Ir ao conteúdo
Entre para seguir isso  

Fonte de Alimentação OCZ PowerStream 520 W

       
 113.673 Visualizações    Primeiras Impressões  
 24 comentários

Demos uma olhada aprofundada na fonte de alimentação OCZ PowerStream 520
W. Confira.

Fonte de Alimentação OCZ PowerStream 520 W
Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

Introdução

Normalmente não fazemos testes com fontes de alimentação por um motivo muito simples: não temos uma metodologia adequada para este tipo de testes. A maneira correta de avaliarmos uma fonte de alimentação é criando uma carga de potência no mínimo igual à da fonte, deixando a fonte ligada durante um número determinado de horas para ver se ela "aguenta o tranco", além de durante o período de testes monitorarmos as tensões de saída para vermos se houve alguma variação. Como a fonte ficará ligada durante horas com esta carga, as tensões de saída precisam ser medidas através de um coletor de dados e gravadas em um PC. Um simples voltímetro (ou multímetro) não é capaz de efetuar esta tarefa.

Em nosso laboratório infelizmente não temos como criar uma carga de 520 W para o teste desta fonte, nem tampouco temos um coletor de dados (no caso específico desta fonte da OCZ o caso é ainda mais complicado, pois 520 W é a sua potência combinada: teríamos de ter uma carga de 92 W na linha de 3,3 V, 200W na linha de 5 V e 400 W na linha de 12 V; leia nosso tutorial sobre fontes de alimentação para saber o que é potência combinada).

Vários sites e publicações ditas "especializadas" efetuam testes de fontes usando uma metodologia completamente equivocada, ligando a fonte a um PC e medindo através de um voltímetro (ou multímetro) se há variações de tensão em suas saídas. Há vários problemas com esta metodologia. Primeiro, um PC típico não vai consumir a potência máxima da fonte, em especial das fontes de alta potência, como é o caso deste modelo da OCZ, então não há como avaliar se a fonte realmente consegue fornecer a potência máxima que está rotulada; Segundo, com um voltímetro simples você não consegue coletar dados como, por exemplo, o pico de tensão e corrente que ocorre quando a fonte é ligada; isto só é possível com um osciloscópio digital (ver Figura 2). Terceiro, se você quiser verificar se há variação nas tensões de saída ao longo do tempo, você terá de anotar os valores manualmente. Como a fonte de alimentação tem seis saídas de tensão, há dois problemas: você teria de ter seis voltímetros ligados, um em cada saída (o pessoal normalmente só usa um) e mesmo que você tivesse seis voltímetros ligados ao mesmo tempo, a coleta de dados não seria feita de forma precisa (você não consegue ler e anotar os valores de seis instrumentos exatamente ao mesmo tempo e não há como fazer essa leitura a intervalos regulares). Uma alternativa a este problema seria o uso dos sensores da placa-mãe, usando um software para ler as tensões da fonte ao longo do tempo. Sinceramente nós não confiamos nos sensores da placa-mãe para um teste sério de fontes de alimentação. Quarto, o maior problema das fontes de alimentação não é a existência de variação em suas tensões de saída, mas sim a incapacidade dela fornecer corrente no momento em que o micro precisa. Todo técnico que tem experiência com fontes defeituosas sabe disso: uma fonte defeituosa pode apresentar os valores de tensão certinhos, mas ela pode não estar fornecendo corrente suficiente e, com isso, o micro trava ou reinicia sozinho. A única maneira de medirmos este parâmetro é justamente colocando a fonte para operar em sua carga máxima, onde forçamos a fonte a fornecer suas correntes/potências máximas (lembramos que corrente, tensão e potência estão relacionadas pela fórmula P = V x I, onde P é potência em watts, V é tensão em volts e I é corrente em ampères).

Então temos o dilema: ou criamos uma metodologia de testes para não cometermos os erros que acabamos de descrever, ou testamos fontes de maneira errada como todo mundo faz (sinceramente, tais testes e nada é quase a mesma coisa) ou simplesmente não testamos e não corremos o risco de efetuarmos um teste tecnicamente errôneo.

Pela nossa formação técnica e pelo quilate do nosso site, a hipótese de testarmos fontes de maneira "errada" está fora de cogitação. Preferimos não testar fontes a testá-las de forma equivocada. É por este motivo que nunca testamos fontes aqui. A hipótese de criarmos uma metodologia de testes "correta" é complicada. Criar uma carga real de mais de 500 W é uma tarefa complicada e ter acesso a equipamentos tais como coletor de dados digital, voltímetro digital de vários canais e osciloscópio digital de vários canais está bem fora da nossa realidade. Para você ter uma ideia do que precisamos, veja a Figura 1.


Figura 1: Equipamentos necessários para um correto teste de fontes de alimentação. Coletor de dados, voltímetro digital de múltiplos canais e osciloscópio digital de oito canais.

Para dar um pouco mais de água na boca, na Figura 2 nós mostramos o que acontece quando ligamos o micro e cujo dado é impossível de ser medido com um voltímetro, só mesmo com o aparato mostrado na Figura 1.


