Ir ao conteúdo
  • Comunicados

    • Gabriel Torres

      Seja um moderador do Clube do Hardware!   12-02-2016

      Prezados membros do Clube do Hardware, Está aberto o processo de seleção de novos moderadores para diversos setores ou áreas do Clube do Hardware. Os requisitos são:   Pelo menos 500 posts e um ano de cadastro; Boa frequência de participação; Ser respeitoso, cordial e educado com os demais membros; Ter bom nível de português; Ter razoável conhecimento da área em que pretende atuar; Saber trabalhar em equipe (com os moderadores, coordenadores e administradores).   Os interessados deverão enviar uma mensagem privada para o usuário @Equipe Clube do Hardware com o título "Candidato a moderador". A mensagem deverá conter respostas às perguntas abaixo:   Qual o seu nome completo? Qual sua data de nascimento? Qual sua formação/profissão? Já atuou como moderador em algo outro fórum, se sim, qual? De forma sucinta, explique o porquê de querer ser moderador do fórum e conte-nos um pouco sobre você.   OBS: Não se trata de função remunerada. Todos que fazem parte do staff são voluntários.

Sandy Berger

Membros Plenos
  • Total de itens

    56
  • Registro em

  • Última visita

    Nunca
  • Qualificações

    0%

Reputação

0

Sobre Sandy Berger

  1. Teste do Computador Mac Mini

    A mais recente versão do Mac mini apresenta a mesma aparência elegante das versões anteriores, mas o que há sob o capô foi renovado. Foram incluídos um aumento de potência e uma nova porta, enquanto a unidade de CD/DVD e alguns softwares foram removidos. Nós decidimos dar uma olhada para determinar se essa versão é um avanço ou um passo atrás. O Mac mini vem em dois modelos básicos e também em um modelo de servidor. O modelo de 2,3 GHz com 2 GB de memória apresenta um preço sugerido nos EUA de 600 dólares. Um modelo de 2,5 GHz com 4 GB de memória apresenta um preço sugerido de 800 dólares. Ambos os modelos têm processadores Core i5. O Mac mini com Lion Server vem com um Core i7 de quatro núcleos 2,0 GHz e seu preço sugerido é de 1.000 dólares. Nós testamos o modelo de 600 dólares, que vem com um processador Core i5-2415M. Todos os modelos do Mac mini vêm em uma caixa semelhante e todos compartilham o mesmo design de hardware. A caixa do Mac mini é mostrada na Figura 1. Figura 1: A caixa do Mac mini O conteúdo da caixa é mostrado na Figura 2. Ele inclui o Mac mini, um adaptador HDMI para DVI, um cabo de alimentação e documentações impressas menos importantes. Embora o conteúdo das caixas geralmente seja simples, descobrimos que vários destes componentes eram muito interessantes. O primeiro é a ausência de um bloco de energia no cabo de alimentação. Em última análise, isso torna o Mac mini mais portátil. A segunda coisa notável é a inclusão do adaptador HDMI para DVI. Isto permite que você ligue o mini a um monitor digital, bem como a uma HDTV, sem precisar comprar adaptadores adicionais. Figura 2: O conteúdo da caixa Como pode ser visto na Figura 3, na tradição da Apple, o Mac mini é uma maravilha do design de produto. Embora seja um pouco quadradão, é pequeno, elegante e discreto. Medindo 19,7 x 19,7 x 3,6 cm, o Mac mini revestido de alumínio pesa 1,22 kg e contém praticamente tudo o que é necessário para o usuário comum atual. Figura 3: O hardware do Mac mini A parte traseira do Mac mini é mostrada na Figura 4. Ele apresenta todas as portas e componentes necessários. Da esquerda para a direita, é possível ver o botão de alimentação, a fonte de alimentação, uma porta Gigabit Ethernet, uma porta FireWire 800, uma porta HDMI de tamanho normal, uma porta Thunderbolt, quatro portas USB 2.0 e um slot para cartão SDXC. As portas de entrada e saída de áudio ficam logo abaixo do slot para cartão. Figura 4: A parte traseira do mini A porta HDMI garante uma conexão fácil para usar uma TV de alta definição como monitor. A porta Thunderbolt, a nova porta de dados de alta velocidade da Apple, permite a conexão com os novos monitores da Apple. A inclusão do adaptador HDMI para DVI facilita a conexão do mini a qualquer monitor com uma porta DVI. No entanto, isso não abrange todos os monitores. Não há nenhum adaptador incluído para usar um monitor que só tenha uma porta VGA, o que inclui muitos dos monitores atualmente em uso. Todas as portas são extremamente úteis, embora nem todo mundo vá usar a porta Thunderbolt. Embora a porta Thunderbolt também aceite monitores DisplayPort, não há muitos deles disponíveis. Teoricamente, essa porta oferece o recurso de encadear monitores e periféricos. No entanto, atualmente existem apenas alguns dispositivos Thunderbolt disponíveis e eles são muito caros. A porta Thunderbolt lida com resoluções de tela até 2560 x 1600, o que é consideravelmente mais do que a porta HDMI, que só vai até 1920 x 1200. No entanto, muitos monitores não tiram proveito dessa resolução. Portanto, a maioria dos proprietários do mini vai considerar a expansão da porta Thunderbolt no futuro. O mini também oferece suporte a vários monitores. Como a parte traseira do mini contém a maioria das portas e slots, o resto dele é muito simples. Ambos os lados são desprovidos de aberturas e/ou botões. Apenas a parte frontal, que é mostrada na Figura 5, mostra uma brecha na construção contínua de alumínio. Há dois orifícios na parte frontal. O maior é o receptor de infravermelho e o menor é a luz de repouso/despertar. Figura 5: A parte frontal do mini O tamanho e o formato do mini são semelhantes ao das versões anteriores. Qualquer pessoa familiarizada com os minis anteriores imediatamente perceberá que não há uma unidade ótica na parte frontal do mini. Na verdade, simplesmente não há uma unidade ótica. A Apple sempre esteve na vanguarda da introdução de novas tecnologias e eliminação do que é antigo, portanto, a remoção da unidade ótica não é um choque. Afinal, você pode baixar o sistema operacional e a maioria dos programas que precisa diretamente da nova loja Apple Mac. No entanto, nós ficamos decepcionados ao descobrir que o mini não tem DVD. Se a Apple tivesse incluído apenas uma unidade Blu-ray, o mini seria o complemento perfeito para uma sala multimídia. Seria possível adicionar uma unidade ótica USB externa. A Apple oferece uma a 80 dólares, mas isso prejudicaria o design simples e portabilidade do dispositivo. Infelizmente, a Apple não oferece nenhum leitor de Blu-ray. A parte inferior do Mac mini tem uma grande parte redonda de plástico preto no meio, conforme mostrado na Figura 6. Essa peça circular é desenroscada para que o usuário acesse os slots de memória, que podem ser vistos na Figura 7. Embora a memória seja fácil de alcançar, mudar o disco rígido seria um projeto que até mesmo os usuários experientes talvez não desejem tentar. Figura 6: A parte traseira do mini Figura 7: O interior do mini Por dentro, o Mac mini é consideravelmente mais potente do que as versões anteriores. Até mesmo o modelo mais barato que analisamos apresenta um Intel Core i5 2,3 GHz de dois núcleos com 3 MB de cache L3 compartilhado on-chip. Ele vem com 2 GB de memória DDR3 de 1,333 MHz. Como vimos, a memória é facilmente expansível. A unidade consegue lidar com até 8 GB. Ela apresenta um disco rígido de 500 GB de 5.400 rpm e um processador Intel HD Graphics 3000 com 288 MB de SDRAM DDR3 compartilhada com a memória principal. Temos de repreender a Apple por não incluir portas USB 3.0, o que seria de se esperar em um novo computador deste calibre. A Apple considera o Mac mini um computador de mesa, mas, ao contrário de seus outros desktops, ele não vem com um teclado ou um mouse. É necessário também comprar um monitor separado. Assim, ao menos que você tenha esses itens facilmente disponíveis, terá de incluí-los em seu orçamento ao comprar o mini. Felizmente, o mini inclui a tecnologia sem fios Bluetooth 4.0, e um teclado e um mouse sem fio podem ser facilmente acrescentados, o que é especialmente benéfico se você usar o mini com uma televisão. Nós adicionamos um teclado sem fio Rosewill RK-V1TP que testamos no ano passado conectando o transmissor a uma das portas USB do mini. Embora ele seja basicamente um teclado de PC, funcionou perfeitamente com o mini, o que nos permite usar o painel sensível ao toque em vez de conectar um mouse. Nós também testamos o mini usando um teclado e um mouse Bluetooth da Apple. Instalar o mini é simples. Basta conectar o teclado, o mouse e o monitor ou televisão, e seguir as instruções na tela. O mini vem com uma rede sem fio 802.11n Wi-Fi interna, não sendo necessário comprar extras para se conectar à sua rede sem fio. O Mac mini vem com o OS X Lion, a versão mais recente do sistema operacional Mac da Apple. Nós adoramos o Lion porque ele está recheado de novos e valiosos recursos. Com o Lion, finalmente é possível executar facilmente os aplicativos em tela inteira para aproveitar os monitores grandes que são tão populares atualmente. Um recurso chamado Mission Control reúne aplicativos em tela inteira, Dashboard, Expose e Spaces, para oferecer um centro do qual é possível ter uma visão geral e navegar em tudo no sistema. Os novos recursos Resume e Auto Save são muito úteis. O recurso Resume reabre aplicativos fechados exatamente onde você os deixou para que seja possível voltar ao trabalho imediatamente. Com o Resume, também é possível reiniciar o Mac e voltar para o ponto onde você o deixou. O recurso Auto Save salva o seu trabalho automaticamente para você. Qualquer pessoa que já tenha perdido várias horas de trabalho porque se esqueceu de salvar o documento vai adorar este recurso. Além desses recursos, o Mac mini também traz o iPhoto, o iMovie, o Garage Band, o Mail, o Address Book, o iCal, o iTunes, o Safari, o Time Machine, o FaceTime e o Photo Booth. Infelizmente, um programa útil chamado iWeb, que criava sites com rapidez e facilidade, não está incluído nem é suportado. A nova Mac App Store é o ponto de partida para baixar Pages ou qualquer outro software Mac. Para a sorte dos proprietários do Mac mini, há uma ampla seleção de programas que podem ser baixados de forma rápida e fácil. Sem uma unidade ótica, downloads e/ou programas que podem ser instalados de uma unidade USB são a maneira mais fácil de obter programas para o mini. Outro recurso do Mac OS X Lion que achamos muito útil são os gestos Multitoque. Depois de usar iPhones, tablets e outros dispositivos arrastando os dedos e tocando na tela, esses gestos se tornaram naturais para muitos de nós. Para tirar o máximo proveito dos comandos de entrada baseada em gestos do Lion, nós adicionamos um Magic Track Pad de 70 dólares ao nosso mini. Como pode ser visto na Figura 8, o Magic Track Pad é um pequeno bloco que combina perfeitamente com o acabamento elegante e de alumínio do mini. Figura 8: O Magic Track Pad Este dispositivo é muito fino, conforme mostrado na Figura 9, mas também é bastante sólido. Ele pode se apoiar no seu joelho com a mesma facilidade que fica na sua mesa. Ele oferece um controle preciso do cursor. Ele permite que você role, selecione, aperte e expanda, deslize, gire, clique e arraste, e realize vários outros comandos com os dedos. Há um deslizamento de dois dedos, bem como deslizamentos de três dedos e de quatro dedos. Nós adoramos usar o Mac OS X Lion, especialmente com o Magic Track Pad. Os aplicativos do Mac mini apresentaram um bom desempenho (mesmo quando nós o entupimos, executando seis ou sete aplicativos ao mesmo tempo), assim como os vídeos e, surpreendentemente, a maioria dos jogos que experimentamos. Alguns aplicativos pesados ​​como o Photoshop levaram um tempo razoavelmente longo para carregar. Notamos também uma lentidão razoável depois de executar os aplicativos e/ou jogos gráficos por várias horas. Dois gigabytes de memória são suficientes para trabalhos leves, mas nossa sugestão para os que planejam executar aplicativos pesados​​ é acrescentar mais memória ou comprar o melhor modelo de 4 GB de memória e um processador um pouco mais rápido. Algo muito legal no Mac mini é que ele é extremamente silencioso. Mesmo de perto, não é possível saber se ele está ligado pelo barulho. Além disso, apesar de tudo o que fizemos com ele, o Mac mini continuou resfriado. As principais características do Mac mini incluem: Processador: Core i5-2415M2 GB de memória DDR3 de 1,333 MHzDisco rígido: Disco rígido de 500 GB (5.400 rpm)Gráficos: processador Intel HD Graphics 3000 com 288 MB de SDRAM DDR3 compartilhada com a memória principalWiFi: rede sem fio 802.11n Wi-FiBluetooth: Bluetooth 4.0Porta Thunderbolt com suporte para resolução de até 2.560 x 1.600Porta Gigabit EthernetEntrada e saída de áudioSaída DVI usando um adaptador HDMI para DVI (incluso)Ethernet: Ethernet 10/100/1000BASE-TSuporte a dois monitores e espelhamento de vídeoAlto-falantes internosQuatro portas USB 2.0 (até 480 Mbps)Slot para cartão SDXCPorta HDMI com suporte para resolução de até 1.920 x 1.200Mais informações: http://www.apple.com Preço médio nos EUA*: US$ 569,00* Pesquisado na amazon.com no dia da publicação deste teste. A um preço sugerido de US$ 600, o Mac mini não é um computador barato, mas é uma das formas mais baratas de entrar no mundo Mac, mesmo que seja necessário comprar um teclado, um mouse e um monitor. Com o processador atualizado e os novos componentes internos, ele tem bom desempenho e é visivelmente mais rápido que as versões anteriores. Ele tem um ótimo design e boa fabricação. Combinado com o novo OS X Lion, ele é um computador excelente. Se há uma falha no mini, talvez seja o fato de que ele é um pouco avançado demais. Sim, é possível obter a maioria do que você quer na Internet ou em uma unidade USB, mas pode ser um pouco cedo demais para eliminar completamente a unidade ótica, pois achamos que o usuário comum vai achar isso um pouco inconveniente. A inclusão da porta Thunderbolt, embora seja interessante, também é algo que pode ou não ser importante no futuro. Se a Apple tivesse incluído um leitor de Blu-ray no mini, ele seria um ótimo centro de mídia. Dito isto, é um computador excelente, com uma pegada muito pequena. Ele é portátil o suficiente para ser usado para assistir a programas da Internet em uma HDTV e depois levá-lo para o escritório para usos mais sérios. Os novatos que desejarem comprar o Mac mini para entrar no mundo Apple pode precisar de alguém experiente para ajudá-los a escolher os componentes certos, como teclado, mouse e monitor. Depois de superar esse obstáculo, o mini trabalhará bem para o novato, da mesma forma que trabalharia para um usuário mais experiente. Pontos Fortes Pegada muito pequenaÓtimo design e boa fabricaçãoResistenteSem bloco de alimentaçãoPortátilSuporte a dois monitoresResfriado e silenciosoHDMI de tamanho normalPorta ThunderboltOS X LionAdaptador HDMI para DVI inclusoBluetooth e Wi-Fi Pontos Fracos Não há unidade óticaSomente USB 2.0Sem monitor, mouse ou keyboard
  2. A Motorola lançou recentemente no Brasil mais um modelo da sua linha de celulares Milestone, que usa o nome “Droid” nos EUA. Tivemos a oportunidade de avaliar o produto que é comercializado nos EUA, por isso as fotos deste teste são do Droid 3. Mas você já sabe que por aqui ele é conhecido como Milestone 3. O Motorola Milestone 3 vem na típica caixa do Droid, com seu logo futurista que lembra um brilhante olho vermelho, como mostrado na Figura 1. Esses logos são encontrado em todas as caixas de Droid. Todos os logos são semelhantes, mas cada um é exclusivo para o modelo específico. O característico logotipo do olho vermelho que aparece na embalagem também é a base para a animação que começa quando o telefone é ligado. Figura 1: A caixa com o logo do olho vermelho O conteúdo da caixa é mostrado na Figura 2. O Motorola Milestone 3 vem com um adaptador CA, cabo USB, e material de referência. O cartão SIM e a bateria vieram pré-instalados no nosso dispositivo de teste. Figura 2: O conteúdo da caixa Como você pode ver na Figura 2, o Milestone 3 é um típico telefone de tela sensível ao toque. Como outros telefones Droid/Milestone, tem uma construção sólida e dá uma boa sensação de resistência quando o seguramos. Ele mede 64,1 x 123,3 x 12,9 milímetros e é ligeiramente mais espesso do que alguns outros telefones Droid/Milestone por causa do teclado que desliza para o lado de fora. Embora o teclado seja responsável por um certo peso extra no aparelho, não é tanto quanto pensamos. O Milestone 3 pesa 184 gramas, enquanto o Milestone original pesa 155 gramas e os Droid X pesam 170 gramas. Conforme mostrado na Figura 3, a frente do Milestone 3 tem o alto-falante no centro, perto da parte superior do telefone. À direita há uma luz de notificação e a câmera frontal. O Milestone 3 vem com tela de quatro polegadas TFT qHD (960x540) sensível ao toque. Embora não seja tão detalhada quanto a Retina do iPhone ou a Super AMOLED da Samsung, sua tela é nítida e clara e não decepcionou de forma alguma. A tela funciona melhor sob luz solar intensa do que as telas dos Droids/Milestones anteriores, como o Milestone original e o Droid X. Na área preta da tela, na parte inferior (Figura 3), você pode ver os quatro ícones principais do Android: Menu, Início, Voltar e Busca. Estes ícones são iluminados quando o telefone está em uso em uma situação de pouca luz. Na parte inferior há uma aba que faz parte do teclado deslizante. Figura 3: A frente do Milestone 3 O lado esquerdo do Milestone 3 é mostrado na Figura 4, onde você pode ver um conector Micro USB para carregar e um conector Mini HDMI. A conexão HDMI funciona em um modo de espelho, para que você possa ver tudo o que está no telefone em uma televisão HDTV ou tela maior. Figura 4: O lado esquerdo do Milestone 3 A Figura 5 mostra o controle de volume, que é o único mecanismo no lado direito do Milestone 3. Figura 5: O lado direito do Milestone 3 A parte superior do Milestone 3, como mostrado na Figura 6, apresenta o interruptor liga/desliga e uma conexão padrão de 3,5 mm para fone de ouvido. Figura 6: A parte de cima do Milestone 3 O teclado é mostrado na Figura 7. É um teclado QWERTY de cinco linhas com uma linha numérica dedicada na parte superior. Isto é extremamente útil, tanto que, depois de usá-lo por um tempo, você pode nunca mais querer voltar para um teclado sem ele. O Milestone 3 também tem teclas dedicadas de setas que são excelentes para navegar com o cursor ao fazer correções de texto. Outro recurso interessante é que as teclas são iluminadas por trás. Elas acendem automaticamente quando as luzes do ambiente são fracas. Figura 7: O teclado do Milestone 3 O mecanismo deslizante do teclado é um pouco apertado. Embora isso o deixe um pouco mais difícil de abrir, contribui para a sensação de solidez do telefone. Não há tremor ou deslocamento quando o teclado está em uso. As teclas são de bom tamanho e são fáceis de pressionar. O teclado na tela também é excelente, tornando este um bom celular para aqueles que usam muito a entrada de texto. O teclado na tela suporta Swype para quem gosta de sua facilidade de uso. O Milestone 3 é um telefone 3G. Isso significa que a transferência de dados é mais lenta que em um 4G, mas também significa maior durabilidade da carga da bateria. Segundo informações da Motorola, a bateria de íons de Lítio de 1540 mAh do Milestone 3 garante até 400 minutos de conversação contínua e até 520 horas em standby. O Milestone 3 resistiu facilmente a um dia de uso médio. Embora ele não suporte a rede 4G LTE (o que por enquanto não faz diferença para o Brasil, já que ainda não temos esse sistema), ele tem a vantagem de ser um telefone mundial com cartão SIM incluído. A figura 8 mostra a parte traseira do telefone com a tampa removida, onde você pode ver a bateria e o chip (cartão SIM). Um slot para cartão microSD de até 32 GB está localizado logo abaixo do chip. Diferente de alguns de seus antecessores Droid/Milestone, não há cartão microSD incluído no Milestone 3. Por outro lado, ele possui armazenamento interno de 16 GB. O Milestone 3 utiliza uma tecnologia de modo duplo para que funcione tanto em CDMA quanto em GSM. Figura 8: A parte de trás aberta O Milestone 3 usa processador de dois núcleos OMAP 4430 da Texas Instrument com  1 GHz e 512 MB de RAM. O processador de dois núcleos produz melhor renderização de gráficos do que alguns Droids/Milestones mais antigos, com processadores de núcleo simples. Isto é mais claramente notado quando usamos jogos e quando o telefone é conectado a uma HDTV para saída de vídeo. Como observado anteriormente, a porta HDMI trabalha em modo de espelho, assim você pode usar uma HDTV para mostrar o que você vê na tela do telefone. Nosso Milestone 3 veio com a versão Gingerbread (Android 2.3) pré-instalada. Esta é a versão mais atual do sistema operacional Android e adiciona algumas funcionalidades excelentes para este telefone. Você pode dizer num piscar de olhos que o Gingerbread está instalado só de olhar para sua tela principal, que é mostrada na Figura 9. As duas linhas de ícones na parte inferior são uma das características do Gingerbread, assim como o ícone quadrado (todos os aplicativos) no canto inferior direito. O Gingerbread traz com ele muitas melhorias que o usuário vai notar logo de cara, como o melhor seleção de palavras, implementação da função copiar e colar, melhorias nos aplicativos de câmera e música, e um tema visual simplificado. Há também melhorias nos bastidores, como melhor gerenciamento de energia, um gerenciador de aplicativos nativo e um melhor gerenciador de downloads. Como você também pode ver na Figura 9, o Milestone 3 vem com um widget de utilização de dados, um aplicativo de ajuda e um guia em vídeo, que serão de grande utilidade para um novo usuário. Figura 9: A tela inicial do Milestone 3 Com processador de dois núcleos, tela sensível ao toque responsiva e sistema operacional Gingerbread, o Milestone 3 é muito agradável de usar. Ele é rápido e ágil, sem falhas. A qualidade das chamadas em nossos testes foi excelente, e o viva-voz era alto o suficiente para ser útil. Este telefone tem dois microfones com redução de ruído, o que ajudou a reduzir o barulho. Enquanto alguns outros telefones Motorola exigem uma conta Motoblur, o Milestone 3 não nos obrigou a ter uma. Na verdade, a presença imposta do Motoblur não é tão óbvia neste celular, o que para nós foi uma coisa boa. Outras funções do telefone incluem as amenidades de praxe, como mensagens de texto e multimídia, Wi-Fi, alto-falante, chamada em espera, desvio de chamada, chamada em conferência e discagem por voz. Bluetooth estéreo e GPS também estão incluídos. O Milestone 3 também pode funcionar como um hot-spot móvel para até cinco dispositivos (se o plano da sua operadora permitir esse tipo de uso). O Milestone 3 usa reprodutor de música e navegador padrão Android. Ouvir música é agradável neste aparelho por conta da saída estéreo para fones de ouvido. Embora a navegação seja mais lenta do que quando usamos um aparelho 4G (tecnologia ainda não disponível no Brasil), fomos capazes de navegar na web sem problemas. O GPS também funcionou com rapidez e facilidade. O Milestone 3 vem com diversos aplicativos diferentes pré-instalados. Além do tradicional e-mail, Gmail, relógio e alarme, há também Let’s Golf 2, Quickoffice, MotoPrint (que permite imprimir a partir do seu Milestone 3), GoToMeeting, e Citrix Receiver, um aplicativo de virtualização de desktop. Falta de aplicativos não é mais um problema quando se tem um telefone Android, já que o Android Market agora tem praticamente todo tipo de aplicativo que alguém possa imaginar. O Milestone 3 tem uma câmera traseira de oito megapixels e uma câmera frontal VGA. A câmera de 8 megapixels produz imagens nítidas. Embora as cores tenham perdido um pouco da intensidade sob luz solar intensa, a representação de cores foi boa. Não há botão de câmera dedicado e o auto-foco foi um pouco lento (principalmente com pouca luz), de modo que o Milestone 3 não será muito útil quando você precisar de uma foto muito rápida. No entanto, ele se sai bem quando há tempo para configurar a foto. O flash LED simples parece ser tão poderoso quanto o flash duplo de alguns aparelhos que temos visto. Os ajustes da câmera permitem fotografar na resolução de oito megapixels completa ou em modo de seis megapixel widescreen, que fica muito bem na tela do Milestone 3. O Milestone 3 grava vídeos em 1080p e nossos vídeos de teste ficaram bastante bons. Este é um ponto forte para aqueles que querem usar a câmera para capturar cenas em movimento. As principais especificações do telefone celular Motorola Milestone 3 incluem: Dimensões: 64,1 x 123,3 x 12,9 mmPeso: 184 gramasTela: 4 polegadas, sensível ao toque, qHD (960x540), TFT, 16M cores, Corning Gorilla GlassSistema operacional: Android 2.3 (Gingerbread)Redes: WCDMA 850/1900/2100 MHz, QUAD GSM;; HSDPA 14.4Mbps, HSUPA 7.6Mbps, EDGE Clase 12 e GPRS Clase 12Acessórios compatíveis: Compatibilidade TTY (para deficientes auditivos); compatível com aparelho auricular Rated M4, T3Wi-Fi: 802.11 b,g,nBluetooth: Estéreo, versão 2.1Câmeras: 8 megapixels (traseira), VGA 1.3 megapixels (dianteira)Zoom: Digital 8xFlash: LED únicoTaxa de captura de vídeo: Qualidade HD 1080p, resolução de 1920x1080, até 30 fps de captura e reproduçãoFormatos de música: AAC, H.263, H.264, MP3, MPEG-4, WAV, eAAC +, WMA v10, WMA v9, MIDI, AAC +Tempo de conversação contínua: até 400 minutosTempo de espera: até 520 horasTipo de bateria: Íons de lítio 1540 mAhMais informações: http://www.motorola.comPreço médio nos EUA: US$ 200 com contrato de dois anosPreço médio no Brasil: Entre R$ 1.799,00 e R$ 1.999,00 (aparelho desbloqueado)O Milestone 3 tem três coisas a seu favor: o teclado topo de linha, o mais recente sistema operacional Android Gingerbread, e pode ser facilmente utilizado em qualquer lugar do mundo. O teclado bem bolado, com teclas mais sensíveis à digitação, linha de números dedicada, e úteis teclas de seta, é uma adição maravilhosa à linha Milestone. Ele supera qualquer outro teclado Motorola anterior que já vimos. Acrescente a isso um bom teclado virtual (na tela), as características de entrada de texto desse sistema operacional mais recente, e o reconhecimento de voz Android, e você tem um telefone que é excelente para receber dados de texto. Embora o Milestone 3 não seja nem mais fino nem o mais leve dos smartfones disponíveis, ele é rápido, sua bateria tem excelente vida útil e ele desempenha a maioria das funções bem o suficiente para agradar ao usuário médio. Sua maior desvantagem é a falta de suporte a 4G LTE. Mesmo que ainda não haja a tecnologia 4G no Brasil, ela pode tornar-se disponível antes de você ter necessidade ou vontade de trocar de aparelho. Mas se você usa muito texto no telefone e viaja pelo mundo, o Milestone 3 é perfeito para você. Pontos Fortes Construção sólidaExcelente teclado de cinco linhasSistema operacional Android GingerbreadPossibilidade de ser usado em tipos diferentes de rede pelo mundoProcessador de dois núcleosDuas câmeras adequadasConector HDMI com espelhamentoPontos Fracos Não há suporte a 4G
  3. Teste da Filmadora Kodak PlayTouch

