Processador VIA C7-M
19/09/2005 às 18h00min por Gabriel Torres em Processadores

Introdução

A VIA acaba de lançar seu mais novo processador, o C7-M, que é voltado para o mercado de notebooks e que vem para concorrer diretamente com o Pentium M (plataforma Centrino) da Intel, como você pode ver na Figura 1. Neste artigo falaremos sobre as principais características técnicas desse processador.

O slide mostrado na Figura 1 é realmente muito interessante: o mercado de notebooks pode ser dividido em cinco categorias, e cada processador voltado para este mercado é destinado a uma ou mais dessas categorias. Por exemplo, o Turion 64 é destinado às categorias Transportável, Full Size e Thin & Light, enquanto que o Pentium M e o C7-M são voltados para as categorias Full Size, Thin & Light, Mini-Note e Ultraportátil.

Processador VIA C7-M
Figura 1: Divisão do mercado de notebooks.

Categoria

Tamanho da tela

Peso

Altura

Transportável >= 15" >3.40 Kg >= 47,58 mm
Full Size >= 15" 2,95-3,40 Kg >= 33,02 mm
Fino & Leve (Thin & Light) 14-15” 2-2,72 Kg 27,94-30,48 mm
Mini-Note 12" 1,36-2 Kg 25,4 mm
Ultraportátil 8-10” <1.36 Kg 21,59 mm

O tamanho do processador C7-M é realmente impressionante. Medindo apenas 21 mm x 21 mm x 1,85 mm fica até mesmo difícil de acreditar que ele possui todas as características anunciadas pela VIA.

Processador VIA C7-M
Figura 2: Processador VIA C7-M.

Processador VIA C7-M
Figura 3: Processador VIA C7-M.

Principais Especificações

O processador C7-M possui as seguintes características:

Processador VIA C7-M
Figura 4: Microarquitetura de um processador VIA C7-M.

Processador VIA C7-M
Figura 5: Principais características do VIA C7-M.

Processador VIA C7-M
Figura 6: Principais características do VIA C7-M (cont.).

Processador VIA C7-M
Figura 7: Principais características do VIA C7-M (cont.).

Co-processador de Segurança

O VIA C7-M possui uma característica muito interessante que é um co-processador de segurança, chamado PadLock. Os notebooks enfrentam um problema sério de segurança, já que se o seu notebook for furtado ou se você o perder ou esquecer em algum lugar, qualquer pessoa pode ter acesso aos dados nele contidos. O co-processador PadLock inclui um processador de criptografia, um processador hash e também um gerador de números aleatórios (RNG, Random Number Generator).

Esse processador de criptografia suporta todos os modos AES e, de acordo com a VIA, o C7-M é capaz de realizar operações de criptografia em uma taxa de até 25 GB/s.

O co-processador PadLock tem um processador hash, função que é usada para verificar se um dado foi alterado. De acordo com a VIA, o C7-M é capaz de executar operações de hash a uma taxa de até 20 GB/s e suporta os métodos SHA-1 e SHA-256.

O co-processador de segurança também possui um multiplicador Montgomery, o que acelera dos cálculos requeridos pelo algoritmo de criptografia RSA.

E por último, o PadLock incorpora dois geradores de números aleatórios, com um desempenho de até 12 MB/s. Os geradores de números aleatórios são peça fundamental para uma criptografia 100% segura, já que eles geram números verdadeiramente aleatórios. Quando um computador não possui essa função (a maioria dos computadores não possui) um número aleatório é gerado usando o relógio de tempo real. Por isso, um hacker, sabendo mais ou menos a data e a hora que você criou uma chave aleatória, pode quebrá-la mais facilmente usando ferramentas apropriadas.

Processador VIA C7-M
Figura 8: Principais características do co-processador PadLock do C7-M.

Na Figura 9 você encontra uma comparação de segurança entre o VIA C7-M e outros processadores para notebooks.

Processador VIA C7-M
Figura 9: Comparação das características de segurança.

Recursos de Economia de Energia

Uma das principais preocupações da computação móvel é a autonomia da bateria. Afinal de contas, ninguém quer um notebook com uma bateria que dure menos de uma hora, não é verdade?

Assim como os processadores da Intel e da AMD, o VIA C7-M também trabalha com um sistema que varia a tensão de alimentação e o clock do processador de acordo com o uso do computador para economizar bateria. Mas o que é único no C7-M é que ele usa dois geradores de clock (também conhecido como PLL, Phase Lock Loop). Nos demais processadores existe apenas um gerador de clock e quando o processador precisa diminuir o seu clock, ele precisa enviar um comando para o gerador de clock, o que leva um certo tempo. Nos processadores VIA C7-M é simplesmente uma questão de trocar o gerador de clock, o que é bem mais rápido. De acordo com a VIA, essa operação de troca do gerador de clock nos processadores C7-M leva apenas um pulso de clock, enquanto que a mesma operação nos processadores Pentium M requer nada mais nada menos do que 15.000 pulsos de clock!

