Ir ao conteúdo
  • Comunicados

    • Gabriel Torres

      Seja um moderador do Clube do Hardware!   12-02-2016

      Prezados membros do Clube do Hardware, Está aberto o processo de seleção de novos moderadores para diversos setores ou áreas do Clube do Hardware. Os requisitos são:   Pelo menos 500 posts e um ano de cadastro; Boa frequência de participação; Ser respeitoso, cordial e educado com os demais membros; Ter bom nível de português; Ter razoável conhecimento da área em que pretende atuar; Saber trabalhar em equipe (com os moderadores, coordenadores e administradores).   Os interessados deverão enviar uma mensagem privada para o usuário @Equipe Clube do Hardware com o título "Candidato a moderador". A mensagem deverá conter respostas às perguntas abaixo:   Qual o seu nome completo? Qual sua data de nascimento? Qual sua formação/profissão? Já atuou como moderador em algo outro fórum, se sim, qual? De forma sucinta, explique o porquê de querer ser moderador do fórum e conte-nos um pouco sobre você.   OBS: Não se trata de função remunerada. Todos que fazem parte do staff são voluntários.
leniows

Bateria de carro para uso comum (residencial; lampadas por exemplo)

Recommended Posts

Ola meu povo e minha pova....
seguinte, trabalho em fazenda, sou zootecnista, e na minha fazenda ainda nao ha energia eletrica. Ficamos a base de um pequeno gerador a gasolina para acender lampadas, funcionar ferramentas, carregar celular, notebooks, por ai vai.

Me disseram que eu poderia usar uma bateria de carro para essa finalidade e com o proprio gerador eu a carregaria quando tivesse a carga mais baixa.
O bom seria que o gerador nao ficaria ligado gerando aquele barulhao, e poderiamos usar equipamentos como liquidificador, e quem sabe, uma televisão  por lá porque faz falta né rsrs

O que vocês sabem sobre isso? Que equipamentos devo ter? Como é em relação as conexoes, fios, capacidades...

Sou totalmente leigo e queria alguma ajuda... ja fui no google muitas vezes mas nao acho informacao suficiente...
abraço!

Editado por xykote

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Para começo de historia :D, você precissa de um inversor de tensão

Qual a tensão da rede elétrica que você usa? (220V ou 115V).

com esse imversor basta ter uma bateria conectada ao imversor assim poderá ligar eletro domesticos e outros como TV, lampadas, Notebook, liquidificador e outros.

lembrando que o tempo de uso é varia de acordo com quantidade de carga que a bateria possui.(a de carro é geralmente 60 amperes)

Falou

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

A ideia é válida, mas com algumas restrições.

A primeira é quanto ao tipo de bateria. Bateria automotiva não serve, pois ela não é uma bateria estacionária - a bateria do carro não pode ficar parada senão ela estraga.

A segunda é quanto ao tipo de carga que você pode alimentar. Tome cuidado com cargas indutivas em inversores com saída em onda quadrada.

Fora isso é só mão a obra!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Autor do tópico
  • então, em teoria, eu precisaria apenas de duas coisas...

    1 - bateria propriamente dita

    2 - inversor de tensão.... no meu caso 110v

    CABTEIXEIRA... se bateria de carro nao serve, qual tipo de bateria eu poderia usar? alem disso... sera que da pra ser menos tecnico?

    "A segunda é quanto ao tipo de carga que você pode alimentar. Tome cuidado com cargas indutivas em inversores com saída em onda quadrada"

    porque nao entendi nada! kkkk

    Obrigado pela ajuda!

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    Vamos então por partes:

    se bateria de carro nao serve, qual tipo de bateria eu poderia usar?

    1) Para este tipo de aplicação, o ideal seria usar uma bateria estacionária. A diferença para uma bateria automotiva é que este tipo não depende das sacudidas do carro (enquanto se move) para ficar funcionando. As baterias automotivas entram em curto (entre as placas de cada célula) se ficam em repouso, paradas...

    Nas baterias a energia é disponibilizada por meio de uma reação química (as placas da bateria são corroidas pelo ácido). O problema é que nas baterias automotivas os detritos dessa reação vão decantando no fundo da bateria, e se você não sacode ela de vez em quando ela entra em curto.