    A Kodak PlayTouch (Zi10) é a sucessora da Kodak Zi8, uma filmadora de bolso popular que é conhecida por sua facilidade de uso. A PlayTouch é mais fina e mais leve que a Zi8. Possui uma grande tela sensível ao toque, conexão para microfone externo, saída HDMI e grava vídeo em full HD. Por causa desses ótimos recursos e da tradição da Kodak, decidimos dar uma olhada nesta filmadora. Conforme mostrado na Figura 1, a Kodak PlayTouch vem em uma caixa pequena e colorida. Figura 1: A caixa da PlayTouch A PlayTouch vem com um cabo de carregamento USB, uma tomada de parede para ser conectada ao cabo USB, um cabo de vídeo composto, um cabo HDMI, uma capa cinza, uma alça de pulso e dois pequenos livretos de instrução. Esses itens são mostrados na Figura 2. A inclusão do cabo HDMI é uma coisa rara e será muito apreciada pela maioria dos compradores. Figura 2: O conteúdo da caixa A PlayTouch é mostrada na Figura 3. Como você pode ver, trata-se de um dispositivo muito simplista. Na parte da frente há a lente da filmadora, o receptor infravermelho para um controle remoto opcional e a abertura do microfone. A PlayTouch mede 58,4 x 109,2 mm x 15,24 e pesa 100 gramas (sem a bateria), é leve e se encaixa muito bem no bolso. Embora a PlayTouch dê a impressão de ser resistente quando a pegamos, os nossos testes mostraram que não é bem assim. Vamos comentar mais sobre este tema mais adiante. Figura 3: A frente da PlayTouch Além da cor preta que é mostrada em nossas imagens, a PlayTouch também está disponível nas cores azul, laranja e cromo. A simplicidade do dispositivo continua na parte de trás, onde uma tela LCD de 3 polegadas sensível ao toque, capacitiva, ocupa a maior parte do espaço disponível, como mostrado na Figura 4. Abaixo da tela vemos o botão “Record/OK” (“Gravar/OK”). O alto-falante fica à direita desse botão. O nome “Kodak” fica na parte mais inferior, abaixo do botão e do alto-falante. Figura 4: A parte de trás da PlayTouch O lado direito da PlayTouch contém a maioria das portas. Conforme mostrado na Figura 5, uma tampinha plástica é aberta para revelar essas portas. Apesar de não ser um grande incômodo, essa tampinha emitiu um rangido irritante ao seri aberta e fechada. Quando a tampa é aberta, podemos ver um conector USB escamoteável que é liberado ao pressionarmos a trava deslizante amarela. Ao lado, vemos uma porta micro USB que pode ser usada para carregar o dispositivo, uma porta micro HDMI e uma porta de saída de áudio e vídeo. Figura 5: O lado direito da PlayTouch O lado esquerdo da PlayTouch, mostrado na Figura 6, tem o botão de alimentação próximo à parte superior. O compartimento da bateria e o slot para cartão SD ficam logo abaixo do botão de alimentação. O slot de cartão aceita cartões SD e SDHC de até 32 GB, mas nenhum cartão está incluído. Figura 6: O lado esquerdo da PlayTouch Uma característica da PlayTouch que nos agradou muito é a entrada para microfone externo, que fica na parte superior do dispositivo, como mostrado na Figura 7. O topo também tem um controle deslizante de foco que pode ser configurado para close ou normal. Figura 7: A parte de cima da PlayTouch Para carregar a bateria é necessário usar o cabo USB com a fonte de alimentação. Não é possível carregar a bateria conectando o cabo USB a um computador. Com a bateria carregada, basta inserir o USB em um computador e o aplicativo de configuração Kodak Camera Setup é iniciado automaticamente. Durante a instalação você tem duas opções, como mostrado na Figura 8. Você pode instalar o aplicativo Kodak Share Button, que permite a transferência, envio por e-mail e carregamento de fotos e vídeos para sites de compartilhamento online, e/ou instalar o programa ArcSoft Media Impression que pode ser usado para editar, criar e compartilhar seu vídeo em dispositivos e na Internet. Figura 8: Opções de programas Para concluir a configuração, é necessário adquirir e inserir o seu próprio cartão SD, já que há muito pouco espaço de armazenamento interno na PlayTouch, insuficiente para gravação de vídeo. Com controles tão simples, a PlayTouch é fácil de usar. A tela é brilhante e funciona bem sob luz solar intensa. A tela possui um útil revestimento anti-reflexo. Como uma tela sensível ao toque padrão, ela aceita os gestos típicos, incluindo tocar, tocar e segurar, deslizar e arrastar. Na maioria das vezes, a tela foi responsiva, mas em alguns casos ela congelou e se recusou a responder. Os controles sensíveis ao toque básicos podem ser rapidamente dominados, fazendo com que a PlayTouch seja fácil de usar. A tela é otimizada para reproduzir vídeos no modo paisagem. Quando você reproduz vídeos, eles preenchem a tela inteira e ficam bastante bons. Ao gravar vídeos, no entanto, apenas uma pequena parte da tela mostra o que está sendo gravado. O resto da tela é usado para controles, como mostrado na Figura 9. Figura 9: A tela de gravação Vídeos podem ser gravados em 720p a 30 ou 60 quadros por segundo ou em 1080p a 30 quadros por segundo. Há também um modo macro disponível a partir do controle deslizante na parte de cima do dispositivo. Os vídeos são claros, nítidos e têm regularidade se você usar um tripé ou tiver mãos bem firmes. Apesar da filmadora vir com recurso de estabilização de imagem, descobrimos que essa função não compensa totalmente mãos um pouco trêmulas. Os vídeos gravados em 720p ficaram nítidos e claros, mas vídeos em 1080p ficaram ligeiramente irregulares, com interferências que aparecem ocasionalmente. Todas as funções automáticas funcionaram bem, exceto o balanço de branco, que nós gostaríamos de ter sido capazes de ajustar. Infelizmente, não encontramos uma maneira de fazê-lo. Quando começamos a gravar vídeos, notamos a qualidade de fabricação inferior deste dispositivo. Tivemos a impressão que a parte da frente e a parte de trás do dispositivo se deslocaram um pouco quando em uso. Isso foi bem evidente quando pressionamos a tela sensível ao toque. Quando tentamos aproximar e afastar a imagem usando o zoom, pressionando a tela enquanto gravávamos um vídeo, o aparelho emitiu um som de rangido, como se a parte da frente e a parte de trás estivessem arrastando uma na outra. Embora os vídeos que gravamos tenham ficado bons, o tal rangido ficou perceptível durante a gravação, arruinando completamente o áudio. Notamos também que o áudio do microfone embutido ficou mais forte em um lado da filmadora do que no outro. Entretanto, esta é uma das poucas filmadoras de bolso que temos visto que pode usar um microfone externo, e a PlayTouch funcionou bem com todos os microfones externos que experimentamos. O único problema foi manter o cabo do microfone externo fora do quadro a ser filmado, por conta da posição da entrada do microfone ser na parte superior da filmadora. A PlayTouch grava em AAC mono com o microfone embutido e em AAC estéreo com o microfone externo. Os vídeos que gravamos em formato MP4 funcionaram bem em todos os programas de edição de vídeo que experimentamos. Você também pode cortar tomadas de vídeo e extrair imagens estáticas diretamente da filmadora (em formato JPEG). Efeitos de vídeo como sépia e preto e branco também estão disponíveis na filmadora. Esta filmadora tem funcionalidade EasyShare, que nos permite escolher fotos e vídeos para automaticamente carregá-las para o YouTube, Facebook ou e-mail quando você se conectar à Internet. O cabo HDMI incluído é um bom acessório adicional. Se você tem o hábito de gravar vários vídeos de família, há grande facilidade para mostrá-los em um aparelho de televisão, mas os vídeos mostraram problemas de compressão quando visto em uma tela grande. Além disso, você pode colocar um fone de ouvido na entrada do microfone para ouvir os seus vídeos em estéreo. As principais especificações da filmadora Kodak PlayTouch (Zi10) incluem: Dimensões: 58,4 x 109,2 x 15,24 mmPeso: 100 gramas (149 gramas com bateria e cartão de memória)Armazenamento: memória interna de 128 MB (aproximadamente 20 MB disponíveis para o armazenamento de imagens); cartão SD/SDHC opcional (capacidade máxima de armazenamento: 32 GB)Tipo de sensor: Tipo 1/3.2, CMOSResolução: 5 megapixelsTela: LCD de 7,6 cm (3 polegadas) sensível ao toque, 230 mil pontosFormato de arquivo: vídeo H.264, áudio AAC estéreo, MP4Estabilização de imagem: digitalZoom: 4x digitalBateria: íon lítio recarregável; 100 minutos em 720p a 30 fpsModos de foco: normal, macroEscala do foco: normal: 100 cm até infinito; macro: 15 cmBateria: bateria de íon lítio recarregável KodakMais informações: http://www.kodak.com.br/  Preço médio no Brasil*: entre R$ 499 e R$ 699 Preço médio nos EUA*: US$ 180* Pesquisado no dia da publicação deste teste. A PlayTouch, também conhecida como Zi10 e sucessora da aclamada filmadora Zi8, tinha algumas características excelentes, mas nosso teste de uso nos levou a reprová-la. Quando analisamos produtos, nós terminamos o teste com a nossa lista de pontos fortes e fracos, elencando os aspectos positivos e negativos do produto para que os leitores possam decidir quais características são importantes para eles. No caso desta filmadora Kodak PlayTouch, no entanto, nos sentimos obrigados a listar um dos pontos fracos em negrito: baixa qualidade de fabricação. A carcaça da filmadora foi tão mal fabricada que interferiu no funcionamento normal do aparelho. A tela sensível ao toque agumas vezes não respondeu, o que se tornou cada vez mais evidente na medida em que nosso teste prosseguia. Devido a isso, apesar de suas características positivas, não podemos recomendar esta filmadora. Nós amamos o projeto compacto, a facilidade de uso, as opções de conectividade, a capacidade de extrair imagens estáticas, e a entrada para microfone externo. Também ficamos impressionados com o fato de que a Kodak incluiu o cabo HDMI no pacote. No entanto, o investimento extra equivalente ao custo do cabo deveria ter sido melhor aplicado na construção do dispositivo. Pontos Fortes Projeto compactoFácil de usarBoas opções de conectividadeEntrada para microfone externoBons vídeos em 720pSaída HDMICabo HDMI incluídoFácil de extrair imagens estáticasPontos Fracos Baixa qualidade de construçãoNão há memória internaÁrea da tela pequena para a tomada de vídeosEntrada do microfone em cima causa alguns inconvenientesVídeos em 1080p medíocresSem controle de balanço de branco
  4. Teste do Smartphone Motorola Atrix

