissional de futuro, independente de você ter escolhido uma profissão do futuro.

O bom profissional atende e resolve as emergências, mas o excelente profissional trabalha com manutenção corretiva, preventiva e principalmente com manutenção preditiva.

Trabalhar como técnico apenas resolvendo emergências não é sinal de inteligência, mesmo que isso signifique menos clientes, mas resolver o problema e trabalhar em nível profilático concede ao profissional um quilate maior de reconhecimento.

Trabalhar com conta própria é como um parto: dói, mas traz felicidades. E tudo que você fizer em sua vida haverá riscos, mas para que obtenhas sucesso eles devem ser meticulosamente calculados. Ou você acha que os grandes realizadores antes do sucesso não provaram a sua quota de fracasso, ou melhor dizendo, de suas tentativas infrutíferas?

Espero que receba essas linhas apenas como mais uma das dezenas de orientações que receberá ao longo de sua vida, mas lembre-se que é melhor começar agora alguma coisa por mais medíocre que seja a esperar a vida inteira pela perfeição e a certeza do suce$$o.

Bração e boa $orte,

Quemel

Editado por Quemel

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Amigo Quemel salve!

Não posso ao terminar de ler a dica, incentivo ou como queiram citar a(o) mesma(o) do texto acima deixar de lhe agradecer por mais uma injeção de animo a minha pessoa, a qual vem mudando o modo de ver a vida profissional de um jeito totalmente diferente. Depois de começar a participar de seu blog e ver os tópicos aqui do forum.

Gostaria de uma dica do amigo se possivel. De como proceder em uma localidade onde, a mentalidade das pessoas vem a ser "pobre" em relação a informática de hoje, onde só se visa as soluções baratas, rápidas e não corretas da área. E os profissionais não tem a mentalidade de mudar esse pensamento. Como agir nessa situação?

Grande abraço!

Editado por VovoKamikase

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Amigo Quemel salve!

Gostaria de uma dica do amigo se possivel. De como proceder em uma localidade onde, a mentalidade das pessoas vem a ser "pobre" em relação a informática de hoje, onde só se visa as soluções baratas, rápidas e não corretas da área. E os profissionais não tem a mentalidade de mudar esse pensamento. Como agir nessa situação?

Grande abraço!

Caro Rafael, salve!

primeiro vou "emprestar" uma dica do prof. Kanitz e depois após suas considerações e dis demais, posto a minha:

“Se você acha que cobrar caro e ficar rico é politicamente incorreto, como muitos professores têm ensinado por aí, doe o adicional ou então passe a trabalhar menos, volte para casa mais cedo e curta sua família”.

Por Stephen Kanitz *

Meu médico me recebeu todo envergonhado pelo atraso de duas horas na consulta marcada.

“Doutor, eu não estou irritado pela espera porque o senhor é simplesmente o melhor médico do país, e eu não sou bobo. Prefiro esperar a consultar o segundo ou o décimo melhor especialista da área.” Isso o tranqüilizou. “Eu só acho triste que o melhor médico deste país esteja cobrando o mesmo preço que os outros, tendo de trabalhar o dobro, sem tempo para estudar e ver a família. Eu, como palestrante que sou, cobro dez vezes o preço desta sua consulta, só que nunca chego atrasado.”

Ele concordou e balbuciou a seguinte frase, que me levou a escrever este artigo. “Tenho medo de cobrar mais do que os meus colegas. Eles ficariam com inveja, falariam mal de mim, seria um inferno.”

No Brasil, a maioria dos empregados e profissionais no fundo tem medo de pedir um aumento de salário ou de cobrar mais caro. Cobrar mais significa criar um cliente mais exigente, que irá reclamar toda vez que o serviço não corresponder ao preço. Cobrar menos é sempre a saída mais fácil, dá muito menos problemas, menos reclamações, como no meu caso. É preciso ter coragem para cobrar mais e assumir as responsabilidades inerentes. A maioria prefere o comodismo e a mediocridade do “preço tabelado”. Só que, se cobrar o mesmo que os colegas menos competentes, você estará roubando clientes deles, e é isso que cria inveja e maledicência. Você estará fazendo “dumping profissional”, estará sendo injusto com eles e consigo mesmo.

