Ir ao conteúdo
  • Comunicados

    • Gabriel Torres

      Seja um moderador do Clube do Hardware!   12-02-2016

      Prezados membros do Clube do Hardware, Está aberto o processo de seleção de novos moderadores para diversos setores ou áreas do Clube do Hardware. Os requisitos são:   Pelo menos 500 posts e um ano de cadastro; Boa frequência de participação; Ser respeitoso, cordial e educado com os demais membros; Ter bom nível de português; Ter razoável conhecimento da área em que pretende atuar; Saber trabalhar em equipe (com os moderadores, coordenadores e administradores).   Os interessados deverão enviar uma mensagem privada para o usuário @Equipe Clube do Hardware com o título "Candidato a moderador". A mensagem deverá conter respostas às perguntas abaixo:   Qual o seu nome completo? Qual sua data de nascimento? Qual sua formação/profissão? Já atuou como moderador em algo outro fórum, se sim, qual? De forma sucinta, explique o porquê de querer ser moderador do fórum e conte-nos um pouco sobre você.   OBS: Não se trata de função remunerada. Todos que fazem parte do staff são voluntários.

Rafael Coelho

Moderadores
  • Total de itens

    8.790
  • Registro em

  • Última visita

  • Qualificações

    100%

Reputação

1.615

Sobre Rafael Coelho

  • Data de Nascimento 23-08-1972

Informações gerais

  • Cidade e Estado
    Pelotas/RS
  • Sexo
    Masculino

Outros

  • Biografia
    Editor-chefe do Clube do Hardware
  1. Teste da placa de vídeo Zotac GeForce GTX 1050 Mini

    Está listado na página 3 do artigo, não abriu para você?
  2. Teste do gabinete LIKETEC Pro 307

    Você tem razão, mas não deixa de ser uma limitação do gabinete, até porque existem gabinetes de faixa de preço próxima que oferecem esta possibilidade.
  3. Teste do gabinete LIKETEC Pro 307