    Atualmente os telefones celulares 3G são muito populares, e o Motorola Atrix é um telefone 3G com abundância de recursos especiais. Com processador de dois núcleos de 1 GHz, câmera de 5 megapixels, leitor de impressões digitais, e a possibilidade de usar uma estação de ancoragem (“dock station”) que pode transformar o telefone em um laptop, o Atrix nos pareceu bastante impressionante. Quando vimos a Motorola anunciá-lo como o “smartphone mais poderoso do mundo”, ficamos ansiosos para dar uma olhada nele. O Atrix vem em uma caixa colorida, mostrada na Figura 1. Figura 1: A caixa do Atrix  O conteúdo da caixa é mostrado na Figura 2. Temos o Atrix, um cabo de carregamento micro USB, um plugue não retrátil que aceita o cabo USB, e vários pequenos folhetos, incluindo um guia de início rápido, um guia “fique conectado” e vários folhetos informativos sobre segurança e informações legais. Figura 2: O conteúdo da caixa Como você pode ver na Figura 2, o Motorola Atrix é um telefone padrão, que mede 63,5 x 117,75 x 10,95 milímetros e pesa 135 gramas – semelhante à maioria dos outros telefones desse tamanho e forma. Possui tela de quatro polegadas, tamanho intermediário entre os modelos mais populares atualmente. Esta tela é um pouco maior do que a de alguns telefones, e um pouco menor do que a de outros. O Atrix tem tela qHD de 24 bits colorida, sensível ao toque, coberta com vidro Corning Gorilla Glass. O padrão qHD tem resolução de tela de 960 × 540 pixels dispostos em formato 16:9. O nome vem do fato de que esta resolução é um quarto de um quadro Full HD de 1080p. Embora esta não seja uma resolução padrão do Android, descobrimos que ela funciona bem para o aparelho, bem como para todos os aplicativos que nós testamos. A tela é nítida e clara, mas fica um pouco desbotada sob luz solar intensa. O corpo do telefone é coberto por plástico preto liso. O único detalhe do projeto é uma padronagem diagonal na parte traseira, como mostrado na Figura 3. Figura 3: A parte traseira do Atrix Na parte de trás do Atrix você também pode ver a câmera de oito megapixels e o flash LED. No topo está o botão para ligar e colocar em modo de espera. O formato incomum é devido ao leitor de impressão digital incorporado ao botão. O leitor de impressão digital funciona muito bem na maioria das vezes, mas as vezes em que ele irá pedir para verificar novamente o seu dedo sempre parecem ser quando você está com pressa para acessar o telefone. Usuários corporativos podem ter mais boa vontade com esse incômodo, mas o usuário médio talvez não. Felizmente, se você não configurar o leitor de impressões digitais, o telefone funciona da forma habitual, sendo desbloqueado quando você desliza o dedo pela tela de desbloqueio. Na Figura 3 você pode também ver o alto-falante na parte inferior do telefone. Ele apresentou muito boa qualidade de áudio para música, bem como clareza nas chamadas viva-voz. O Atrix é forte e resistente. Ele cabe bem na mão ou no bolso. Vem com 16 GB de memória interna e você pode adicionar até 32 GB mais em um cartão micro SD removível. Removendo a tampa traseira do Atrix vemos o cartão SIM, o slot para cartão de memória e a bateria, como mostrado na Figura 4. Figura 4: A parte traseira sem a tampa A tela toma conta de toda a parte frontal do Atrix, exceto por uma margem preta ao redor da tela, como mostrado na Figura 5. Nas laterais da tela, a moldura preta é muito fina. A área preta é mais grossa nas partes superior e inferior. A parte superior tem o nome Motorola no meio, com o receptor acima dela. A câmera frontal está à esquerda. Uma luz de mensagem à direita pisca em vermelho ou verde, indicando a situação de suas mensagens. Na parte inferior da tela ficam quatro ícones de toque que são usados no Android, sistema operacional do Atrix. Eles são Menu, Tela Inicial (Home), Voltar e Pesquisar. Logo abaixo desses ícones fica uma pequena abertura para o microfone. Figura 5: A frente do Atrix O controle de volume é o único controle no lado direito do telefone, como mostrado na Figura 6. Figura 6: O lado direito do Atrix O lado esquerdo do Atrix tem duas aberturas, como mostrado na Figura 7: uma para o carregador micro USB e uma porta mini HDMI. Figura 7: O lado esquerdo do Atrix De um modo geral, o hardware do Atrix tem um bom desempenho. Chamadas feitas e recebidas foram claras e nítidas. O viva-voz é alto e claro. O Atrix é baseado no processador NVIDIA Tegra 2 de dois núcleos baseados na tecnologia ARM Cortex-A9 rodando a 1 GHz. Tem 1 GB de RAM DDR2. Isso contribui para uma excelente velocidade, não importa a tarefa que seja executada. Possui suporte a Flash, que funciona muito bem por causa da força do processador. A navegação na Internet é boa tanto em conexão 3G quanto em redes Wi-Fi. O aparelho também pode funcionar como um hotspot móvel, transformando-se em um roteador Wi-Fi para compartilhar sua conexão 3G com até 5 outros dispositivos (verifique se o seu pacote de dados tem alguma restrição a esse tipo de uso). A tela sensível ao toque tem boa resposta. Achamos a tela ligeiramente melhor do que a de alguns telefones Motorola anteriores, como o Droid e o Droid X. No entanto, ainda não está à altura dos padrões estabelecidos pela tela Retina do iPhone e a tela Super AMOLED de muitos aparelhos Samsung, como o Galaxy S. Dito isto, no entanto, a resolução incomum de 960 × 540 pixels e o formato 16:9 faz com que a exibição de vídeos seja ótima. O Atrix conta com o tradicional teclado na tela, como mostrado na Figura 8, que pode ser usado tanto na vertical como na horizontal na maioria das aplicações. Enquanto vários outros telefones acabaram com a interface de teclado Swype de que tanto gostamos, nós a encontramos sã e salva no Atrix. Figura 8: O teclado na tela O Atrix também conta com todas as características habituais que esperamos encontrar em um smartfone, incluindo Wi-Fi 802.11b/g/n, Bluetooth 2.1 + EDR, acelerômetro, bússola, sensor de luz e sensor de proximidade. O tempo de conversação no Atrix, em rede WCDMA, é de até 540 minutos; em redes GSM, o tempo de conversação vai até 530 minutos. O tempo de espera é fica entre 250 horas (redes WCDMA) e 400 horas (redes GSM). Usamos o Atrix normalmente durante um dia inteiro, mas ao deixarmos o aparelho sem uso por um dia, a bateria foi consumida muito rapidamente, mesmo com o Wi-Fi desligado. Há vários vídeos úteis no telefone, que irão ajudar os usuários novos, e há também um igualmente útil Centro de Ajuda no menu Aplicativos. Para configurar o Atrix, você deve ter uma conta Motoblur com a Motorola. Se você não tiver uma, você pode configurá-la direito do telefone. O Motoblur tem muito suporte a redes sociais. Você pode adicionar quantas contas quiser e ele vai sincronizar os contatos, postagens, feeds, mensagens, e-mails e fotos, de fontes como Facebook, Twitter, MySpace, e-mail, Picasa e Photobucket. Depois de adicionar uma conta de redes sociais ao Motoblur, você pode ver e responder às atualizações dos seus amigos através de um widget Rede Social. A Motorola faz um excelente trabalho para tornar mais fácil acompanhar seus amigos e sites de redes sociais no seu telefone. Depois de configurar sua conta Motoblur, você vai querer configurar seu e-mail. O Atrix suporta contas de e-mail POP3 e IMAP, Gmail, e-mail corporativo e pesquisa em diretório corporativo. O Atrix que recebemos para teste veio com Android 2.2.1 (Froyo) instalado. Sabíamos que o Android 2.3.4 (Gingerbread) foi uma grande melhora, então a nossa primeira tarefa foi a atualização do sistema operacional. Tivemos que passar pelo processo de atualização e reiniciar do telefone quatro vezes antes que o Android 2.3.4 fosse realmente instalado. As três primeiras atualizações baixaram e atualizaram outros componentes de software. Não houve qualquer alerta que nos informasse sobre isso. Nós simplesmente vimos que havia uma outra atualização disponível e clicamos para instalá-la. Embora esse processo tenha tomado um pouco do nosso tempo (foi melhor executado por Wi-Fi), foi um processo contínuo. Tão logo o Gingerbread foi instalado, notamos uma melhora imediata. Esta nova versão de sistema operacional oferece uma interface mais refinada, uma opção de notificação que permite dispensar notificações individuais, atalhos e widgets redesenhados, e um reprodutor de música melhorado. Pode ser considerada a maior mudança os quatro ícones extras na parte inferior da tela, três dos quais são personalizáveis. Para mostrar o quão diferentes as coisas podem parecer entre as duas versões do sistema operacional Android, nós capturamos duas telas: a Figura 9 mostra a página inicial da versão Froyo e a Figura 10 mostra a mesma página depois que o Gingerbread foi instalado. Figura 9: A página inicial do Froyo Figura 10: A página inicial do Gingerbread O sistema operacional Android Gingerbread e a interface Motoblur melhoraram o reprodutor de música. O aplicativo de música da Motorola, o Motorola Music, permite que você compartilhe músicas com os amigos, descubra novas músicas e colete informações sobre artistas. Ele também oferece uma loja de música integrada, além de permitir que você sincronize suas músicas com o iTunes ou o Windows Media Player. O Atrix tem porta para fone de ouvido padrão 3,5 mm na parte superior do telefone, como mostrado na Figura 11. Figura 11: A parte superior do Atrix O Atrix tem câmera de cinco megapixels com zoom digital, foco automático e flash LED. O software da câmera é fácil de usar, com ícones grandes exibindo as opções do menu, como mostrado na Figura 12. A qualidade da imagem é boa, mas não excepcional. Fotos em ambientes fechados ficaram nítidas e claras e, embora não tão boas como aquelas feitas ao ar livre, as fotos tiradas em ambiente fechado, mesmo com pouca luz, ficaram aceitáveis. Todas as nossas fotos ficaram com um matiz levemente azulado, mas não o suficiente para ser realmente problemático. O Atrix também possui uma câmera web VGA frontal, que é de qualidade bastante ruim, mas que está disponível caso você precisar dela para chamadas de vídeo. Figura 12: O software de fotografia A captura de vídeo foi surpreendentemente boa, produzindo com regularidade vídeos de 720p a 30 quadros por segundo com som honesto. O Atrix é o primeiro celular a fornecer uma maneira simples de usar o poder de processamento do telefone para transformá-lo em um computador de tela maior. Ele faz isso através de duas estações adaptadoras (“dock stations”), uma tipo laptop e outra tipo desktop. Apesar de não termos testado esses adaptadores, pois eles não nos foram enviados para teste, nós os vimos funcionando. O adaptador para laptop é chamado “lapdock”. Ele parece que um pequeno laptop: tem um teclado de tamanho completo e tela, mas é apenas uma “casca” – ele não tem processador, nem memória, nem armazenamento. O Atrix fica em um pequeno suporte que é conectado à parte traseira dessa “carcaça” de laptop e assim oferece todo o processamento e armazenamento. O adaptador desktop multimídia é um pequeno suporte que se conecta a um monitor ou TV, teclado e mouse. A Motorola fornece uma interface para esses adaptadores chamada Webtop que aparece automaticamente quando o Atrix é encaixado neles. Isto permite a você navegar na Internet usando um navegador Firefox completo. Você provavelmente já ouviu o ditado de que os novos smartfones são um “PC no seu bolso”. Bem, essas estações adaptadoras tiram o PC do seu bolso e o colocam de volta na sua mesa. É uma ideia interessante e pode se tornar comum no futuro. Nos EUA o lapdock sai por US$ 400 e o adaptador para desktop sai por US$ 190. O adaptador para desktop inclui um teclado Bluetooth e mouse. As principais especificações do telefone celular Motorola Atrix incluem: Dimensões: 63,5 x 10,95 x 117,75 milímetrosPeso: 135 gramasTela: Quatro polegadas; qHD (960 x 540)Sistema operacional: Android 2.2 (Froyo)Tempo de conversação: Até 540 minutos em rede WCDMA; até 530 minutos em rede GSMTempo de espera: Até 250 horas em rede WCDMA; até 400 horas em rede GSMBateria: Polímero de íon 1930 mAhBluetooth: 2.1+EDR (suporta perfis A2DP, VRCP, HFP, HID, HSP, OPP, PAN, PBAP, SPP)Wi-Fi: 802.11 b/g/nHotspot móvel 3G: Até cinco dispositivos habilitados para Wi-FiCâmera: Cinco megapixels com flash LEDCaptura de vídeo: 720p a 30 fpsFormatos de música: AAC, H.264, MP3, MPEG-4, WMA9, eAAC +, AMR NB, AAC +Redes: WCDMA 850/1900/2100, GSM 850/900/1800/1900, HSDPA 14Mbps (Categoria 10) Classe Avançada 12, GPRS Classe 12, HSUPA 384Kbps, e-Bússola, AGPSMais informações: http://www.motorola.com O Atrix é um telefone topo de linha com processador rápido. Rodou bem tudo o que testamos nele, inclusive jogos, sem qualquer hesitação. Com o sistema operacional Gingerbread, o Atrix é pau para toda obra: ele faz muitas coisas e faz todas elas bem. Ele possui velocidade suficiente para satisfazer o usuário médio. Usar o telefone é fácil com o sistema operacional Android Gingerbread. Embora não sejamos grandes fãs de sobreposições de telas, a sobreposição Motoblur cria uma maneira fácil de conectar com uma variedade de redes sociais. Nós não temos um ponto de vista definido sobre o adaptador de laptop. Embora a ideia pareça boa, teríamos que usá-lo para ver se nós realmente achamos que seria uma boa opção. Além disso, US$ 400 (nos EUA) é caro quando comparado a outras opções como um tablet ou um laptop de verdade. Pontos Fortes Projeto sólido e forte16 GB de memória internaProcessador rápidoBoa telaSlot de expansãoPorta HDMIBoas opções de adaptadores (“dock stations”)Leitor de impressão digitalExcelente para assistir a vídeosPossui SwypePontos Fracos Adaptador para laptop muito caroO uso como laptop acarreta custo extra por parte das operadoras
  5. No início deste ano, na Consumer Electronics Show em Las Vegas, a Fujifilm anunciou o que afirma ser a câmera compacta com 10x de zoom ótico mais fina do mundo. É incomum que uma câmera compacta fina tenha um zoom óptico tão alto. Por isso, decidimos dar uma olhada. A FinePix T200 vem em uma pequena e despretensiosa caixa roxa, conforme mostrado na Figura 1. Figura 1: A caixa Dentro da caixa, conforme mostrado na Figura 2, estão a câmera, uma bateria recarregável NP-45A de íons de lítio, um carregador de bateria com pinos dobráveis, um cabo USB, um disco de software, um pequeno Guia do Usuário, uma pequena alça de mão e materiais diversos, incluindo um folheto com as especificações da bateria, instruções de carregamento e explicações sobre as luzes indicadoras. Figura 2: O conteúdo da caixa Como pode ser visto na Figura 2, a câmera é muito compacta. Ela mede 97 x 56,5 x 28,1 mm e pesa cerca de 134 gramas, sem a bateria e o cartão de memória. Embora a câmera seja leve, a impressão que ela passa é de ser sólida. Ela é fina o suficiente para caber em um bolso. A câmera vem sem cartão de memória e não tem memória interna, o que significa que você terá que comprar um cartão SD ou SDHC com a câmera. Nossa câmera de teste era preta com adornos e detalhes prateados. A câmera também está disponível nas cores cinza, prata, vermelho e azul. Os cantos e bordas ligeiramente arredondados oferecem uma sensação agradável. Fujifilm incluiu muitos recursos nessa pequena câmera de bolso. Ela apresenta 14 megapixels, um LCD de 2,7 polegadas e uma lente equivalente a 28-280 mm. A câmera apresente também gravação em 720p, estabilização de imagem, panorama em movimento e software interno de criação de fotolivros. A parte frontal da FinePix T200 pode ser vista na Figura 3. A lente retrátil de zoom 10x Fujinon ocupa a maior parte da frente da câmera. À esquerda da lente está a marcação "Fujifilm", que é muito bem feita, em letras prateadas. No canto superior direito fica o flash embutido. Figura 3: A parte frontal da câmera A parte superior da câmara está marcada com o logotipo "Finepix T" e contém o controle liga/desliga e o botão do obturador rodeado pelo controle de zoom, conforme mostrado na Figura 4. O controle liga/desliga é nivelado com a parte superior da câmara e deve ser pressionado para ligar e desligar a câmera. Devido ao seu tamanho diminuto, é difícil pressioná-lo com um dedo e pode ser necessário que você use a unha. No entanto, há dois aspectos que gostamos sobre a funcionalidade ligar/desligar da câmera. O primeiro é que o botão liga/desliga brilha em azul quando a câmera está ligada, por isso é fácil saber se você pressionou o botão totalmente. Outra característica interessante da câmera é que você pode ligá-la e desligá-la pressionando o botão de reprodução na parte de trás da câmera para ligá-la para rever fotos. Quando você estiver no modo de reprodução, basta tocar no botão do obturador para estender a lente e deixar a câmera pronta para tirar uma foto. Figura 4: A parte superior da T200 A parte traseira da câmera apresenta um monitor colorido LCD TFT de 2,7 polegadas, com cerca de 230.000 pontos, e os controles de imagem, conforme mostrado na Figura 5. A tela é nítida e clara, mas, infelizmente, é muito difícil enxergá-la sob luz solar direta. É possível navegar pelos controles de imagem usando um seletor redondo de modos na parte superior da parte traseira da câmera. As opções são: Program, para ter controle total sobre as configurações da câmera, incluindo exposição, balanço de branco e foco; Scene Recognition Auto, que permite que a câmera analise a composição e selecione o modo de cena mais adequado; Auto, que permite que a câmera selecione automaticamente todas as configurações; Movie, para o modo de vídeo; Scene Position 1 e Scene Position 2, que permitem que o usuário selecione o modo de cena; Natural Light, para captar a iluminação natural em condições de pouca luz, e Natural & Flash, que instrui a câmera a tirar duas fotos, uma com flash desligado e outra com o flash ligado. Os modos de cena são variados. Eles incluem: Portrait, Baby Mode, Smile & Shoot (durante o qual o modo de detecção de rostos disparará o obturador automaticamente ao detector um rosto sorridente), Landscape, Panorama, Sport, Night, Night Tripod (para velocidades mais lentas do obturador), Fireworks, Sunset, Snow, Beach, Party, Flower (close) e Text. Abaixo do primeiro seletor de modos está o botão de reprodução e um botão Disp/Back. O botão Disp/Back exibe e/ou oculta os ícones da tela e também é usado para sair das funções. Logo à direita deles há três luzes indicadoras. Essas luzes brilham e/ou piscam em verde, vermelho e/ou laranja para indicar situações como a foco bloqueado, flash em carregamento e erros de lente ou de memória. Abaixo delas está outro seletor redondo com um botão Menu/OK no centro. O seletor tem quatro direções. Pressione a parte superior do seletor no modo de reprodução e a imagem será excluída. Pressione a parte superior do seletor no modo de foto e a compensação de exposição é ativada. O lado direito pode ser pressionado para selecionar rapidamente o modo macro e o lado esquerdo controla a funcionalidade do flash. O botão Menu/OK é usado para confirmar escolhas. O seletor também é utilizado para outras seleções, como percorrer as fotos no modo de reprodução. Figura 5: A parte traseira da T200 O lado esquerdo da câmara, visto na Figura 6, oferece um local para prender a alça de mão incluída no engaste prateado. Figura 6: O lado esquerdo O fundo do T200 pode ser visto na Figura 7. Logo à direita do centro fica o encaixe para tripé. Ao lado dele está a porta micro USB e, à direita dela, a abertura para a bateria e cartão de memória, que é coberta por uma tampa com molas. Esta câmera aceita cartões SD/SDHC. Você vai perceber que a porta da bateria/cartão de memória não pode ser aberta quando há um tripé acoplado. Como fazemos muitas fotos com o tripé, achamos isso inconveniente. Nós também tivemos alguns problemas quando essa porta se abriu em momentos inesperados. É necessário ressaltar também que a bateria pode ser inserida na posição errada. Isso resultará em um erro na tela quando a câmera for ligada. Figura 7: A parte inferior da câmera Configurar a câmera é fácil. Basta escolher o idioma e definir a hora. Existem várias páginas de outras configurações que você pode querer conferir mais tarde, mas elas não precisam ser alteradas para a configuração inicial. O disco de software contém o MyFinePix Studio, que permite importar, editar e gerenciar suas fotos. Nós achamos o software adequado, mas existem outros programas gratuitos que são tão bons quanto, se não melhores do que ele. A Fujifilm T200 é uma câmera de 14 megapixels com zoom ótimo de 10x abrangendo 28 - 280 mm (um equivalente à uma câmera 35 mm) e uma sensibilidade ISO de 100 - 3200. Observe que, na resolução máxima de 14 megapixels, a sensibilidade é limitada a um máximo de ISO 1600. ISOs mais elevados podem ser usados ​​em resoluções menores. A estabilização dupla de imagem é incluída por meio da combinação de alta sensibilidade e estabilização de imagem tipo CCD Shift. Descobrimos que isso funcionou bem para congelar a ação em fotos de movimento, bem como minimizar borrões ao usar o alcance máximo de zoom. Essa intensidade de estabilização de imagem é incomum em uma câmera nessa faixa de preço. A câmera também possui guia de enquadramento, detecção de rosto, remoção automática de olhos vermelhos, detecção de olhos fechados e reconhecimento de sorriso. A Fujifilm é recomendável pela facilidade de uso dessa câmera. Conforme mostrado na Figura 8, ao escolher um modo de imagem, a tela exibe o modo juntamente com as informações pertinentes sobre ele. Isso significa que você não precisa se lembrar o que são os vários ícones. Basta percorrer as seções para fazer a escolha certa. Figura 8: As informações na tela A câmera apresenta três modos automáticos: automático total, automático com reconhecimento de cena e programa automático. Isso permite que o usuário escolha entre os modos automáticos. O modo de programa automático usa um modo automático, mas permite que o usuário selecione as configurações de determinadas características, como o equilíbrio do branco e a exposição. Todos os modos automáticos funcionam bem e serão um bônus para o fotógrafo amador. Os modos de cena são versáteis e têm de tudo, de Fogos a Neve. Nós gostamos especialmente do modo texto, que permite tirar fotos nítidas de textos ou desenhos impressos. Enquanto muitas outras câmaras oferecem os modos de detecção de sorriso e olhos fechados, essa é a primeira câmera que analisamos que oferece um modo Natural & Flash. Esse modo tira duas fotos com um único toque no botão. A primeira é tirada sem flash e a segunda com flash. Isso permite que você tire uma boa foto quando não tiver certeza se precisa do flash ou não. Achamos isso mais útil do que o esperado. Um zoom óptico grande de 10x foi uma surpresa em uma câmera tão pequena. Graças à lente Fujinon, seja como grande angular ou com zoom ao máximo, as imagens saíam nítidas e detalhadas. A lente é mostrada na posição estendida na Figura 9. Figura 9: A lente estendida Não ficamos surpresos ao descobrir que, quando a resolução e os níveis de ISO mais altos são usados, houve um pouco de ruído nas fotos. Fotos em ambientes fechados sem flash eram suscetíveis a isso, mas usar o flash e/ou a configuração Natural & Flash ajudou. As fotos em ISOs iguais ou menores que 800 são excelentes. A representação de cores é boa. Algumas cores ficaram um pouco enfraquecidas, mas não o suficiente para ser problemático para a maioria dos usuários. As fotos são muito detalhadas e as tomadas de macro são excelentes. Ficamos surpresos ao descobrir que a Fujifilm removeu o popular botão F (cor Finepix) existente na maioria das câmeras anteriores, mas descobrimos que essas configurações ainda estavam disponíveis no menu principal. A Fujifilm T200 apresenta quarto recursos adicionais: vídeo em HD, reconhecimento facial, assistente de criação de fotolivros e panorama em movimento. O vídeo é capturado em 720p a 30 quadros por Segundo em um formato 16:9 (1,280 x 720 pixels). O vídeo é estável e detalhado. O microfone é adequado, embora o som seja monótono. Embora a Fuji sugira o uso de um cartão de, pelo menos, classe 4 para o vídeo, descobrimos que um cartão de classe 10 oferece resultados muito superiores. Nós apreciamos a capacidade de ampliar e reduzir o zoom enquanto filmamos, um recurso que não está disponível em todas as câmeras. O Reconhecimento facial nessa câmera é bastante sofisticado. Ele vai mais além da detecção de rosto usual, que foca em um rosto. O reconhecimento facial da Fujifilm permite armazenar (ou registrar) rostos de até oito pessoas a quem você costuma fotografar. Então, ao tirar uma foto de um grupo de pessoas, ela reconhecerá seus "amigos" e os priorizará no enquadramento. Se você armazenar o nome das pessoas em uma imagem, poderá usar a função de pesquisa de imagens da câmera para encontrar rapidamente todas as outras cenas dessa pessoa no cartão de memória. Na utilização real, no entanto, essa função é um pouco complicada e nem sempre funciona. O registro falha muitas vezes sem nenhum motivo aparente. Por isso, é algo com o qual é necessário gastar muito tempo para realmente começar a funcionar. Ficamos impressionados com o Motion Panorama System da Fujifilm. Ele permite tirar três fotos para que a câmera as reúna em um panorama. Depois de tirar a primeira foto, uma cruz amarela é exibida no lado direito da imagem e um círculo branco com uma cruz é exibido no lado esquerdo, conforme mostrado na Figura 10. Ao mover a câmera para a direita, a cruz amarela se move para a esquerda. Quando a cruz amarela é posicionada dentro do círculo branco, a segunda foto é tirada automaticamente. O mesmo ocorre com a terceira foto. Em seguida, a câmera une as três fotos e elas ficam perfeitamente alinhadas. Ficamos muito impressionados com a sofisticação simples desse sistema. Figura 10: Os indicadores de panorama O recurso Photobook Assist permite marcar as fotos que deseja incluir em um fotolivro. Você pode até escolher a foto usada na capa. Depois de fazer as seleções, a câmara criará a simulação de fotolivro exibida na tela. De maneira semelhante, é possível também marcar as imagens que você gostaria de carregar no Facebook e/ou YouTube. As principais características das câmeras digitais Fujifilm Finepix T200 e T200 incluem: Dimensões: 97 x 56,5 x 28,1 mmPeso: 134 gramas, sem a bateria e o cartão de memóriaResolução: 14 megapixelsSensor: CCD de 1/2,3 polegada com filtro de cores primáriasCartão de memória: SD/SDHCMemória interna: nenhumaBateria: bateria NP-45A de íons de lítioLente: lente zoom Fujinon 5-50 mm com aberturas de f/3.4 a f/5.6Zoom: zoom ótico 10x que abrange 28-280 mm (equivalente a uma câmera 35 mm)Tela: LCD TFT traseiro de 2,7 polegadas com 230,000 pixelsVelocidade do obturador: (modo automático) ¼ s a 1/2000 s, (todos os outros modos) 8 s a 1/2000 sEstabilização de imagem: estabilização de imagem tipo CCD ShiftISO: sensibilidade máxima 3200Vídeo: 720p a 30 quadros por segundoNúmero de modos de cena: 21Disparador automático: atraso de cerca de 10 s/2 sMais informações: http://www.fujifilm.comPreço nos EUA*: US$ 149* Pesquisado no walmart.com no dia da publicação deste artigo. A Fujifilm Finepix T200 engloba muitos recursos em um pacote pequeno. Tanto o design quando a qualidade de projeto da câmera são muito boas. O que a torna notável é o zoom óptico de 10x e o excelente CCD de 14 megapixels com estabilização de imagem de primeira classe. A câmera tem ótimo desempenho, o que é notável dado o preço. Ele inclui todas as regalias esperadas em câmeras automáticas, como modos de cena, detecção de olhos fechados, remoção de olhos vermelhos, detecção de face e modos de disparo versáteis. Além disso, ela apresenta três modos automáticos úteis, que a transformam de uma câmera totalmente automática em uma câmera parcialmente controlada pelo usuário. A T200 tem o modo de panorama mais fácil de usar que já vimos e um modo Natural & Flash maravilhoso que tira duas fotos, uma com flash e outra sem. Além de tudo isso, ela é fácil de usar. Também parabenizamos a Fujifilm por tornar seu site fácil de navegar. Os manuais dos produtos também são fáceis de encontrar, disponíveis tanto no disco de software incluído e quanto no site. A poderosa combinação de características e as desvantagens mínimas fazem da Fujifilm Finepix T200 uma boa câmera automática para o dia a dia. Seu baixo preço também a torna uma escolha acessível. Pontos fortes Projeto de qualidadePequena e finaExcelente conjunto de recursosBoas fotos e vídeosExcelente captura de fotos panorâmicasRealiza zoom enquanto grava vídeosModo Natural & Flash útilModo de cena de textoBotão liga/desliga iluminadoPontos Fracos A tela é muito fraca sob luz solar intensaNão é possível acessar o cartão de memória quando há um tripé acopladoÉ difícil fazer o modo de reconhecimento facial funcionarTrava inadequada na porta da bateria
  6. Teste do Smartphone HTC Trophy

