Ir ao conteúdo
  • Comunicados

    • Gabriel Torres

      Seja um moderador do Clube do Hardware!   12-02-2016

      Prezados membros do Clube do Hardware, Está aberto o processo de seleção de novos moderadores para diversos setores ou áreas do Clube do Hardware. Os requisitos são:   Pelo menos 500 posts e um ano de cadastro; Boa frequência de participação; Ser respeitoso, cordial e educado com os demais membros; Ter bom nível de português; Ter razoável conhecimento da área em que pretende atuar; Saber trabalhar em equipe (com os moderadores, coordenadores e administradores).   Os interessados deverão enviar uma mensagem privada para o usuário @Equipe Clube do Hardware com o título "Candidato a moderador". A mensagem deverá conter respostas às perguntas abaixo:   Qual o seu nome completo? Qual sua data de nascimento? Qual sua formação/profissão? Já atuou como moderador em algo outro fórum, se sim, qual? De forma sucinta, explique o porquê de querer ser moderador do fórum e conte-nos um pouco sobre você.   OBS: Não se trata de função remunerada. Todos que fazem parte do staff são voluntários.
eugenioatc.com

Não Consigo Instalar o Kurumin por causa de partição

Recommended Posts

Tenho uma máquina p4 com hd de 10 gb, e 256 memoria, queria deixar o hd com duas partição, não estou conseguindo gerar isto e fazer a instalação, que tipo de partição devo criar, 1 partição swap, 2 duas normais que tipo de formatação devo utilizar, para que rode a instalação.

Obrigado

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Qual kurumin você vai usar, o 7?

Tens que ter apenas 2

a refeiser para o sistema de arquivos e a swap para a memoria virtual.

Mas se queres duas faça o seguinte, instale o sistema normalmente e ao invés de refeiser escolha ext3. Depois de tudo instalado bonitinho, use o gparted que vem no proprio linux e redimensione a partição principal.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

quer duas partição pra sistemas diferentes? se for isso redimensiona a partição do ruwindows e deixe o espaço necessário livre pro linux. dai você inicia a máquin a com o cd do linux e vai criando as partições pro linux, a swap e a outra. com o ubuntu dá pra fazer uisso tranquilamente, com kurumim n tenho certeza mas tenta ae.

abraço

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Rode uma distro LiveCD, por exemplo: Kurumin ou Ubuntu.

Abra o Editor de Partições.

No caso do Kurumin: vá em Menu K >> Sistema >> Particionamento >> Gparted

No caso do Ubuntu: vá em Sistema >> Administração >> Editor de Partições

Crie a principal (que vai receber o sistema ), a segunda (provavelmente seus dados ou um outro S.O), e a terceira de swap.

*A partição de swap, no seu caso acho que seria bom criar uma entre 512MB e 1GB.

Se o uso for só para Linux, na hora de formatar, faça como o colega Gaúcho.online falou, e a 3º partição formate como linux-swap.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O cfdisk é um programa simples, de modo texto. Se você é iniciante, vai se sentir mais confortável usando o gparted, o Partition Magic (no Windows) ou o particionador oferecido durante a instalação do Mandriva. Basta dar boot com um CD do Mandriva, ou do Mandrake 9.0 em diante, seguir até o particionamento do disco e abortar a instalação depois de fazer o particionamento. Ele é bem fácil de usar e oferece a opção de redimensionar partições Windows.

Caso o HD já esteja particionado basta selecionar a opção "Quit" na janela do cfdisk, ou pressionar a tecla "q" para prosseguir com a instalação. Para alternar entre as opções dentro do cfdisk, use as setas para a esquerda e direita no teclado; para selecionar uma opção tecle Enter.

Dentro do cfdisk, use as setas para cima e para baixo para selecionar uma partição ou trecho de espaço livre e as setas para a direita e esquerda para navegar entre as opções, que incluem:

Delete: Deletar uma partição, transformando-a em espaço livre. Use esta opção para deletar partições já existentes no HD para poder criar novas.

Create: Cria uma partição usando um trecho de espaço livre. O assistente perguntará sobre o tamanho da partição, em megabytes. Você terá ainda a opção de criar uma partição primária e uma partição extendida.

Você pode criar no máximo de quatro partições primárias, uma limitação que vem desde o PC-XT. Mas, por outro lado pode criar até 255 partições extendidas. Todas as versões do Windows e do DOS exigem que sejam instaladas numa partição primária, mas no Linux não existe esta limitação.

Você pode criar quantas partições for necessário e instalar o Kurumin em qual delas preferir.

Maximize: Redimensiona uma partição, para que ela ocupe todo o espaço disponível no HD. O processo não é destrutivo, pois o sistema simplesmente adiciona o espaço adicional no final da partição, sem mexer no que está gravado, mas de qualquer forma é sempre saudável fazer um backup.

Type: Altera o sistema de arquivos da partição (Linux, FAT, Linux Swap, etc.). Lembre-se de que você deve ter no mínimo uma partição Linux e outra Linux Swap.