    O LIKETEC Pro 307 é um gabinete torre média de baixo custo com três baias de 3,5 polegadas e duas baias de 2,5 polegadas, suportando até quatro ventoinhas de 120 mm. Confira! As Figuras 1 e 2 mostram o gabinete, disponível apenas em preto. Como podemos ver, a lateral esquerda tem uma janela fumê e espaço para uma ventoinha de 120 mm, enquanto a lateral direita e o painel superior são sólidos, sem aberturas. Figura 1: o gabinete LIKETEC Pro 307 Figura 2: o gabinete LIKETEC Pro 307 Vamos analisar este gabinete mais de perto nas próximas páginas. O painel frontal do LIKETEC Pro 307 tem, na parte superior, uma baia de 5,25 polegadas, e logo abaixo um painel com botões e conectores. Na parte inferior, há uma grande porta fumê. Figura 3: painel frontal Abrindo a porta de plástico fumê (Figura 4), encontramos o espaço para duas ventoinhas de 120 mm, cobertos por um filtro de ar removível. Figura 4: porta aberta Removendo o painel frontal de plástico, vemos que o espaço inferior já vem com uma ventoinha de 120 mm com LEDs azuis instalada (características não informadas). Figura 5: painel frontal removido Logo acima da porta, vemos o painel com botões liga/desliga e reset, LEDs de ligado e de acionamento de unidade de armazenamento, uma porta USB 2.0, conectores de áudio e uma porta USB 3.0. Figura 6: conectores, LEDs e botões O painel inferior do LIKETEC Pro 307 não tem aberturas para instalação de ventoinhas. Apesar disso, ele tem um filtro de ar removível para a ventoinha da fonte de alimentação, como mostrado na Figura 7. Figura 7: painel inferior O painel traseiro do LIKETEC Pro 307 é pintado em preto. A fonte de alimentação é instalada na parte inferior do gabinete. O produto vem tem espaço para uma ventoinha de 120 mm no painel traseiro. Não há aberturas para a instalação de mangueiras para sistemas de refrigeração líquida externos. O gabinete tem apenas seis slots de expansão, o primeiro coberto por uma tampa removível e os demais cobertos por tampas gradeadas que devem ser quebradas e removidas para liberar o slot. Como são apenas seis slots, em placas-mãe padrão ATX o último slot da placa-mãe não poderá ser utilizado, e você também não poderá instalar placas de vídeo que ocupem dois slots no penúltimo slot. As placas de expansão são fixadas por parafusos comuns. Figura 8: painel traseiro Agora, vamos dar uma olhada no interior do gabinete. Cada painel lateral é fixado ao gabinete por meio de dois parafusos de dedo. A bandeja da placa-mãe tem uma grande abertura que permite acesso à placa suporte do cooler do processador sem a necessidade de remover a placa-mãe do gabinete, além de orifícios que permitem passar os cabos por trás dela. Há um espaço de 15 mm entre a bandeja e o painel direito, para acomodar os cabos. O gabinete suporta placas-mãe ATX e menores. Figura 9: visão geral Figura 10: visão geral A Figura 12 mostra uma visão geral do interior do gabinete. É necessário utilizar parafusos comuns para fixação de placas de expansão. Você pode instalar coolers de processador de até 150 mm de altura e placas de vídeo com comprimento de até 375 mm. Figura 11: visão geral A fonte de alimentação é instalada na parte de baixo do gabinete, em um compartimento separado da placa-mãe. Ela pode ser instalada com sua ventoinha voltada para cima ou para baixo, ou seja, puxando ar de fora ou de dentro do gabinete. Como mostramos anteriormente, há um filtro de ar para a ventoinha da fonte de alimentação no painel inferior do gabinete. O gabinete acomoda fontes de alimentação de até 260 mm de profundidade. Não há suporte para ventoinhas adicionais no painel inferior do gabinete. Figura 12: compartimento da fonte de alimentação O Pro 307 oferece uma baia externa de 5,25 polegadas, mostrada na Figura 13. Embora as ferragens internas ofereçam espaço para duas baias desse tipo, apenas a superior tem abertura frontal. Figura 13: baia de 5,25 polegadas O gabinete oferece três baias internas de 3,5 polegadas e duas de 2,5 polegadas. As baias de 3,5 polegadas ficam em uma gaiola e, para sua instalação, é necessário fixar dois parafusos especiais que acompanham o gabinete de um lado da unidade, deslizá-la para dentro da gaveta, e então fixar parafusos comuns pelo outro lado. Uma das baias de 2,5 polegadas fica acima da gaiola das unidades de 3,5 polegadas, enquanto a outra fica no painel inferior do gabinete. Em ambas, a fixação é com parafusos comuns. Figura 14: baias de 3,5 e 2,5 polegadas As principais especificações do gabinete LIKETEC Pro 307 incluem: Estilo: torre média Aplicação: ATX e padrões menores Material: aço revestido de zinco (SECC) Fonte de alimentação: não vem com o produto Cores disponíveis: preto Painel lateral: janela transparente Dimensões: 420 x 190 x 450 mm (A x L x P) Peso líquido: 3,5 kg Baias: três baias internas de 3,5 polegadas, duas baias internas de 2,5 polegadas, uma baia externa de 5,25 polegadas Slots de expansão: seis Comprimento máximo da placa de vídeo: 375 mm Altura máxima do cooler do processador: 150 mm Ventoinhas: uma ventoinha de 120 mm no painel frontal (nenhuma informação disponível) Ventoinhas opcionais: três ventoinhas de 120 mm, uma no painel frontal, uma no painel traseiro e uma no painel esquerdo Recursos extras: filtro de ar removível para a ventoinha da fonte de alimentação e para as ventoinhas frontais Mais informações: www.liketec.com.br Preço médio no Brasil: R$ 150,00 Na figura 15 você confere um sistema completo montado no LIKETEC Pro 307. Figura 15: sistema montado O LIKETEC Pro 307 é um gabinete de baixo custo, com visual sóbrio, boa qualidade de construção (sem bordas afiadas) e boa possibilidade de ventilação, apesar de não suportar radiadores senão modelos simples de 120 mm. Infelizmente, a documentação sobre o gabinete é falha, ele não vem com manual e sequer há uma página com as características do produto no site da marca. Apesar disso, trata-se de um bom gabinete para a faixa de preço que ocupa. Pontos fortes Boa relação custo/benefício Boa qualidade de construção Bom espaço para placas de vídeo Filtro de ar para a fonte de alimentação Filtro de ar para as ventoinhas frontais Pontos fracos Apenas duas baias de 2,5 polegadas Apenas seis slots de expansão Não suporta radiadores de 240 mm ou maiores Apenas uma porta USB 2.0 e uma USB 3.0 no painel frontal, poderia vir ao menos com duas portas USB 3.0 As baias de 3,5 polegadas utilizam parafusos específicos, se você perdê-los não terá como fixar discos rígidos corretamente As características do produto e da ventoinha não estão disponíveis
  4. Tópico para a discussão do seguinte conteúdo publicado no Clube do Hardware: Teste do gabinete LIKETEC Pro 307 "O LIKETEC Pro 307 é um gabinete torre média de baixo custo, com janela lateral em acrílico fumê, três baias de 3,5 polegadas e duas baias de 2,5 polegadas. Confira!" Comentários são bem-vindos. Atenciosamente, Equipe Clube do Hardware http://www.clubedohardware.com.br
  5. Teste do notebook Samsung Essentials E34

    Realmente colocar um SSD faz toda a diferença. Se você tem experiência, basta abrir o notebook e instalar. Infelizmente não há informações sobre o tipo de SSD suportado, vale a pena tentar um contato com eles. Quanto ao melhor modelo, dê uma olhada aqui: http://www.clubedohardware.com.br/artigos/armazenamento/
  6. Sugestão de Coolers para Testes

    Vamos tentar contato com a EVGA... Faz muito tempo que não temos contato com eles. Se os leitores quiserem sugerir para eles que nos enviem, ajudaria bastante!
  7. Placa-mãe ASUS B250 Mining Expert