    O HTC Trophy é um celular com sistema Windows Phone que possui uma câmera de 5 megapixels, jogos Xbox Live, ferramentas de produtividade Office e Outlook, e tem suporte a Netflix - tudo em um projeto compacto, com promessa de preço razoável. Nós demos uma olhada para ver se ele pode se comparar a telefones celulares de preço mais alto, bem como a aparelhos que utilizam outros sistemas operacionais. O HTC Trophy vem em uma pequena e despretensiosa caixa de papelão, como mostrado na Figura 1. O conteúdo da caixa é mostrado na Figura 2. Na caixa temos o telefone, um cabo de carregamento USB, um plugue de parede com pinos retráteis que é usada com o cabo USB para carregar a partir de uma tomada de parede, um conjunto de fones de ouvido rígido; duas coberturas finas e macias e um clipe para os fones de ouvido; folhetos com informações ao consumidor e segurança do produto, e um pequeno panfleto intitulado "Domine o Seu Aparelho". Figura 1: A caixa Figura 2: O conteúdo da caixa O telefone em si, como mostrado na Figura 3, é todo preto com um anel pequeno anel prateado ao redor da tela. Medindo 11,85 x 6,15 x 1,2 cm e pesando 140 gramas, é pequeno e leve e cabe facilmente em uma mão ou no bolso. A HTC acrescentou um acabamento macio especial em toda a parte traseira e na lateral do telefone para que ele ficasse anti-derrapante e fácil de manusear. O Trophy é um telefone bem construído, com aparência resistente. Figura 3: O HTC Trophy O Trophy é imediatamente reconhecível como um telefone Windows 7 (WP7) pelos três botões capacitivos localizados na parte inferior da frente do telefone. Esses botões são padrão do Windows Phone 7 e são eles: Voltar, Início, e Pesquisar, conforme mostrado na Figura 4. Figura 4: Os botões do Windows Phone 7 No lado esquerdo do telefone, mostrado na Figura 5, há um interruptor de controle de volume e uma porta micro USB, para carregar e conectar a um computador. Um botão de liga/desliga e espera, e uma saída de 3,5 mm para fone de ouvido podem ser encontrados na parte superior do telefone, como mostrado na Figura 5. Logo acima do botão liga/desliga há um pequeno entalhe que é usado para remover a parte de trás do telefone. Figura 5: A parte superior do telefone O Trophy possui tela WVGA de 3,8 polegadas (800 x 480) sensível ao toque capacitiva. Em uma comparação lado a lado, esta tela não é tão detalhada como as telas do iPhone 4 ou dos modelos Samsung Galaxy. No entanto, as cores são brilhantes, o texto é legível e a tela tem boa resposta ao toque. Então, nós achamos a tela bastante aceitável. Todos os telefones que rodam o sistema operacional Windows Phone 7 são obrigados a cumprir certos requisitos mínimos. O Trophy preenche esses requisitos com o seu processador Qualcomm de 1 GHz e 576 MB de RAM. Muitos dos novos celulares de hoje têm processadores dual-core, o que torna o Trophy menos poderoso do que muitos de seus concorrentes. O Trophy também tem 16 GB de espaço de armazenamento. Isso é memória suficiente para uma quantidade média de dados, mas os usuários mais exigentes lamentarão o fato de que, como em outros telefones Windows, não há slot de expansão de memória. O conjunto habitual de sensores como bússola, sensor de proximidade e sensor de luz ambiente estão incluídos junto com Wi-Fi 802.11n e Bluetooth 2.1. Apesar de suas especificações de hardware apenas medianas, o desempenho do Trophy é bastante respeitável. Chamadas recebidas e feitas foram claras. O viva-voz foi adequado. Nós não tivemos ligações caindo, nem experimentamos estática ou eco. A velocidade de transferência de dados foi boa para um telefone 3G. No entanto, se você espera navegar na Web ou acessar uma grande quantidade de dados em seu telefone celular, e se você vive em uma área onde o serviço 4G está disponível, nós recomendamos um telefone que pode use essa tecnologia, que é muito mais rápida. Infelizmente, até a data da publicação deste teste, ainda não há tecnologia 4G no Brasil. Em contraste com as linhas de pequenos ícones encontrados na Apple e em sistemas operacionais Android, o telefone com sistema operacional Windows 7 funciona com um sistema de agregadores chamados "hubs". Hubs são áreas especiais no Windows Phone 7 onde você encontra mais informações. A Figura 6 mostra esses hubs na página inicial do Trophy. É preciso rolar a tela verticalmente para ver mais. Há seis hubs padrão Microsoft: Pessoas, Fotos, Jogos, Música e Vídeo, Mercado, e Office. Neste telefone, há também um hub HTC. Figura 6: A página inicial do Trophy A home page mostrada na Figura 6 usa a cor vermelha. Existem muitas outras cores para escolher. Mudar essas cores faz uma grande diferença, como você pode ver na Figura 7, onde mudamos a cor para verde-limão. Figura 7: A tela em verde Você também pode optar por apresentar a tela com fundo claro. Enquanto as Figuras 6 e 7 tinha um fundo escuro, a Figura 8 mostra o fundo claro. Figura 8: Fundo de tela claro Embora o fundo da tela possa ser mudado entre escuro e claro, o e-mail é sempre apresentado com letras escuras sobre um fundo branco, como mostrado na Figura 9. Figura 9: A área de e-mail Uma das nossas maiores reclamações sobre o Windows Phone 7 é que nem todas as telas podem ser vistas no modo paisagem. Isto fica óbvio quando você vai a um hub como o “Pessoas”. A tela principal pode ser vista apenas no modo retrato. Depois que você acessa as informações individuais das pessoas, você também pode vê-lo em modo paisagem. Isso nos fez virar o telefone de um lado para outro, entre paisagem e retrato, muito mais do que seria normalmente necessário. A entrada de texto é feita na tela, através do teclado virtual. Mesmo no modo paisagem, mostrado na Figura 9, achamos o teclado um pouco apertado. Felizmente, o excelente modo de autocorreção do WP7 diminui um pouco o inconveniente da digitação em um teclado tão pequeno. Achamos esse sistema de autocorreção um dos melhores que já encontramos. Embora o Trophy não vibre quando uma tecla é pressionada, ele emite um leve som a cada vez que pressionamos uma letra, o que também achamos útil. Figura 10: O teclado na tela em modo paisagem Na Figura 10, você também pode ver o ícone do microfone na barra de busca Bing. O Bing é o mecanismo de busca padrão do WP7. O ícone do microfone significa que a busca por voz está disponível. Infelizmente, a busca por voz não está disponível em algumas outras áreas do sistema operacional. Se você deseja executar comandos de voz e busca em todas as áreas, o sistema operacional Android é muito melhor do que o Windows Phone 7. Este telefone, no entanto, inclui o reconhecimento de voz para fazer chamadas. Para usá-lo, é preciso desbloquear a tela e manter pressionado o botão de chamada/pausa. Mesmo sendo este apenas um telefone 3G, a navegação foi uma experiência agradável. Nós não somos grandes fãs do navegador Internet Explorer (IE) no computador, mas descobrimos que a versão móvel faz um bom trabalho. Ficamos felizes ao descobrir que ele inclui navegação por guias. Tivemos duas principais queixas sobre a versão móvel do IE. Primeiro, ele não suporta Flash. Segundo, de uma forma semelhante à versão desktop, o IE rotineiramente abre uma nova guia para você, e é muito fácil acabar com múltiplas guias abertas de que você realmente não precisa. Como mencionado anteriormente, o Bing é o mecanismo de busca padrão. Infelizmente ele não pode ser alterado. Embora não nos importemos em usar o Bing em vez do Google, este telefone também usa o Bing Mapas como padrão, o que para nós é uma desvantagem, já que realmente preferimos o Google Maps. Por causa das especificações de hardware medianas deste telefone, ficamos surpresos ao descobrir que ele fez um excelente trabalho ao mostrar jogos com gráficos intensos. O WP7 incorpora o Xbox Live neste telefone, então há muito com o que se divertir. O Trophy fica um pouco quente depois de uma sessão de jogo prolongada, mas isso não é incomum em um telefone como este. Embora a bateria seja suficiente para um dia inteiro de uso normal, jogar jogos acaba rapidamente com a carga. Você pode querer comprar uma bateria extra se pretende usar o Trophy como um dispositivo de jogos. Felizmente a bateria 1300mAh do Trophy é de fácil acesso. Basta colocar a unha na ranhura na parte superior (anteriormente mostrada na Figura 5), ​​e a tampa traseira salta para revelar a bateria, mostrada na Figura 11. Remover a bateria dá acesso ao slot SIM. Este é um telefone dual mode, portanto roda em redes CDMA e em redes GSM. Figura 11: A bateria do Trophy O Microsoft Marketplace ainda não pode competir com a App Store da Apple ou o Android Market, mas a seleção atual apresenta uma diversidade muito boa. Há uma abundância de jogos disponíveis, incluindo jogos Live-enabled, mas, como já é de se esperar da Microsoft, a maioria desses jogos não são gratuitos. O WP7 possui várias opções para lidar com e-mail. Ele permite ter várias contas de e-mail e, como seria de esperar de um programa da Microsoft, sincroniza muito bem com o servidor Microsoft Exchange. Ele também permite que você mantenha seu e-mail Outlook separado de outros e-mails. Ele é fácil de configurar e fácil de usar. Este telefone suporta recortar e colar. Telefones com o sistema operacional Windows Phone 7 também vêm com um pacote completo do software Microsoft Office, tornando mais fácil ver e criar arquivos do Word e Excel e apresentações PowerPoint. O OneNote, que é um programa para tomar notas rápidas, também está incluído. O SharePoint, um serviço de nuvem que a Microsoft usa para compartilhamento de arquivos, pode ser facilmente acessado a partir deste telefone. E é claro que o WP7 faz um ótimo trabalho ao sincronizar contatos e compromissos com o Outlook. Se você já faz parte do ecossistema da Microsoft, você vai achar esses programas muito úteis. Assim como o iPhone da Apple deixa música e vídeo amarrados ao iTunes, o Microsoft WP7 amarra música e vídeo ao seu serviço de música Zune. Você instala o software Zune gratuitamente no seu computador para sincronizar com o Trophy. Felizmente o sistema do Zune é bom e bastante fácil de navegar. O Trophy vem também com o aplicativo Slacker Radio (para ouvir rádio da Internet; até a data de publicação deste teste, o aplicativo estava disponível apenas nos EUA) e tem rádio FM, assim você terá acesso a muita música. O alto-falante estéreo do telefone é conveniente, mas os fones de ouvido que acompanham o aparelho são duros, grandes e incômodos para a maioria dos usuários. A parte traseira do Trophy, que pode ser vista na Figura 12, mostra a câmera de 5 megapixels, juntamente com o flash LED. As imagens são claras, com boa representação de cores. A câmera tem bom foco automático. Você pode ver as fotos imediatamente ou acessá-las através do hub Imagem para opções adicionais. Além disso, as imagens podem ser transferidas automaticamente para o SkyDrive, serviço de armazenamento virtual da Microsoft. Na Figura 12 você também pode ver os furos do alto-falante estéreo. Como ele está na parte de trás do telefone, o som do alto-falante fica um pouco abafado quando o telefone é colocado com a parte traseira para baixo em uma superfície plana, como uma mesa. Então você pode querer virá-lo com a frente para baixo ou escorá-lo com um suporte para deixar o alto-falante livre ao usar o viva-voz ou ouvir música. Figura 12: A parte de trás do Trophy O Trophy tem capacidade de gravação de vídeo em 720p. O Trophy se saiu bem em fotos e vídeos com pouca luz, mas algum detalhe parece ser perdido ao transferir as fotos e vídeos para o computador. A melhor coisa da câmera deste telefone, no entanto, é que há um botão de câmera dedicado no lado direito do aparelho, como mostrado na Figura 13. Mesmo se o telefone estiver bloqueado no modo de espera, ao pressionar o botão da câmera por cerca de dois segundos o telefone é desligado e colocado em modo de foto. Isto permite tirar uma foto mais rapidamente do que com os telefones sem botão de câmara dedicado. Também visível na Figura 13 está o botão de volume. Figura 13: O botão da câmera na lateral As principais especificações do celular HTC Trophy incluem: Dimensões: 118,5 x 61,5 x 11,96 mmPeso: 140 gTela: WVGA TFT LCD de 3,8 polegadas, sensível ao toque, capacitivaCâmera: 5 MP com gravação de vídeo HD 720p (com autofoco e flash LED)Memória interna: 16 GB eMMC, 576 MB RAMProcessador: Qualcomm MSM8650 1 GHzSistema Operacional: Windows Phone 7Rede: CDMA 800/1900 MHz, HSPA / WCDMA 2100 MHz e GSM 850/900/1800/1900 MHzConectividade: IEEE 802.11 b/g/nBateria: Íon-lítio, 1300mAhSom: Alto-falante estéreo com som surround SRS WOW HDTempo de conversação: Até 294 minutosTempo de espera: Até 286 horasMais informações: http://www.htc.comPreço médio nos EUA: US$ 100 com um contrato de dois anos (pacote de voz mínimo de US$ 40/mês, pacote de dados mínimo de US$ 30/mês, taxa de rescisão antecipada de US$ 350). Produto ainda não disponível no Brasil até a data de publicação deste teste.O Trophy não é o telefone mais rápido ou o mais poderoso no mercado atualmente. Ele não tem suporte à tecnologia 4G, nem um processador de núcleo duplo, mas é um telefone solidamente construído que oferece bom desempenho geral. O fato de ser menor em tamanho será uma vantagem para muitos usuários. Outras vantagens incluem o acabamento macio e antiderrapante e o botão dedicado para fotografia, que é útil para tirar uma foto rápida. Este telefone usa o sistema operacional Windows Phone 7 da Microsoft, que é intuitivo e fácil de usar. Ele deixa a desejar em algumas áreas, como suporte total ao modo paisagem e suporte a flash, mas isso não é imprescindível para o usuário médio. Apesar de acharmos que o iOS da Apple é um pouco mais fácil de usar, e que o sistema operacional Android é mais personalizável, acreditamos que a maioria dos usuários vai achar que o Windows Phone 7 é um sistema operacional bom e consistente. Como um telefone Microsoft, o Trophy executa programas Office, tem integração com o Microsoft Live, e roda jogos Xbox. Ele usa o software Microsoft Zune para música e vídeo. Se você já estiver usando software e serviços da Microsoft, será bem fácil se adaptar a ele. Pontos fortes Projeto forte e resistenteA câmera é excelente com pouca luzCapacidade de tirar foto sem desbloquear o telefone16 GB de memória internaIntegração com o OfficeJogos Xbox LiveDual bandAcabamento macio e antiderrapantePontos fracos Suporte limitado para o modo paisagemNão suporta FlashNão suporta 4GSem slot de expansão
  7. Teste do Mouse Microsoft Arc Touch

    Embora o mouse tenha se tornado mais preciso ao longo dos anos, houve poucas mudanças no estilo desse componente comum desde que Douglas Engelbart o inventou em 1963. No entanto, a Microsoft agora lançou um mouse que é realmente diferente. Ele apresenta uma aparência totalmente nova com um estilo requintado e moderno. Nós conferimos se este pequeno dispositivo tem tanto conteúdo quanto estilo. A Figura 1 mostra que até a caixa do mouse Arc Touch é elegante e bem projetada. A caixa vermelha e branca tem uma aba ligeiramente magnética que, ao ser aberta, revela o mouse, embalado em plástico produzido com garrafas de água recicladas. Para remover o mouse da caixa, a bandeja que o contém desliza pela lateral da caixa. Há somente dois pequenos lacres para soltar. O estojo de plástico simplesmente suspende o mouse – não há necessidade de cortar plásticos ou lidar com prendedores. Parabéns à Microsoft por fazer uma caixa estilosa, fácil de abrir e que produz uma quantidade mínima de lixo. Figura 1: A caixa do Arc Touch O conteúdo da caixa é mostrado na Figura 2, e inclui o mouse, um pequeno manual, duas pilhas AA e um transceptor bem pequeno. Figura 2: O que vem na caixa O mouse em si não parece em nada com um mouse tradicional. Na verdade, conforme mostrado na Figura 2, ao tirar o mouse Arc Touch da caixa, vê-se que ele é bem mais achatado do que outros mouses. Na realidade, ao vê-lo sobre uma mesa na sua posição plana, talvez você não o reconheça como sendo um mouse. Medindo 5,88 x 13 x 0,5 cm, o mouse é achatado e fino. Ele se encaixaria facilmente no bolso de uma camisa. Embora o Arc Touch possa parecer um pouco frágil, isso definitivamente não é verdade. Ele é robusto e resistente. Quando está na posição de arco, o mouse permanece em pé mesmo quando é exercida uma pressão normal na parte superior. A parte curva do mouse é revestida por um material macio, semelhante a borracha, o que oferece uma sensação tátil agradável. A instalação não poderia ser mais fácil. Basta inserir o transceptor na porta USB do computador e instalar as pilhas incluídas no Arc Touch, removendo a tampa na parte traseira, conforme mostrado na Figura 3. Figura 3: A parte traseira do Arc Touch Embora ele pareça praticamente plano, o mouse Arc Touch se inclina rapidamente para se parecer mais com um mouse, conforme mostrado na Figura 4. Basta segurar uma extremidade do mouse ao mesmo tempo que pressiona a outra extremidade e ele se coloca na posição arqueada. Quando ele está na posição arqueada, está ligado. Mude a posição e ele se desligará. Este é um ótimo recurso. Não há botões para apertar e o status ligado ou desligado fica óbvio só de olhar para o mouse. Figura 4: O Arc Touch na posição ligado Em nossos testes, o Arc Touch se arqueou e voltou à posição original sem problemas. A Microsoft testou a durabilidade do mouse mudando essas posições mais de 40.000 vezes, então podemos supor que ele continuará a funcionar por anos. Como também pode ser visto na Figura 4, há uma pequena luz na parte superior desse mouse. Ela mostra rapidamente uma luz verde quando o mouse é ligado pela primeira vez para mostrar que a energia está alimentando o mouse. Em seguida, ela é desligada para economizar bateria. Medindo 1,83 x 1,31 x 0,44 cm, o transceptor é extremamente pequeno, conforme mostrado na Figura 5. Isso, é claro, é uma vantagem e uma desvantagem. O tamanho é uma vantagem, pois sendo pequeno e fácil de transportar, você pode deixá-lo conectado à porta USB de um laptop sem medo de quebrá-lo. Figura 5: O transceptor A maior desvantagem, no entanto, é a facilidade de perdê-lo. A Microsoft tentou resolver esse problema criando uma área magnética na parte traseira do mouse. Na Figure 6, é possível ver como o transceptor é acoplado ao mouse. Embora a força magnética seja bem forte, infelizmente não é suficiente. Se o mouse for colocado, com o transceptor acoplado, em um bolso, pasta ou mochila onde ele possa se movimentar, o transceptor quase sempre acaba se soltando. Nesse caso, você teria que procurá-lo no fundo de sua bolsa ou descobrir uma maneira alternativa de transportá-lo. Figura 6: O transceptor acoplado ao mouse Uma parte da documentação da Microsoft diz que o transceptor se encaixa na parte inferior do mouse. Para nós, esta informação está incorreta. Seria interessante se o transceptor se encaixasse no interior do mouse, onde não seria desalojado tão facilmente, mas, em vez disso, ele se encaixa na superfície do mouse. Na Figura 6, é possível perceber que a parte inferior da parte traseira é composta de um material emborrachado com nervuras que se esticam de acordo com a mudança de posição. O mouse Arc Touch usa a tecnologia exclusiva da Microsoft, a BlueTrack, tornando-o extremamente preciso. Na Figura 7, é possível ver a luz azul transmitida do mouse quando ele está ligado. Figura 7: A luz azul O Arc Touch funciona em superfícies que seriam difíceis para outros mouses. Em nossos testes, o Arc Touch funcionou em superfícies ásperas, brilhantes, duras ou macias. Conseguimos usá-lo até mesmo sobre uma toalha de mesa que teriam limitado qualquer outro mouse. A Microsoft diz que ele não funciona em vidro transparente ou superfícies espelhadas, por isso ficamos surpresos ao descobrir que ela funcionava muito bem em algumas (mas não todas) superfícies de vidro. O transceptor de 2,4 GHz se conecta sem fios diretamente da caixa e tem um grande alcance. Conseguimos nos afastar dele mais de 7 m e ainda controlar o mouse. À primeira vista, o Arc Touch parece não ter botões, mas na verdade, ele tem uma área de "botões" esquerdo e direito que pode ser pressionada. Eles ficam nas laterais da tira prateada mostrada na Figura 8. A área que pode ser pressionada para similar um botão começa perto da linha no meio da tira prateada e vai até a extremidade frontal do mouse. Figura 8: Os controles do Arc Touch O maior problema deste mouse é que, quanto mais longe da borda, mais difícil se torna pressioná-lo. O ponto mais fácil de pressionar é muito perto da borda frontal do mouse. Embora isso não seja um problema para as pessoas que têm mãos grandes, pode ser um inconveniente para quem tem mãos pequenas e/ou dedos curtos. Alguns de nós achamos que não conseguiríamos pousar a palma da mão sobre a mesa e, ao mesmo tempo, alcançar a extremidade frontal do mouse com as pontas dos dedos para pressionar os botões. A tira prateada é uma área sensível ao toque que imita a roda de navegação de um mouse comum. Ela é sensível ao toque e vibra ao ser tocada. Além disso, ela emite um som de rolagem ao ser usada. O processo inteiro é muito fluido. É necessário acostumar-se com o resultado do toque de dedos longos e curtos, mas depois disso, ele funciona muito bem. Conforme você trabalha com a tira de navegação, descobre suas funcionalidades extras. Por exemplo: tocar na parte superior da tira atua como o comando Page Up. Tocar na parte inferior atua como Page Down. Dê um toque leve quando estiver rolando e a rolagem é acelerada, navegando rapidamente por um documento. Algo interessante a respeito do Arc Touch é que ele pode ser usado facilmente tanto com a mão esquerda quanto direita. Os botões e áreas de navegação são personalizáveis por meio do software IntelliPoint da Microsoft. Se você usa o Windows 7, ao conectar o transceptor, ele detecta automaticamente o mouse, instala o driver adequado e também o software IntelliPoint. Se você estiver usando uma versão antiga do Windows, poderá baixar o software IntelliPoint no site da Microsoft. É possível alterar o desempenho dos botões esquerdo e direito, bem como o desempenho da barra de rolagem e da área de toque central. A parte central barra de rolagem tem uma linha entalhada que pode ser sentida com o dedo para indicar facilmente a área de toque central. A Microsoft afirma que este mouse funciona com o Windows XP (exceto a versão de 64 bits) e todas as versões do Windows Vista e Windows 7. Nós descobrimos que ele também funciona no Mac, mas não oferece todas as funcionalidades do software IntelliPoint. As pilhas do mouse devem durar mais de seis meses com o uso normal. O fato do mouse poder mudar de posição para economizar energia certamente ajuda nisso. Embora nunca tenhamos passado por isso depois de algumas semanas de uso, a documentação afirma que a luz verde muda de cor quando as pilhas começam a se esgotar, avisando que é a hora de comprar novas pilhas AAA. As principais características do mouse Microsoft Arc Touch incluem: Dimensões do mouse: 5,88 x 13 x 1,49 cmDimensões do transceptor: 1,83 x 1,31 x 0,43 cmInterface: USB 2.0Sistema de rastreamento do mouse: Tecnologia Microsoft Blue TrackProcessamento de imagem: Adaptável dinamicamente para 8.000 quadros por segundoResolução X-Y: 39,4 pontos por milímetroVelocidade de rastreamento: Até 1.829 mm por segundoAceleração máxima: Até 3.810 mm por segundoFrequência sem fio: 2,4 GHzAlcance sem fio: Geralmente 4,5 mVida útil dos botões direito e esquerdo: 3.000.000 ativações a não mais do que 4 ativações por segundoVida útil da roda de navegação vertical: Equivalente a 1.000.000 revoluçõesVida útil do mecanismo traseiro: 40.000 ciclosSoftware: Microsoft IntelliPointTipo de bateria: Duas pilhas alcalinas AAA (incluídas)Duração das pilhas: Seis meses (tempo estimado)Garantia: Três anosMais informações: http://www.microsoft.comPreço sugerido nos EUA: US$ 69,95Com este mouse, a Microsoft provou que seus designers podem enfrentar a Apple com um produto único e elegante, que é robusto, além de simples e funcional. Embora US$ 70 seja um pouco caro para um mouse, ele é perfeito para viagens e pode ser facilmente usado no dia a dia. O Arc Touch é preciso e funciona em uma grande variedade de superfícies. O transceptor ínfimo é muito portátil e funciona perfeitamente, embora possa ser facilmente perdido. Quando combinado com o software Microsoft IntelliPoint, o Arc Touch se torna um mouse totalmente funcional e personalizável. A maneira exclusiva de esticar o mouse quando não estiver em uso e o desligamento e religamento automáticos são características marcantes. A única desvantagem é que o ponto ideal para clicar seja na parte frontal do mouse e pessoas com mãos pequenas ou dedos curtos podem não alcançar facilmente essa área. Pontos Fortes Excelente design e estiloResistenteFacilmente transportávelExcelente precisãoTrabalha em uma grande variedade de superfíciesO LED na parte superior do mouse indica a duração das pilhasVida útil longa das pilhas Barra de rolagem sensível ao toquePersonalizável por meio do software IntelliPointÓtima embalagemPontos Fracos O transceptor é facilmente deslocadoInadequado para mãos pequenas ou dedos curtosMuito caro
  8. Teste do MP3 Player Sansa Fuze+