    Na falta de baterias apropriadas, você até pode usar baterias automotivas... Mas saiba que elas não vão durar muito.

    Tome cuidado com cargas indutivas em inversores com saída em onda quadrada

    2) O que eu quis dizer é o seguinte - a tensão na tomada de tua casa (e também a tensão na saida de um gerador, como aquele que você usa) é senoidal, igual a esta:

    senoide.gif

    Como você pode reparar, o valor da tensão fica variando ao longo do tempo. Além disso, ela varia de polaridade ao longo do tempo (hora é positiva, hora é negativa, e volta a ser positiva, e assim por diante) - e é daí que dizemos que a corrente é alternada - pois ela varia de sentido, ou seja, ela alterna o seu sentido de circulação no circuito.

    Em alguns inversores (talvez a maioria deles), a saída é assim:

    Rectangle-Perfect01.jpg

    Não precisa ser "técnico" para perceber a diferença, né?

    A questão é que se você analisar esse tipo de forma de onda, vai perceber que ela só varia o seu valor quando ocorre a transição entre o positivo e o negativo... Fora desse momento de transição, o valor da tensão fica fixo.

    Então, se você alimenta uma lâmpada comum, dessas incandescentes (uma carga resistiva) não tem problema.

    Mas se alimenta um transformador ou um motor, que são feitos de bobinas terás problemas... Uma bobina só produz um campo magnético variável, capaz de induzir tensão em outra bobina (no caso de um transformador) se a tensão na bobina estiver variando, e na onda quadrada a tensão fica a maior parte do tempo sem variar...

    Além disso, você não consegue produzir uma variação de corrente muito brusca numa bobina... E lembra que a tensão na onda quadrada varia bruscamente?

    Então... Na prática, se você for alimentar uma carga indutiva (composta de bobinas) com onda quadrada, não vai funcionar direito!

    Uma alternativa, usada em alguns modelos de no-break é usar uma forma de onda diferente:

    ondas.jpg

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
    a bateria do carro não pode ficar parada senão ela estraga

    1) Para este tipo de aplicação, o ideal seria usar uma bateria estacionária. A diferença para uma bateria automotiva é que este tipo não depende das sacudidas do carro (enquanto se move) para ficar funcionando. As baterias automotivas entram em curto (entre as placas de cada célula) se ficam em repouso, paradas...

    Você poderia citar fontes que corroborem esta informação?

    Editado por Mulder_Fox

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
    A diferença para uma bateria automotiva é que este tipo não depende das sacudidas do carro

    ?????????????????????

    que dizer que ela so funciona direito quando é sacudida?(OMG, eu não sabia!).

    Eu sabia das baterias "Estacionarias" mas o detalhe de sacudir a bateria do carro.......

    Editado por felipe236

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
    Você poderia citar fontes que corroborem esta informação?
    Não, não poderia.

    Para citar as tais fontes eu teria que procurar nos livros, na internet, no google, nos sites dos fabricantes de baterias, e sabe Deus onde mais... E, para ser sincero, não teria tempo e nem tão pouco disposição para isso... Sinto muito, mas não tenho condições de pesquisar isso agora.

    Ao contrário, eu devolvo a pergunta (na esperança que você tenha talvez mais condições de fazer a tal pesquisa que eu): Se minha informação não procede, por qual motivo existe então a bateria estacionária?

    http://www.freedomestacionaria.com.br/

    Afinal de contas, se as baterias fossem "todas iguais" não haveria necessidade de uma bateria específica, não?

    que dizer que ela so funciona direito quando é sacudida?(OMG, eu não sabia!).

    Eu sabia das baterias "Estacionarias" mas o detalhe de sacudir a bateria do carro.....

    Sim, ela só funciona direito se for sacudida.

    • Curtir 1

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    Fiz a pergunta pois li um artigo sobre este tipo de bateria, para poder desenvolver um carregador e não encontrei esta informação.

    Pelo que entendi do artigo que li, as baterias de chumbo ácido se deterioram mais rapidamente quando submetidas a ciclos de carga e descarga.

    Se a bateria fosse mantida carregada, a sua vida útil seria maior.

    Em automóveis, a bateria é mantida carregada pelo alternador, desde que o veículo fique funcionando tempo necessário para isto.