    A ASUS B250 Mining Expert é uma placa-mãe diferente, voltada à montagem de computadores destinados à "mineração" de criptomoedas, e para isso conta com 19 slots PCI Express para instalação de placas de vídeo. Vamos analisá-la e ver como isso é possível. A mineração de criptomoedas é uma atividade que está em alta. Criptomoedas (como o Bitcoin) são moedas virtuais baseadas em criptografia e que necessitam de um alto poder de processamento para serem produzidas, validadas e até mesmo para circularem. Com isso, várias pessoas estão montando sistemas dedicados a esse processamento, na esperança de receberem essas moedas como pagamento pelo processamento realizado. No momento, os programas mais eficientes para mineração utilizam quase que unicamente o processamento de placas de vídeo, utilizando a técnica GPGPU (isto é, usando o processador gráfico para o processamento de programas "normais"). Assim, utilizar o máximo possível de placas de vídeo em um mesmo computador melhora a relação entre o lucro obtido e o investimento feito na montagem de máquinas e consumo elétrico. Pensando nisso é que surgiu uma placa-mãe como a B250 Mining Expert: trata-se de uma placa-mãe bastante básica e simples, exceto pelo fato de oferecer 19 slots PCI Express (um slot PCI Express 3.0 x16 e 18 slots PCI Express 3.0 x1), o que permite instalar, em teoria, 19 placas de vídeo para processamento. Alguns detalhes devem ser levados em consideração: primeiro, obviamente não é possível instalar as 19 placas de vídeo em um gabinete normal. Esse tipo de montagem requer um gabinete personalizado (geralmente, construído artesanalmente) e o uso de extensões para ligar as placas de vídeo (que utilizam conectores PCI Express x16) nos slots da placa-mãe. Assim, para utilizar 19 placas de vídeo, você precisará construir um gabinete adequado e adquirir 19 extensões de slot PCI Express x1 para PCI Express x16. O que nos leva ao segundo detalhe: exceto por uma placa de vídeo instalada no slot PCI Express x16, todas as outras funcionarão na velocidade x1, e não x16. Porém, como o tipo de atividade de processamento de mineração não utiliza muita largura de banda no slot, isso não chega a ser problema. E, pelo que pesquisamos, ainda não é possível instalar 19 placas de vídeo em uma única placa-mãe por conta de limitações de drivers dos fabricantes de placas de vídeo, que atualmente reconhecem no máximo oito placas de vídeo. Assim, no momento é possível instalar oito placas de vídeo da AMD e oito da NVIDIA (na verdade, no caso da NVIDIA, alguns modelos tem mais limitações). É possível que futuras atualizações de drivers permitam a utilização de mais placas de um mesmo fabricante. Em relação ao chipset utilizado, o B250 é o modelo intermediário da mais recente série da Intel para o soquete LGA1151. As principais diferenças do B250 em relação ao modelo mais topo de linha, o Z270, são o suporte a apenas doze pistas PCI Express 3.0 controladas pelo chipset (o Z270 tem 24 pistas PCI Express 3.0, enquanto o H270 tem 20), seis portas USB 3.0 (o Z270 suporta dez portas USB 3.0, e o H270 oito), a impossibilidade de dividir as linhas do slot PCI Express 3.0 x16 em dois slots trabalhando a x8/x8 ou mesmo três slots, trabalhando em x8/x4/x4. Além disso, o B250 não tem suporte a overclock em processadores desbloqueados; o Z270 é o único que oferece este recurso. Você confere a placa-mãe ASUS B250 Mining Expert na Figura 1. Ela usa o padrão ATX, medindo 305 x 230 mm. Figura 1: placa-mãe ASUS B250 Mining Expert O grande diferencial da ASUS B250 Mining Expert é a sua configuração de slots. Ela tem um slot PCI Express 3.0 x16 e 18 slots PCI Express 3.0 x1. O slot PCI Express x16 funciona na velocidade x16, enquanto os demais trabalham sempre a x1, obviamente. A placa-mãe não suporta CrossFire nem SLI. Não há nenhum slot M.2. Figura 2: slots A placa-mãe traz três conectores de 24 pinos para fontes de alimentação, para alimentação dos slots. O conector A (Figura 3) alimenta o slot PCI Express x16 e os primeiros seis slot PCI Express x1, o conector B alimenta os seis slots PCI Express x1 do meio e o conector C alimenta os seis slots restantes. Assim, para utilizar todos os slots, você deve utilizar três fontes de alimentação. Há ainda três conectores auxiliares do tipo conector padrão de periféricos, próximos aos slots, cujo uso não é obrigatório. Figura 3: conectores de alimentação Os processadores da Intel soquete LGA1151 têm um controlador de memória integrado, o que significa que é o processador – e não o chipset – que define quais as tecnologias e a quantidade máxima de memória que você pode instalar no micro. A placa-mãe, no entanto, pode ter uma limitação da quantidade e tipo de memória que poderá ser instalada. Esses processadores são compatíveis tanto com memória DDR3L (até 1.600 MHz) quanto com DDR4 (até 2.133 MHz ou 2.400 MHz, dependendo do modelo). Assim, quem define qual o tipo de memória que pode ser instalada (DDR3 ou DDR4) é a placa-mãe, pois os soquetes DDR4 são fisicamente diferentes dos DDR3. De acordo com a ASUS, a B250 Mining Expert suporta memórias DDR4 até 2.400 MHz. A ASUS B250 Mining Expert tem apenas dois soquetes de memória DDR4, suportando até 32 GiB caso você use dois módulos de 16 GiB. Para habilitar o modo de dois canais, você deverá instalar dois módulos de memória idênticos. Figura 4: soquetes de memória; instale dois módulos para obter o maior desempenho possível O chipset Intel B250 é uma solução de apenas um chip, também conhecido como PCH (Platform Controller Hub ou hub controlador de plataforma). Esse chip oferece seis portas SATA-600, sem suporte a RAID, e a placa-mãe traz quatro destas