Ir ao conteúdo
  • Comunicados

    • Gabriel Torres

      Seja um moderador do Clube do Hardware!   12-02-2016

      Prezados membros do Clube do Hardware, Está aberto o processo de seleção de novos moderadores para diversos setores ou áreas do Clube do Hardware. Os requisitos são:   Pelo menos 500 posts e um ano de cadastro; Boa frequência de participação; Ser respeitoso, cordial e educado com os demais membros; Ter bom nível de português; Ter razoável conhecimento da área em que pretende atuar; Saber trabalhar em equipe (com os moderadores, coordenadores e administradores).   Os interessados deverão enviar uma mensagem privada para o usuário @Equipe Clube do Hardware com o título "Candidato a moderador". A mensagem deverá conter respostas às perguntas abaixo:   Qual o seu nome completo? Qual sua data de nascimento? Qual sua formação/profissão? Já atuou como moderador em algo outro fórum, se sim, qual? De forma sucinta, explique o porquê de querer ser moderador do fórum e conte-nos um pouco sobre você.   OBS: Não se trata de função remunerada. Todos que fazem parte do staff são voluntários.

Pincipi

Membros Plenos
  • Total de itens

    260
  • Registro em

  • Última visita

  • Qualificações

    0%

Reputação

80

1 Seguidor

Sobre Pincipi

  • Data de Nascimento 13-12-1964

Informações gerais

  • Cidade e Estado
    São Paulo/SP
  • Sexo
    Masculino
  1. Como foi instalado o primeiro sistema operacional no pc

