Ir ao conteúdo
  • Comunicados

    • Gabriel Torres

      Seja um moderador do Clube do Hardware!   12-02-2016

      Prezados membros do Clube do Hardware, Está aberto o processo de seleção de novos moderadores para diversos setores ou áreas do Clube do Hardware. Os requisitos são:   Pelo menos 500 posts e um ano de cadastro; Boa frequência de participação; Ser respeitoso, cordial e educado com os demais membros; Ter bom nível de português; Ter razoável conhecimento da área em que pretende atuar; Saber trabalhar em equipe (com os moderadores, coordenadores e administradores).   Os interessados deverão enviar uma mensagem privada para o usuário @Equipe Clube do Hardware com o título "Candidato a moderador". A mensagem deverá conter respostas às perguntas abaixo:   Qual o seu nome completo? Qual sua data de nascimento? Qual sua formação/profissão? Já atuou como moderador em algo outro fórum, se sim, qual? De forma sucinta, explique o porquê de querer ser moderador do fórum e conte-nos um pouco sobre você.   OBS: Não se trata de função remunerada. Todos que fazem parte do staff são voluntários.
João Pedro Souza

Engenharia da Computação - Opinião grade:

Recommended Posts

Achei a grade boa. Aparenta ser um pouco puxada para querer dar uma matéria inteira em 6 meses.

Você conhece algo no ramo da informática?

Vendo essa grade, acha que vai gostar do curso?

Abraço

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá João;

Sou aluno finalista em Engenharia da Computação na UFES (Federal do ES) e gostaria de comentar a respeito desta grade curricular de E.C da UCP.

Engenharia da Computação é na verdade uma Engenharia Elétrica com ênfase em Tecnologia da Informação, portanto um Engenheiro da Computação precisa entender muito bem de Engenharia Elétrica, e nesta parte a grade curricular da UCP é muito pobre. Pode-se observar claramente esta deficiência ao ver que existem somente 5 disciplinas de Engenharia Elétrica (Eletricidade e Magnetismo, Circuitos Elétricos I e II, Circuitos Digitais e Eletricidade Aplicada). A disciplina Eletromagnetismo é mais física do que engenharia elétrica, e faz parte da base curricular de qualquer engenharia.

Algumas disciplinas poderiam ser fundidas em apenas uma, como por exemplo Lógica em Programação + Algoritmos I, Algoritmos II + Programação II, Fluidos Ondas e Calor + Fenômenos de Transporte, Eletricidade e Magnetismo + Eletromagnetismo I, Ciência dos Materiais + Mecânica dos sólidos, Arquitetura de Computadores + Organização de Computadores, entre outras. Acho que a carga horária poderia ser mais bem aproveitada, colocando disciplinas mais objetivas a um Engenheiro da Computação. O fato de se ter uma mesma área de estudo dividida em 2 ou 3 disciplinas torna o curso muito cansativo e fatídico, aumenta o número de provas e trabalhos e muitas vezes o aluno não consegue seguir uma boa linha de raciocínio ao longo do curso, com uma alta carga teórica.

Já outras disciplinas, ao meu ver, são totalmente dispensáveis na formação de um Engenheiro, como Introdução à Filosofia e Introdução à Teologia I e II. Aqui eu entendi o motivo de tanta carga horária filosófica e teológica: a Universidade UCP é Católica. Na minha opinião, colocar duas disciplinas de teologia num curso de Engenharia da Computação é no mínimo absurdo. 144 horas de Introdução à Teologia mais 72 horas de Introdução à Filosofia é um exagero total, mesmo considerando ser uma Universidade Católica. Com 72 horas dá para se fazer um curso de Cálculo I muito bem feito, coisa extremamente importante na vida de qualquer Engenheiro, e ver 144 horas de disciplina teológica é muito estranho.

Outras disciplinas, como as que aparecem no 5º período desta grade, eu acho melhor que elas ficassem para o final do curso, no 9º ou 10º período como por exemplo Introdução à Teoria Econômica, Administração e Organização Empresarial, Segurança no trabalho e Gerência de Projetos. Esta última até poderia ser ministrada a partir do 7º período, visto que o aluno de E.C. precisará elaborar vários projetos ao longo do curso. Eletricidade Aplicada, que aparece no 10º período poderia ser ministrada bem antes disso, em meados do 5º período e não no final do curso.

Outros "buracos" nesta grade é a falta de disciplinas como Controle Automático I e II, Eletrônica Digital I e II, Teleprocessamento, Microprocessadores I e II e Redes de Computadores.