portas. As portas SATA são instaladas na extremidade da placa-mãe, como mostrado na Figura 5. Figura 5: as seis portas SATA-600 O chipset Intel B250 suporta doze portas USB 2.0 e seis portas USB 3.0. A ASUS B250 Mining Expert oferece quatro portas USB 2.0, duas no painel traseiro e duas disponíveis em um conector localizado na placa-mãe. Há seis portas USB 3.0, todas controladas pelo chipset, sendo quatro delas no painel traseiro (todas tipo A) e duas disponível em um conector. A ASUS B250 Mining Expert não traz portas USB 3.1, FireWire nem Thunderbolt. Esta placa-mãe suporta áudio no formato 7.1, usando um codec Realtek ALC887. As especificações técnicas do Realtek ALC887 incluem relação sinal/ruído de 97 dB para as saídas analógicas, relação sinal/ruído de 90 dB para as entradas analógicas, taxa de amostragem de até 192 KHz para as entradas e saídas e resolução de 24 bits. As especificações são boas para a proposta da placa-mãe, que na verdade poderia até vir sem circuito de áudio. A placa-mãe analisada vem com uma porta Gigabit Ethernet controlada por um chip Intel I219V. Na Figura 5, podemos ver o espartano painel traseiro da placa-mãe, com dois conectores PS/2 para teclado e mouse, duas portas USB 2.0, uma saída HDMI, quatro portas USB 3.0 (tipo A), uma porta Gigabit Ethernet e os conectores de áudio analógico. Figura 6: painel traseiro Na Figura 7, podemos ver os acessórios que acompanham a ASUS B250 Mining Expert. Figura 7: acessórios O circuito regulador de tensão da ASUS B250 Mining Expert tem seis fases para o processador. O regulador de tensão usa um chip controlador DIGI+ ASP1401BT (projeto digital). Cada fase utiliza dois MOSFETs QM3054M6 ("M3054M"). Figura 8: circuito regulador de tensão A ASUS B250 Mining Expert utiliza capacitores sólidos e bobinas de ferrite, e além disso há um capacitor eletrolítico para cada slot da placa. Se você quiser aprender mais sobre o circuito regulador de tensão, leia o nosso tutorial sobre o assunto. As principais especificações da ASUS B250 Mining Expert incluem: Soquete: LGA1151 Chipset: Intel B250 Super I/O: Nuvoton NCT5539D ATA paralela: nenhuma ATA serial: quatro portas SATA-600 controladas pelo chipset (sem suporte a RAID) SATA externa: nenhuma USB 2.0: quatro portas USB 2.0, duas no painel traseiro e duas disponíveis através de um conector na placa-mãe USB 3.0: seis portas USB 3.0, quatro no painel traseiro da placa-mãe (tipo A) e duas disponíveis em um conector, controladas pelo chipset USB 3.1: nenhuma FireWire (IEEE 1394): nenhuma Thunderbolt: nenhuma Vídeo on-board: controlado pelo processador; uma saída HDMI Áudio on-board: produzido pelo chipset em conjunto com um codec Realtek ALC887 (8 canais, resolução de 24 bits, taxa de amostragem de até 192 KHz para as entradas e saídas, relação sinal/ruído de 90 dB para as entradas e 97 dB para as saídas) Rede on-board: uma porta Gigabit Ethernet, controlada controlada por um chip Intel I219V Buzzer: não Interface infravermelha: não Fonte de alimentação: EPS12V mais 3 conectores de 24 pinos Slots: um slot PCI Express 3.0 x16 (trabalhando a x16), 18 slots PCI Express 3.0 x1 Memória: dois soquetes DDR4-DIMM (até DDR3-2400, máximo de 32 GiB) Conectores para ventoinhas: um conector de quatro pinos para o cooler do processador, um conector de quatro pinos para ventoinha auxiliar Recursos extras: nenhum Número de CDs/DVDs que acompanham a placa: um Programas incluídos: utilitários e drivers da placa-mãe Mais informações: http://www.asus.com Preço médio nos EUA*: US$ 150 * Pesquisado na Newegg.com no dia da publicação deste artigo. A mineração de criptomoedas usando placas de vídeo está tão em voga que tem causado alta nos preços e falta de estoque de determinados modelos de placas de vídeo, e era de se esperar que os fabricantes de placas-mãe fizessem algo voltado a esse nicho de mercado. Como a melhor relação custo/benefício na mineração é atingida quando se utilizar várias placas de vídeo no mesmo computador, faz sentido criar uma placa-mãe com uma quantidade absurda de slots. Na verdade, como mencionamos anteriormente, nem há ainda suporte dos fabricantes de placas de vídeo para instalação de mais do que oito placas do mesmo fabricante. Assim, na prática (até o momento) o limite é de 16 placas de vídeo, oito da NVIDIA e oito da AMD. Além disso, a montagem de um sistema assim é bastante artesanal: não há gabinete que suporte tantas placas de vídeo, e para instalar placas de vídeo em qualquer dos slots PCI Express x1, é necessário utilizar extensões. Assim, a placa-mãe poderia vir com pelo menos algumas delas. Alguns detalhes poderiam ser melhorados, como a instalação de um slot M.2, que simplificaria a instalação em gabinetes artesanais por permitir que não se utilizasse dispositivos de armazenamento de 2,5 ou 3,5 polegadas. Também sentimos falta de uma saída de vídeo VGA no painel traseiro, visto que neste tipo de sistema muitas vezes as várias placas de vídeo são utilizadas apenas para processamento e o vídeo utilizado é o integrado, e é comum usar monitores antigos nesse tipo de sistema dedicado ao processamento. De qualquer forma, é interessante haver no mercado uma placa-mãe que oferece a possibilidade de montagem de um sistema com tantas placas de vídeo para processamento.
  8. Tópico para a discussão do seguinte conteúdo publicado no Clube do Hardware: Placa-mãe ASUS B250 Mining Expert "A ASUS B250 Mining Expert é uma placa-mãe voltada à mineração de criptomoedas, oferecendo 19 slots para instalação de placas de vídeo. Confira!" Comentários são bem-vindos. Atenciosamente, Equipe Clube do Hardware http://www.clubedohardware.com.br
  9. Teste do cooler Corsair H115i