Bootable: Esta é mais uma opção necessária para partições do Windows ou DOS, mas não para o Linux. Mas a regra básica é que ao usar várias partições, a partição onde o sistema operacional está instalado seja marcada com este atributo.

Write: Salva as alterações.

Quit: Depois de fazer as alterações necessárias e salvar, só falta sair do programa ;-).

Basicamente, ao usar o cfdisk, você deve criar duas partições, uma maior para instalar o sistema e outra menor, de 500 MB ou 1 GB para a memória swap. Ao deletar uma partição antiga você seleciona o trecho de espaço livre e acessa a opção Create para criar uma partição Linux para a instalação do sistema. Para criar a partição swap, você repete o procedimento, criando uma segunda partição Linux, mas em seguida você acessa a opção Type e pressiona Enter duas vezes para que o cfdisk a transforme numa partição swap. Criadas as duas partições, é só salvar e sair.

O cfdisk não oferece nenhuma opção para redimensionar partições. Para isso você deve usar o gparted, ou outro particionador com que tenha familiaridade, como o Partition Magic ou o particionador usado durante a instalação do Mandrake por exemplo (basta iniciar a instalação até chegar ao particionamento do disco, alterar o particionamento, salvar e em seguida abortar a instalação).

Lembre-se de que o cfdisk deve ser usado apenas se você deseja deletar ou criar partições no HD. Se você quer apenas instalar o Kurumin numa partição que já existe (mesmo que seja uma partição do Windows ou esteja formatada em outro sistema de arquivos qualquer), pode dispensar o cfdisk, basta sair sem fazer nada. A formatação propriamente dita é feita mais adiante durante a instalação.

Alguns programas de particionamento (como o do instalador do Mandrake) criam tabelas de partição que não são entendidas pelo cfdisk. Neste caso, ao abrir o cfdisk você receberá uma mensagem de erro sobre a tabela de partição. Isto não significa necessariamente que exista algo errado com o seu HD, apenas que o cfdisk não conseguiu entender a tabela de partição atual.

Isto é perfeitamente normal, basta pressionar Enter para fechar o cfdisk e prosseguir com a instalação. O único problema neste caso é que você terá que recorrer a outro programa para reparticionar o HD. Como disse acima, você pode usar um CD de instalação do Mandriva, prosseguir até a parte de particionamento do disco e depois abortar a instalação.

Se você quer apenas usar o cfdisk para reformatar o HD, sem se preocupar com os dados, você pode fazer o cfdisk eliminar a tabela de partição do HD, criando uma nova tabela em branco. Esta opção é perigosa (vai apagar todos os dados), por isso não foi incluída no instalador. Se você quiser usá-la, abra o Root Shell encontrado em Iniciar > Configuração do Sistema e chame o comando "cfdisk -z" e particione o disco a seu gosto. Lembre-se, esta opção vai destruir todos os dados do HD.

Particionando com o gparted

O gparted é um particionador gráfico, bem mais amigável. Ao usá-lo, é importante observar que todas as partições do HD devem estar desmontadas , ou seja, elas não devem estar em uso. Ao dar boot com o CD do Kurumin, todas as partições ficam por padrão desativadas. Elas são montadas quando você clica sobre os ícones das partições dentro do "Meu Computador" para ver os arquivos. Para desmontá-las, clique com o botão direito sobre o ícone e acione a opção "Desmontar".

Na tela principal, você verá um "mapa" do HD, com todas as partições disponíveis e pode criar, deletar e redimensionar partições a partir dele. Neste exemplo, tenho uma partição Windows de 6 GB, formatada em NTFS, onde apenas 1.4 GB estão usados (a parte que aparece em amarelo no "mapa"). É possível redimensionar a partição reduzindo seu tamanho para algo próximo do espaço ocupado, 2 ou 3 GB por exemplo.

Você pode usar o gparted para redimensionar a partição do Windows e liberar espaço para o Kurumin. Ele é capaz de redimensionar tanto partições FAT32 quanto partições em NTFS. A única exigência é que antes de redimensionar você deve primeiro desfragmentar a partição alvo (reinicie e use o defrag do próprio Windows). Caso a partição não esteja desfragmentada ele aborta a operação para evitar qualquer possibilidade de perda de dados.

Para redimensionar, clique na partição e em seguida sobre a opção "Redimensionar/Mover", onde você pode ajustar o novo tamanho da partição.

As alterações não são feitas automaticamente. Depois de revisar tudo clique no "Aplicar" para que as modificações sejam aplicadas. O gparted utiliza vários outros programas para checar as partições e fazer o trabalho pesado. Clique no botão "Details" para ver os passos que estão sendo executados.

O gparted tem como principal objetivo evitar perda de dados, de forma que sempre que ele encontra algum problema na partição, a operação é abortada. O problema mais comum ao redimensionar partições Windows é o fato da partição estar fragmentada. O gparted não tenta mover arquivos dentro da partição, ele apenas altera seu tamanho. Se houver arquivos gravados no final da partição, ele se recusará a tentar redimensioná-la, para evitar que estes arquivos sejam perdidos. Para corrigir o problema, volte ao Windows e desfragmente a partição.