Figura 2: Pico que é dado quando a fonte é ligada. Como você pode ver, o pico chega a 15 A!

Tá, só que nós não temos o equipamento mostrado. As fotos nós tiramos no laboratório de testes de fontes de alimentação da Intel nos Estados Unidos, durante o IDF Spring 2004 (fevereiro de 2004). Replicar este laboratório aqui, por conta do alto custo dos equipamentos envolvidos, é complicado.

Existem maneiras de efetuarmos uma metodologia correta gastando menos dinheiro. Uma delas é criarmos apenas uma carga real da potência máxima da fonte, deixar ela ligada por algumas horas e ver se ela "aguenta o tranco", sem a necessidade de monitoramos as tensões com tanta precisão usando os equipamentos da Figura 1. Estamos estudando esta possibilidade e tão logo a gente tenha criado esta metodologia, nós iremos começar a realizar testes "de verdade" com fontes de alimentação. Pedimos somente um pouco de paciência, pois criar uma carga real de mais de 500 W sem risco do nosso laboratório pegar fogo não é tão simples assim.

Desta forma, resolvemos não testar a fonte da OCZ, mas sim apresentarmos somente uma análise do tipo "primeiras impressões". Mas, por conta do nosso conhecimento avançado em eletrônica, resolvemos ir além e desmontamos a fonte e mostramos quais são as diferenças entre este modelo topo de linha da OCZ e modelos mais simples. Como você verá, o projeto de fontes de alimentação é praticamente o mesmo para todas as fontes do mercado. O que muda é a qualidade dos componentes usados e o esmero em determinados detalhes que estaremos enfatizando. Desta forma, nossa análise será uma grande aula sobre como identificar determinadas características presentes somente em fontes de alta qualidade.

Antes de você continuar, é imperativo que você leia nosso tutorial sobre fontes de alimentação, mesmo que você seja um usuário avançado e ache que sabe tudo sobre o assunto, pois lá apresentamos conceitos que poucos usuários conhecem, tais como potência combinada, eficiência e fator de correção de potência.

Compartilhar



  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Artigos similares


Comentários de usuários


Nossa essa fonte tem potência de sobra,muito indicada para overclockers.Tem um visual muito bonito também com um fan verde.Mas olha o preço US$147,00... <_<

Muito bom o review.Espero que as fontes OCZ sejam vendidas no Brasil.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Acho que faltou mostar quais os códigos das meias pontes retificadoras das tensões de 12V, 5V e 3,3V. Com isso um eletrônico mais experiente poderia ver se as correntes citadas são essas descritas na placa de identificação. Em fontes "comuns" por exemplo , o 12 V é mostrado com 18A e a sua ponte é para 16A.

De maneira geral, gostei de como mostraram a fonte, sem ficar inventando coisas. Gostaria também que se possível, fizessem o mesmo teste em uma marca chamada "Seventeam". O preço é bem acessível e diz ser de potência real. A fabricação também é nacional.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Eu uso uma Thermaltake 480W e vale cada centavo! Ela sozinha resolveu o problema de superaquecimento do meu micro ( minha placa-mãe chegava a 55C ) já que esta fornecendo uma "energia mais limpa" e a fonte vem c/ 2 ventiladores ( as marcas "comuns", que eufemismo!, só vem c/ 1) e um exaustor que chega a 3200 rpm e sem ruido.

Minha antiga fonte, uma clone vagabunda de 500W, não dava conta do recado e esquentava o PC quando rodava jogos. O mesmo ocorre c/ um amigo meu q usa um "gabinete de servidor" PC Cheetos que vem c/ fonte "500W".

Aconselho a todos reservar uma grana p/ uma boa fonte ao se pensar em um upgrade ou troca por um PC mais potente. Este artigo prova que estou certo.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

<span style='color:red'>Gostaria de desculpar meu erro. A marca de fontes ATX "SEVENTEAM" é de Taiwam. De qualquer forma, gostaria que o site fizesse o teste. O preço em média desta fonte é de R$ 210,00. </span>

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

O artigo esclarece dúvidas muito importantes pois mostra minuciosamente a diferença entre uma genérica e uma de "marca" , inclusive tem um forte apelo visual , se conseguir uma vou usá-la no PC que estou montando.

Fonte é o componente que já causou a perda de três(3) PCs aqui na empresa.

Estamos usando Seventeam (não me interessa a marca, e sim a qualidade) e não houveram mais problemas .

Que tal fazer os testes na prática com um PC que consuma muita energia ???

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Olá,

Agradecemos as sugestões, os testes com as Seventeam está em nossos planos. Mas como explicamos, somos bastante conservadores em relação a testes de fontes, já que preferimos uma explicação mais aprofundada, como foi o teste desta OCZ, a fazer um teste "de qualquer jeito".

Abraços,

Gabriel Torres

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Aí, se for o caso, e o pessoal do cdh tiver interessado, a partir de março voltarei a ter acesso a laboratórios de ponta, com osciloscópios, espectômetros e outros equipamentos legais, e poderia fazer os testes com fontes.