    A ideia é essa @Evandro. Mesmo que haja uma queda de desempenho por conta do TIM sob o heatspreader (eu acho que é muito pequena, mas a única forma de descobrir seria fazendo um delid), vai ser igual para todos os modelos testados, então não vai influenciar no comparativo entre os coolers.
  10. O Thermaltake Floe Riing 360 é um sistema de refrigeração líquida topo de linha para processadores. Ele tem um radiador de 360 mm com três ventoinhas RGB de 120 mm. Vamos ver como é o seu desempenho. Este cooler também é chamado "Thermaltake Floe Riing RGB 360 TT Premium Edition", e é um dos primeiros modelos com suporte nativo a processadores soquete AM4. Como qualquer sistema de refrigeração líquida selado, o Floe Riing 360 vem com o líquido arrefecedor já preenchido dentro do circuito (bloco, radiador, bomba e mangueiras). A Figura 1 mostra a caixa do Thermaltake Floe Riing 360. Figura 1: embalagem A Figura 2 mostra o conteúdo da embalagem: o sistema radiador-bloco, ventoinhas, controlador de ventoinhas, cabos, manual e as ferragens para instalação. Figura 2: acessórios Discutiremos este cooler em detalhes nas próximas páginas. O sistema selado radiador-bloco é mostrado na Figura 3. Nela vemos o bloco, que transfere o calor do processador para o líquido, e o radiador, que transfere o calor do líquido circulante para o ar. As mangueiras têm 326 mm de comprimento e 10 mm de diâmetro. Figura 3: sistema selado A Figura 4 revela o radiador do Thermaltake Floe Riing 360. Ele suporta três ventoinhas de 120 mm e tem 27 mm de espessura. Aparentemente, é o mesmo radiador utilizado no Thermaltake Water 3.0 Ultimate, que nós já testamos. Figura 4: radiador A Figura 5 mostra a parte de cima do bloco. O nome do fabricante e o círculo branco são iluminados por LEDs RGB, e você pode programar a cor e o padrão de iluminação. Há dois cabos ligados ao bloco: um conector para transmitir o sinal de rotação para a placa-mãe, e um conector que deve ser ligado no controlador do cooler. Figure 5: bloco A base do bloco, feita de cobre, é revelada na Figura 6. A pasta térmica já vem aplicada. Figura 6: base A Figura 7 mostra as três ventoinhas de 120 mm, modelo A1225S12S (1.400 rpm, 24,7 dBA, 42,34 cfm, 8,4 w). Essas ventoinhas têm LEDs RGB ao seu redor, que podem acender em cores e padrões programáveis. Note que elas usam um conector especial que precisa ser ligado ao controlador que acompanha o sistema. Figura 7: ventoinhas A Figura 8 mostra o controlador que acompanha o Floe Riing 360. Ele tem um conector de alimentação, um conector USB para comunicação com o computador e cinco conectores para ventoinhas ou bloco. As pequenas chaves vistas no equipamento servem para definir um número para ele, de forma a poder utilizar mais de um controlador no mesmo computador. Figura 8: controlador Para instalar o Thermaltake Floe Riing 360, primeiramente instale no bloco a moldura referente ao soquete do processador utilizado. Ele vem com uma moldura compatível com processadores Intel LGA1151, LGA 1150, LGA1155, LGA2011, LGA2011-v3 e LGA2066, e outra compatível com processadores AMD FM2+, AM3+ e AM4. Para processadores TR4 (Threadripper), você deve utilizar a moldura que vem com o processador. Nos processadores soquete LGA1151 e semelhantes, você deve ainda instalar uma placa-suporte pelo lado da solda da placa-mãe (nos processadores AMD, bem como nos Intel LGA2011 e LGA2066, você deve usar a placa suporte original da placa-mãe). Agora basta fixar o bloco sobre o processador utilizando quatro parafusos, fixar o radiador no gabinete, e ligar todos cabos de ventoinhas e do bloco no controlador, ligar o controlador à alimentação e a uma porta USB 2.0 da placa-mãe. Na Figura 9 você confere o Floe Riing 360 instalado em nosso gabinete Thermaltake Core P3. Figura 9: instalação concluída A Figura 10 mostra o cooler ligado. Há um software chamado Riing Plus RGB que permite controlar a iluminação de cada ventoinha (e do bloco) com qualquer cor ou com padrões de cores. Este software ainda controla a rotação das ventoinhas, trazendo as opções "performance", "silent", ou personalizada. Figura 10: ventoinhas ligadas Testamos o cooler com um processador Core i9-7900X (dez núcleos, 3,3 GHz), que é um processador soquete LGA2066 com TDP de 140 W. Para alcançar uma dissipação térmica ainda maior, nós fizemos um overclock para 4,6 GHz (clock base de 100 MHz e multiplicador x46), com tensão padrão. Medimos ruído e temperatura com o processador a plena carga. Para atingir 100% de utilização em todos os núcleos, nós rodamos o Prime 95 25.11 (nessa versão, o programa usa