Tudo o que você precisa saber sobre aterramento – Parte 2
04/02/2014 às 11h28min por Gabriel Torres em Energia

Introdução

Agora que você sabe a respeito da importância do aterramento, falaremos sobre os modelos disponíveis para a implementação do terra..

No Brasil, o aterramento de redes de baixa tensão (isto é, redes elétricas de 127 V e 220 V) é regido pela NBR 5410 da ABNT. Esta norma técnica define três esquemas básicos de aterramento, chamados TN, TT e IT. O esquema TN é ainda subdividido em três esquemas: TN-S, TN-C-S e TN-C. Temos, portanto, um total de cinco maneiras diferentes de implementar aterramento em uma rede elétrica de baixa tensão.

As duas primeiras letras do nome do esquema significam o seguinte:

As demais letras eventualmente existentes indicam:

Nota aos não-técnicos:  “Condutor” pode ser lido como “fio”, “proteção” pode ser lido como “aterramento” e “massas” pode ser lido como “cargas”.

Vamos mostrar exemplos desses esquemas, onde a diferença entre cada um dos esquemas disponíveis ficará mais clara.

Esquema TN

No esquema TN, há um ponto devidamente aterrado no circuito e há um condutor de proteção conectado a este aterramento. Porém, a relação entre os condutores neutro e de proteção varia de acordo com os subesquemas disponíveis:.

Usamos um circuito trifásico em nossos exemplos.

Aterramento TN-S
Figura 1: Esquema TN-S

Aterramento TN-C-S
Figura 2: Esquema TN-C-S

Aterramento TN-C
Figura 3: Esquema TN-C

Esquema TT

No esquema TT, há dois pontos de aterramento distintos no circuito, um para o condutor neutro e outro para o condutor de proteção. Isto é, o neutro e o terra usam aterramentos independentes na entrada do circuito. Esse esquema é, portanto, superior ao TN-S. Ver Figura 4. Opcionalmente, cada as massas podem ter aterramentos individuais, como mostrado na Figura 5..

Aterramento TT
Figura 4: Esquema TT

Aterramento TT
Figura 5: Esquema TT (aterramentos individuais)

Esquema IT

O esquema IT é o mais complexo, pois apresenta aterramento isolado para as massas (Figuras 6 e 7) ou, caso seja usado o aterramento da entrada do circuito, este é isolado do circuito através de uma impedância (Figura 8). Nesse esquema, a distribuição do neutro é opcional..

Aterramento IT
Figura 6: Esquema IT (aterramento isolado coletivo)

Aterramento IT
Figura 7: Esquema IT (aterramento isolado separado)

Aterramento IT
Figura 8: Esquema IT (aterramento usando o aterramento da entrada, isolado da entrada por uma impedância)

Originalmente em http://www.clubedohardware.com.br/artigos/Tudo-o-que-voce-precisa-saber-sobre-aterramento-Parte-2/2924

© 1996-2014, Clube do Hardware - Todos os direitos reservados.

É expressamente proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo e dos textos disponíveis no site principal (http://www.clubedohardware.com.br), no fórum de discussões (http://forum.clubedohardware.com.br), no boletim de notícias enviado por e-mail e em nas nossas páginas em redes sociais (Facebook, Twitter, YouTube etc.), seja através de mídia eletrônica, impressa ou qualquer outra forma de distribuição, mesmo citando a fonte e colocando link para o artigo original. Os infratores serão indiciados e punidos com base nas leis nº 9.610 de 19/02/1998 (Brasil), Digital Millenium Copyright Act (DMCA) (EUA) e diretiva 2001/29/EC (União Européia).

Não nos responsabilizamos por danos materiais e/ou morais de qualquer espécie promovidos pelo uso das informações contidas em nosso site, em nosso fórum de discussões, em nosso boletim de notícias ou em publicações feitas em redes sociais (Facebook, Twitter, YouTube etc.).

Opiniões emitidas por usuários e moderadores não necessariamente refletem a opinião do Clube do Hardware e de sua direção.

Ao acessar o nosso site ou nossa página em redes sociais, você está ciente e concorda com os termos acima.