Como moro no RJ, tb não teria problema em pegar e devolver as fontes a serem testadas.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Isso não é uma fonte, isso é uma Itaipu rsrsrs, mais sem brincadeira, a OCZ é muito boa né, principalmente os filtros, dificilmente passara algum ruido p/ o pc, nota 10 :D

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Pessoal, li todo o artigo ao respeito desta fonte. Só que mais uma vez, esbarro na questão "onde comprar". Eu estou disposto a comprar do melhor para meu PC, so que toda vez desisto de ir atras pela dificuldade, e acabo comprando um produto "comum" e dando uma turbinada (no caso da minha fonte, uma VCOM "500W", com um fan auxiliar de 120mm (pasmem 120mm!!!)que gera um ruído insuportável) e meu case já não tem mais quase nada de original, pois eu já "passei a faca" no bicho todo.

Ao realizarem um teste e fazer um tópico de discussão sobre os resultados dos testes, coloquem indicaçoes de onde comprar. Eu não faço isso porque moro em Natal e aqui você nem sequer encontra placas mãe ABIT (ai os vendedores vêm com aquela velha conversinha "mas olhe, eu tenho aqui uma ASUS. Cê sabe né, ASUS é ASUS...") bah! :muro:

Espero que vocês me entendam, pois estou disposto a pagar caro em troca da qualidade.

[]'s

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

cara, eu já encontrei essa fonte na WAZ, em são paulo, mas não sei se eles tema pronta entrega. MAs vamos conversar né; antes mesmo de voc~e chegar no limite de fontes muito mais simples, com certeza sua mbo irá limitar o overclock (digamos que voc~e teria que ter uma placa-mãe super estável para precisar de uma fonte dessas, que custa em média 600 reais)

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

:(

Olá pessoal...

Estou com um problema grave com varias fontes ...

A configuração do micro é a seguinte:

MB P4S800D-X

Processador Intel Pentium 4 3.00Ghz

02 Memorias Ram DDR 400 MHz 512 MB (Elixir M2U51264DS8HB5G-CL3)

PLACA DE VIDEO R98E-SD3R RADEON 9800 256 mb 148c-AH304BBH.SEA-817D16

(ESTA PLACA RECEBE UM CABO DE ALIMENTAÇÃO DA FONTE)

HD MAXTOR DE 80GB

DRIVE 1.44

GRAVADORA DE DVD LG

FONTE WISE CASE PSEC-450Q ATX (fonte normal de R$50,00)

Já pifaram 3 fontes de diversas marcas, com uma ou duas semanas a fonte simplesmente para de funcionar, o fusivel não abre fica intacto.

Gostaria de alguma sugestão dos srs , sera que pode ser a placa de video que esta consumindo de mais???

Grato

PT2MAF

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Poderiam haver testes com as fontes de baixo custo, mas não aquelas que custam 20 Reais, mas as que custam de uns 70 Reais para cima, que dizem possuir uma boa potência final. Como as Vcom AP450X e AP450DX, alguns modelos da Tandy (um amigo meu tem uma, e parece ser boa). Goldship Gamer, que custa uns 90 Reais e tenho ouvido falar muito mal dela.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Com certeza.. concordo com nosso amigo de cima....

Acho que o Clube do Hardware deveria fazer testes com fontes variando de 50 a 150 reais no máximo.... e não com uma fonte de marca renomada como OCZ e de potencia 500W reais... não adianta nada o teste... quem vai comprar isso? Imagina o preço...

Eu, por exemplo, to procurando uma fonte que varia entre 350 a 420W reais... e não quero gastar mais de 150 reais... será que eu acho alguma? Sei que fonte boa é cara, mas e essas varias marcas que estão no mercado? Sao boas? Qual iria me atender?

Abraços!

Daniel

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Com certeza.. concordo com nosso amigo de cima....

Acho que o Clube do Hardware deveria fazer testes com fontes variando de 50 a 150 reais no máximo.... e não com uma fonte de marca renomada como OCZ e de potencia 500W reais... não adianta nada o teste... quem vai comprar isso? Imagina o preço...

Eu, por exemplo, to procurando uma fonte que varia entre 350 a 420W reais... e não quero gastar mais de 150 reais... será que eu acho alguma? Sei que fonte boa é cara, mas e essas varias marcas que estão no mercado? Sao boas? Qual iria me atender?

Abraços!

Daniel

como as coisas mudam em Daniel

agora com EVGA GeForce 8800GTS 320MB SUPERCLOCKED

e em breve: AOC 37" LCD HDMI 1366x768

pra quem andava xorando por uma fonte de 350 a 420w reais

hauuhauhauhuha

muito bom cara..

abraço!

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

po...falo td, mas nao disse o basico

ela tem bom proveito de energia? tipo, 80%, ou seja, esquenta menos e é mais economica...

se disse eu não "capitei" a mensagem, alguem sabe me dizer?

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

e ae pessoal!?!?!?

será q alguem sabe se existe uma fonte ATX com AC 12V????

ou se tem como eu modificar ATX normal pra ficar com AC 12v?!?!?!?

se aguem souber tem como me dar uma mao!?!?!?

valeu ...!!!

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×