todos os núcleos disponíveis) no modo “In-place Large FFTs”. Nós comparamos o desempenho do cooler testado com o de outros sistemas de refrigeração líquida disponíveis no momento. Nós testamos os coolers sem controle de rotação embutido com as ventoinhas configuradas no máximo, enquanto nos sistema com controle via software, nós testamos em duas configurações, uma silenciosa e outra em alto desempenho. A temperatura ambiente foi medida com um termômetro digital. A temperatura do processador foi lida com o programa SpeedFan (através dos sensores térmicos do próprio processador). O nível de pressão sonora foi medido com um decibelímetro digital, posicionado a 15 cm da ventoinha. Essa medida serve apenas para fins de comparação, porque uma medida precisa de nível de pressão sonora deve ser feita em uma câmara acusticamente isolada sem outras fontes de ruído e com paredes anti-eco, da qual nós não dispomos. Configuração de Hardware Processador: Core i9-7900X a 3,8 GHz Placa-mãe: Gigabyte X299 AORUS Gaming 7 Memória: 64 GiB DDR4-3000, quatro módulos HyperX Predator de 16 GiB configurados a 2.666 MHz Unidade de armazenamento de boot: Samsung 960 EVO de 500 GiB Monitor de vídeo: Samsung U28D590D Fonte de alimentação: Thermaltake CX750 Gabinete: Thermaltake Core P3 Configuração do Sistema Operacional Windows 10 Home Software Usado Prime95 SpeedFan Margem de Erro Nós adotamos uma margem de erro de 2°C, o que significa que diferenças de temperatura abaixo de 2°C são consideradas irrelevantes. A tabela abaixo apresenta os resultados de nossas medições. Nós repetimos o mesmo teste em cada cooler listado abaixo, sempre com o processador em plena carga. Cooler Temp. Ambiente Ruído Velocidade das ventoinhas Temp. do processador Diferença de Temperatura Cooler Master Nepton 240M (máx.) 19 °C 47 dBA 2250 rpm 72 °C 53 °C Thermaltake Water 3.0 Ultimate (máx.) 19 °C 53 dBA 1800 rpm 66 °C 47 °C Corsair H100i GTX (performance) 19 °C 49 dBA 2150 rpm 66 °C 47 °C Corsair H100i GTX (quiet) 19 °C 45 dBA 1600 rpm 76 °C 57 °C Corsair H115i (máx.) 19 °C 61 dBA 2350 rpm 64 °C 45 °C Corsair H115i (performance) 19 °C 57 dBA 2050 rpm 70 °C 51 °C Corsair H115i (quiet) 19 °C 51 dBA 1550 rpm 77 °C 58 °C Thermaltake Floe Riing 360 (performance) 19 °C 45 dBA 1600 rpm 75 °C 56 °C Thermaltake Floe Riing 360 (silent) 19 °C 39 dBA 900 rpm 82 °C 63 °C No gráfico abaixo, podemos ver quantos graus Celcius o núcleo do processador estava mais quente do que a temperatura ambiente. Quanto menor a diferença, melhor é o desempenho do cooler. No gráfico abaixo, podemos ver quantos decibéis de ruído cada cooler produz. Quanto mais baixo, mais silencioso. As principais especificações do Thermaltake Floe Riing 360 incluem: Aplicação: soquetes AM2(+), AM3(+), FM1, FM2(+), AM4, TR4, LGA 1150, LGA1151, LGA1155, LGA1156, LGA2011, LGA2011-v3 e LGA2066 Radiador: 360 x 120 x 27 mm (L x P x A) Aletas: alumínio Altura do bloco: 45 mm Base: cobre Heatpipes: nenhum Ventoinha: três de 120 mm Velocidade nominal de rotação da ventoinha: 1400 rpm Fluxo de ar nominal da ventoinha: 42,34 cfm Consumo máximo: 8,4 W Nível de ruído nominal: 24,7 dBA Mais informações: http://www.thermaltake.com/ Preço médio nos EUA*: US$ 200 Pesquisado na Newegg.com no dia da publicação deste teste. O Thermaltake Floe Riing 360 é um sistema de refrigeração líquida topo de linha, mas o seu foco principal não é o desempenho, e sim a operação silenciosa e seu sistema de iluminação, que chama bastante a atenção. Isto fica claro em nossos testes: mesmo no modo "performance", ele foi o mais silencioso de todos os modelos que testamos, embora seu desempenho tenha sido um pouco inferior à média dos outros modelos topo de linha. Seu grande diferencial mesmo é o seu sistema de iluminação, que permite que você programe as cores e padrões de brilho independente para cada ventoinha, bem como para o próprio bloco. Assim, se você quer um sistema de refrigeração líquida de bom desempenho, silencioso, e quer o seu computador feericamente iluminado com padrões programáveis, o Thermaltake Floe Riing 360 é uma boa opção. Infelizmente, ele é bastante caro, o que o prejudica no quesito custo/benefício.
  11. Tópico para a discussão do seguinte conteúdo publicado no Clube do Hardware: Teste do cooler Thermaltake Floe Riing 360 "O Thermaltake Floe Riing 360 é um sistema de refrigeração líquida com radiador de 360 mm e três ventoinhas com iluminação RGB. Confira!" Comentários são bem-vindos. Atenciosamente, Equipe Clube do Hardware http://www.clubedohardware.com.br
  12. Por acaso pretendem fazer o teste da Asus Prime Z270A?