Processador VIA C7-M
Figura 10: Recursos de economia de energia do processador VIA C7-M.

Processador VIA C7-M
Figura 11: Comparação entre as tecnologias TwinTurbo da VIA e Enhanced SpeedStep da Intel.

A VIA afirma que a bateria de um notebook equipado com um C7-M dura mais de 5 horas de operação contínua.

Comparativo

Na Figura 12 você pode ver uma comparação do consumo de energia entre os processadores C7-M, Pentium M e Celeron M. De acordo com os dados da figura, com um cock de 1,5 GHz o processador VIA C7-M dissipa 12 W, enquanto que um Pentium M dissipa 21 W e o Celeron M dissipa 24,5 W. Já com um clock de 1,8 GHz, o C7-M dissipa 15 W, enquanto que o Pentium M dissipa 27 W.

Processador VIA C7-M
Figura 12: Comparação do consumo de energia entre os processadores C7-M, Pentium M e Celeron M.

Em relação ao desempenho, a VIA publicou os dados mostrados na Figura 13, fazendo uma comparação “desempenho/watt”. Realmente muito interessante, mas....tenha cuidado! Esses dados falam sobre um fator e não um valor absoluto...

Processador VIA C7-M
Figura 13: Comparação desempenho/watt.

Na tabela da Figura 14 você pode ver uma comparação final.

Processador VIA C7-M
Figura 14: Tabela comparativa entre os processadores C7-M, Pentium M e Celeron M.

Conclusões

Este novo processador da VIA parece ser realmente incrível, mas temos que aguardar para ver o seu desempenho. Sinceramente, a VIA não tem um bom histórico nesta área. Apenas para lembrar, o processador VIA C3 com clock de 750 MHz era mais lento do que um Celeron rodando a 566 MHz. Verdade que o consumo de energia do C3 era muito menor do que o do Celeron, mas para o mercado de usuários domésticos, quem se importa?

Por outro lado, para o mercado de notebooks o consumo de energia é realmente muito importante, e o Santo Graal é ter um notebook com bom desempenho e uma bateria que dure pelo menos oito horas. Será que o C7-M ajudará a industria a caminhar nessa direção?

Os dados publicados pela VIA parecem interessantes, mas a única comparação de desempenho divulgada foi um fator de desempenho/watt, que parece ser muito bom, mas como a VIA disse que o consumo de energia do C7-M é 40% menor do que o do Pentium M, mesmo com uma diferença de desempenho de 39% em relação ao Pentium M o VIA C7-M teria uma melhor relação desempenho/watt do que o processador da Intel.

Por outro lado, o co-processador de segurança embutido é uma grande idéia, e gostaríamos de saber porque outras empresas não pensaram nisso antes. Uma outra grande idéia da VIA foi o uso de dois geradores de clock, que oferece um meio rápido para chavear entre duas velocidades de clock de modo a economizar bateria.

Originalmente em http://www.clubedohardware.com.br/artigos/Processador-VIA-C7-M/1083

© 1996-2013, Clube do Hardware - Todos os direitos reservados.

É expressamente proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo e dos textos disponíveis no site principal (http://www.clubedohardware.com.br), no fórum de discussões (http://forum.clubedohardware.com.br), no boletim de notícias enviado por e-mail e em nas nossas páginas em redes sociais (Facebook, Twitter, YouTube etc.), seja através de mídia eletrônica, impressa ou qualquer outra forma de distribuição, mesmo citando a fonte e colocando link para o artigo original. Os infratores serão indiciados e punidos com base nas leis nº 9.610 de 19/02/1998 (Brasil), Digital Millenium Copyright Act (DMCA) (EUA) e diretiva 2001/29/EC (União Européia).

Não nos responsabilizamos por danos materiais e/ou morais de qualquer espécie promovidos pelo uso das informações contidas em nosso site, em nosso fórum de discussões, em nosso boletim de notícias ou em publicações feitas em redes sociais (Facebook, Twitter, YouTube etc.).

Opiniões emitidas por usuários e moderadores não necessariamente refletem a opinião do Clube do Hardware e de sua direção.

Ao acessar o nosso site ou nossa página em redes sociais, você está ciente e concorda com os termos acima.