    @Gabriel Torres Este post me acendeu uma aguçada vontade de saber o que digitar num computador atual que esteja sem HD e ao ser ligado mostra a mensagem de "sem disco" ou "sem sistema", "insert disc boot", para que se obtenha alguma resposta, alguma coisa diferente de entrar no setup. Meu primeiro computador era um Scopus Nexus, não lembro mais os números mas, algo como 1600, tinha dois drivers de disquetes 360K, ao ligar ele tentava ler o drive a: e se não havia disco dava mensagem de inserir o disco, o máximo que se podia fazer era digitar b: e clicar em enter, então tentava ler o drive b. No caso dos XT existia um setup como os de hoje em dia? Depois eu tive um TK-85, era tudo por linha de comando direta, digitava o que queria que ele fizesse e observava o resultado, também tinha a opção de gravar em fita K-7 para não ter que ficar digitando tudo de novo, pelo que me lembre ele respondia a algumas linhas de comando, tipo assim "print rnd (10-1)" ao clicar em enter aparecia na tela um número aleatório de 0 a 9. Seria isso uma parte de uma rotina em linguagem de máquina? Também tive oportunidade de mexer em um apple ou Mac sem HD que tinha duas unidades externas, eu digitava algumas coisas e apareciam vários números e letras na tela, totalmente incompreensíveis.
  2. Pelo visto os LEDs estão dominando o mercado e estou interessado em saber mais sobre a tecnologia utilizada e formas de se utilizar e aproveitar materiais a venda no comércio, acontece que não encontrei material de pesquisa com noções básicas para que eu mesmo faça e desenvolva meus projetos como por exemplo iluminação de LEDs no gabinete ou dentro das teclas do teclado então, estou recorrendo a este fórum no intuito de aprender alguma coisa e passo a descrever quatro casos de minha experiência pessoal para apreciação e criticas: Caso 1. Depois que casa foi reformada e todas as luminárias foram substituídas por LED, resolvi instalar um ventilador de teto porém, ele veio equipado com a tradicional rosca E27 e como não queria comprar uma lâmpada só para ele, decidi por desmontar a luminária de LED: Tarefa fácil, basta soltar os parafusos que todas as partes se destacam: Com exceção da fita de LED que foi descolada com cuidado para não romper alguma trilha ou conexão depois, foi só fazer a ligação elétrica do "driver reator fonte" normalmente nos fios aonde seriam conectados a rosca da lâmpada E27: Em seguida colei a fita de LED dentro do globo com a própria fita dupla que veio nela: Uma importante observação é que depois de alguns dias ela se soltou e tive que remover a fita dupla velha e substituir por uma nova que não se soltou mais, abaixo um detalhe melhor do acabamento: Finalmente foi só conectar e encaixar o globo para tudo funcionar perfeitamente, do lado de fora não se sabe dizer se usa lâmpada incandescente ou LED. Caso 2. Em pleno domingo minha esposa disse que não ia ter nada para comer enquanto não se consertasse a lâmpada da coifa, não sei se foi apenas uma desculpa para comer fora ou se era verdade mesmo, de qualquer forma desmontei a coifa até chegar na lâmpada que estava queimada, pude ver que funcionava com 12 Volts e procurei nas lâmpadas de reserva do carro e a única que cabia no espaço era uma tipo torpedo de LED: Depois de desmontar fiz algumas soldas e adaptações conseguindo o resultado abaixo: Chamei a esposa e apertei o botão de ligar triunfante: Ela viu as duas lâmpadas acessas e providenciou a comida, sorte minha que nem notou a diferença, na esquerda é a lâmpada original, muito mais forte que a lâmpada da direita, que estava queimada e foi substituída pela gambiarra de LED. Caso 3. Uma das luminárias de LED tem uns penduricalhos e as aranhas estavam montando teias em volta, como dei um jato de spray de veneno direto no centro a lâmpada de LED queimou e não acendeu mais: Fui na loja comprar outra e o vendedor disse que custava R$ 42,00 (Epa! Tá doido?). Argumentei que queria só a lâmpada e não a luminária inteira mas, o preço era este mesmo, fiquei sem comprar a lâmpada original e decidi que iria fazer alguma adaptação com outra lâmpada de menor valor, entretanto, não podia deixar de desmontar para ver como é: Até aqui tudo indicava perfeito funcionamento, entrava 110V pelos terminais da esquerda passando pela placa ou fonte transformadora, saindo 14,20 Volts, positivo no fio vermelho e negativo no fio branco. O problema parece estar em um dos LEDs, o que foi removido, os outros dois acendem individualmente ligados a uma pilha 18650, aquelas de bateria de notebook, indicando 4,20 Volts enquanto que estes mesmos dois LEDs acendem juntos em série porém, com duas pilhas em série, só com uma não acendem. Feito o diagnóstico mais provável, tudo leva a crer que se trocar o LED volta a funcionar, abaixo o detalhe dele: A grande dificuldade é identificar ele e depois procurar no comércio. Caso 4. Achei no lixo duas luminárias de LED sem os reatores e removi as fitas de LED para testes: A ligação dos fios nesta fita é diferente do caso 1, onde os dois fios estão na mesma ponta, nesta fita tem um fio em cada ponta. Mais detalhes: Pela marcação do verso da fita de LED, identifiquei nove grupos de cinco LEDs cada, tentei várias ligações em diferentes pontos utilizando a pilha 18650 e alguns conjuntos de cinco LEDs acendiam e outros não. Fiz a experiência de cortar os grupos: Depois fiz riscos no isolamento para obter contato elétrico: Em seguida fiz os testes em cada um dos grupos de cinco LEDs: Apenas um grupo não acendeu corretamente, acendia apenas um LED ou então acendia um e dois ficavam piscando, eu fiz uma marca com "X" para identificar. Todos os outros grupos acenderam normalmente, aviso importante, eles brilham muito e como olhei direto, meus olhos demoraram a se recuperar, fiquei vendo manchas na forma do LED por alguns minutos. Por dedução lógica, um dos grupamentos está com defeito e isto causa um mal funcionamento em todo o conjunto, continuando na lógica do Dr Watson, se eu pegar um outro grupamento bom de outra fita de LED e refazer as conexões elétricas, ligando em série, tudo deve funcionar perfeitamente. O problema é que não tenho a fonte e nem sei qual deve ser. Por outro lado posso tentar ligar apenas dois grupamentos em série com duas pilhas em série e se funcionar, tentar com grupos de três. Na teoria, uma pilha é igual a 4 Volts e acende um grupo de LEDs, duas pilhas é igual a 8 Volts e acende dois grupos de LEDs enquanto que, três pilhas em série são iguais a 12 Volts e devem acender três grupos de LEDs. Isso tudo é no puro "chutômetro" pois, não tenho o devido conhecimento técnico. Ajuda ai!
  3. Internet Caindo Varias Vezes.