    Depende da ASUS nos disponibilizar a placa...
  13. Teste do cooler Corsair H115i

    Tópico para a discussão do seguinte conteúdo publicado no Clube do Hardware: Teste do cooler Corsair H115i "Testamos o sistema de refrigeração líquida H115i da Corsair, que tem radiador de 280 mm e duas ventoinhas de 140 mm. Confira!" Comentários são bem-vindos. Atenciosamente, Equipe Clube do Hardware http://www.clubedohardware.com.br
  14. Teste do cooler Corsair H115i

    O Corsair H115i é um sistema de refrigeração líquida topo de linha para processadores, composto de um radiador de 280 mm com duas ventoinhas de 140 mm. Vamos ver como é o seu desempenho. Como qualquer sistema de refrigeração líquida selado, o H115i vem com o líquido arrefecedor já preenchido dentro do circuito (bloco, radiador, bomba e mangueiras). A Figura 1 mostra a caixa do Corsair H115i. Figura 1: embalagem A Figura 2 mostra o conteúdo da embalagem: o sistema radiador-bloco, ventoinhas, cabo USB, manual e as ferragens para instalação. Figura 2: acessórios Discutiremos este cooler em detalhes nas próximas páginas. O sistem selado radiador-bloco é mostrado na Figura 3. À esquerda está o o bloco, que transfere o calor do processador para o líquido, e à direita radiador, que transfere o calor do líquido circulante para o ar. As mangueiras têm 400 mm de comprimento e 16 mm de diâmetro externo. Figura 3: sistema selado As Figuras 4 e 5 revelam o radiador do Corsair H115i. Ele suporta duas ventoinhas de 140 mm e tem 30 mm de espessura. Figura 4: radiador Figura 5: radiador A Figura 6 mostra a parte de cima do bloco. O nome do fabricante é iluminado por LEDs, e você pode programar a cor por meio do programa Corsair Link. Note os três cabos ligados ao bloco: um cabo de alimentação tipo SATA, um conector para transmitir o sinal de rotação para a placa-mãe, e os dois conectores para as ventoinhas. Figure 6: bloco A base do bloco, feita de cobre, é revelada na Figura 7. A pasta térmica já vem aplicada. Note o conector USB, onde vai um cabo ligado a uma porta USB 2.0 da placa-mãe. Figura 7: base A Figura 8 mostra as duas ventoinhas de 140 mm, modelo A1425S12S-2 (2.000 rpm, 104,65 cfm, 40 dBA, 8,4 W). Figura 8: ventoinhas A instalação do Corsair H115i é bastante simples. Em processadores Intel soquete LGA1151, LGA1150 ou LGA1155, você deve instalar a placa suporte pelo lado da solda da placa-mãe. Nos processadores AMD, bem como nos Intel LGA2011 e LGA2066, você deve usar a placa suporte original da placa-mãe. O H115i já vem com a moldura para processadores Intel instalada. Para processadores AMD soquete FM2+ e AM3+, você deve trocá-la pela moldura que acompanha o cooler; para processadores soquete TR4 (Threadripper), você deve instalar a moldura que vem com o processador. Já para processadores soquete AM4, é necessário adquirir a moldura compatível separadamente. Agora basta fixar o bloco sobre o processador utilizando quatro parafusos, fixar o radiador no gabinete, e ligar os cabos de alimentação, das ventoinhas e USB. Na Figura 9 você confere o H115i instalado em nosso gabinete Thermaltake Core P3. Figura 9: instalação concluída É necessário instalar o programa Corsair Link, que controla a velocidade da bomba e das ventoinhas, bem como a cor da iluminação do bloco. Há vários padrões de controle automático pré-estabelecidos, como "quiet" (silencioso), "performance" (desempenho), "full" (velocidade sempre no máximo), ou você pode programar como deseja que as ventoinhas respondam em função da temperatura. Há ainda a possibilidade de a cor do LED do bloco mudar para vermelho (ou outra cor que você quiser) quando a temperatura do líquido ultrapassar um valor estipulado. Testamos o cooler com um processador Core i9-7900X (dez núcleos, 3,3 GHz), que é um processador soquete LGA2066 com TDP de 140 W. Para alcançar uma dissipação térmica ainda maior, nós fizemos um overclock para 4,6 GHz (clock base de 100 MHz e multiplicador x46), com tensão padrão. Medimos ruído e temperatura com o processador a plena carga. Para atingir 100% de utilização em todos os núcleos, nós rodamos o Prime 95 25.11 (nessa versão, o programa usa todos os núcleos disponíveis) no modo “In-place Large FFTs”. Nós comparamos o desempenho do cooler testado com o de outros sistemas de refrigeração líquida disponíveis no momento. Nós