    Mas, em sistemas, como por exemplo, de aproveitamento da energia solar, onde, durante os períodos de luz a bateria é carregada, para depois ser descarregada fornecendo energia para equipamentos, temos o que se chama de ciclos de carga e descarga.

    As baterias ditas "estacionárias" são fabricadas de forma a resistir a um número maior de ciclos de carga e descarga, ao contrário das baterias ditas automotivas, onde, uma característica é a de que precisam fornecer uma alta corrente durante curto período para o motor de partida.

    http://www.batterystuff.com/tutorial_battery.html

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
  • Autor do tópico
  • CABTEIXEIRA...

    muito obrigado pelas explicacoes... valeu mesmo!

    Eu, que nao tenho experiencia nenhuma com esse tipo de coisa, pelo menos tenho uma melhor nocao agora sobre esse assunto.

    Obrigado mesmo...

    então o que eu preciso seria:

    - bateria estacionaria

    - inversor de corrente

    ??????

    Outra coisa... uma pergunta mais "generica" rsrs...

    sera que esse sistema que quero montar para usar na fazenda, vale a pena? sera que dura algum tempo?

    e sobre os fios? que tipo de fio usar? aquele paralelo comum de luz?

    sei que depende do meu uso, mas uso apenas para pouca coisa. Como disse, apenas algumas lampadas, carregar algum celular ou notebook, e mesmo assim, durante pequenos periodos por dia...

    Obrigado a todos pela ajuda e dicas...

    ps: sugeriria marcas de bateria?

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
    Fiz a pergunta pois li um artigo sobre este tipo de bateria, para poder desenvolver um carregador e não encontrei esta informação.

    Pelo que entendi do artigo que li, as baterias de chumbo ácido se deterioram mais rapidamente quando submetidas a ciclos de carga e descarga.

    Se a bateria fosse mantida carregada, a sua vida útil seria maior.

    Em automóveis, a bateria é mantida carregada pelo alternador, desde que o veículo fique funcionando tempo necessário para isto.

    Mas, em sistemas, como por exemplo, de aproveitamento da energia solar, onde, durante os períodos de luz a bateria é carregada, para depois ser descarregada fornecendo energia para equipamentos, temos o que se chama de ciclos de carga e descarga.

    As baterias ditas "estacionárias" são fabricadas de forma a resistir a um número maior de ciclos de carga e descarga, ao contrário das baterias ditas automotivas, onde, uma característica é a de que precisam fornecer uma alta corrente durante curto período para o motor de partida.

    Olha...

    Pelo que eu sei (e posso perfeitamente estar errado), as baterias automotivas são construídas de tal forma que atendam ao regime de funcionamento nos automóveis - onde elas precisam fornecer enormes quantidades de corrente durante um curto espaço de tempo (durante a partida do motor, no acionamento do motor de partida) e durante o resto do tempo elas ficam sob carga (mantida pelo alternador).

    A questão que eu falava, sobre sacudir a bateria, visa evitar a decantação do material que se desprende das placas. Quando ocorre a tal decantação, ocorre curto circuito entre os elementos e a bateria pifa de uma hora para outra (a chamada "morte súbita).

    As baterias estacionárias tem construção diferente, pois o ciclo de carga/descarga é diferente: elas são carregadas durante um tempo e devem ser descarregadas ao longo de um determinado tempo, num regime de corrente praticamente constante, Não existem os picos de corrente, como no caso da partida dos automóveis.

    Assim, baterias automotivas e estacionárias são construídas de maneiras diferentes. Pelo que sei as baterias estacionárias são mais confiáveis que as baterias automotivas para a utilização que o autor do tópico propôs...

    Peço novamente desculpas, mas fico devendo as referências bibliográficas... Posso estar até enganado em minhas convicções (afinal, estudei "a long, long time ago"...) até porque nunca vi um estudo de vida útil que compare baterias automotivas com e sem sacudidelas... Mas foi assim que aprendi.

    Outra coisa... uma pergunta mais "generica" rsrs...

    sera que esse sistema que quero montar para usar na fazenda, vale a pena? sera que dura algum tempo?

    Depende de um monte de fatores...

    Se vale a pena ou não vai ser uma questão de quanto você estaria disposto a gastar para não ter o barulho do gerador nos teus ouvidos.