    A cerca de dois anos ficou acontecendo a mesma coisa com minha net de 2MB via cabo de tv, liguei no 10621 reclamando de falta de sinal, o operador pediu para desligar o modem e ligar em seguida, depois disse que fez o acesso remoto aumentando o sinal, desde então só cai quando fica sem energia.
  4. cooler girando sem o cabo de 12vts

    Isso já aconteceu comigo diversas vezes, a primeira vez foi o HD que pifou, sem ele tudo funcionava, a segunda vez foi zinabre nos contatos das memórias, limpou ficou novo, a terceira foi vazamento da bateria que deu curto, foi difícil refazer as trilhas mas, no final recuperou. Não feche o tópico antes de postar o resultado, pode ser algo que nunca vi antes e é bom aprender com a dificuldade dos outros.
  5. cooler girando sem o cabo de 12vts

    É assunto complexo, só sei o básico, o conjunto mínimo é composto por placa-mãe, processador, memória e fonte. para saber se é a placa-mãe tem que testar só ela em outro computador, com outra memória, processador e fonte, se não funcionar, tudo indica que seja a placa-mãe porém, pode ser que o defeito esteja no interruptor de liga e desliga, neste caso a placa funciona em outro computador. É tudo na base de exclusão, se a memória, o processador e a fonte funciona em outro computador, também é de se concluir que seja defeito na placa-mãe. Só conheço este método de diagnóstico. Se tiver condições percorra os circuitos da placa com uma lente de aumento e procure por trilhas rompidas ou peças que pareçam estar queimadas, as vezes até uma sujeira de pó úmido pode provocar um curto.
  6. cooler girando sem o cabo de 12vts