testamos os coolers sem controle de rotação embutido com as ventoinhas configuradas no máximo, enquanto nos sistema com controle via software, nós testamos em duas configurações, uma silenciosa e outra em alto desempenho. A temperatura ambiente foi medida com um termômetro digital. A temperatura do processador foi lida com o programa SpeedFan (através dos sensores térmicos do próprio processador). O nível de pressão sonora foi medido com um decibelímetro digital, posicionado a 15 cm da ventoinha. Essa medida serve apenas para fins de comparação, porque uma medida precisa de nível de pressão sonora deve ser feita em uma câmara acusticamente isolada sem outras fontes de ruído e com paredes anti-eco, da qual nós não dispomos. Configuração de hardware Processador: Core i9-7900X a 3,8 GHz Placa-mãe: Gigabyte X299 AORUS Gaming 7 Memória: 64 GiB DDR4-3000, quatro módulos HyperX Predator de 16 GiB configurados a 2.666 MHz Unidade de armazenamento de boot: Samsung 960 EVO de 500 GiB Monitor de vídeo: Samsung U28D590D Fonte de alimentação: Corsair CX750 Gabinete: Thermaltake Core P3 Configuração do sistema operacional Windows 10 Home Software usado Prime95 SpeedFan Margem de erro Nós adotamos uma margem de erro de 2°C, o que significa que diferenças de temperatura abaixo de 2°C são consideradas irrelevantes. A tabela abaixo apresenta os resultados de nossas medições. Nós repetimos o mesmo teste em cada cooler listado abaixo, sempre com o processador em plena carga. Cooler Temp. Ambiente Ruído Velocidade das ventoinhas Temp. do processador Diferença de Temperatura Cooler Master Nepton 240M (máx.) 19 °C 47 dBA 2.250 rpm 72 °C 53 °C Thermaltake Water 3.0 Ultimate (máx.) 19 °C 53 dBA 1.800 rpm 66 °C 47 °C Corsair H100i GTX (performance) 19 °C 49 dBA 2.150 rpm 66 °C 47 °C Corsair H100i GTX (quiet) 19 °C 45 dBA 1.600 rpm 76 °C 57 °C Corsair H115i (máx.) 19 °C 61 dBA 2.350 rpm 64 °C 45 °C Corsair H115i (performance) 19 °C 57 dBA 2.050 rpm 70 °C 51 °C Corsair H115i (quiet) 19 °C 51 dBA 1.550 rpm 77 °C 58 °C No gráfico abaixo, podemos ver quantos graus Celsius o núcleo do processador estava mais quente do que a temperatura ambiente. Quanto menor a diferença, melhor é o desempenho do cooler. No gráfico abaixo, podemos ver quantos decibéis de ruído cada cooler produz. Quanto mais baixo, mais silencioso. As principais especificações do Corsair H115i incluem: Aplicação: soquetes AM2(+), AM3(+), FM1, FM2(+), TR4, LGA 1150, LGA1151, LGA1155, LGA1156, LGA2011, LGA2011-v3 e LGA2066 Radiador: 312 x 140 x 30 mm (L x P x A) Aletas: alumínio Altura do bloco: 30 mm Base: cobre Heatpipes: nenhum Ventoinha: duas de 140 mm Velocidade nominal de rotação da ventoinha: 2000 rpm Fluxo de ar nominal da ventoinha: 104,65 cfm Consumo máximo: 8,4 W Nível de ruído nominal: 40 dBA Mais informações: http://www.corsair.com/ Preço médio nos EUA*: US$ 140 Preço médio no Brasil: R$ 774 Pesquisado na Newegg.com no dia da publicação deste teste. O Corsair H115i é um excelente sistema de refrigeração líquida, com desempenho equivalente ao dos melhores produtos do tipo que nós já testamos. Na verdade, ele é bastante versátil: o seu software de controle "Corsair Link" permite que você o configure de acordo com o seu gosto: você pode configurá-lo para desempenho máximo (quando ele fica bastante barulhento), para uma operação silenciosa (abrindo mão de um pouco do seu desempenho) ou utilizar uma configuração equilibrada que permita que ele coloque as ventoinhas em alta rotação apenas quando necessário. Desta forma, sendo um sistema de refrigeração de fácil instalação, alto desempenho com a possibilidade operar silenciosamente quando o processador não estiver sendo exigido ao máximo, o Corsair H115i é uma ótima opção para quem tem um processador de alto desempenho, principalmente se estiver em overclock.
  15. Teste do SSD Kingston KC1000 de 480 GiB

    Estou supondo que sua placa-mãe não tem slot M.2. Se você não estiver utilizando o slot PCI Express x16 para a placa de vídeo, pode instalar o SSD (usando o adaptador) neste slot. Vai funcionar no desempenho máximo. Caso este slot já esteja em uso, pode instalar em um dos slots PCI Express x1, desde que eles sejam abertos na extremidade. Vai reduzir a taxa de transferência máxima, mas vai funcionar.

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×