Eu sei que é difícil cobrar mais caro, mas alguém tem de dar o exemplo, mostrar aos outros profissionais o caminho da excelência, implantar novos padrões, como pontualidade, por exemplo. Você será o guru da nova geração, e a inveja que terão de seu novo preço fará com que eles passem a copiá-lo. E, à medida que seus colegas se aprimorarem, sua vantagem competitiva desaparecerá e você terá de reduzir o preço novamente ou então melhorar ainda mais seus serviços.

Somos essa sociedade atrasada porque, entre nós, cobrar caro, ganhar mais do que os outros é malvisto pelos nossos intelectuais, políticos, líderes religiosos e professores de sociologia. O paradigma de sucesso deles é cobrar pouco. Melhor ainda seria não cobrar, oferecendo de graça ensino, saúde, segurança, cultura, aposentadorias, remédios, comida, dinheiro, enfim. De graça, o povo não tem como reclamar dos péssimos serviços, os alunos desses professores não têm como criticar as péssimas aulas. “De cavalo dado não se olham os dentes.” Se alguma coisa a história nos ensina é que o “tudo grátis” traz consigo a queda da qualidade dos serviços públicos, a desvalorização do serviço, o desprezo pelo povo nas filas, a exclusão social, a corrupção e a desmoralização de todos os envolvidos.

O programa Bolsa Escola foi criado no governo do PSDB como uma forma inteligente de incentivar as mães a manter os filhos nas péssimas aulas do ensino público. Quando o estímulo deveria ser aulas interessantes a que nenhum aluno curioso iria faltar. Nós administradores já descobrimos há tempos que refeições grátis para funcionários não são valorizadas, e a qualidade despenca. Por isso, cobramos algo simbólico, 10% a 20% de seu valor. Se o ensino fosse cobrado, em pelo menos 10% do valor, teríamos pais de alunos reclamando do péssimo ensino público e gerando pressão por melhoria e redução de custos. Dizer que nem isso dá para pagar é mentira – 10% não chegariam a 20 reais por mês. Tem muito pai que faria trabalho extra pelo orgulho de saber que foi ele quem custeou a educação dos filhos, e não a caridade estatal. Se temos falta de recursos em educação, por que não cobrar pelo menos 10% do valor? Seria falta de coragem ou simplesmente vergonha?

Precisamos mudar a mentalidade deste país, uma mentalidade que incentiva a mediocridade, e o medo de cobrar pelos serviços, por óbvias razões. Se você acha que cobrar caro e ficar rico é politicamente incorreto, como muitos professores têm ensinado por aí, doe o adicional pelo meu site www.filantropia.org ou então passe a trabalhar menos, volte para casa mais cedo e curta sua família. Mas não faça a opção pela pobreza, não tenha medo de cobrar cada vez mais. Caso contrário, continuaremos pobres e medíocres para sempre. [Baixe aqui o artigo em formato PDF]

Bração e boa $orte,

Quemel

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Ser qualidade no meio da quantidade é difícil, mas não impossível.

realmente não é impossivel

e o bom de se trabalhar com qualidade é que nem precisa de propaganda

os próprios clientes fazem isso por você

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá caros colegas,

já possui uma pequena empresa TI, porém fui passado para trás pelo meu sócio. Desisti e abandonei tudo. Fui trabalhar de empregado, mas não vejo futuro trabalhando de carteira assinada. É muita cobrança para pouco salário. Estou pensando em voltar a trabalhar como autonomo, mas tem apenas alguns clientes domésticos. Okê vocês poderiam me sugerir.

Antonio.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Caro Antônio, salve!

Estude para passar num concurso público. Para nível médio na área de TI são salários que variam de R$ 4 mil a R$ 13 mil.

Bração e boa $orte,

Quemel

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!


Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.


Entrar agora