    Não há dúvida de que a Apple dominou o mundo dos tocadores portáteis de música digital com o iPod. No entanto, outros fabricantes continuam a melhorar seus aparelhos em um esforço de competição. Nesse sentido, a Sansa renovou totalmente o Sansa Fuze. Com um novo painel de navegação sensível ao toque capacitivo e preços mais baixos, o novo Sansa Fuze+ pode ser uma escolha de tocador MP3 para algumas pessoas. O Sansa Fuze+ Plus vem em uma embalagem colorida, mostrada na Figura 1. O próprio Fuze+, que pode ser visto através da embalagem de plástico, também é colorido. Nossa unidade de teste era em azul electra, mas o Fuze+ também vem em outras quatro cores: vermelho flamenco, branco, preto e roxo. O Fuze+ está disponível nas capacidades de 4 GB, 8 GB e 16 GB. Dependendo da capacidade, os aparelhos custam U$ 79, U$ 89 e U$ 119, respectivamente. No entanto, nem todas as cores estão disponíveis em todas as capacidades. Por exemplo, a capacidade de 16 GB está disponível somente em preto, ao mesmo tempo em que as cores roxo e branco podem ser encontradas somente na capacidade de 8 GB. Figura 1: A caixa Conforme mostrado na Figura 2, o Fuze+ Plus vem acompanhado de um pequeno Guia de introdução, um cabo de conexão microUSB e um par de fones de ouvido com capas removíveis de espuma fina. A Figura 3 mostra um pequeno folheto que explica como usar o serviço de música online Rhapsody para colocar música no aparelho. O Sansa vem com uma inscrição de avaliação de 14 dias do Rhapsody. Figura 2: O que vem na caixa Figura 3: A oferta de música grátis O Fuze+ é mostrado na Figura 4. Embora ele seja feito completamente de plástico, ele tem uma aparência resistente. Medindo 7,87 x 4,8 x 0,76 cm, ele se encaixa facilmente na mão. Os cantos arredondados oferecem uma agradável sensação tátil. O que mais chama a atenção, no entanto, é seu peso, 170 g, praticamente um peso-pena. O novo Fuze+ é um pouco mais longo e mais espesso que o Fuze original, mas apresenta uma tela maior, de 2,4 polegadas, e um novo teclado sensível ao toque abaixo da tela. Figura 4: O Fuze+ A tela LCD QVGA de 2,4” apresenta resolução de 320 x 240. Ela é clara e nítida, mesmo sob luz solar intensa, mas não é uma tela sensível ao toque. Em vez disso, há um painel capacitivo sensível ao toque logo abaixo da tela, conforme mostrado na Figura 5. Figura 5: O painel sensível ao toque Como pode ser visto na Figura 5, o painel sensível ao toque tem uma aparência simples. Na verdade, a única maneira de saber que este é um painel sensível ao toque é pelas linhas e ícones estampados em prateado na superfície. Para usar o painel sensível ao toque, basta deslizar para cima e para baixo ou para frente e para trás. Para selecionar, toque na parte central. Na parte direita superior do painel fica o ícone de reprodução/pausa. No canto superior esquerdo fica o ícone para voltar. Os botões podem ser pressionados para fazer uma seleção, mas descobrimos que um toque breve é mais eficiente. Embora o painel sensível ao toque seja um ótimo recurso, sua falta de sensibilidade quase nos enlouqueceu. Às vezes, a resposta era lenta o suficiente para ser irritante. Outras vezes, era tão sensível que passava direto da escolha que desejávamos. Mesmo os recursos de avanço e retrocesso são irregulares. Muitas vezes, quando queríamos voltar para ouvir algo novamente, o excesso de sensibilidade do painel sensível ao toque voltou ao começo da música. Isto era especialmente irritante quando ouvíamos podcasts. Por conta do painel sensível ao toque, este dispositivo apresenta somente alguns poucos botões físicos. O lado direito, mostrado na Figura 6, apresenta somente a porta microUSB. Figura 6: O lado direito O lado esquerdo do Sansa Fuze+, mostrado na Figura 7, tem um seletor de volume e um slot para cartão MicroSD. Como a SanDisk é um dos principais fabricantes de cartões de memória do mundo, não é de se estranhar que este seja o destaque do Fuze+. O dispositivo oferece suporte a até 32 GB de memória extra no cartão MicroSDHC. O slot de memória também é compatível com a linha Sandisk de cartões de música slotRadio, que oferecem músicas pré-carregadas com base em temas, gêneros e/ou artistas. Figura 7: O lado esquerdo A parte inferior do Fuze+ tem somente uma abertura padrão de 3,5 mm para fones de ouvido, conforme mostrado na Figura 8. Figura 8: A parte inferior O controle liga/desliga é o único botão na parte superior do Fuze+. Infelizmente, este botão tem muito pouca resposta, por isso é difícil saber se um pressionamento foi efetivamente registrado. Além disso, o aparelho leva um tempo surpreendentemente longo (até 15 segundos) para iniciar, aumentando a confusão de saber se ele foi ligado ou não. No início, nós ficamos pressionando o botão mais de uma vez somente para ligar o dispositivo. Depois de ler o Guia do usuário, descobrimos que basta pressionar o botão e mantê-lo pressionado por 2 segundos para ligar ou desligar o player. Sabendo disso, ligamos e desligamos facilmente o aparelho, mas ainda assim não gostamos da inicialização lenta. Felizmente, esse Fuze sai rápido do modo de suspensão. Figura 9: A parte superior A interface do Fuze+ é muito intuitiva e fácil de navegar depois que você consegue fazer o painel sensível ao toque funcionar. Você pode navegar no menu principal para visualizar as opções de música, vídeo, foto, rádio, podcast, gravação de voz, cartão MicroSD e configurações. Achamos as escolhas do menu intuitivas. Gostamos do fato de haver uma categoria separada para podcasts, conforme mostrado na Figura 10. Também apreciamos os recursos de gravação de voz, rádio FM e gravação de programas de rádio. Essas gravações são armazenadas em arquivos WAV e podem ser transferidos e reproduzidos facilmente em outros dispositivos, incluindo o computador. Figura 10: A opção de podcast O menu Configurações, mostrado na Figura 11, apresenta uma variedade de configurações que podem ser ajustadas, incluindo brilho, modo de suspensão, equalizador, replay gain e nível de volume. Há também uma grande variedade de idiomas disponíveis. Na verdade, é possível até desativar as opções do menu principal. Assim, se você nunca reproduz vídeos ou ouve podcasts, pode desativar essas opções no menu principal. Isso significa que não é necessário percorrê-las ao lidar com o dispositivo. Figura 11: O menu de configurações Nossa única reclamação é que as opções do menu não se repetem. Assim, ao chegar à última opção, que é configurações, não é possível continuar e voltar à primeira opção, como em muitos outros dispositivos. Em vez disso, no Fuze, você tem de navegar para a direita, chegar ao fim e, em seguida, navegar para a esquerda para obter outras escolhas. A qualidade de áudio do Fuze+ é boa o suficiente para satisfazer o usuário padrão. Ela está no nível do iPod Nano. Há predefinições de equalização que podem ser ajustadas a gosto. O fantástico do Fuze+ é o suporte a uma variedade muito grande de formatos de áudio, incluindo: MP3, WMA, Ogg, FLAC, WAV, Audible, WMA protegido (Rhapsody, Napster), conteúdo slotRadio e AAC. A inclusão do suporte a AAC é novo na linha de aparelhos Fuze e é muito bem-vinda, já que o iTunes, por padrão, cria músicas nesse formato. Isso significa que você pode acoplar o Fuze no seu computador e arrastar músicas desprotegidas do iTunes direto para o Fuze. Isso permitirá que os antigos usuários do iTunes e do iPod continuem a usar o software da Apple, mesmo que não queiram comprar um aparelho mais caro da linha iPod. O Fuze também pode ser usado para exibir fotos e reproduzir vídeos. Na verdade, as fotos são exibidas em tela cheia e as cores são fiéis. Quanto aos vídeos, o Fuze+ pode reproduzir a maioria do conteúdo de definição padrão nos formatos H.264, WMV ou MPEG-4. Embora a tela seja muito pequena, os vídeos são muito bons, com reprodução tranquila e boas cores. A SanDisk oferece um aplicativo para download gratuito chamado Sansa Media Converter, que pode ser usado para converter vídeos que estejam em outros formatos. O software inclui até mesmo a capacidade de converter vídeos feitos com uma filmadora Flip. A duração da bateria do Fuze+ é de 24 horas de áudio e 5 horas de vídeo, o que é muito bom, ainda mais levando-se em consideração o baixo preço. Infelizmente para os usuários iniciantes, a SanDisk não fornece um software de gerenciamento da área de trabalho. É possível mover músicas para o aparelho arrastando e soltando ou usando qualquer software compatível, como o Windows Media Player 10, que permite transferir facilmente músicas, listas de reprodução e podcasts para o aparelho. Você pode também usar outros programas. Por exemplo, você pode reproduzir livros Audible no Fuze usando o software Audible Manager da Audible. O Guia do usuário online é bastante claro e orientará você pelas operações diárias. As principais características do aparelho MP3 SanDisk Sansa Fuze+ incluem: Dimensões: 7,87 x 4,8 x 7,62 cmPeso: 170 gCapacidades: 4 GB, 8 GB, 16 GBCores: Vermelho flamenco, branco, preto e roxoTela: LCD 2,4" QVGA (320 x 240, 30 FPS)Formatos de áudio: MP3, WMA, WMA protegido, Ogg Vorbis, FLAC, AAC, Audible, PodcastsFormatos de vídeo: MPEG-4, H.264, WMV e vídeo FlipFormatos de imagem: JPEG e BMP; os formatos de imagem podem ser estendidos com o download do software Sansa Media Converter PC, que habilita os formatos TIFF, GIF e PNGRádio: Sintonizador digital FM com funções de gravaçãoBateria: Bateria recarregável com duração de até 24 horas de reprodução de áudio e 5 horas de reprodução de vídeoPortas: Porta microUSB 2.0 de alta velocidadeSlot de memória: Slot de cartão expansível microSDTM slot de cartão microSDHCTM Mais informações: http://www.sandisk.comPreço sugerido nos EUA: US$ 79,99 (4 GB), US$ 89,99 (8 GB), US$ 199,99 (16 GB)O Sansa Fuze+ leva o prêmio de aparelho MP3 com mais funcionalidades a um preço acessível. Ele inclui um rádio FM com recurso de gravação, um gravador de voz, um visualizador de fotos, uma boa reprodução de vídeo, um slot de cartão MicroSD para expansão, a habilidade de reproduzir cartões slotRadio, boa duração da bateria e a capacidade de reproduzir uma ampla gama de formatos (incluindo MP3, FLAC, AAC e OGG, para citar alguns). Todas essas funcionalidades têm um preço excelente. No momento da redação deste texto, um iPod Nano de 8 GB está sendo vendido a US$ 149, enquanto o Fuze+ de 8 GB custa somente US$ 89. O Fuze+ tem uma qualidade de áudio similar ao iPod, mas oferece uma tela maior, reprodução de vídeo, mais configurações de áudio, recursos de armazenamento removível, um rádio FM e gravação de voz. As fotos são exibidas com ainda mais precisão que o Nano. Embora a interface seja excelente, a grande ressalva do Fuze+ é a instabilidade do painel sensível ao toque. Ele simplesmente não responde de maneira consistente. Após algumas semanas de uso, acabamos nos acostumando com isso, mas ainda assim nos irritamos algumas vezes ao usá-lo. Não se deve subestimar a capacidade de usar cartões slotRadio. É possível comprar um cartão slotRadio com 1.000 músicas por US$ 40. É uma excelente maneira de conseguir músicas para o aparelho sem ter que usar o computador ou gastar tempo baixando-as. O Fuze+ proporciona uma qualidade confiável e muitas funcionalidades a um preço muito acessível. Se você conseguir superar a instabilidade do painel sensível ao toque, ele se torna uma pechincha. Se a SanDisk conseguir fazer o painel sensível ao toque ter uma resposta mais consistente, oferecerá um verdadeiro assassino de iPods com este produto. Pontos Fortes ResistentePreço justoExcelente suporte a formatos, incluindo ACCCartão de memória expansívelLeveReproduz cartões slotRadioRádio FMGravação de voz e rádioVariedade de cores e capacidadesBoa reprodução de vídeoPontos Fracos Painel sensível ao toque instávelTela pequenaNão há software de sincronização incluído
  9. Teste do Mouse Genius Pen

    Embora o mouse tenha sido uma revolução ao ser lançado na década de 60, há momentos em que ele não é suficiente para as tarefas atuais. Os tablets e canetas foram uma solução para trabalhos computacionais detalhados, mas são muito caros. Por isso, quando o pessoal da Genius nos enviou um mouse-caneta barato que não precisa de um tablet, gostamos da ideia de conferi-lo.   O mouse Genius Pen vem em uma caixa plástica com um folheto colorido em vermelho e branco, conforme mostrado na Figura 1. Embora algumas caixas plásticas sejam difíceis de abrir, esta é aberta na parte superior e sai com facilidade, conforme mostrado na Figura 2. Figura 1: A caixa Figura 2: Abrindo a caixa Dentro da caixa estão o mouse-caneta, um pequeno receptor USB para a funcionalidade sem fio, um fino mousepad, um clip, duas pontas para a caneta, um mini-CD de software, um estojo preto de viagem e um pequeno manual do usuário, conforme mostrado na Figura 3. Também há uma pilha AAA incluída. Figura 3: Dentro da caixa O Genius Pen, mostrado na Figura 4, é bem projetado, e a parte que entra em contato com a superfície é um pouco mais grossa do que a extremidade traseira da caneta. Medindo 16,25 x 21 x 133 mm, ela é mais ou menos do tamanho de uma caneta comum. Figura 4: A lateral da caneta A Genius Pen apresenta uma tampa para as pilhas que desliza facilmente, mostrando onde colocar a pilha AAA, conforme mostrado na Figura 5. Mesmo com o peso da bateria, a pegada do mouse Genius Pen é leve e confortável. Figura 5: O local da pilha Depois de colocar a pilha, basta inserir o pequeno receptor USB de 2,4 GHz em uma porta USB no computador e instalar o software do CD incluído. A caneta funciona no Windows XP, Vista ou Windows 7. O receptor USB mede somente 19 mm de comprimento e, ao ser inserido na porta USB do computador, praticamente se integra a ele. Isso é ótimo, pois diminui o risco de quebrar o receptor ao transportá-lo em um laptop. A Figura 6 mostra a ponta da caneta com a luz vermelha do laser. Pressionar a ponta simula o clique com botão esquerdo do mouse. Figura 6: A ponta da caneta As outras funções do mouse são controladas por dois botões mostrados na Figura 7. Pressionar o botão mais próximo da ponta é o equivalente a clicar no botão direito do mouse. Pressionar e segurar o outro botão enquanto move a ponta da caneta sobre uma superfície rola para cima e para baixo. Figura 7: Controles principais O mouse Genius Pen é bem estiloso. Ele é bonito e confortável na mão. Os controles são bem posicionados e de fácil acesso. A caneta pode ser configurada para canhotos ou destros e você também pode escolher entre duas posições diferentes para segurá-la. A Figura 8 mostra a tela do software onde você faz essas escolhas. Figura 8: Tela do software da Genius Pen A sensibilidade da caneta também pode ser alterada. Com o software na tela, basta pressionar a ponta da caneta para baixo e segurar o botão direito do mouse simultaneamente por cinco segundos. Uma caixa vermelha será exibida, mostrando o nível atual de sensibilidade. A configuração padrão é 800 dpi. Se você continuar a segurar os dois botões, a caneta percorrerá as configurações de dpi e você poderá escolher entre 400, 800 ou 1200 dpi. Seria bom se essas instruções fossem exibidas na tela, mas tivemos que procurá-las no manual do usuário. Embora o manual seja pequeno e tenha 54 páginas, ele oferece instruções em 27 idiomas, o que significa que cada idioma tem somente cerca de duas páginas de instruções. As instruções são poucas e a fonte é tão pequena que tivemos que usar uma lupa para lê-las. Apesar da instalação ter sido fácil, usar a caneta não é. A caneta em si é muito sensível, o que provoca uma curva de aprendizado prolongada. A ponta é sensível à pressão, o que é muito útil na edição de fotos e programas de desenho, quando você deseja variar a densidade e espessura das linhas ou pinceladas. Preferimos diminuir a sensibilidade para 400 dpi ao praticarmos o uso. Além disso, embora haja duas posições para segurar a caneta, acostumar-se a elas leva tempo. Para obter uma boa representação do clique com o botão esquerdo, você deve pressioná-la sem pressionar os botões, mas é necessário que o seu dedo esteja posicionado para pressionar os outros botões quando precisar clicar com o botão direito do mouse ou rolar. Isso é factível, mas exige muita prática. Como outros dispositivos a laser, a caneta não funciona sobre vidros ou espelhos, mas trabalha bem sobre nossas áreas de trabalho. Medindo cerca de 101,6 x 120,6 milímetros, o mousepad incluído é pequeno. Ele também é muito fino, aproximadamente da mesma espessura de duas folhas de papel. No entanto, o mousepad tem uma boa textura e possui um reforço que faz com que ele se fixe a qualquer superfície plana. Achamos o mousepad muito funcional e usá-lo ajudou bastante no controle da caneta. Embora o rastreamento da caneta seja ágil, as funcionalidades do botão direito e de rolagem apresentaram atrasos ou pareceram não responder. Conte com certo gasto de tempo com este dispositivo para aprender a controlá-lo bem. Nós praticamos por mais de uma semana antes de ficarmos à vontade com ele. Nós não o achamos útil para o uso diário ou jogos, mas ele funciona bem para usos especializados, como desenhar. O manual do usuário também oferece uma breve explicação de como limpar a lente se ela ficar suja. Não há instruções sobre como saber se a lente está suja. Além disso, há duas pontas da caneta incluídas e não são dadas instruções sobre como ou quando utilizar esses substitutos. Depois de um mês de uso, não achamos que fosse necessário limpar a lente, mas decidimos realizar o procedimento de qualquer maneira. O clip incluído na caixa é usado para levantar a tampa da lente e retirá-la para limpá-la. Em seguida, a tampa precisa ser substituída. Lidar com uma peça tão pequena foi muito difícil. As principais especificações do mouse Genius Pen são: Dimensões: 16,25 x 21 x 133 mmPeso (sem pilha): 17 gramasFrequência: 2,4 GHzResolução do sensor a laser: Até 1,200 dpiSensor: ÓticoReceptor: Receptor PicoMais informações: http://www.geniusnet.comPreço sugerido nos EUA: US$ 59,99Embora o mouse Genius Pen seja muito resistente e elegante, pode ser difícil se acostumar com ele e, às vezes, seu uso é instável. A documentação é fraca e limpar a lente é difícil. Se você não se incomodar com esses inconvenientes, ele é uma opção barata para traçar imagens, editar imagens digitais, pintura digital, fazer anotações ou para assinaturas eletrônicas. Esperamos que o mouse Genius Pen continuar a ser aprimorado, pois achamos que, com algumas modificações, as versões futuras podem ser muito úteis. Pontos Fortes Bom designLeve e equilibradoFácil de instalarBoa funcionalidade de desligamento e religamento automáticosFunciona com uma pilha AAAReceptor pequenoEstojo de transporte incluídoPontos Fracos Difícil de usarOs botões são instáveisDocumentação fracaLimpar a lente é difícil
  10. As telas sensíveis ao toque se tornaram muito populares em telefones celulares e agora invadem outros dispositivos, incluindo impressoras. A impressora HP Photosmart Premium C309g apresenta uma grande tela sensível ao toque juntamente com recursos multifuncionais, duplexação automática e acesso a rede sem fio. Como esta impressora tem uma ampla variedade de recursos, decidimos conferi-la. A HP Photosmart Premium C309g vem com uma boa quantidade de acessórios. Conforme mostrado na Figura 1, isso inclui um cabo de alimentação de duas partes. O bloco de alimentação é mostrado à esquerda e a tomada e o cabo são mostrados na parte inferior. Também estão incluídos um CD com o software HP, um tecido de limpeza preto com o logotipo da HP e um pequeno pacote de amostra de papel fotográfico. Embora a maioria das impressoras deste calibre não inclua um cabo USB, esta inclui. Embora o cabo USB tenha somente 90 cm de comprimento, ele é adequado para a configuração da impressora. Figura 1: Cabos, disco de software, etc A Figura 2 mostra mais acessórios, incluindo uma bolsa preta reutilizável para acessórios, um guia HP Smart Web Printing, um Guia de introdução e cinco cartuchos de tinta. Olhando mais de perto, vemos que esta impressora vem com dois cartuchos pretos, um grande e um pequeno. Há mais informações sobre os usos deles posteriormente neste teste. Figura 2: Cartuchos de tinta e documentação A impressora vem muito bem embalada, conforme mostrado na Figura 3. Este modelo é simples, elegante e bonito. Medindo 19,9 x 45,2 x 47,3 cm com a bandeja estendida, ele é bem compacto para uma multifuncional. Pesando 7,45 kg, a impressora é pesada o suficiente para passar a sensação de solidez, embora ainda possa ser transportada facilmente de um lugar para outro. O C309g é uma impressora totalmente preta com plástico preto fosco ao longo das laterais e uma parte superior em preto brilhante. Ao procurar por esse modelo, o "g" é muito importante. A HP também tem modelos C309 com outras extensões, como "a" e "m". Elas são impressoras inteiramente diferentes, com recursos diferentes e aparências também diferentes. Não entendemos por que a HP investiria em nomenclaturas complicadas, já que isso só confunde os compradores em potencial. Figura 3: A HP Photosmart Premium C309g Uma das nossas reclamações mais constantes sobre as impressoras HP é a demora na instalação. Embora esta impressora seja mais rápida em relação aos modelos anteriores, a instalação ainda levou mais de uma hora e meia em uma máquina rápida com Windows 7. A instalação do software em si levou mais de 20 minutos e também foi necessário passar por um demorado processo de inicialização e alinhamento. O tempo pode ser ainda mais longo em um computador mais lento. Para crédito da HP, as animações na tela, que demonstrou a instalação de cartuchos de tinta e papel eram claras e de carga útil. Há também um guia de instalação de cartucho ilustrado e muito útil na impressora, conforme mostrado na Figura 4. Figura 4: A instalação dos cartuchos de tinta em imagens Durante a instalação, a impressora oferece duas opções: cabeada e sem fio. Se você escolher "Cabeada", a instalação leva você para a configuração da conexão Ethernet, sem mencionar o uso de uma conexão cabeada por USB. Isso pode confundir um usuário leigo. Para instalar usando uma conexão USB, é necessário instalar o software primeiro. Dito isso, porém, as instruções de instalação passo-a-passo são fáceis de seguir e a configuração sem fio funcionou perfeitamente. Conforme mostrado na Figura 5, a impressora tem apenas um botão físico, o botão de liga/desliga, exibido à direita da tela. A tela sensível ao toque de 3,4", também mostrada na Figura 5, é grande, clara e sensível. O ângulo da tela é ajustável, então é fácil vê-la sentado ou em pé. Apesar do fato de haver apenas um botão criar um dispositivo elegante, gostaríamos que houvesse um botão "stop" ou "cancel". Esse tipo de botão tem se tornado mais popular entre alguns fabricantes de impressoras atuais e é uma maneira prática de cancelar facilmente um trabalho de impressão. Figura 5: A tela, o botão liga/desliga e as bandejas A Figura 5 mostra também as bandejas de entrada na parte frontal da impressora. Os espaçadores brancos podem ser movidos para acomodar papéis fotográficos e envelopes menores. Há duas bandejas de papel, na parte superior para papel fotográfico e folhas menores, e a bandeja inferior para papel A4 e envelopes. A Figura 6 mostra a tampa da bandeja de entrada da C309g, que serve como bandeja de saída. No canto inferior esquerdo, mostra as aberturas que acomodam um Memory Stick, Memory Stick Duo, SD, xD e dispositivos PictBridge. Figura 6: A parte frontal da HP C309g Nós amamos usar a tela sensível ao toque da C309g. Ela elimina o uso de menus aninhados e faz com que usar esta impressora seja quase instantâneo. A tela principal mostra as principais funcionalidades de impressão, cópia e digitalização. A Figura 7 mostra que as subtelas também são muito simples. A tela apresenta três opções: Quick Forms, Ink e Setup. À esquerda da tela há várias áreas de toque iluminadas que permitem percorrer as funções. À direita fica um ponto de interrogação, que pode ser pressionado para obter ajuda imediata. Figura 7: Opções na tela A função "Quick Forms" é bastante original e permite imprimir calendários, papel timbrado e papel de música. Achamos isso muito útil. A qualidade do texto simples é excelente, com letras nítidas e claras. Embora a impressora tenha levado cerca de 30 segundos para inicializar e imprimir a primeira página, as páginas seguintes foram impressas rapidamente. Ela imprime 10 páginas por minuto. A impressão de fotos foi um pouco decepcionante quando comparada à HP Office Jet Pro 8000. Embora a precisão da cor tenha sido boa, as fotos pareciam meio desbotadas. Como de costume, as fotos saíram melhores quando impressas no papel fotográfico da HP. Infelizmente, os cartuchos de tinta preta na C309 eram ligeiramente problemáticos. Quando o cartucho preto menor acabou, a impressora se recusou a imprimir uma página de texto, embora o cartucho preto maior estivesse cheio. Uma ligação para a HP esclareceu a situação. Se entendemos bem o representante estrangeiro da HP, o maior cartucho de tinta preta é usado somente para imprimir fotos. Assim sendo, não é possível usá-lo para imprimir texto a menos que você informe à impressora que o texto é uma fotografia, uma gambiarra que funciona, mas não é o ideal. Achamos que a maioria dos usuários médios preferiria que o maior cartucho fosse dedicado à impressão de texto, ou melhor ainda, que fosse possível usar ambos os cartuchos para texto e fotos. O problema é que, se você imprimir um monte de páginas da Web, emails e documentos do Word, precisará trocar o cartucho de tinta preta com bastante frequência. Segundo a HP, o cartucho preto padrão simples imprime 250 páginas com e o cartucho preto para fotos imprimirá 130 imagens 8 x 13 cm. Os cartuchos padrão são vendidos por cerca de US$ 12 nos EUA e estão disponíveis cartuchos XL (de maior rendimento). No entanto, nós conseguimos imprimir mais de 200 páginas usando o cartucho que veio com a impressora. Nenhuma documentação indicava que este era um cartucho "de início". Portanto, supomos que nossa impressora de demonstração não fez jus às afirmações da HP. A Figura 8 mostra a parte traseira da impressora com as portas USB, Ethernet e de alimentação. A elevação na parte traseira é o duplexador. O duplexador automático funciona bem e pode ser usado para economizar papel. No entanto, ele diminui a velocidade da impressão, já que a impressora faz uma pausa rápida para que a tinta seque no primeiro lado antes de imprimir o segundo lado do papel. Figura 8: Parte traseira da impressora A cópia e a digitalização funcionaram perfeitamente na C309. Tivemos apenas alguns pequenos problemas com o recurso de digitalização. No quesito hardware, a tampa do scanner não é articulada, o que ofereceria a possibilidade de digitalizar livros e documentos mais espessos. No quesito software, é necessário clicar várias vezes para efetivamente nomear os arquivos com algo que não seja "scan001", "scan002", etc. Uma função tão necessária quanto essa deveria ser mais fácil de acessar. Testamos várias conexões diferentes nesta impressora, incluindo 802.11n, Bluetooth e Ethernet. Tudo funcionaram tranquilamente. A C309g também oferece suporte ao HP ePrint, que permite a impressão de qualquer lugar enviando uma mensagem para o endereço de email da impressora. Nenhum software especial é necessário, mas a impressora precisa estar conectada à Internet. Nossa experiência com o ePrint é que apesar de ele geralmente funcionar, tivemos alguns problemas para os quais não há soluções. As principais especificações da impressora multifuncional HP Photosmart Premium C309g incluem: Dimensões: 19,9 x 45,2 x 47,3 cm com a bandeja estendidaPeso: 7,45 kgSlots para cartões de memória: Memory Stick, Memory Stick Pro, Memory Stick Select, Memory Stick Magic Gate, Memory Stick Duo, Pro Duo ou Pro-HG Duo (adaptador opcional) ou Memory Stick Micro (adaptador obrigatório), MultiMediaCard (MMC), MMC Plus, Secure MMC, MMC Mobile (RS-MMC; adaptador obrigatório), Secure Digital (SD), Secure Digital Mini, Secure Digital High Capacity (SDHC), TransFlash MicroSD Card (adaptador obrigatório), xD Type M ou xD Type H.Recurso de rede sem fio: 802.11 e BluetoothConectividade: USB e EthernetTratamento de papel: Bandeja de entrada para 125 folhas; bandeja de fotos para 20 folhas; bandeja de saída para 50 folhasTamanhos de papel: Carta (21,6 x 27,9 cm), Ofício (21,6 x 35,6 cm), A4 (21 x 29,7 cm), HV 10,1 x 18 cm), Cartão fotográfico com borda (10 x 20 cm), B7 (JIS) (9,1 x 12,8 cm), B7 (ISO) (8,8 x 12,5 cm)Resolução: 9600 dpiMétodo de impressão: Jato de tinta termal drop-on-demandLinguagem da impressora: PCL3Velocidade de impressão (preto): Até 33 ppm depois da primeira páginaVelocidade de impressão (cores): Até 32 ppm depois da primeira páginaVelocidade de cópia: Até 33 ppm (preto) ou até 32 ppm (cores)Resolução do scanner: Até 4800 x 4800 ppi ótico; 19200 ppi aprimorado por softwareCores do scanner: Cores de 48 bits, escala de cinzas de 8 bitsTamanho máximo de digitalização do vidro: 21,6 x 29,7 cmConsumo médio de energia: Máximo de 42 WMais informações: http://www.hp.comPreço sugerido nos EUA: US$ 200,00A boa tela sensível ao toque e a interface simplificada tornam essa uma impressora fácil de usar. O design todo em preto sólido e o pequeno tamanho serão bem-vindos em casa e no escritório, bem como os ótimos recursos multifuncionais. As características adicionais, como o duplexador automático e o recurso de rede sem fio fazem da C309g uma excelente impressora como um todo. A impressionante velocidade de impressão e extras como o Quick Forms oferecem ainda mais ao conjunto. Nós não recomendamos esta impressora para os que desejam imprimir muitas fotos, mas ela é adequada para a impressão ocasional de fotos. Em resumo, a C309g é uma multifuncional versátil. Pontos Fortes Ótima tela sensível ao toqueBoa interfaceBoa qualidade de impressão de textosVelocidade de saída impressionanteDesign excelenteBom tratamento de envelopesRecurso Quick Forms útilBandeja de entrada duplaPontos Fracos Instalação demoradaO cartucho preto adicional não pode ser usado para textoNão há uma tampa articulada para o scannerAs instruções de instalação cabeada podiam ser mais clarasA impressão de fotos poderia ser melhorNão há botão "Cancel"
  11. Teste do Tablet Motorola Xoom

