• Comunicados

    • Gabriel Torres

      Seja um moderador do Clube do Hardware!   13-02-2016

      Prezados membros do Clube do Hardware,

      Está aberto o processo de seleção de novos moderadores para diversos setores ou áreas do Clube do Hardware. Os requisitos são:
        Pelo menos 500 posts e um ano de cadastro; Boa frequência de participação; Ser respeitoso, cordial e educado com os demais membros; Ter bom nível de português; Ter razoável conhecimento da área em que pretende atuar; Saber trabalhar em equipe (com os moderadores, coordenadores e administradores).   Os interessados deverão enviar uma mensagem privada para o usuário @Equipe Clube do Hardware com o título "Candidato a moderador". A mensagem deverá conter respostas ao formulário abaixo:    Qual o seu nome completo? Qual sua data de nascimento? Qual sua formação/profissão? Já atuou como moderador em algo outro fórum, se sim, qual? De forma sucinta, explique o porquê de querer ser moderador do fórum e conte-nos um pouco sobre você.   OBS: Não se trata de função remunerada. Todos que fazem parte do staff são voluntários.
Entre para seguir isso  
Seguidores 0
OFAJ

Dez Tendências da Convergência Digital

2 posts neste tópico

Economia - O ESTADO DE S. PAULO - Domingo, 23 de Janeiro de 2005.

Dez tendências da convergência digital

Tecnologias da Informação / Economia Digital

Ethevaldo Siqueira

LAS VEGAS - Vale a pena entender o que vem por aí em matéria de produtos eletrônicos. Para antever essa evolução, nada melhor do que eventos como o Consumer Electronics Show (CES), aqui em Las Vegas, realizado sempre no começo de janeiro. Um dos painéis deste CES 2005 debateu, a propósito, as tendências da eletrônica de consumo nos próximos 10 anos, com a participação de Stephen Manes, colunista da Forbes, e da PC World, como moderador, e quatro especialistas da indústria: Jeffrey Belki (Qualcomm), Kevin Kahn (Intel), Rudy Provoost (Philips) e Stephen Schwartz (consultor da General Dynamics).

A partir das opiniões desses e de outros especialistas, resumo a seguir as tendências mais prováveis da convergência digital, bem como as possíveis maravilhas eletrônicas que estarão ao nosso alcance, leitor, ao longo dos próximos 10 anos. Aqui vão as tendências para 2015, com a mesma ressalva feita pelo moderador do painel no CES: "Não nos cobrem nada daqui a uma década sobre algumas coisas estúpidas que dissermos aqui".

1) A primeira grande tendência é a popularização de equipamentos de entretenimento portátil, da chamada tecnologia pessoal, tão atraentes como os tocadores de MP3, computadores de mão (handheld computers), PDAs, câmeras gravadoras de DVD, celulares multifuncionais e laptops de alta performance e capacidade de comunicação em banda larga. Um exemplo dessa tendência é o iPod da Apple, um multifuncional revolucionário, que grava e toca música MP3, armazena e exibe fotos digitais e já se acopla a uma dúzia de acessórios.

2) Outra tendência é a maturação da terceira geração (3G) do celular, que associa mobilidade, banda larga e conteúdos cada dia mais diversificados e sofisticados. Esse novo celular viabilizará o comércio eletrônico móvel (m-commerce), tornando realidade a interatividade em multimídia wireless. Na telefonia fixa, teremos a vitória arrasadora da tecnologia da voz sobre protocolo IP (VoIP, na sigla em inglês).

3) Triunfo da imagem de alta definição, a começar pela TV a cabo, nos monitores de computadores, nos projetores de alta performance (e baixo custo) e telões de cristal líquido a preços mais acessíveis. O home theater e o som surround estarão ao alcance da classe C. E, para quem ainda tem dúvidas, vale lembrar que ainda este ano chegará ao mercado o DVD de alta definição, o Blu-ray disc. Num exemplo de convergência total, nossos telões domésticos de alta definição poderão mostrar tanto as cenas e imagens vindas do outro lado do mundo quanto do quarto vizinho, dos provedores de conteúdo on demand, áudio de rádio digital de alcance mundial, hiperinformação online (jornais, revistas, TV aberta ou TV por assinatura), lojas virtuais e todas as formas de comércio virtual.

4) Milhões de cidadãos terão acesso à banda larga sem fio (Wi-Fi ou Wi-Max), nos locais públicos de maior densidade populacional, como aeroportos, shopping centers, hotéis ou restaurantes, para conexão gratuita de nossos laptops e celulares. Com a expansão das redes sem fio Bluetooth, poderemos eliminar todos os fios de conexão existentes em nossas casas, dos mouses, teclados, impressoras, caixas acústicas, fones de ouvido, telefones fixos, de tudo. Já suspiro de alívio.