    Chegou a testar o botão de liga e desliga? Tipo assim, desconectar o cabo da placa e jampear com algo metálico e ainda se possível testar o as pontas do cabo com multímetro. Considerando que não seja isso, é provável que ocorreu algum problema na placa-mãe e até mesmo também na fonte, neste caso teria que testar cada componente separado em outras máquinas, fonte, processador, memória. O grande risco é que este teste pode danificar o outro computador como por exemplo a fonte estar em curto e queimar também a placa-mãe do computador de teste. Caso o processador, a memória e a fonte funcionem em outro computador, por exclusão pode-se deduzir que deu defeito na placa-mãe.
  7. Não conheço bem o assunto, só sei um pouco do básico, geralmente vou pela marca e modelo do roteador procurando o manual na internet, no caso do meu é 192.168.10.1, como sei que nas configurações este acesso pode ser alterado ao bel prazer do usuário, além de muitas outras configurações que dificultam o acesso por terceiros, acabo por acionar o botão de reset e forçar a configuração de fábrica, apagando quase todas as configurações e quando consigo o acesso ainda faço uma atualização de firmware e ai sim configuro tudo como eu quero. Lembrando que faço tudo isso pelo cabo.
  8. @Wagner Ruaro Isso, isso, isso, vou estudar o assunto e ver se dá para combinar com tela de aço, ferro de solda e soprador térmico. Acho que vou me especializar em funilaria de notebooks.
  9. Tenho uma vasta experiência negativa com carcaças plásticas de notebooks quebradas que via de regra devem ser substituídas ou caso não se encontre no mercado, ou seu preço não compense, vale o quebra galho da resina de dentista descrita em muitos vídeos na internet, resolve em alguns casos, como por exemplo na junção da parte de cima com a parte de baixo: É uma parte que não sofre muito estresse do movimento de abrir e fechar a tampa. Em comparação com uma parte boa, sem estar quebrada: Ocorre que em outras partes a tensão de abrir e fechar a tampa força muito as partes plásticas, já tentei durepoxi e cola de cano, nunca tentei a tal da resina de dentista porque não quis investir o valor, nada que usei conseguiu aguentar por muito tempo. Veja os detalhes a que me refiro nas fotos acima e abaixo: Em comparação com a parte boa, do outro lado, que não quebrou: Agora outro detalhe: Veja o que ainda ficou fixado na parte metálica: E agora juntando as partes que quebraram para se ter uma ideia de como era antes: Outro detalhe dos parafusos e da parte aonde se prendem: Eu tentei amenizar a força empregada na parte reparada soltando as roscas da dobradiça, de modo que não fosse necessário fazer força para dobrar e então a parte reparada não sofreria tensão, o problema é que a tensão toda ficou para a outra dobradiça que depois de algum tempo de uso ou quebra também ou cede, não conseguindo manter a tela equilibrada em pé, permitindo que ela se feche ou se abra conforme a força da gravidade, igualzinho as tampas automáticas de vazo sanitário que se fecham lentamente sem bater. Pensei por conta própria colocar parafusos maiores: Comprei em casa de materiais de construção, servem para muitos projetos. Depois de calcular e verificar que tem espaço dentro da carcaça, decidi pelo reparo embora que em outros notebooks, não havia espaço e as porcas ou cabeças dos parafusos ficavam do lado de fora da carcaça e encostavam na tela quando fechada. Primeiro fiz os furos aproveitando a marcação original: Depois encaixei os parafusos coma as arruelas do lado de fora e por dentro, antes eu colocava só os parafusos sem as arruelas porém, o plástico cedia exatamente em volta da cabeça do parafuso enquanto que com as arruelas o plástico não cedia, já no lado de dentro as arruelas serviam de calço para nivelar o espaço entre a carcaça e a parte metálica da dobradiça. Fica mais ou menos assim: No detalhe eu coloquei duas porcas, uma travando a outra pois, se colocar apenas uma, a porca vai se soltando aos poucos conforme o movimento de abrir e fechar a tela. Eu acredito que deve existir alguma cola que impeça a arruela de se soltar mas, ainda não conheço. Por fim o acabamento fica assim: Eu sei que é feio e esquisito, de qualquer maneira é funcional e duradouro, garante pelo menos quatro ou mais anos de utilidade ao aparelho. O penúltimo reparo que fiz em um Acer foi em 2013 e o equipamento está funcional até hoje. Se quiser pode disfarçar com uma tinta preta, lixar as cabeças para ocuparem menos espaço e até mesmo colar uma borracha por cima, daquela utilizadas nos pés de CPUs. Eu até pensei em fazer os reparos dos dois lados das dobradiças com parafusos maiores de modo a encaixar pés maiores elevando a traseira do notebook e dando mais espaço para circular o ar.
  10. Carcaça Notebook Acer estufada

    Apareceu este notebook Acer com a carcaça estufada, antes de abrir eu pensei que estava mal encaixado e que para solucionar bastava encaixar certo. Tentei empurrar com a mão mas, não encaixava, retornava a posição afastada. Depois que abri deu para notar que embaixo da tampa de plástico tinha uma chapa de metal com furos por onde saiam pinos de plástico e que a chapa estava afastada, não me atentei em tirar mais fotos deste detalhe porque estava preocupado em realizar outras tarefas entretanto, fiz um esquema: Tenho apenas uma foto de outro notebook que não está estragado: Como comparação achei um objeto parecido para se ter uma noção mais precisa: A parte prateada seria o equivalente a chapa de metal e a parte rosa equivalente a parte plástica da tampa. As pontas dos pinos de plástico que passam pelos furos da chapa de metal estão derretidos para dar fixação como na foto acima. Minha teoria do que foi que aconteceu; o reparador ou mechânico de notebooks forçou com uma espátula a abertura da tampa, estando ela ainda presa por algum parafuso que impedia a sua separação, fazendo com que a chapa de metal se separasse da parte plástica, como no esquema abaixo: O que causava o visível estufamento mesmo depois de fechar o notebook e parafusar. Não trabalhei na solução porque não tenho mais acesso a máquina.
  11. Interpretação de dados para upgrade Acer 5750-6BR656