    A autonomia vai depender de quantos aparelhos você vai alimentar e de qual a capacidade e a quantidade de baterias que vai colocar.

    Editado por cabteixeira

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
  • Autor do tópico
  • entendi...

    bom, um amigo meu que me disse sobre essa alternativa ao gerador a gasolina... segundo ele, um amigo tinha uma bateria na fazenda dele, q ligava nas lampadas a noite e pronto.. nao me deu detalhes porque ele nao sabia...

    o que eu sei é q era apenas uma bateria, ligada por fios diretamente nas lampadas... e só!

    o que eu quero seria dar energia para cerca de 15 a 20 lampadas de cerca de 5 a 12 watts... todas ao mesmo tempo... alem disso, seria para uso eventual para carregar celular, lanternas, notebooks... acredito q notebook dia sim, dia nao... celular e lanterna seria beeem eventualmente...

    alem disso seria para uso de alguns eletrodomesticos como um liquidificador...

    infelizmente nao tem como precisar mais que isso... porque tambem nao sei o que estaria por vir em relação a consumo...

    o que eu poderia estar usando para isso? 1...2 baterias?

    de acordo com esse uso, em carga total, aguentaria pelo menos uns 3 dias? porque é o q meu gerador aguenta, ficando ligado cerca de e a 4 horas por dia...

    abracao!

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    Beleza cabteixeira. Sem problemas.

    leniouws, compre fios grossos o suficiente para você poder instalar este gerador longe a fim de que o barulho dele deixe de incomodar.

    Pense:

    Se a saída do gerador é de corrente alternada, 127V ou 220V, você precisaria de um carregador de bateria, onde haveria perda de energia.

    Depois precisaria de um inversor para transformar os 12V de tensão contínua em 127V de tensão alternada, com mais desperdício de energia.

    Para carregar a bateria, levaria horas.

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
  • Autor do tópico
  • mulder...

    meu gerador tem a saida de 12v pra carregar bateria...

    mas enfim... alem de conversar com vocês aqui, conversei com outras pessoas tambem e me parece que realmente nao seria viavel.

    vou optar por outro gerador, maior, de maior potencia, e colocarei ambos mais distantes. o chato é ter q ir ate eles para desligar.

    no mato qualquer zumbido longe a gente escuta. n tem jeito...

    de qlq forma valeu a tentativa...

    muito obrigado a todos pela ajuda, pelo tempo, e esclarecimentos

    :D

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    aqui teem a explicaçao da bateria perder capacidade e como corrigir , quer por acçao mecanica quer por aplicaçao de carga correcta

    o fenomeno chama-se estratificação do ácido

    as baterias de outro tipo dado que o contacto entre o electrolito e as placas ser feito de forma diferente sofrem menos deste efeito ( ver baterias (SLA e VR)

    "Uma causa comum de falha de bateria é a estratificação do ácido. O eletrólito em uma bateria estratificada concentrao acido na parte inferior, fazendo com que a metade superior da célula fique mais pobre em nível de ácido."

    .

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    Falando um pouco sobre baterias e inversores de tensão.

    Sempre que adquirimos uma bateria devemos perguntar qual a sua tensão e a sua capacidade de corrente, pois estes dados são importantes para o uso que iremos fazer delas. Citando baterias de carro, que são muito comuns, podemos perceber que existem duas grandezas muito importantes nelas: uma é a tensão, no caso de uma bateria de carro 12 volts. A outra se chama ampere/hora e normalmente vem escrita assim (algum valor)A/h.

    Podemos ter baterias de carro (bem como baterias recarregáveis para uso em celulares, rádios, etc com diversas capacidades de A/h e com diversas tensões. Normalmente estas baterias são feitas de níquel-cádmio ou lítio.)

    Mas o que é este A/h?

    É a capacidade de corrente que uma bateria é capaz de fornecer durante um certo período de tempo, e esta característica é muito útil quando precisamos carregar ou ligar uma bateria em algum equipamento. Através desta medida podemos saber quanto tempo uma bateria demorará para se carregar ou para se descarregar.