Depois de concluído, você ficará com um bloco cinza, que representa espaço livre, não particionado. Para criar uma nova partição, clique com o botão direito sobre ele e em seguida sobre o botão "Novo". Na tela seguinte você pode escolher o sistema de arquivos em que a partição será formatada, seu tamanho e também se ela deve ser criada como uma partição primária, ou uma partição lógica. Lembre-se de que você só pode criar quatro partições primárias, ou até três primárias e uma extendida, com várias partições lógicas dentro dela. Ao terminar, clique no "Adicionar" para concluir a alteração.

Note que as alterações são realmente aplicadas apenas ao clicar sobre o "Aplicar". Se mudar de ideia, basta usar o botão "Desfazer".

Para instalar, você precisa de uma partição Linux, formatada em ReiserFS, EXT2 ou EXT3, e uma partição swap. A partição swap não é realmente obrigatória, você até pode passar sem ela se tiver 512 MB de RAM ou mais. Porém, mesmo com bastante memória RAM, é recomendável usar uma partição swap, pois ela permite que o sistema remova bibliotecas e arquivos que não estão sendo usados da memória, em caso de necessidade, deixando mais memória livre para rodar os aplicativos nos momentos em que você estiver rodando muita coisa ao mesmo tempo e o PC estiver sofrendo para acompanhá-lo :-).

Muita gente tem uma imagem errada do uso da memória swap por causa da forma burra como ela é gerenciada no Windows 98. Nele, mesmo com muita memória disponível, o sistema insiste em fazer swap, prejudicando o desempenho e tornando o sistema menos responsivo.

No caso do Linux, principalmente ao usar uma distribuição recente, com o Kernel 2.6, o gerenciamento é feito de forma muito mais inteligente. O sistema leva vários fatores em conta na hora de decidir se usa swap ou não, usando-a apenas em casos de real necessidade, ou quando seu uso vai melhorar o desempenho do sistema.

Usar swap para melhorar o desempenho parece paradoxal. Afinal, a swap é centenas de vezes mais lenta que a memória RAM e tudo que é colocado nela demora muito tempo para ser reavido. Porém, quando você abre muitos aplicativos e a memória RAM começa a acabar, mover para a swap arquivos e bibliotecas que possuem pouca chance de serem usados novamente faz sentido, pois libera memória para uso dos aplicativos que você realmente está usando.

Outra coisa a levar em consideração é o cache de disco, espaços de memória que são usados para copiar informações que são freqüentemente lidas no HD, de forma a agilizar o acesso a elas. Você pode ver isso funcionando na prática: abra uma janela do OpenOffice ou o Firefox. Da primeira vez demora um pouco para carregar. Feche a janela e abra novamente. Da segunda vez já demorou bem menos, não é?

Isto acontece justamente porque na segunda abertura o sistema acessou boa parte das informações a partir do cache, ao invés de ter de ler tudo novamente a partir do HD ou CD. O cache de disco é um recurso que acelera absurdamente o tempo de carregamento dos programas e arquivos. Com mais memória disponível, o sistema pode fazer mais cache, melhorando perceptivelmente o desempenho.

A terceira questão é que sem swap o sistema não tem para onde correr em situações onde você precisa abrir muitos programas ou executar alguma tarefa que realmente use toda a memória disponível. Sem memória, o sistema vai começar a ficar lento e, em situações mais extremas, os aplicativos começarão a fechar por falta de memória.

Se você tiver bastante espaço disponível no HD, crie uma partição swap de 1 GB ou 2 GB. Se o espaço estiver racionado, crie uma partição menor, de 300 ou 500 MB. O ideal é que a partição swap seja maior em micros com pouca RAM e menor em micros com mais memória.

Para criar a partição swap no gparted, escolha "linux-swap" no campo "Sistema de Arquivos".

Uma dica é que o gparted também pode ser usado para criar partições FAT32 e NTFS do Windows. Ou seja, você pode usá-lo também para particionar um HD para a instalação do Windows ao invés daqueles ultrapassados disquetes de boot do Windows 98. Basta dar um boot com o Kurumin :).

Lembre-se de que o Kurumin ocupa cerca de 1.2 GB ao ser instado, mas você precisará de espaço para guardar seus arquivos e instalar outros programas. O ideal é reservar pelo menos 2 GB para o sistema e mais uns 500 MB (ou mais) de espaço para a partição swap.

Se você tiver mais espaço disponível, aproveite para criar também uma partição extra para armazenar o diretório /home, que veremos como configurar a seguir. Esta partição separada permitirá reinstalar o sistema posteriormente sem perder seus arquivos, que ficarão protegidos numa partição separada.

Em muitos micros é preciso reiniciar depois de modificar o particionamento do HD para que o sistema seja capaz de perceber as alterações. A limitação neste caso é o BIOS da placa-mãe, que em muitos casos só é capaz de ler a tabela de partições do HD durante o boot. Se o instalador reclamar que não existem partições Linux disponíveis, mesmo que você tenha feito tudo corretamente, é provável que seja este seu caso. Reinicie e comece novamente a instalação, dessa vez passando batido pela parte de particionamento.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×