    Acabou a brincadeira, o dono do notebook resolveu doar ele a uma sobrinha, não tenho mais acesso a máquina.
  12. Interpretação de dados para upgrade Acer 5750-6BR656

    Chegou o processador e nova decepção, o notebook liga, aciona a ventoinha e o leitor de CD mas, não dá vídeo e fica por isso mesmo. Pensei em comprar o Core i5 3380M e achei dois modelos: SR0X7 QD5H Qual será a diferença de um para o outro? Ambos são usados, o primeiro vem dos EUA e o segundo vem da China.
  13. Interpretação de dados para upgrade Acer 5750-6BR656

    O carteiro não veio e saiu no site a velha desculpa de entrega não efetuada, carteiro não atendido, isso deveria ser proibido, deveriam informar a verdade. Para piorar a minha falta de compreensão no assunto de upgrade comecei a mexer na parte do chipset: Pelo que entendi é o HM65, ai que desandou tudo, as informações que encontrei envolvem possibilidades de funcionar ou não, de N/A até 80% conforme o processador, não achei nada em 100%. Como último recurso fui obrigado a recorrer ao fabricante, se bem que dizem por ai que é o primeiro lugar a ser consultado, preferi ligar do que entrar no chat ou mandar e-mail, suporte acer 0800-762-2237, funciona bem, esperei 30 segundos depois que avisaram que os técnicos estavam ocupados, precisa ter o SNID, então pedem dois minutos para localizar as informações, em dez segundos disseram que é possível upgrade de memória e processador, disse que queria i7, a resposta foi que i7 não mas, que i5 sim, para qualquer processador Intel, seja ele de 3°, 4°, 5° ou 6° geração, (na minha lista só tem 2° e 3° geração para i5) quis saber sobre um modelo específico então disseram que esta informação é pela central de Barueri Telefone 11 4199-0707 horário comercial das 08 às 18 horas. Quando obter as informações posto o resultado. adicionado 16 minutos depois Na pesquisa da placa-mãe apareceu o esquema elétrico dela: http://www.rom.by/files/compal_la-6901p_r2.0_schematics.pdf Informação confidencial.
  14. Interpretação de dados para upgrade Acer 5750-6BR656

    No site dos correios consta como saiu para entrega o pacote do processador, já deixei o notebook desmontado esperando chegar, enquanto isso, fui pesquisando o assunto, quanto mais mexo mais perdido fico, não consigo entender as informações, meu socket é o 989 mas acontece que só tem classificação de sockets 988a G1 e 988b G2, com a informação de que a pinagem tem uma diferença que impede a conexão física invertida. Achei uma imagem num site russo: Também achei imagens deles na internet: Este é o G1 Este é o G2 Se olhar com atenção em baixo e a direita, dá para perceber a diferença. Até aqui dá para entender que realmente não dá para encaixar o G1 no G2 e vice versa. Fiz uma sobreposição com as imagens que fiz de meu socket e processador G2 com uma imagem de um processador G1 que achei na internet, ficou assim: Não sei se dá para entender bem mas, o socket 989 recebe fisicamente as duas gerações então deve existir algum outro fator que diferencie o que pode e o que não pode ser usado. Seguem imagens da placa e detalhe:
  15. Descobrir número de série

    Já abri muitas impressoras de várias marcas e nunca achei nada relativo a número de série na parte de dentro. Tente no fabricante, quem sabe alguém lá sabe localizar. Também procure no manual dela quais os comandos de botões para fazer coisas como auto-teste, talvez algum dos comandos imprima o número de série, lembrando que tentar combinações diferentes pode causar mal funcionamento difícil de ser resolvido. Outra possível saída é procurar por documentos na internet, principalmente sobre manutenção, pode ser que tenha algum modo de acessar a firmware e lá conste o número que procura. Não conseguindo nada na parte da impressora, deixe de lado e tente saber sobre o software que está usando, se ele aceita o número de série em branco ou zeros ou qualquer número ou se até mesmo ele auto localiza, tem que ir tentando.

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×