    Vamos ver alguns exemplos:

    Uma bateria de carro de 12 volts e com a indicação de 40A/h é, teoricamente e se perfeitamente boa e carregada, capaz de fornecer uma corrente de 40 amperes durante uma hora, mantendo a sua tensão em 12 volts.

    Podemos calcular, então, dependendo de quanta corrente a bateria fornece, o tempo que ela permanecerá carregada. Também poderemos saber o tempo que ela demorará para se carregar dependendo da corrente que fornecermos para ela.

    Vamos então as contas:

    Se uma bateria de 12 volts fornece 40amperes durante uma hora, durante quantas horas ela conseguirá fornecer 2 amperes?

    Vejamos: 40 ampere x 1hora = 2 amperes x ?h

    40 x 1 = 2 x ?h

    40 = 2 x ?h

    ?h = 40/2

    ?h = 20 horas

    Ou seja esta bateria conseguirá fornecer 2 amperes durante 20 horas, sem que a tensão em sua saída seja menor do que 12 volts.

    Façamos o mesmo cálculo mas agora para uma consumo de 5 amperes da bateria:

    40 x 1h = 5 x ?h

    40 = 5 x ?h

    ?h = 40/5

    ?h = 8 horas.

    Podemos simular diversas situações e sempre perceberemos que o resultado das horas multiplicado pela corrente consumida irá sempre ser igual a 40.

    Vejamos: 20 x 2 = 40

    ou

    8 x 5 = 40

    Estes mesmos princípios devem ser utilizados ao ser carregar uma bateria, ou seja, para se carregar completamente uma bateria de 40 A/h fornecendo para ela 5 amperes ela deverá ficar ligada durante 8 horas.

    Podemos até apresentar uma tabela simples com estas indicações:

     

    30A/h

    35A/h

    40A/h

    45A/h

    50A/h

    55A/h

    60A/h

    1 hora

    30 A

    35 A

    40 A

    45 A

    50 A

    55 A

    60 A

    24 horas

    1,25 A

    1,45 A

    1,67 A

    1,8 A

    2 A

    2,3 A

    2,5 A

    Mas como utilizar esta tabela?

    É fácil, primeiro você precisa saber a corrente que vai ser consumida da sua bateria , para isto veja o consumo do equipamento na qual ela vai ligado (esta tabela também pode ser utilizada para descobrirmos o tempo de carga de uma bateria carregada por uma certa corrente). Agora é necessário saber quanto tempo você quer que a bateria alimente este circuito. Com estes dados encontre uma bateria que forneça a corrente necessária durante o tempo desejado. Exemplo:

    Preciso ligar uma bateria durante 5 horas em uma carga que consome 8 amperes.

    Olhe na linha que indica 5 horas e procure pela corrente de 8 amperes, você irá precisar de uma bateria de 40 A/h.

    Mas e se não houver indicação do consumo de corrente do equipamento?

    Procure pela potência que ele dissipa e sabendo a tensão da bateria descubra a corrente através da fórmula:

    P = V x I

    Exemplo:

    Ligar uma bateria em um rádio, durante 10 horas, que consome 50 Watts e é alimentado por 12 volts.

    Primeiro calculamos a corrente: P = V x I

    então I = P/V

    I = 50/12 = 4,2 A

    Agora veremos na tabela qual bateria serve: Procure na linha de 10 horas um bateria que forneça 4,2 a ou mais. A bateria escolhida é a de 45 A/h.

    Também poderíamos fazer isto calculando, para isto basta (como já foi explicado) multiplicar a corrente pela quantidade de horas:

    ?h = 4,2 A x 10h = 42 A/h

    Como não temos uma bateria de 42 A/h adotamos uma de A/h mais alto. O Valor superior mais próximo na nossa tabela é de 45 A/h.

    Podemos perceber que nos dois casos o resultado foi o mesmo.

    Eu gostaria de lembrar que esta tabela e estes cálculos só servem como referência para o uso de baterias, pois caso a bateria não esteja 100% boa e confiável ou o consumo dela for muito próximo do valor máximo de corrente que ela pode fornecer, estes tempos conseguidos na tabela ou através de cálculos serão menores que os indicados. Além disto não é aconselhável descarregar ou carregar baterias muito rapidamente, usando um valor de corrente próximo ao seu valor máximo, pois ela poderá esquentar muito e/ou se danificar. No mínimo isto diminui o seu tempo de vida útil.