    O Motorola Xoom (pronuncia-se "zoom") é o primeiro concorrente de verdade para o popular iPad, da Apple. O Xoom tem especificações de hardware melhores do que o novo iPad 2 e é um dos primeiros tablets a executar o novo sistema operacional Android 3.0 (Honeycomb), então ficamos animados para dar uma olhada nele. Conforme mostrado na Figura 1, a embalagem do nosso Xoom foi ligeiramente danificada, mas a caixa de papelão é resistente e manteve o conteúdo em bom estado. A Figura 2 mostra o conteúdo da caixa, que inclui o Xoom, um cabo de carregamento, um cabo USB e uma pequena brochura denominada "Domine Seu Aparelho". Não espere que essa pequena brochura faça o que o título sugere. Trata-se apenas de um "Guia de Início Rápido" bem básico. Se você quiser dominar este dispositivo, você terá que baixar o Guia do Usuário do site da Motorola. Figura 1: A caixa do Xoom Figura 2: O conteúdo da caixa O plugue do cabo de carregamento dobra-se para ser melhor transportado. Você vai notar, no entanto, que o cabo de carregamento se conecta a uma tomada de parede. Ao contrário de alguns outros tablets, este dispositivo não pode ser carregado através do cabo USB, mas deve ser conectado a uma tomada. O Xoom mede 249,1 x 167,8 x 12,9 mm. Sua tela widescreen 16:10 de 10.1 polegadas tem resolução de 1280x800 WXGA. O formato widescreen é muito bom para a exibição de vídeos e também é bom para visualizar páginas da Internet e outros dados. A tela é nítida e clara, tem excelentes ângulos de visualização e pode ser vista sob a luz do sol. É também uma tela capacitiva sensível ao toque com boa resposta. A frente do Xoom, mostrada na Figura 3, é feita de vidro Gorilla Glass com cantos arredondados. A tela tem uma moldura preta que mede cerca de 1 cm. Na parte superior, bem ao centro, podemos ver a câmera frontal.   Figura 3: A frente do Xoom O Xoom é resistente e bem construído. Infelizmente, ele também é um pouco pesado. Ela pesa 708 gramas, é apenas cerca de 127 gramas mais pesado do que o iPad 2, mas dá a impressão de ser mais pesado do que isso. Depois de uma hora ou mais de uso, segurá-lo pode chegar a ser um pouco desconfortável. Se é o peso, espessura, ou desenho em forma de quadrado, o Xoom simplesmente não é tão confortável de usar como o iPad 2. As especificações de hardware do Xoom são melhores do que as do iPad 2. A resolução de 1280x800 do Xoom é ligeiramente melhor do que a resolução de 1024x786 do iPad. A tela de 10.1 polegadas do Xoom é ligeiramente maior do que a tela de 9.7 polegadas do iPad. O Xoom usa processador de dois núcleos Tegra 2 de 1 GHz, enquanto o iPad 2 usa um processador de dois núcleos A5 de 1 GHz. O Xoom tem o dobro de memória: 1 GB em comparação aos 512 MB do iPad. O fundo do Xoom tem três portas. Conforme mostrado na Figura 4, são elas (da esquerda para a direita): porta micro USB, porta HDMI micro, e porta de carregamento. A adição de uma porta HDMI também coloca o Xoom à frente do iPad 2, que requer um acessório opcional para conectividade HDMI.   Figura 4: A parte inferior do Xoom A parte superior do Xoom, mostrada na Figura 5, tem apenas duas aberturas. À direita está o fone de ouvido de 3,5 mm e à esquerda fica o slot para cartão de memória e cartão SIM 4G. Embora esta porta ainda não esteja funcionando no momento, ela será usada no futuro. O fato de que este dispositivo será capaz de utilizar 4G será um atrativo para muitos usuários. Figura 5: A parte superior do Xoom A parte traseira e os lados do Xoom são uma peça de alumínio anodizado na cor preto fosco, conforme mostrado na Figura 6. À direita está uma tira em material preto brilhante onde ficam a câmera de 5MP, o flash LED, um alto-falante e o botão liga-desliga (da esquerda para a direita). Outra abertura para alto-falante pode também ser vista à esquerda.   Figura 6: A parte traseira do Xoom Ter o botão liga/desliga na parte traseira do aparelho é um pouco inconveniente. Ainda pior, no entanto, é ter os alto-falantes na parte traseira. Ao mesmo tempo em que o som produzido por  este dispositivo é bom em uso normal, os alto-falantes direcionam o som para longe da frente da unidade, o que diminui a qualidade do som para o usuário.  Figura 7: A lateral do Xoom A lateral do Xoom, mostrada na Figura 7, tem apenas o controle de volume, para cima/para baixo. Embora estes botões sejam ligeiramente salientes, eles não são fáceis de apertar. Configurar o Xoom é um processo fácil. Você não precisa conectá-lo a um computador, como ocorre com o iPad. Em vez disso, basta seguir as instruções na tela para configuração. Se você usa um smartphone baseado em Android, você será capaz de usar o Xoom assim que tirá-lo da caixa. Se você nunca usou Android, você terá que aprender um pouquinho. Enquanto o sistema operacional iIOS da Apple é mais fácil para o neófito, o sistema operacional Android é muito mais personalizável. O Xoom é um dos primeiros tablets a vir com o Android 3.0 (Honeycomb), que é projetado especialmente para tablets. Ele faz muito bom uso do espaço extra da tela. Como você pode ver na Figura 8, com o Android, você pode ter uma combinação de ícones de aplicativos e widgets maiores.   Figura 8: A tela inicial O Android 3.0 não tem botões de toque capacitivo como os smartphones e tablets Android 2.2. Em vez disso, os botões de navegação tocáveis ​​ficam bem lá na tela. Quando a tela gira, também giram os botões para a posição correta, que é uma vantagem real. Existem três ícones de navegação, como mostrado na Figura 9. Eles são: voltar, tela inicial (Home) e Aplicações Recentes.   Figura 9: Os ícones de navegação O ícone de navegação chamado Aplicativos Recentes é especialmente benéfico, pois tem suporte a multitarefa. A Figura 10 mostra os grandes retângulos que parecem representar os cinco aplicativos usados mais ​​recentemente.   Figura 10: Escolha entre aplicativos recentes No canto superior direito da maioria das telas, você também verá dois ícones de navegação adicionais, mostrados na Figura 11. Eles dão acesso a todas as funções de aplicativos e personalização.  Figura 11: Os ícones de aplicativos e personalização Outro recurso interessante deste tablet Android é a tela de notificação, que pode ser chamada ao tocarmos no canto inferior direito da tela, como mostrado na Figura 12. Esta tela mostra todas as atividades recentes.  Figura 12: Lista de notificação O Xoom faz tudo o que você esperaria que um tablet fosse capaz de fazer. Este dispositivo nos deu respostas rápidas tanto quando usamos o zoom, quanto quando arrastamos os dedos na tela ou usamos o teclado. Naturalmente, a busca por comando de voz e outros recursos de voz também estão incluídos. Ler ebooks no Xoom é uma boa experiência. Devido à boa resolução da tela, o texto é agradável aos olhos. A livraria do Google já tem cerca de três milhões de livros. A função de e-mail foi especialmente boa no Android 3.0. A interface é excelente, com um painel de leitura na íntegra, como mostrado na Figura 13.   Figura 13: O painel de leitura A navegação na Internet também é agradável, mas a interface web não é tão fácil de usar como a da Apple. O visual do navegador da Internet é semelhante ao do Google Chrome, que é muito simplista. O navegador oferece alguns recursos extras, como navegação por abas e um modo anônimo que apaga o seu rasto de navegação. No entanto, sentimos que um usuário leigo teria alguma dificuldade em realizar tarefas simples, como adicionar um site aos favoritos. Na verdade, utilizamos o Xoom durante um dia inteiro antes de descobrirmos o menu escondido que aparece se colocarmos o dedo na margem direita da página. Como você pode ver na Figura 14, essa barra de menu tem alguns ícones incomuns, então prepare-se para um período de tentativa e erro até aprender a navegar.   Figura 14: O menu web escondido Depois de usar o iPad, é uma alegria saber que o Xoom oferece suporte a Flash. Realmente sentimos muita falta de visualizar de apresentações em Flash no iPad, por isso ficamos muito felizes em vê-las no Xoom. Na verdade, por causa da tela em formato widescreen, todos os vídeos e filmes em tela cheia fiaram particularmente bons no Xoom. As duas câmeras no Xoom também são boas de usar. A câmera frontal de 2 megapixels é suficiente para videoconferência. Apesar de ficarmos desapontados ao descobrir que o Skype ainda não suporta vídeo no Android, nós fomos capazes de usar o Gmail e o Google Talk para fazer chamadas de vídeo. A câmera de 5 megapixels na parte traseira tem flash LED. Esta câmera também pode gravar vídeos 720p em HD. Embora tenhamos achado um pouco difícil segurar o tablet para tirar fotos ou gravar vídeos, os resultados foram muito bons. Você provavelmente não vai usar o tablet como sua única câmera digital, mas ele vai quebrar um bom galho - e você pode conectar o teclado a um televisor HD para mostrar seus filmes e fotos. Dependendo do uso, a bateria vai durar um dia inteiro. A única vez que a bateria durou apenas cerca de sete horas foi quando usamos o GPS na estrada. Nós ficamos muito satisfeitos com as instruções curva-a-curva quando usamos o Google Mapas. O recarregamento da bateria é bastante rápido. Conseguimos carregar a bateria do Xoom de 0 a 100 por cento em menos de três horas. Embora o hardware do Xoom seja comparado muito favoravelmente ao iPad 2, ele fica aquém no número e na qualidade dos aplicativos que foram otimizados para o Android 3.0. Como esse tablet e seu sistema operacional são novidade, isso não é surpreendente. Isso não quer dizer que você não vai encontrar um aplicativo para o que você quer fazer, só que não são muitos os aplicativos que tiram o máximo proveito do tablet Android. Surpreendentemente, a maioria dos aplicativos Android mais comuns irá funcionar no Xoom, eles só aparecem dentro de um pequeno retângulo na tela ao invés de tirar proveito da tela grande. Há pouca dúvida de que isso irá mudar no futuro, mas se você comprar um Xoom agora, você vai ter que esperar pela chegada dos belos aplicativos de tela cheia que já estão disponíveis para o iPad. As principais especificações do tablet Motorola Xoom são: Dimensões: 249,1 x 167,8 x 12,9 mm Peso: 708 gramas Sistema Operacional: Android 3.0 (Honeycomb) Tela: 10.1 polegadas, HD Widescreen (16:10) Resolução: 1280x800 WXGA Processador: Processador de 1 GHz de dois núcleosRAM: 1 GB de memória RAM DDR2 de baixa potência Memória interna: 32 GB Redes: Bandas 850/900/1900/2100 WCDMA e 850/900/1800/1900 GSM - GPRS/EDGE Class 12, HSDPA 10.1 Mbps, HSUPA 5.76 Sensores: Luz ambiente, acelerômetro, giroscópio e barômetro Câmeras: 5 megapixels (traseira) e 2 megapixels (frontal, que funciona como webcam)Flash: LED Vídeo: Gravação em HD (720p), reprodução em Full HD (1080p) Formatos para reprodução: H.263, H.264, MP3, MPEG-4, AAC, OGG, ACC+ Enhanced, MIDI, AMR NB, AAC+ E-mail: Corporativo sincronização, Google Mail, POP3/IMAP (integrado), Corporate Directory Lookup (GAL) Mensagem instantânea (IM): Google Talk com vídeo chat Bluetooth: 2.1 + EDR + HID Wi-Fi: 802.11 b/g/n Mais informações: http://www.motorola.com/Preço médio no Brasil: R$ 1.900 sem contrato com operadoras de telefonia móvelA parte emocionante do Xoom é que ele é o primeiro tablet Android rodando o Android 3.0, que é otimizado para tablets. Este novo sistema operacional tem algumas características excelentes e, com exceção do navegador, é muito fácil de usar. A Motorola montou um tablet resistente que é definitivamente um concorrente de peso no mercado de tablets. O processador de dois núcleos, a tela plana, as boas câmeras e os equipamentos adicionais, como a porta HDMI, colocam este tablet à frente do iPad. O hardware é excelente, exceto pelo fato de que o tablet em si é um pouco pesado e cansativo para segurar. Para iniciantes, o sistema operacional do iPad é ainda mais fácil de usar. Mas se você é um usuário Android e ama o sistema operacional Android, você vai achar o sistema operacional deste tablet  melhor do que o da Apple. Ele é mais personalizável e, alguns arriscam dizer, até mais divertido. A maior desvantagem também vem do fato de que ele é o primeiro tablet rodando Android 3.0. Simplesmente não há muitos aplicativos otimizados para os tablets Android. Jornais, revistas e jogos para crianças que foram otimizados e disponibilizados para iPad ainda não foram disponibilizados para os tablets Android. Os tablets Android só poderão ter sucesso se o Google Marketplace for preenchido com aplicativos otimizados para o tablet e se eles puderem manter seus preços mais baixos do que os da Apple. O Xoom é um tablet  realmente útil e bem implementado, mas se a Motorola quiser vender Xooms, eles terão de ser competitivos em todos os sentidos com o iPad e, agora, eles não são. Pontos Fortes Processador rápido de dois núcleosAndroid 3.0 Botões de navegação na tela Boa duração da bateria Porta HDMI Excelente interface de e-mail Boa tela e proporção Flash Boas câmerasPontos Fracos Pesado Alto-falantes mal posicionados Botão liga/desliga mal posicionado A bateria não é substituível pelo usuário Caro Falta de aplicativos otimizados para Android 3.0
  12. Teste do Nintendo Wii

