• Comunicados

    • Gabriel Torres

      Seja um moderador do Clube do Hardware!   13-02-2016

      Prezados membros do Clube do Hardware,

      Está aberto o processo de seleção de novos moderadores para diversos setores ou áreas do Clube do Hardware. Os requisitos são:
        Pelo menos 500 posts e um ano de cadastro; Boa frequência de participação; Ser respeitoso, cordial e educado com os demais membros; Ter bom nível de português; Ter razoável conhecimento da área em que pretende atuar; Saber trabalhar em equipe (com os moderadores, coordenadores e administradores).   Os interessados deverão enviar uma mensagem privada para o usuário @Equipe Clube do Hardware com o título "Candidato a moderador". A mensagem deverá conter respostas ao formulário abaixo:    Qual o seu nome completo? Qual sua data de nascimento? Qual sua formação/profissão? Já atuou como moderador em algo outro fórum, se sim, qual? De forma sucinta, explique o porquê de querer ser moderador do fórum e conte-nos um pouco sobre você.   OBS: Não se trata de função remunerada. Todos que fazem parte do staff são voluntários.
Entre para seguir isso  
Seguidores 0
OFAJ

Passaportes Equipados com Microchips

2 posts neste tópico

Informática - ZERO HORA - Quarta-feira, 29 de Dezembro de 2004.

Passaporte eletrônico sob suspeita

Padrões internacionais não protegeriam contra ladrões de identidade

Nova York

Os passaportes equipados com microchips, que vêm sendo testados pelos Estados Unidos, ainda não estão em uso, mas já enfrentam fogo cerrado disparado por defensores da privacidade. A União Americana de Liberdades Civis lançou alertas de que a tecnologia não vai proteger os viajantes de ladrões de identidade. As desconfianças ganharam força quando um executivo de uma das companhias que desenvolvem um protótipo para o Departamento de Estado norte-americano qualificou os padrões internacionais exigidos para o documento eletrônico de "inadequados".

Os padrões internacionais - adotados pelos Estados Unidos - são definidos pela Organização Internacional de Aviação Civil (Icao), afiliada à Organização das Nações Unidas (ONU), que pesquisa a tecnologia desde 1968. O problema é que, nos seus últimos passaportes, o órgão optou por uma abordagem mais simplificada, explicou Neville Pattinson, executivo da Axalto North America, que desenvolve um protótipo do documento para os Estados Unidos.

- Os padrões infelizmente desconsideram questões básicas de privacidade e deixam de fora métodos básicos de segurança - afirmou.

Pattinson é a pessoa mais importante envolvida na criação dos novos passaportes a expressar a preocupação de que o documento eletrônico possa ser alvo fácil para ladrões de identidade, se salvaguardas não forem adotadas. Detratores da tecnologia afirmam que, com os padrões atuais, a informação no chip poderia ser coletada por alguém com uma maleta e um leitor, apenas aproximando-a de um passaporte.

- Não há segurança embutida no sistema. Ele permite roubo de identidade e coloca os americanos em risco quando viajam internacionalmente - diz o diretor de tecnologia da União Americana de Liberdades Civis, Barry Steinhardt.

Os padrões internacionais preveêm o uso de rádio freqüência para que os dados contidos nos chips possam ser capturados à distância. Uma forma rudimentar de proteger passaportes eletrônicos de ladrões de identidade é enrolá-los em papel-alumínio, que bloqueia ondas de rádio. Mas a Icao e o Departamento de Estado norte-americano procuram métodos mais organizados.

Denis Schagnon, porta-voz da Icao, diz que as questões de privacidade não serão resolvidas do dia para a noite. Uma forma de combater ladrões já consta do protocolo-padrão: os passaportes terão autenticação codificada para que os leitores eletrônicos saibam que são documentos originais, e não forjados.

* Noticia supra é fiel à íntegra publicada no jornal, com nome da Fonte, Autor Original e Link para acesso ao veículo inseridos no corpo do tópico.

OFAJ

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Informática - ZERO HORA - Quarta-feira, 29 de Dezembro de 2004.

Tecnologia foi adotada depois de 11 de setembro

A utilização de documentos eletrônicos faz parte da política de segurança norte-americana adotada após os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001. A partir de 2006, a ideia é que todos os passaportes emitidos pelos Estados Unidos já venham com um chip que permita a leitura de informações por um instrumento remoto. Isso inclui dados como nome, foto e data de nascimento do portador. A tecnologia e os padrões internacionais também permitem que as impressões digitais e outras informações biométricas sejam agregadas ao documento.

Pelo menos outros 27 países cujos cidadãos têm direito a entrada livre - sem visto - nos Estados Unidos também terão de se adaptar ao passaporte eletrônico. Originalmente, o prazo para que essas nações se adequassem à exigência norte-americana terminava em outubro. Entretanto, o presidente George Bush prorrogou-o por mais um ano, até outubro de 2005. Recentemente, o ex-secretário de Estado norte-americano Colin Powell admitiu que os outros países, assim como os Estados Unidos, ainda consideram o processo de migração para os passaportes eletrônicos desencorajador.

* Noticia supra é fiel à íntegra publicada no jornal, com nome da Fonte, Autor Original e Link para acesso ao veículo inseridos no corpo do tópico. Ressalva: A matéria inserida neste post faz parte do conjunto de uma reportagem, cujo título da matéria principal é "Passaporte eletrônico sob suspeita."

OFAJ

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!


Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.


Entrar agora
Entre para seguir isso  
Seguidores 0