    A prática recomenda que você sempre dimensione um sistema com baterias para durar um tempo maior do que o desejado.

    Existe um jeito de eu aumentar a corrente que uma bateria pode fornecer?

    Não, o que você pode fazer é o seguinte, ligar baterias em paralelo até chegar a A/h que você deseja. Por exemplo, duas baterias de 12 volts e 45 A/h ligadas em paralelo será igual a uma bateria de 12 volts e 90 A/h. É bom lembrar que para ligar duas (ou mais) baterias em paralelo devemos ligar o positivo de uma com o positivo da outra e o negativo de uma com o negativo da outra, desta forma aumentamos a capacidade de corrente mais mantemos a mesma tensão . Se quisermos uma tensão maior devemos ligá-las em série, ou seja o positivo de uma com o negativo da outra , as duas pontas ou pólos que sobrarão serão o negativo e o positivo que deverão ser ligados na carga. No caso de baterias de carro teríamos agora 24 volts, mas a capacidade de corrente seria a mesma de uma bateria só.

    Mas e os inversores de tensão?

    Inversores de tensão são circuitos usados para converter uma tensão contínua em alternada. Normalmente inversores tem a sua entrada ligada a baterias e sua saída fornece 110 ou 220 volts de tensão alternada.

    Existem diversos tipos de inversores e algumas características que devem ser observadas neles são:

    • tensão contínua de entrada - (já encontrei pra vender de 12 V, 24 V, 36 V e 48 V de entrada).

    • Tensão alternada de saída - (110 VAC, 220 VAC, ou as duas tensões de saída).

    • Potência que ele é capaz de fornecer (já vi inversores desde 100W até 800W, mas existem de maiores capacidades).

    • Consumo de potência do próprio inversor - (o inversor, devido a aquecimento de seus componentes, criação de campos eletromagnéticos, etc, consome parte da energia entregue em sua entrada, sendo assim um inversor de 100W, fornece 100W para a carga mas consome mais do que isto. É este valor de potência de saída mais a potência consumida pelo inversor que devemos usar para calcular a bateria ou baterias a serem ligadas em sua entrada.

    • Forma de onda na saída - (na rede comercial de distribuição de energia a tensão elétrica possui uma freqüência de 60HZ e tem a forma de uma senóide), pois muitos inversores apresentam em sua saída uma forma de onda quadrada, ou próximo a isto, é não senoidal. Este fato pode fazer com que alguns equipamentos não funcionem corretamente. Inversores com saída senoidal custam muito mais caro que os outros e são bem mais difíceis de se encontrar para comprar.

    • Freqüência da saída – como já foi dito a freqüência da rede elétrica é de 60 Hz, é importante que a freqüência do inversor seja também de 60 HZ.

    Como eu faço, para alimentar um inversor com baterias, para que ele alimente uma televisão por exemplo?

    A primeira coisa a fazer é saber a potência de consumo da TV, para isto olhe em seu manual ou em alguma etiqueta colada em sua tampa traseira. Depois escolha um inversor capaz de fornecer esta potência em sua saída. Agora dimensione, escolha, a bateria para o tempo que deseja que ela alimente a TV.

    Exemplo:

    Consumo da TV = 120W.

    O inversor escolhido deve suportar, no mínimo, 120W. Vamos escolher, por segurança, um inversor de 150W.

    Escolha da bateria:

    Primeiro precisamos descobrir o consumo do próprio inversor (procure saber através do manual, do vendedor ou de alguma etiqueta colada no inversor). Caso não encontre nada use, para efeito de cálculo, faça o seguinte: suponha que o inversor consuma entre 30 a 40 % da potência que ele fornece na saída.

    Exemplos: Um inversor que forneça 100W na saída irá consumir das baterias entre 130 a 140W.

    No nosso exemplo adotaremos o pior caso, então nosso inversor de 150W irá consumir 150W +40% que é igual a 210W.

    Queremos que este inversor alimente a TV por 2 horas.

    Sabendo que a bateria fornece 12 volts aplicamos a fórmula para cálculo da potência para encontrar a corrente que ela vai fornecer para o inversor.