Enfim, numa avaliação geral, segundo minha experiência na área, não avalio positivamente esta grade curricular, que parece ter sido muito mal elaborada, dando muito espaço para disciplinas de cunho filosófico e teológico, distribuindo uma mesma área de estudo em várias disciplinas (desnecessariamente) em detrimento de coisas muito importantes a um Engenheiro da Computação. Acredito que seria mais interessante você dar uma olhada na grade curricular de Ciência da Computação na Universidade Federal que você citou e avaliar a possibilidade de cursar por lá, certamente uma Universidade Federal teria uma grade mais bem elaborada. Sobre o fato dos professores não "ligarem muito para os alunos", isso acontece em qualquer Universidade Federal e é preciso saber lidar com isso, pois a vida profissional de um Engenheiro é muito parecida com essa realidade, você precisa saber "se virar", mesmo que não seja um "engenheiro" no currículo, mas um bacharel em Ciência da Computação.

Um abraço, espero que tenha lhe ajudado na escolha.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

João, entendo perfeitamente sua preocupação com um ensino de qualidade. Mas também é preciso entender que pouco ou nada do que você será profissionalmente dependerá da Instituição de Ensino que você frequentará. Na verdade mesmo, dependerá de você, do quanto você vai se dedicar aos estudos, do quanto você ampliará seu currículo, do quanto você se esforça para superar suas limitações, dentre uma série de outras coisas.

Vou ser sincero contigo, eu não faria esse curso de E.C nesta faculdade aí. De fato parece ser um curso de Ciência da Computação "camuflado" de Engenharia da Computação, que na verdade, ele não tem nada de E.C. Se existisse essa ideia de curso de Engenharia da Computação muito focado em software, então não seria necessário criar este curso, já que Ciência da Computação já existia décadas antes.

Sobre o que você disse abaixo, eu sinceramente não entendi quase nada:

Sobre o que você citou em respeito a faculdade federal daqui (LNCC), o problema é que eu estudo em colégio particular e as escolas públicas daqui são muito ruins. A maioria pode pensar, há mais quem quiser aprender consegue só presta atenção e etc... Mais aqui na minha cidade realmente é muito ruim, os professores não conseguem da aula por causa dos outros alunos, é algo surrealista, e pra fica em algo assim fica muito difícil, e acho que tem um sistema que a matricula é feita e é colocado na escola mais próximo de casa e os 2 colégios mais próximos da minha casa são realmente muito ruins e são quase certo que irei pra um deles, no centro da cidade tem uns colégios bons mais é difícil conseguir lá...

Eu fico meio que sem saída. Eu estudo em colégio particular mais meus pais não tem condições financeiras muito boas para isso, pagam mesmo para que eu possa ter um ensino um pouco melhor que infelizmente implica em entrar na federal daqui... E fica difícil ir pra outra cidade pra fazer uma faculdade particular que deve ser mil reais pra cima mais despesas de mora no lugar...

O que tem a ver as escolas públicas da sua cidade com a LNCC? Uma coisa seria as escolas públicas de ensino médio e outra a faculdade LNCC, ou não?

Mesmo querendo cursar Engenharia vocês me aconselharia fazer Ciências da Computação, ou nessa situação é melhor desistir da área?

Desistir da área por causa disso, nem pensar. Entre escolher um curso particular (certamente bem caro), não focado no que deveria ser e fazer um curso de CC numa faculdade mais estruturada e gratuitamente, eu ficaria com a 2ª opção. Até porque um Cientista da Computação pode ser especializar (ao final do curso) em vários campos da Engenharia da Computação, como redes por exemplo. Basta você fazer disciplinas optativas referentes a isso ao longo do curso. Ou então tentar as certificações que existem aos montes hoje em dia.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bom amigo, eu desconheço qualquer instituição de ensino superior pública restrita a alunos oriundos de escolas públicas. O que existe são processos de cotas para alunos de escolas públicas, mas não restrição total a isso.

Parece-me que na verdade a instituição pública na sua cidade seria o ISTCCP, que é uma instituição Estadual no Rio de Janeiro e não Federal. Infelizmente não consegui mais informações sobre esta instituição em seu site, pois não está funcionando. Mas o que identifiquei é que lá é ministrado Curso Superior de Tecnologia da Informação e da Comunicação M - N. Tente entrar em contato com a instituição e obter mais detalhes:

http://www.mundovestibular.com.br/articles/2635/1/Instituto-Superior-de-Tecnologia-em-Ciencia-da-Informacao-de-Petropolis---ISTCCP/Paacutegina1.html

Abraços

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×