5) E a internet? Estará no auge, com acesso em banda larga, a 10 megabits por segundo (Mb/s), em sua maioria sem fio, não apenas em escritórios e empresas, mas em aviões, residências de melhor padrão, universidades, hotéis, escolas de primeiro grau, lojas e shopping centers.

6) Servidores de mídia domésticos estarão presentes em pelo menos 60% dos domicílios de classe média nos Estados Unidos, integrando o televisor e o computador e gravando tudo digitalmente. A esses servidores e mídia centers estarão conectadas também jukeboxes capazes de armazenar até alguns terabytes de informação, guardando e tocando todo nosso acervo audiovisual doméstico.

7) Carros digitais oferecerão um festival de entretenimento e informação, com recepção de TV e rádio digital via satélite, navegadores GPS integrados ao celular, sistemas de informação de utilidade pública, internet de alta velocidade e, creiam, um servidor de multimídia dentro do veículo para controlar tudo.

8) Os sensores pareciam coisas de ficção. Pois daqui a 10 anos utilizaremos esses dispositivos em profusão, em sistemas de identificação biométrica, em computadores vestíveis, ou seja, em roupas capazes de checar nossa saúde dia e noite, monitorar nossa malhação nas academias de ginástica ou nas esteiras domésticas. Com sensores, poderemos abrir portas, dialogar com terminais, abrir o sinal verde dos semáforos, identificar pessoas, controlar a entrada de visitantes, proteger as residências e automatizar casas e escritórios.

9) A nanotecnologia decolará, seguramente, nos próximos 10 anos, produzindo as primeiras máquinas e robôs do tamanho de algumas moléculas ou átomos. Alguns nanodispositivos poderão revolucionar a eletrônica, nos chips, memórias e componentes eletrônicos mais sofisticados.

10) Finalmente, a revolução do conteúdo será, predominantemente, voltada para o entretenimento, pois, na visão dos líderes, "tudo terá que ser um pouco mais divertido daqui para frente, seja trabalho, educação e, principalmente, os meios de comunicação".

No seu estilo mordaz e cético, o moderador Stephen Manes concluiu o debate formulando apenas um desejo: "O que eu espero, mesmo, é que todos esses aparelhos, a começar dos celulares, funcionem bem, antes de 2015. Nada mais".

* Noticia supra é fiel à íntegra publicada no jornal, com nome da Fonte, Autor Original e Link para acesso ao veículo inseridos no corpo do tópico.

OFAJ

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fico intrigado como conseguem mensurar esses níveis. Existem contadores de acesso (tem um no fim dessa página), mas algo assim é grandioso.

A propensão a tecnologia é evidenciada em países emergentes, onde a alusão a detenção de poder, por meios de supremacia virtual, se torna fator de debates nas câmaras governamentais, mas na terrinha funciona de modo rápido e divulgado.

Vi hoje algumas notícias que me deixam inquieto como o aumento de computadores no planeta, recuo brasileiro em crescimento tecnológico, número avassalador de usuários de ADSL, a China desenvolvendo sistema operacional e as vendas do iTunes estão com crescimento vertiginoso... Haja retina.

Estou no meio de 11 milhões de pessoas com acesso web, e tenho 12 contatos no Orkut e 7 no Linkedin. Estou no país que é líder dos emergentes na web e tenho dificuldade em encontrar um hot-spot.

"Corp" me ouça: Eu quero ver todo mundo conectado!

Como disse Gessinger "Você que tem idéias tão modernas é o mesmo homem que vivia nas cavernas"

Na onda da Inclusão Digital, medidas como essa poderiam ser adotadas aqui na terrinha. O espírito altruísta do brasileiro precisa de incentivos e de inclusão de novas tecnologias em seu cotidiano, tanto para efetivar o plano do Governo ("G") quanto para despertar o "Espírito Cibernético" (não cyber-punk) do cidadão.

A "Exclusão Digital" promove uma benfeitoria à comunidade com suas escolas técnicas, jargões high-tech e tudo o mais, e forma o brasileiro tecnologico, com um editor de textos na cabeça e um certificado do Next G embaixo do braço...

Vamos propagar o uso efetivo do smart card, do VoIP, da banda larga e até quem sabe do Skype! Assim paramos de comprar celular 2.tantos G sem saber o que é MMS!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!


Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.


Entrar agora
Entre para seguir isso  
Seguidores 0