    P = V x I

    I = P/V = 210/12 = 17,5 A

    Podemos agora olhar na tabela na linha de 2 horas e ver qual a bateria deve ser usada ou multiplicar a corrente pelas horas:

    ?h = 17,5 x 2 = 35 A/h devemos, por calculo, usar no mínimo, uma bateria de 35 A/h.

    Através da tabela encontramos a bateria de: 35 A/h ou por segurança e garantia de utilização da TV por 2 horas a bateria de 40 A/h.

    E o que é um inversor com flutuador e carregador?

    É um inversor que traz junto com ele mais alguns circuitos e que normalmente tem uso mais específico. Um inversor deste tipo tem duas entradas, uma de tensão contínua e outra de tensão alternada (110 VAC, 220VAC, etc) e uma saída de tensão alternada que vai alimentar determinado equipamento que não pode ficar desligado nem na ausência de energia elétrica da rede. O circuito todo funciona assim: Quanto existe tensão na rede ele fornece esta tensão para o equipamento ao mesmo tempo que o carregador transforma a tensão alternada da rede em tensão contínua para carregar a bateria ou baterias. Quando as baterias estão carregadas o flutuador entra em ação mantendo o valor de sua tensão sempre correta, para isto ele fornece uma pequena corrente para as baterias, chamada de corrente de manutenção. Caso a energia elétrica acabe as baterias começam a fornecer corrente para o inversor e este transformará a tensão contínua em tensão alternada não deixando que o equipamento ligado na saída dele pare de funcionar. Esta comutação de tensão alternada da rede para tensão alternada do inversor é feita automaticamente e de uma forma muito rápida. Enquanto o inversor estiver usando as baterias estas estarão se descarregando, quando a tensão da rede voltar as baterias serão recarregadas novamente.

    Desta forma este circuito chamado de inversor com carregador e flutuador, permite que um equipamento funcione ininterruptamente . Mas qualquer equipamento deste terá uma certa autonomia e este tempo dependerá da capacidade de fornecimento de corrente da baterias ou do banco de baterias (várias baterias ligadas juntas).

    The End

    Autora  Aline SS

    Fonte: http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAO-QAH/apostila-baterias-inversores-tensão

    Editado por Max De Alencar Rodrigues
    • Curtir 1

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    O CPT (www.cpt.com.br) tem um curso Energia Solar para o Meio Rural que explica como construir uma pequena instalação rural usando baterias e energia solar para recarregá-las. Este curso esclarece suas questões de forma bem didática.

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    nao se fabrica inversores comerciais de onda quadrada hehe, é onda PWM retangular

     

    Inversor de onda quadrada e onda retangular PWM não fazem nenhuma diferença para cargas eletrônicas, aquelas são alimentadas por uma fonte chaveada.

     

    Acontece que no estágio primário da fonte chaveada existe um retificador e um capacitor de filtro.

    Este capacitor sempre se carrega com a mesma amplitude de tensão, independente de a onda ser quadrada ou retangular PWM.

     

    Só faria mesmo diferença em cargas resistivas e indutivas.

    Alimentar cargas indutivas com este tipo de onda é um problema.

     

    Melhor mesmo é comprar sempre os senoidais.

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    Olha...

    Pelo que eu sei (e posso perfeitamente estar errado), as baterias automotivas são construídas de tal forma que atendam ao regime de funcionamento nos automóveis - onde elas precisam fornecer enormes quantidades de corrente durante um curto espaço de tempo (durante a partida do motor, no acionamento do motor de partida) e durante o resto do tempo elas ficam sob carga (mantida pelo alternador).

    A questão que eu falava, sobre sacudir a bateria, visa evitar a decantação do material que se desprende das placas. Quando ocorre a tal decantação, ocorre curto circuito entre os elementos e a bateria pifa de uma hora para outra (a chamada "morte súbita).

    As baterias estacionárias tem construção diferente, pois o ciclo de carga/descarga é diferente: elas são carregadas durante um tempo e devem ser descarregadas ao longo de um determinado tempo, num regime de corrente praticamente constante, Não existem os picos de corrente, como no caso da partida dos automóveis.

    Assim, baterias automotivas e estacionárias são construídas de maneiras diferentes. Pelo que sei as baterias estacionárias são mais confiáveis que as baterias automotivas para a utilização que o autor do tópico propôs...