    Wii é um nome esquisito. É também um tipo de videogame muito diferente. Ele faz você se levantar e se envolver fisicamente com os jogos. Ele não é tão poderoso quanto seus concorrentes. Os gráficos não são tão bons quanto os dos concorrentes. Ainda assim, sua popularidade aumenta cada vez mais. Decidimos descobrir o que torna este videogame tão atraente. O Wii vem em uma caixa despretensiosa branca e azul, conforme mostrado na Figura 1. Figura 1: A caixa do Wii A Figura 2 mostra uma parte do conteúdo da caixa do Wii, que inclui: o console do Wii, a base do console, a barra do sensor, o controle remoto do Wii (também chamado de Wiimote), uma capa para o controle remoto e o nunchuk do Wii. Há também (mas não está na foto) um cabo de alimentação, um manual de instruções e um cabo composto padrão para ligar o Wii à televisão. O disco do Wii, mostrado na Figura 3, também está incluído e oferece bons jogos para você conhecer melhor o Wii. Figura 2: Na caixa Figura 3: O disco do Wii Sports O Wii é uma caixa de plástico branco que mede 38 x 25 x 11 cm e pesa 3,4 kg.  Ele vem com uma base de plástico cinza e, quando olhado de lado em cima da base, tem um design angulado incomum, conforme mostrado na Figura 4. Figura 4: Lateral do console do Wii A parte frontal do console do Wii, mostrado na Figura 5, apresenta um mecanismo de slot que aceita discos do Wii normais e também os mini-discos do GameCube mais antigos. Figura 5: Parte frontal do Wii No lado esquerdo da parte frontal do Wii encontra-se o botão liga/desliga e um botão de reset perto da parte superior. O botão eject fica perto da parte inferior. Entre os botões há uma tampa que protege o botão sync. Ele é usado para sincronizar o console com os controles remotos, algo que geralmente só precisa ser feito uma vez. Abaixo do botão sync fica o slot de cartão SD. Os jogos do WiiWare e do Virtual Console podem ser jogado diretamente do cartão SD, o que significa armazenamento extra acessível e recursos de jogo adicionais. A Figura 6 mostra o Wii com a tampa aberta. Figura 6: Por trás da tampa do Wii As portas restantes para a instalação do Wii ficam na parte traseira, conforme mostrado na Figura 7. Na parte superior estão as duas portas USB. Abaixo delas encontram-se as saídas de ar, que devem permanecer desbloqueadas. Abaixo disso estão os três conectores necessários, o conector da barra do sensor, o conector de saída AV e o conector de entrada DC. Conecte a entrada DC no console e na tomada elétrica. Conecte o conector de saída AV no console e na televisão. Conecte a barra do sensor ao console e coloque-a em cima da televisão. (Ela vem com um cabo bem longo.) Depois de inserir duas pilhas AA no controle remoto do Wii e pressionar o botão sync no console e no controle remoto para sincronizá-los, tudo estará pronto para jogar no Wii. Figura 7: A parte traseira do Wii Você pode jogar o Wii sem maiores configurações ou configurá-lo para acessar a Internet e obter mais funcionalidades. A conexão Wi-Fi do Wii funciona com redes criptografadas WEP e WPA protegidas. A configuração da rede foi tranquila. Se você não tem Wi-Fi, pode comprar um adaptador para usar a porta USB para se conectar à rede cabeada. A Nintendo chama o seu acesso online de serviço WiiConnect24. Ele permite que o Wii esteja conectado continuamente, mesmo quando o dispositivo está desligado. Com o WiiConnect24, é possível baixar atualizações do sistema, comprar conteúdo adicional de jogo e acessar canais de notícias e clima. A grande singularidade do Wii está no seu controle remoto sem fio. Conforme mostrado na Figura 8, ele parece mais um controle remoto de televisão do que de jogo. Os acelerômetros medem o movimento do controle remoto em todas as direções e em todas as velocidades. O controle remoto é usado de muitas maneiras. Ao jogar tênis, ele é a raquete. Nos jogos de corrida, serve como volante. No beisebol, ele pode ser o bastão ou a bola, se você estiver lançando ou rebatendo. Figura 8: O controle remoto do Wii O controle remoto também apresenta um recurso de “force feedback” que proporciona um efeito de “sacudida” tátil. Conforme mostrado na Figura 8, o controle remoto tem vários botões e um botão de quatro direções. Esses botões são usados ​​de várias maneiras, dependendo do jogo.  A Figura 9 mostra a parte traseira do controle remoto, com outro botão e a tampa das pilhas. Figura 9: A parte traseira do controle remoto Conforme mostrado na Figura 10, na parte inferior do controle remoto há uma porta de expansão para acessórios, como o nunchuck e o adaptador Wii MotionPlus. Figura 10: A parte inferior do controle remoto A Figura 11 mostra o nunchuck acoplado ao controle remoto. Nos jogos que o utilizam, mantenha o controle remoto em uma mão e o nunchuck na outra para obter mais funcionalidades. Figura 11: O nunchuck acoplado ao controle remoto   Conforme mostrado na Figura 12, o nunchuck tem um direcional analógico de um lado e dois botões de disparo no outro. Seu formato se encaixa confortavelmente na mão e é usado para jogos como boxe. Figura 12: O nunchuck O sistema Wii permite o uso de até quatro controles remotos e nunchucks ao mesmo tempo, mas o console inclui só um de cada. Outros devem ser adquiridos separadamente. O Wii vem com o Wii Sports, um jogo de esportes simples, que inclui beisebol, tênis, golfe, boliche e boxe. Você pode jogar os jogos sozinho ou, se comprar controles remotos adicionais, com dois a quatro jogadores ao mesmo tempo, dependendo do jogo. Os jogos são divertidos e viciantes. Eles fazem você ficar na frente da televisão e se balançar, arremessar e golpear. Conforme mostrado na Figura 13, você também pode adquirir um pacote opcional de esportes para que o controle remoto seja um bastão, raquete ou taco de golfe ainda melhor. Mesmo sem isso, os jogos de esportes do Wii são realistas e bacanas. Figura 13: Pacote opcional de esportes O Wii tem muitos jogos disponíveis. Há muitos jogos em mídia física, incluindo jogos com os personagens clássicos da Nintendo como Mario e Zelda. Você também pode comprar pontos Wii para comprar jogos online. Quando o menu do Wii é exibido, você navega usando o controle remoto do Wii. Há uma série de páginas chamadas Wii Channels. Entre os canais padrão do Wii há um canal de clima, um canal de notícias, um canal de mensagens, um canal de fotografia e um canal Mii.  Os quatro primeiros estão disponíveis somente se o seu Wii estiver online. O canal Mii está disponível para todos. Um Mii é um avatar bonitinho usado em jogos de Wii. No canal Mii você pode personalizar seu Mii para parecer com você ou qualquer personagem que você imaginar. O Wii oferece a possibilidade de jogar online com seus amigos, mas as opções da comunidade online e dos jogos são meio cansativas em comparação com a facilidade de jogar online oferecida por outros videogames, como o Xbox ou o PS3. Há também um canal de Internet que usa uma versão especial do Opera, que é gratuito para baixar. Ao navegar usando o Wii, você pode digitar URLs com o Wiimote e o teclado na tela do Wii. As páginas da Web carregam bem e é fácil ampliá-las para uma leitura mais confortável. O Wii agora oferece suporte a um teclado USB, o que torna a navegação na Web ainda mais fácil.  Novos canais são adicionados constantemente. O Wii Virtual Console é usado para oferecer conteúdo online. Ele apresenta jogos clássicos originalmente disponíveis em sistemas como o Nintendo 64 e Sega Genesis. Atualmente há mais de 100 jogos disponíveis e novos jogos são adicionados constantemente. Esses jogos são pagos em pontos Wii e cada ponto equivale a uma moeda de um centavo de dólar. Você pode comprar pontos na Nintendo online. A Nintendo usa um sistema parecido nos seus jogos de DS e, infelizmente, os pontos são separados. Os pontos Wii podem ser usados apenas pro Wii e pontos DS separados têm que ser comprados para os jogos de Nintendo DS. Comprar pontos e baixar programas é rápido e fácil. Os gráficos do Wii são simplistas e meio artificiais se comparados com o realismo e a qualidade da apresentação gráfica oferecida pelo Xbox e pelo PS3. Mesmo assim, jogar é tão divertido que, depois de se envolver com um jogo, você achará os gráficos verossímeis e divertidos. O Wii não se compara ao PS3 ou ao Xbox 360 em poder de computação e não oferece um leitor de DVD ou Blu-Ray. Essa falta será inaceitável para alguns usuários. Algo a se observar no Wii é que é específico de um local. Portanto, um jogo de Wii comprado nos EUA não pode ser jogado em um Wii comprado no Brasil, na Inglaterra, na Suécia, etc. Nós não vemos necessidade disso e desejamos que a Nintendo remova essa restrição ridícula. As principais especificações do Nintendo Wii são: Processador principal: IBM "Broadway" (baseado em PowerPC) a 729 MHz.Processador gráfico: AMD/ATI "Hollywood" a 243 MHz.Memória de vídeo: Total de 88 MB, 24 MB de RAM estática integrada no GPU mais 64 MB de memória DDR3 na placa-mãe.Memória principal: Memória flash de 512 MBSlot de expansão: Slot para cartão SDConectividade: Bluetooth, Wi-Fi e USBPortas USB: 3Unidade ótica: Disco de Wii de 12 cm e disco de GameCube de 8 cm. Sem suporte para DVD ou Blu-RayResolução compatível: Até 480 pMais informações: http://www.nintendo.com Preço médio nos EUA*: US$ 200,00* Pesquisado na Best Buy no dia da publicação deste teste.     O Wii é um videogame para todo mundo. Embora o PS3 e o Xbox 360 sejam dispositivos amados por muitos jogadores ávidos, o Wii será amado por toda a família. O escopo dos jogos vai além dos jogos de tiro, incluindo jogos que podem ser usufruídos por todos. Já vimos uma criança de quatro anos se divertindo no Wii tanto quanto sua bisavó de 86 anos.   Embora o Wii não tenha gráficos sofisticados, os recursos de mídia e o DVD/Blu-Ray do Xbox 360 ou do PS3, seus controles remotos sensíveis ao movimento exclusivos e movimentos de jogo oferecem uma experiência de jogo diferenciada, igualmente sofisticada de outra maneira. A US$ 200 (nos EUA), é acessível e traz horas de diversão.   Pontos Fortes   Diversão para toda a famíliaIncríveis controles remotos sensíveis ao movimentoWi-Fi internoCompatível com jogos do GameCubeJogos vintage disponíveisSlot SD interno para armazenamento e exibição de fotosInclui jogos Wii SportsAcessível  Pontos Fracos   Os jogos têm restrição de localA Internet com fio exige um adaptadorOs jogos e comunidades online são um pouco difíceis de configurar e usarWiimotes e nunchucks adicionais devem ser comprados separadamenteOs gráficos e som não são tão avançados quanto os dos outros consolesNão reproduz CDs, DVDs ou Blu-Ray
  13. Teste da Câmera Digital Kodak EasyShare M580

    As câmeras automáticas baratas atualmente apresentam muitos recursos. Os fabricantes estão lutando para levar mais funcionalidades ao usuário, como smart capture, reconhecimento facial e gravação de vídeo em HD, e ainda manter as câmaras fáceis de usar. A Kodak tem tanta experiência nessa área que estávamos animados para examinar uma de suas câmeras digitais EasyShare, a M580. Essa câmera foi desenvolvida não somente para ser fácil de operar, mas para tornar extremamente simples o compartilhamento de imagens e vídeos. A Kodak M580 vem em uma caixa simples nas tradicionais cores da Kodak, amarelo vivo e preto, conforme mostrado na Figura 1. Figura 1: A M580 na caixa O conteúdo da caixa, mostrado na Figura 2, inclui a câmera, um cabo de alimentação USB e de conexão com o computador, e um adaptador de tomada para o cabo. Há também um pequeno Guia do usuário e um folheto informando que o software será instalado automaticamente ao conectar a câmera ao computador. Um toque interessante é que o cabo e o plugue são marcados com a palavra "Kodak". Qualquer pessoa que já teve dificuldades em encontrar o cabo adequado para um dispositivo como esse gostará desse pequeno, porém irão apreciar este pequeno, mas bem-pensado detalhe. Também gostamos de não haver um pacote extra de carregamento. O cabo pode ser usado para conectar a câmera a um computador ou, acoplado ao plugue de parede, carregar a câmera de uma tomada. Figura 2: Dentro da caixa Conforme mostrado na Figura 2, a câmera da Kodak é uma câmera de bolso retangular típica, que mede 10,8 x 5,95 x 2,56 cm e pesa somente 150 g. A M580 está disponível nas cores prata, azul claro, marrom, roxo ou rosa. A cor rosa é muito brilhante, mas a câmera roxa que analisamos era mais escura, e muitas vezes parecia mais cinza do que roxa. O corpo da M580 é feito principalmente de metal, o que dá à câmera uma aparência robusta. Há vários efeitos estilosos que a diferenciam das outras câmeras deste tamanho e formato. É fácil perceber isso em detalhes como o formato incomum do flash na parte frontal da câmera. A Figura 3 mostra a parte frontal da M580. À esquerda está o flash estiloso. Ao lado, há a pequena luz do disparador automático/vídeo/luz auxiliar do AF. Sob o flash há uma estreita faixa de borracha elegantemente posicionada, que pode ser usada como um descanso para o dedo indicador, firmando sua mão ao tirar uma foto. Grande parte da frente da câmera é ocupada pela lente retrátil, que apresenta uma tampa mecânica interna da lente. A lente tem um zoom ótico 8x Schneider-Kreuznach Variogon e um zoom digital 5x. É uma lente grande-angular com uma distância focal de 28-224 mm (equivalente a 35 mm). O orifício do microfone fica no canto inferior direito, ao lado da lente. Figura 3: A parte frontal da câmera A parte traseira da M580, mostrada na Figura 4, ostenta uma tela colorida de LCD de três polegadas. A maioria dos controles da câmera está à direita da tela. Na parte superior está o botão grande angular/telefoto. Abaixo dele ficam, no lado esquerdo, os botões Delete, Menu e Info. À direita há um receptor IR para o uso de um controle remoto opcional. Abaixo desses botões há um painel de navegação de quatro direções com um botão OK no meio. Abaixo dele estão outros dois botões: à esquerda, um botão Review e à direita, um botão vermelho Share. Todos os botões são salientes, têm uma sensação tátil agradável e são de fácil acesso. O botão Menu permite escolher entre Vídeo, Smart Capture, Scenes e Program. O botão de quatro direções é usado para percorrer as opções e, para fazer uma escolha, basta pressionar o botão OK. Os avisos na tela oferecem informações adicionais. Por exemplo, ao escolher o modo Program, a tela informa: "Use para tirar fotos em geral com acesso a todas as configurações de captura". Figura 4: A parte traseira da câmera O visual elegante da M580 continua na parte superior da câmera, conforme mostrado na Figura 5. Ela apresenta quatro botões: Power, Flash, Mode e Shutter. Eles foram claramente criados para oferecer uma apresentação bonita. Infelizmente, essa apresentação afeta gravemente a funcionalidade da câmera. O botão do obturador tem uma ligeira depressão que o torna bastante fácil de encontrar sem olhar, mas os outros botões são irregulares, mal espaçados e não são diferenciados tatilmente. Isso pode tornar difícil encontrá-los sem olhar e igualmente difíceis de pressionar. Durante nosso período de análise, várias vezes quisemos registrar cena de ação e fomos frustrados pela dificuldade em ligar a câmera. Figura 5: Os controles na parte superior As Figuras 6 e 7 mostram as laterais da M580. Na Figura 6, você pode ver as aberturas dos alto-falantes. A Figura 7 mostra uma tampa emborrachada que protege as portas USB e HDMI. Ao lado dela há uma pequena abertura na qual pode ser presa uma alça. Figura 6: Lateral da M580 Figura 7: Lateral da M580 A parte inferior da M580, mostrada na Figura 8, tem uma tampa resistente que cobre o compartimento da bateria e o slot de cartão SD/SDHC. Ao lado dela fica o encaixe para tripé. É importante perceber que a tampa do compartimento da bateria não pode ser aberta quando um tripé está encaixado. Embora isso não seja um problema para a maioria dos usuários, sempre ficamos aborrecidos com esse tipo de coisa. Isso significa que não é possível manter o tripé encaixado e remover o cartão de memória. Se você usar um tripé e quiser remover o cartão de memória para visualização no computador, essa pode ser uma falha de projeto bem chata. Figura 8: Parte inferior da M580 A Kodak M580 tem 14 Mpixels de resolução, um zoom óptico de 8x e uma distância focal de 28-224 mm, o que faz dela uma câmera muito competente. Seu grande sensor CCD de 1/2,3 polegadas oferece excelentes resultados. A reprodução de cores é precisa e muito saturada, mas sem exageros. As fotos são nítidas e claras. Achamos que esta câmera é um pouco mais propensa a borrões por conta de mãos trêmulas do que outras deste tipo, mas não tanto para desanimar o usuário comum. A tecnologia de reconhecimento facial e o modo Smart Capture da câmera são uma alegria quando você não quer brincar com as configurações. Quando você quer, é possível controlar coisas como compensação de exposição e ISO. Estão disponíveis também um modo Burst, um disparador automático e um modo macro, mas não há controle manual sobre a velocidade do obturador ou a abertura. Como outras câmeras semelhantes, a M850 apresenta ruído em ISOs altos, geralmente em fotos com pouca luz. No entanto, com a iluminação adequada, as fotos saem excelentes. O foco automático modo Macro, porém, estava meio fora de sincronia, principalmente nas fotos em ambientes fechados. Então, se você estiver fazendo closes para coisas como um site de leilões, talvez seja bom pesquisar outras câmeras. A tela LCD de três polegadas é clara, mesmo à luz do sol. As instruções na tela são fáceis de entender e muito úteis para você se familiarizar com o modo de funcionamento da câmera. Um exemplo desses avisos é mostrado na Figura 9. Figura 9: Avisos na tela Esta câmara está pronta para tirar sua primeira foto em menos de quatro segundos depois de ligada. O atraso do obturador não é um problema, especialmente se a câmera estiver pré-focada. Ainda assim, tivemos algumas dificuldades em configurar o pré-foco pressionando o disparador até a metade. O problema é que é mais difícil encontrar o ponto médio do que na maioria das outras câmeras automáticas. Tiramos algumas fotos quando só queríamos definir o foco. Embora tenhamos nos acostumado conforme usamos a câmera, isso ainda era um pouco problemático. Os modos Scene apresentam 20 predefinições, incluindo: retrato, paisagem, close, retrato noturno, paisagem noturna, neve, praia, texto, fogos de artifício, flores, museu/etiqueta, autorretrato, ISO alto, crianças, iluminação posterior, panning, luz de velas, por-do-sol, esportes e panorama. A edição interna inclui cortar, copiar e carimbo de data. Você também pode marcar as pessoas, visualizar miniaturas e criar uma apresentação multimídia na própria câmera. Essa câmera grava vídeos em HD a 720p. Conectando-a a uma televisão HD usando a conexão HDMI interna, os vídeos ficaram muito bons. O microfone, no entanto, é um muito sensível. Ele captou ruídos de fundo no vídeo que não eram muito perceptíveis durante a gravação. Embora as especificações não informem isso, obtivemos o melhor vídeo usando um cartão SDHC Classe 6, que é um pouco mais caro do que os cartões Classe 4 mais antigos. Como muitas outras câmeras desse tipo, o zoom não está disponível no modo de vídeo. A M580 tem uma bateria recarregável de íons de lítio de 3,7 V, 740 mAh. A bateria é carregada na própria câmera. Embora isso seja bom para a maioria dos usuários, pode ser problemático para os que gostam de comprar uma segunda bateria para deixar carregando enquanto a câmera estiver em uso. A Kodak afirma que é possível bater 200 fotos com um único carregamento e nossos testes comprovaram isso. Nossa primeira e maior reclamação sobre a câmera é a dificuldade em usar os botões na parte superior da câmera. Como já citamos, esta é uma grande reclamação. Depois de várias semanas usando a câmara, nunca conseguimos superar o problema que tornava difícil ligá-la e desligá-la e achar os botões Flash e Menu. O software da Kodak torna extremamente fácil transferir e compartilhar fotos. O software é instalado automaticamente na primeira vez em que a câmera é conectada ao computador. O software EasyShare permite carregar imagens para o computador com rapidez e facilidade. Os alertas estão em inglês. Por exemplo, conforme mostrado na Figura 10, depois que as imagens são copiadas para o computador, o software pergunta se você deseja excluí-las da câmera. Assim, é fácil entender exatamente o que você está fazendo. Figura 10: Um alerta típico do software O botão Share permite compartilhar fotos e vídeos em sites de redes sociais como Facebook, Kodak Gallery, Flickr e YouTube. Ele também permite que você envie suas fotos para amigos. Esse recurso funciona muito bem. Você pode escolher as fotos para enviar e inserir o endereço de email do destinatário diretamente na câmera. A foto será enviada automaticamente por meio do software da Kodak na próxima vez em que você conectar a câmera ao computador. Há algumas opções, como a possibilidade de personalizar a mensagem e/ou compactar as imagens. O software EasyShare permite marcar, editar, organizar e imprimir as fotos. Conforme mostrado na Figura 11, ele mantém as fotos em álbuns e oferece ícones fáceis de entender para várias funções. Figura 11: O software da Kodak As principais especificações da câmera digital Kodak EasyShare M580 incluem: Dimensões: 10,8 x 5,95 x 2,56 cmPeso: 150 g sem bateria e cartão de memória14 Mpixels, sensor de imagem CCD de ½,3 polegadasLente com zoom ótico 8x Schneider-Kreuznach Variogon, zoom digital 5x Equivalente a 28-224mm em 35mmLCD de três polegadas, 230.000 pixels Foco automático TTLCompensação da exposição: ±2.0 EV com etapas de 1/3 EVISO: 80, 100, 200, 400, 800, 1000, 1600Memória interna de 64 MBSlot de expansão de cartão SD/SDHCDetecção de rostosReconhecimento facialSmart CapturePictBridge habilitadoModo Burst (três fotos)Tamanhos de imagem: 4288 × 3216, 4288 × 2848, 4288 × 2416, 2880 × 2160, 2048 × 1536, 1920 × 1088 e 1280 × 960Tamanhos de vídeo: 720p (1280 x 720) a 30 FPS ou VGA (640 x 480) a 30 FPSMenu Share: Facebook, YouTube, Flickr, Kodak GalleriesBateria recarregável de íons de lítioMais informações: http://www.kodak.comPreço sugerido nos EUA: US$ 170,00A Kodak EasyShare M580 é mais uma câmera automática de baixo custo e zoom mediano oferecida no mercado. Ela tem um tamanho e peso confortáveis, além de alguns toques de estilo e uma agradável sensação resistente, e também uma boa variedade de recursos. Os recursos smart capture e reconhecimento facial são precisos e fáceis de usar. O software da Kodak também é fácil de usar e torna o compartilhamento de fotos algo simples. A melhor característica desta câmera é a capacidade de fazer fotos e vídeos muito bons. No entanto, tudo isso é atrapalhado pelo design ruim dos botões na parte superior da câmera. Sendo o botão liga/desliga e o botão do obturador especialmente problemáticos, usar a câmera pode ser um pouco complicado. Se você conseguir superar ou ignorar isso, ela pode ser uma boa escolha. Caso contrário, passe essa. Pontos Fortes ResistenteExcelentes imagensBoa distância focalVídeos em 720pÓtima lente com zoom ótico 8xSensor de imagem grande CCD de ½,3 polegadasSoftware fácil de usarBotão ShareDetalhes estilososPontos Fracos Botões de controle em posição estranha na parte superior da câmera, incluindo o botão liga/desligaBotão do obturador temperamentalO foco automático no modo macro não é precisoO microfone capta muito ruído de fundo nos vídeosEncaixe para tripé mal posicionado
  14. Teste da Impressora HP Officejet Pro 8000