    Peço novamente desculpas, mas fico devendo as referências bibliográficas... Posso estar até enganado em minhas convicções (afinal, estudei "a long, long time ago"...) até porque nunca vi um estudo de vida útil que compare baterias automotivas com e sem sacudidelas... Mas foi assim que aprendi.

    Depende de um monte de fatores...

    Se vale a pena ou não vai ser uma questão de quanto você estaria disposto a gastar para não ter o barulho do gerador nos teus ouvidos.

    A autonomia vai depender de quantos aparelhos você vai alimentar e de qual a capacidade e a quantidade de baterias que vai

     

     

    Muito boa a explicação!

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    Posso lhe dizer com experiência prática que baterias automotivas aplicadas a no-breaks, tem um tempo de vida útil de 2 a 3 anos.

    Em contrapartida o no-break só usa a bateria esporadicamente.

     

    Eu não teria dados para no caso de usos diários rsrsrs.

    Acredito que neste caso seja mesmo melhor as estacionárias.

     

     

    Bateria inventada por Thomas Edison. 
     
    Veja abaixo uma comparação das baterias de Thomas Edison, com as baterias chumbo-ácidas (automotivas, estacionárias e seladas) usadas hoje em dia:
     
    Baterias níquel-ferro:
     
    Não possui metais pesados que poluem o meio ambiente.
    Seu eletrólito é uma substância básica e não solta gases tóxicos.
     
    A bateria de níquel-ferro foi desenvolvida por Thomas Edison, em 1901, e usada como fonte de energia para veículos elétricos que eram mais populares que veículos movidos a gasolina.
     
    Usando 20% de sua capacidade, podem ser descarregadas e carregadas aproximadamente 8000 vezes. Isso daria aproximadamente 21 anos se fossem usadas todos os ciclos, todos os dias.
     
    Descargas profundas pouco afetam estas baterias. 
    Podem ser usadas em descargas de até 80% mas isso reduz um pouco seu número de ciclos de uso.
    Estas baterias duram mais de 25 anos caso não utilize todos os ciclos.
    Após a vida útil, basta trocar o eletrólito, fazer uma lavagem interna e ela ganha vida nova. Ha históricos de baterias funcionando a 90 anos apenas com troca de eletrólito a cada fim de vidá útil.
     
     
     
     
    Bateria chumbo-ácida
    Possui metais pesados que poluem o meio ambiente.
    Seu eletrólito é ácido Sulfúrico e solta gases tóxicos.
     
    O Acumulador de Chumbo, também conhecido como bateria chumbo-ácida, foi inventado pelo francês Gaston Planté em 1859.:
     
    Usando 20% de sua capacidade, só podem ser descarregadas e carregadas aproximadamente 1200 vezes. Isso daria aproximadamente 3 anos se fossem usadas todos os dias.
    Descargas profundas reduzem drasticamente a sua vida útil.
    Estas baterias duram no máximo 5 anos, mesmo que não se faça uso de todos os ciclos.

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
    4 horas atrás, melquisedeque galvão disse:

    @cabteixeira nesse caso amigo,pelo q entendi,não podemos ligar esse sistema em uma geladeira,porq tem motor de bobina? 

    Use inversor senoidal na geladeira. 

    • Curtir 2

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
    Em 05/04/2016 às 22:44, albert_emule disse:

    Use inversor senoidal na geladeira. 

    Quero vender sorvete de casquinha em uma Van Tawner ambulante na rua. 

    Posso? usando um inversor senoidal e uma bateria de carro mas uma "potente" para ligar uma maquina de sorvete para vender na rua?. Estaria com o veiculo ligado isso ajudaria na vida util da bateria e resolveria meu problema? Acredito que o motor da maquina de sorvete que nesse caso é do tipo Expressso seja de bobina. A potencia da maquina é de 1,5 kva. Ja pesquisei sobre um gerador mas para alimentar essa maquina nao encontrei nenhum silencioso.

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    A máquina só é ligada na hora de fazer o sorvete né?

    Quantos minutos são necessários para fazer o sorvete? 

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    Crie uma conta ou entre para comentar

    Você precisar ser um membro para fazer um comentário






    Sobre o Clube do Hardware

    No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

    Direitos autorais

    Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

    ×