    Impressoras a laser são tradicionalmente mais caras para comprar e mais baratas para manter do que as impressoras a jato de tinta. No entanto, a HP agora contraria essa tendência com a Officejet Pro 8000. A HP afirma que, quando usada com cartuchos HP de alta capacidade, essa impressora a jato de tinta Officejet tem um custo por página 50% menor do que as impressoras laser comparáveis ​​e seu preço é somente US$ 179, nos EUA. Sendo assim resolvemos ver se esta impressora a jato de tinta corresponde à campanha publicitária e se realmente vale o preço. Conforme esperado, a HP Officejet Pro 8000 vem em uma caixa grande, mostrada na Figura 1. Figura 1: A caixa Na caixa encontra-se a impressora. Ela é mostrada na Figura 2 com a bandeja de papel estendida. Também estão incluídos o duplexador, o cabo de alimentação, o cabo USB, o Guia de início rápido, um pequeno manual e o software, mostrados na Figura 3. Figura 2: A HP Officejet Pro 8000 com a bandeja estendida Figura 3: O conteúdo da caixa Também estão incluídos quatro cartuchos de tinta e duas cabeças de impressão, mostrados na Figura 4. Figura 4: Cartuchos de tinta e cabeças de impressão A impressora em si é um dispositivo de dois tons com uma base branca e grandes partes com detalhes em preto. É feita de plástico grosso, que dá a ela uma aparência robusta. As linhas são curvas, que também oferecem um belo efeito visual. No entanto, as duas cores diferentes acentuam o fato de que a impressora é muito grande. Conforme mostrado na Figura 2, a impressora mede 61 cm de profundidade com a bandeja de papel frontal estendida e o duplexador na parte traseira. Ela tem 49,5 cm de largura. Então, sua primeira tarefa será conferir se você tem espaço para ela. A instalação da impressora foi fácil e as instruções são boas. As cabeças de impressão são um pouco difíceis de instalar, já que é necessário aplicar um pouco mais de pressão do que o esperado para encaixá-las. Essa HP usa um sistema que permite que cada cabeça de impressão lide com duas das quatro cores de tinta. Portanto, há uma cabeça de impressão para o preto e o amarelo e uma para o ciano e o magenta. Depois que as cabeças de impressão são instaladas, é hora de instalar os cartuchos de tinta. Os cartuchos são de um novo estilo, mostrado na Figura 5. Figura 5: Cartucho de tinta Os cartuchos de tinta vêm em uma bandeja de plástico reciclável e não há peças de plástico ou fita adesiva para remover, o que é ótimo. Como pode ser visto na Figura 5, os cartuchos têm sulcos nas laterais que facilitam a instalação. O slide cartuchos se encaixam facilmente e não há como colocá-los de cabeça para baixo. Os cartuchos de tinta são colocados em um pequeno painel do lado esquerdo da parte frontal, mostrada na Figura 6. Figura 6: A área dos cartuchos de tinta Infelizmente, uma das maiores desvantagens das impressoras HP em geral é a instalação demorada. Esta impressora não é diferente. Depois de instalar as cabeças de impressão e cartuchos de tinta e ligar a impressora, há um processo de instalação perturbador que leva um total de 20 minutos. Durante esse tempo, a impressora range, chia e estala. Antes disso tudo começar, é impressa uma página que diz exatamente o que você pode ouvir e quanto tempo vai durar, mas mesmo com o aviso, esses 20 minutos podem ser enervantes. Além dos 20 minutos de rangidos, a instalação do software pode facilmente levar mais 15 minutos. O 8000 vem com uma boa porção de softwares úteis, incluindo: HP Photosmart Create: para criar cartazes/banners/álbuns de fotos, estampas decalcáveis, etcHP Photosmart Print: oferece opções adicionais de impressãoHP Photosmart Share: permite usar facilmente os serviços de fotos online da HP (Snapfish, álbuns online, etc)HP Photosmart Studio: ferramentas simples de organização e ediçãoHP Photosmart Stitch: permite criar imagens panorâmicas a partir de várias imagensVocê também pode instalar somente o driver de impressão e os utilitários básicos, caso não se interesse nos softwares. Os utilitários básicos incluem o HP Printer Utility, utilizado para diagnóstico, limpeza de cabeças de impressão, alinhamento e calibragem. É fácil de usar e funciona muito bem. Se você desejar usar a configuração sem fio, será necessário ainda conectar a impressora ao computador com um cabo USB. Felizmente, o cabo USB está incluído. Também felizmente, a configuração sem fio foi rápida e sem problemas em todos os computadores que testamos. O painel de controle da Officejet Pro, mostrado na Figura 7, é bastante simples. Figura 7: O painel de controle Há quatro indicadores luminosos do lado esquerdo que informam o estado dos cartuchos de tinta. À direita há três botões alongados: um da rede sem fio, um para cancelar as tarefas de impressão e o terceiro para a alimentação de papel. O botão de rede liga e desliga a rede sem fio se você pressioná-lo e segurá-lo. Se ele for pressionado rapidamente, imprime as configurações de rede. Uma luz azul acima do botão de rede indica o estado da conexão sem fio, ligado ou desligado. Adoramos ter um botão de cancelamento de tarefa de impressão, que economiza papel e frustração ao iniciar acidentalmente um trabalho grande de impressão. O único outro botão é o botão redondo liga/desliga. Na parte frontal da impressora, mostrada na Figura 8, fica a bandeja de entrada para 250 folhas, fica abaixo da área de saída para 150 folhas. Uma bandeja de plástico preto grosso cobre a bandeja de entrada e é a área na qual se apóia a saída de papel. Para colocar essa bandeja na posição adequada, você deve incliná-la para baixo na parte traseira para encaixá-la nas travas salientes, mostradas na Figura 9, antes de soltá-la. A bandeja pode cair durante a impressão se você simplesmente colocá-la em cima da bandeja de entrada. Isso aconteceu conosco durante os testes e a bandeja quebrou, tornando-se inutilizável. Figura 8: A área de entrada e de saída Figura 9: A parte superior da bandeja de papel A Figura 10, mostra o duplexador saliente na parte traseira da impressora. Mostra também o conector USB, a conexão Ethernet e o plugue da fonte de alimentação externa. Figura 10: A parte traseira da impressora A Officejet Pro 8000 tem uma velocidade excelente para uma impressora a jato de tinta. Ela imprime um máximo de 35 páginas por minuto em preto e 34 páginas por minuto em cores. Apesar de algumas impressoras apresentarem atrasos quando usadas em uma rede sem fio, esta impressora foi quase tão rápida usando uma rede sem fio quanto usando uma rede cabeada. O texto ficou nítido e claro. Imagens coloridas ficaram muito boas, apesar de um pouco mais escuras do que gostaríamos. A tinta HP usada na impressora definitivamente é à prova d’água. Imprimimos alguns folhetos em papel comum e os deixamos debaixo de chuva. No dia seguinte, o papel estava completamente saturado de água, mas os folhetos estavam perfeitamente legíveis e sem nenhum tipo de sangria. O ciclo de trabalho de 15.000 páginas a torna uma boa impressora para pequenos escritórios. Considerando a alegação da HP sobre seu custo razoável de consumo, achamos que é verdadeira. Os cartuchos de impressão padrão custam US$ 25,99 (nos EUA) no caso do preto, que dura 1.000 páginas (cerca de 2,6 centavos por página). Os cartuchos ciano, magenta ou amarelo duram 900 páginas cada um, a um custo de US$ 19,99 (nos EUA) cada (cerca de 2,2 centavos por cor por página). Os cartuchos de alto rendimento são ainda mais econômicos. O cartucho de alto rendimento de tinta preta, que dura 2.200 páginas em preto custa US$ 35,99 (nos EUA; cerca de 1,6 centavos por página) e cada cor, que dura 1.400 páginas, custa US$ 25,99 (nos EUA; cerca de 1,9 centavos por cor por página). É uma comparação favorável em relação a impressoras a laser coloridas. (Geralmente, supõe-se uma cobertura de 5% nas avaliações de rendimento por página.) O duplexador é outra maneira de economizar dinheiro e também salvar algumas árvores. Em nossos testes ele funcionou perfeitamente. Por falar em salvar árvores, a 8000 tem o selo ENERGY STAR e a HP alega que ela usa até 50% menos energia do que impressoras laser em cores. A HP também merece os parabéns por promover a reciclagem de cartuchos de toner e da própria impressora por meio do seu programa de reciclagem “HP Planet Partners”. Algo que não gostamos na Officejet é que os trabalhos de impressão são um pouco lentos para iniciar e, ao iniciar, muitas vezes ouvimos aqueles ruídos preocupantes que surgiram durante a inicialização da impressora. Uma coisa da qual gostamos é que esta impressora é compatível com o aplicativo de foto gratuito HP iPrint na loja iTunes. Com esse aplicativo, é possível imprimir fotos do seu iPhone. As principais especificações da impressora a jato de tinta HP Officejet são: Dimensões do produto: 49,4 x 47,9 x 18,0 cm (L x P x A) com o duplexadorPeso do produto: 7,8 kg com o duplexador instaladoTecnologia de impressão: HP Thermal InkjetResolução de impressão, preto: Até 1200 x 1200 dpiResolução de impressão, cores: Até 4800 x 1200 dpiVelocidade de impressão: Até 15 ppm (preto) ou até 11 ppm (cores)Velocidades máximas de impressão: 35 ppm preto, 34 ppm coresCapacidade de impressão sem bordas: Sim (até 210 x 297 mm)Capacidade de impressão direta: NãoTipo de tinta: Baseada em pigmentoLinguagens de impressão: HP PCL 3 GUI Padrão, HP PCL 3 AprimoradoCapacidade de rede: Ethernet padrão internaCapacidade de rede sem fio: Tecnologia sem fio: 802.11b/gMídia de tipos de papel (folheto, jato de tinta, normal), foto, envelopes, cartões (índice), transparênciasTamanhos de mídia compatíveis: Carta; ofício; statement; executivo; 7,6 x 12,7 cm; 10,2 x 15,2 in; 12,7 x 17,8 cm; 12,7 x 20,3 cm; 10,2 x 25,4 cm; 10,2 x 27,9 cm; 12,7 x 30,5 cm; 17,8 x 20,3 cm; envelopes (Nº. 10, Monarch, DL)Peso da mídia suportada: Bandeja 1: 7,25 a 12,7 kg (mídia comum), 7,25 a 30 kg (mídia especial), até 49 kg índice (cartões); Recomendado: 9 a 11 kgEntrada de papel: Bandeja de entrada para 250 folhas, segunda bandeja de entrada para 250 folhas opcionalEntrada: Até 250 folhas carta/ofício, até 55 folhas, fotos 10x15 cm, até 55 cartões, até 20 envelopes; até 500 folhasSaída: Bandeja de saída para 150 folhas, até 150 folhas carta/ofício, até 60 transparências, até 60 cartões, até 15 envelopesMemória: 32 MBVelocidade do processador: 384 MHzCiclo de trabalho: Até 15.000 páginas (mentalmente, carta)Mais informações: http://www.hp.comPreço sugerido nos EUA: US$ 179,99 (US$ 129,99 depois do abatimento).A excelente qualidade de impressão, a boa conectividade sem fio, o ciclo de trabalho robusto, os baixos custos de impressão e do duplexador tornam a Officejet uma excelente impressora para um usuário avançado, em casa ou no escritório. No entanto, você tem que estar disposto a enfrentar a longa instalação, os ruídos ocasionais e o fato de que a tampa da bandeja de impressão deve ser cuidadosamente encaixada na impressora. A HP tem razão em afirmar que esta é uma opção melhor do que uma impressora laser colorida, desde que você aceite que ela é muito grande e apresenta alguns problemas. Pontos Fortes Ótima qualidade do textoA configuração sem fio é rápida e fácilExcelente design do cartucho de tintaImpressão rápidaBoa conectividadeBom duplexadorTinta a preço acessívelTinta à prova d’águaCompatível com o aplicativo do iTunes HP iPhotoPontos Fracos Muito grandeA instalação é demoradaO encaixe da tampa da bandeja tem que ser precisaFaz muito ruído
  15. Antigamente, projetores eram dispositivos pesados e tão grandes que tinham que ser carregados em carrinhos de mão. Além disso, era necessário carregar também um monte de adaptadores e acessórios. Pra piorar, eles só funcionavam em uma sala escura. Como os tempos mudaram! O novo Epson PowerLite Presenter é leve e portátil. Ele inclui praticamente tudo o que você precisa, até alto-falantes e um DVD player. Ele tem potência de 2.500 lumens, então pode ser usado em qualquer lugar. Ficamos animados para testá-lo. O Epson PowerLite Presenter vem em uma caixa de papelão simples, conforme mostrado na Figura 1. Figura 1: A caixa do Presenter Dentro da caixa estão o projetor, em um estojo de tecido preto com um cabo de alimentação, um cabo VGA para computador e um controle remoto branco, mostrados na Figura 2. Também estão incluídas pilhas para o controle remoto. Figura 2: O projetor e os acessórios Também estão incluídos e mostrados na Figura 3 o manual do usuário em CD, um guia de instalação rápida e uma placa de suporte PrivateLine. Figura 3: Os diversos materiais de suporte Medindo 23,9 x 33,5 x 12,7 cm e pesando 4,3 kg, o Epson PowerLite, mostrado na Figura 4, pode não ser o menor projetor no mercado, mas é extremamente portátil, além de bonito. Figura 4: O Epson PowerLite Presenter O Presenter tem até uma alça lateral para facilitar o transporte, conforme mostrado na Figura 5. O estojo de tecido preto macio envolve a alça para que ela possa ser usada de maneira protegida. Mostrado na Figura 6. Na Figura 5, você também pode ver o local do cabo de segurança. Figura 5: A lateral PowerLite Presenter Figura 6: A alça coberta pelo estojo A parte frontal do Presenter, mostrada na Figura 7, tem um slot interno para inserção de DVDs, muito útil para apresentações. Ao lado do slot fica o botão para ejetar DVDs. Na parte frontal, há a porta de fone de ouvido padrão e a tampa de proteção que se fecha sobre a lente. Essa tampa tem que ser aberta e fechada manualmente. Figura 7: A parte frontal do Presenter Os pés ajustáveis do projetor, que ficam na parte inferior, podem ser vistos na Figura 8. Figura 8: A parte inferior do Presenter Configurar o PowerLite Presenter é bastante fácil. Todas as portas ficam na parte traseira do Presenter, conforme mostrado na Figura 9. Há uma porta HDMI do lado esquerdo. Ao lado dela fica uma porta VGA para computador. As portas de vídeo e áudio compostas e de componente estão logo ao lado. No lado direito há uma porta USB (tipo B). Abaixo dessas portas, há alto-falantes de 2-10 watts contornando a entrada do microfone, o conector de alimentação, uma saída de áudio digital e uma porta USB tipo A. A porta USB tipo B é usada para uma conexão instantânea com um PC. A porta USB tipo A pode ser usada para inserir uma memória USB, proporcionando apresentações sem a necessidade de um computador. Figura 9: A parte traseira do Presenter Basta seguir três etapas para fazer o projetor trabalhar com o micro. Conecte o PC ao projetor usando a saída de vídeo do computador, transfira o vídeo para a porta de vídeo externa (geralmente usando uma combinação de teclas em laptops) e escolha a fonte no projetor. Na verdade, o projetor pode encontrar a fonte automaticamente, mas em algumas circunstâncias tínhamos que pressionar o botão SearchSource na parte superior do dispositivo. Conectar o computador via USB também é fácil. O projetor instalará automaticamente o software necessário para a conexão USB (ele vem no projetor). Você só precisa responder a algumas perguntas na tela. Saiba, porém, que pode ser necessário ter um pouco de paciência. Pode levar algum tempo para que o software inicie a instalação. Em um notebook usando Windows Vista, levou cerca de quatro minutos. No entanto, em um computador XP mais antigo, levou mais de dez minutos, durante os quais você fica se perguntando o que fez de errado. Nosso problema não foi tanto com a demora na instalação, mas sim que não há alertas ou janelas que indicassem que alguma coisa estava acontecendo. Além disso, embora o software USB funcione em PCs, não está disponível para Mac. Você também pode usar a porta HDMI do projetor para ligar outras fontes de vídeo e áudio, como um Xbox, um PS3 ou um Wii. Quase todos os controles do projetor estão em sua parte superior, conforme mostrado na Figura 10: um botão liga/desliga, um botão de busca de fonte, um botão play/pause e um botão stop. Ao lado deles estão os controles de volume. À direita há um controlador de escolhas de quatro direções com um botão Enter no meio. Acima do controlador ficam os botões de configuração e menu. Abaixo ficam os botões de configuração visual e retorno. Figura 10: A parte superior do dispositivo O projetor vem com um controle remoto, mostrado na Figura 11. Todas as funções disponíveis na parte superior do dispositivo e algumas outras estão disponíveis no controle remoto. Conforme mostrado na Figura 11, o controle remoto tem vários controles úteis, como volume, correção de efeito trapézio e outros. Ele tem até mesmo um botão de legenda para controlar o decodificador de closed caption interno. Figura 11: O controle remoto Infelizmente, não é possível controlar o mouse do controle remoto, então é necessário usar os controles do notebook ou um mouse sem fio ou substituto para fazer isso. Depois que a imagem desejada for exibida pelo projetor, basta ajustar os anéis de zoom e foco, mostrados na Figura 12. Ambos funcionam sem problemas e é fácil fazer os ajustes necessários. Figura 12: Os anéis de zoom e foco Em nossos testes, a conexão HDMI e/ou VGA do computador ofereceu excelentes resultados. Embora a conexão USB tenha sido adequada, era um pouco lenta e instável. A beleza deste projetor está nas muitas opções de conexão. Além de conexões USB, HDMI e VGA, há também conexões compostas e de componente. Ele é tão versátil que talvez você nem precise de um computador. Você pode colocar a sua apresentação em uma memória USB. O projetor é compatível com vários formatos, incluindo JPG, MP3, WMA, DivX e MPEG. O mais animador é a capacidade de colocar uma apresentação em um DVD que pode ser inserido diretamente no projetor sem a necessidade de um PC. Este projetor pode reproduzir CDs de música e áudio em dispositivos USB, e você pode salvar suas apresentações de PowerPoint como JPGs e reproduzi-las de uma memória USB. Quer você use uma tela de projeção ou uma parede clara, o PowerLite Presenter oferece excelente qualidade de vídeo e apresentações. Ele pode exibir uma imagem de 33" a 320" de uma distância de 3’ a 35,7’, respectivamente, o que torna possível exibir imagens grandes a uma pequena distância. A tecnologia 3LCD da Epson usa três chips de imagem separados para utilizar a luz de maneira mais eficiente e produzir imagens coloridas. Este projetor faz jus às promessas de qualidade de imagem surpreendente da Epson, já que proporciona excelentes cores e detalhes. O PowerLite Presenter tem uma resolução nativa WXGA (1280 x 800 pixels) e uma taxa de proporção de 16:10. Ele também manipula taxas de proporção de 4:3 e 16:9 e dimensiona resoluções de VGA a WSXGA + (1680 x 1050 pixels). Assim, mesmo a exibição de computadores com telas widescreen e DVDs é boa. Apresentando uma saída de brilho máxima de 2.500 lumens, o Epson PowerLite Presenter produz imagens brilhantes que podem ser vistas em uma sala com iluminação normal, tornando-o adequado para salas de aula, salas de conferências ou residências. É importante observar que a Epson mede a saída de luz branca de acordo com a norma ISO 21118, que é mais rígida do que a classificação de lumens ANSI usada por alguns produtos similares. O Auto Color Mode seleciona a melhor configuração, com base na luz ambiente, e ajusta as configurações de imagem para oferecer a melhor experiência de visualização. Em nossos testes, funcionou muito bem. A lâmpada E-TORL da Epson não só oferece o brilho adequado, como também economiza energia. Qualquer pessoa que usa projetores regularmente conhece o trabalho de ter que substituir lâmpadas caras de projetor. Segundo a Epson, a vida útil da lâmpada do Presenter é de até 5.000 horas, o que pode reduzir a frequência com a qual o usuário final tem que lidar com isso. Como a maioria dos projetores oferece um som mediano, a qualidade do som deste projetor Epson nos impressionou de verdade. Os dois alto-falantes internos de 10 Watts e o som surround virtual são tão altos quanto a maioria das televisões. É possível também conectar um microfone no projetor durante uma apresentação para amplificar sua voz, sem a necessidade de um sistema especial de áudio. A parte superior e lateral do PowerLite Presenter esquentam, mas ele funcionou por várias horas sem superaquecer. O ventilador faz pouco ruído, mas certamente não é totalmente silencioso. Há opções de suporte personalizadas disponíveis para uso profissional e acadêmico. Todas são generosas e incluem uma garantia de dois ou três anos, assistência permanente e disponibilidade da Epson PrivateLine. O PowerLite Presenter vem com um cartão PrivateLine. Nos EUA, ele oferece um número de telefone gratuito para obter assistência. Liguei para esse número várias vezes e constatei que o serviço é rápido e certeiro. A única ressalva é que é necessário registrar o produto para utilizar o número especial e isso não é explicado na documentação que acompanha o projetor. As principais especificações do projetor/DVD player Epson PowerLite Presenter são: Dimensões, incluindo as bases: 33,5 x 23,8 x 13,7 cmDimensões, sem as bases: 33,5 x 23,8 x 12,7 cmPeso: 4.3 kgSistema de projeção: Mecanismo ótimo Epson 3LCD de três chipsMétodo de projeção: FrontalMétodo de projeção: TFT de matriz ativa Epson Poly-siliconNúmero de pixels: 1.024,000 pontos (1280 x 800)Saída de luz branca: 2.500 lumens (Padrão ISO 21118)Saída de luz colorida: 2.500 lumensTaxa de proporção: 16:10Resolução nativa: 1280 x 800 (WXGA)Redimensionamento: 640 x 480 (VGA), 800 x 600 (SVGA), 1024 x 768 (XGA), 1152 x 864 (SXGA), 1280 x 960 (SXGA2), 1280 x 1024 (SXGA3), 1280 x 768 (WXGA60-1), 1360 x 768 (WXGA60-2), 1440 x 900 (WXGA+), 1400 x 1050 (SXGA+), 1600 x 1200 (UXGA), 1680 x 1050 (WSXGA+)Tipo de lâmpada: E-TOR 200 W UHEVida útil da lâmpada: Até 5.000 horas (modo ECO) ou até 4.000 horas (modo normal)Faixa de proporção de alcance: 1.30 – 1.56 (16:10), 1.56 – 1.87 (4:3)Tamanho (distância projetada): 0,84 m - 8 mProporção de contraste: Até 3000:1Reprodução de cores: 16,77 milhões de coresNúmero focal: 1.58 – 1.72Distância focal: 16,9 mm – 20,28 mmProporção de zoom: Zoom ótico 1.0 – 1.2Sinal de entrada: NTSC, NTSC4.43, PAL, M-PAL, N-PAL, PAL60, SECAMAlto-falante: Dois de 10 W (estéreo)Temperatura de operação: 5 a 35° CVoltagem da fonte de alimentação: 100 – 240 V ±10%, 50/60 HzConsumo de energia: 310 W (modo normal), 0,3 W (standby)Ruído do ventilador: 29 dB (modo ECO) ou 33 dB (modo normal)Garantia: Dois anos para o projetor e 90 dias para a lâmpada, nos EUAMais informações: http://www.epson.comPreço sugerido nos EUA: US$ 900,00Os projetores evoluíram bastante nos últimos anos e a Epson demonstra essas mudanças em seu PowerLite Presenter de US$ 900. A tecnologia excepcional e a saída de luz poderosa produzem imagens brilhantes. A qualidade do som é incrível. As opções de conectividade são excelentes. O Presenter pode ser conectado a computadores, memórias USB, filmadoras, câmeras digitais e videogames. O DVD player interno é extremamente útil. Tudo no Presenter é fácil de usar. Nós gostamos especialmente de como é fácil alternar as fontes. Metade de sua apresentação pode estar no computador e a outra metade em um DVD, e a apresentação vai ocorrer sem problemas. O projetor PowerLite é perfeito para salas de aula ou de reunião. Embora você provavelmente não o compre para uso doméstico, pode sentir vontade de levá-lo para casa de vez em quando. Pontos Fortes Imagens brilhantes de alta qualidadeDVD player internoWXGA (1.280 por 800)Lê pendrives USBLâmpadas duráveisFácil de usarControlador de closed caption internoVárias entradasSom excelenteAlternância simplificada entre entradasFácil de transportarPontos Fracos Não oferece suporte a USB no MacA configuração USB é demorada e sem notificaçõesO ventilador é um pouco ruidoso

Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×