Testamos a 350R (PSN-350S2), mais um modelo de baixo custo da nacional C3Tech. Será que ela é uma boa fonte? Confira. Assim como as demais fontes da C3Tech, a 350R (PSN-350S2) é fabricada pela CWT, usando internamente a mesma arquitetura da PSN455S2 de 430 W. Neste teste veremos qual é a diferença entre as duas.
Figura 1: Fonte de alimentação C3Tech 350R (PSN350S2).
Figura 2: Fonte de alimentação C3Tech 350R (PSN350S2). A C3Tech 350R (PSN-350S2) tem 14 cm de profundidade e usa uma ventoinha de 120 mm em sua parte inferior. Tal como outras fontes de baixo custo, ela é baseada na topologia meia-ponte, sem circuito PFC ativo. Nenhum dos cabos possui proteção de nylon e todos eles usam fios 20 AWG, que são mais finos do que o recomendado. A fonte testada vem com os seguintes cabos e conectores: Cabo principal da placa-mãe com conector de 20/24 pinos (33 cm). Um cabo com um conector ATX12V (34 cm). Um cabo para placas de vídeo com um conector de seis pinos (34 cm). Um cabo com dois conectores de alimentação SATA e um conector de alimentação padrão para periféricos (34 cm até o primeiro conector, 15 cm entre conectores). Um cabo de alimentação para periféricos com dois plugues padrão e um conector para unidades de disquete (34 cm até o primeiro conector, 15 cm entre conectores). A 350R (PSN-350S2) tem menos conectores do que a sua irmã PSN455S2. Sua principal desvantagem aqui é a presença de apenas dois conectores SATA no mesmo cabo, com apenas 15 cm de distância entre eles, dificultando a instalação de uma unidade óptica SATA e de um disco rígido SATA em um mesmo computador, lembrando que atualmente até mesmo micros básicos usam unidades SATA.
Figura 3: Cabos. Vamos agora dar uma olhada no interior desta fonte de alimentação. Nós decidimos desmontar esta fonte de alimentação para vermos qual projeto e componentes foram utilizados. Leia nosso tutorial Anatomia das Fontes de Alimentação Chaveadas para entender como uma fonte de alimentação trabalha internamente e para comparar esta fonte de alimentação com outras. Nesta página teremos uma visão geral, enquanto que nas páginas seguintes discutiremos em detalhes a qualidade e as especificações dos componentes usados. A placa de circuito impresso usada na 350R é a mesma usada na PSN455S2. Nas próximas páginas veremos quais são as diferenças entre as duas.
Figura 4: Visão geral.
Figura 5: Visão geral.
Figura 6: Visão geral. Como mencionamos em outros testes, a primeira coisa que gostamos de ver quando abrimos uma fonte de alimentação para termos uma ideia da sua qualidade é o estágio de filtragem de transientes. Os componentes recomendados para esse estágio são duas bobinas de ferrite, dois capacitores cerâmicos (capacitores Y, normalmente azuis), um capacitor de poliéster metalizado (capacitor X) e um varistor (MOV). Em fontes de alimentação genéricas são usados menos componentes do que o recomendado, normalmente removendo o varistor, que é essencial para eliminar picos de energia provenientes da rede elétrica, e a primeira bobina. A C3Tech 350R (PSN-350S2), assim como a sua irmã PSN455S2, não tem nenhum componente de filtragem. Isso é ruim pois ela não só permite que interferências eletromagnéticas vindas da rede elétrica atinjam a fonte como também permite que a interferência gerada pelo circuito chaveador da fonte se propague pela rede elétrica de sua casa ou escritório. Curiosamente esta fonte tem local para a instalação desses componentes (inclusive varistores), mas foi decisão do fabricante não instalá-los.
Figura 7: Onde seria o estágio de filtragem de transientes. Agora vamos ter uma discussão mais detalhada a respeito dos componentes usados na C3Tech 350R (PSN-350S2). Vamos agora dar uma olhada em profundidade no primário da C3Tech 350R (PSN-350S2). Para uma melhor compreensão do que iremos falar aqui, sugerimos a leitura do nosso tutorial Anatomia das Fontes de Alimentação Chaveadas. Esta fonte usa uma ponte de retificação PBU605, que suporta até 6 A a 100° C. Portanto esta fonte seria em teoria capaz de extrair até  690 W em uma rede elétrica de 115 V; assumindo uma eficiência de 80%, esta ponte permitiria que esta fonte fornecesse até 552 W sem a sua queima. É claro que estamos falando apenas deste componente. Este é exatamente o mesmo componente usado na PSN455S2.
Figura 8: Ponte de retificação. A C3Tech 350R (PSN-350S2) usa dois transistores de potência NPN KSH13009AL em sua seção de chaveamento usando a obsoleta topologia meia-ponte, cada um suportando até 12 A a 25° C em modo contínuo ou até 24 A a 25° C em modo pulsante (infelizmente o fabricante não informa a corrente máxima desses transistores a 100° C). A PSN455S2 usa transistores diferentes, mas com exatamente as mesmas especificações.
Figura 9: Transistores chaveadores (o transistor da esquerda é responsável pela fonte standby/+5VSB). Os transistores chaveadores são controlados por um circuito integrado WT7520, que está fisicamente localizado no secundário.
Figura 10: Controlador PWM. Os capacitores eletrolíticos do dobrador de tensão são da Asia’x e rotulados a 85° C. O primário da 350R é, portanto, idêntico ao primário da PSN455S2. Vamos ver agora o secundário. A C3Tech 350R (PSN-350S2) traz quatro retificadores Schottky em seu secundário. A corrente máxima teórica que cada linha pode fornecer é dada pela fórmula I / (1 - D), onde D é o ciclo de trabalho usado e I é a corrente máxima suportada pelo diodo de retificação. Como esta fonte usa o projeto meia-ponte, o ciclo de trabalho é de 50%, ou seja, basta somar a corrente máxima de todos os diodos de cada saída. A saída de +12 V usa um retificador Schottky SB3045ST, que suporta até 30 A (15 A por diodo interno). Isso nos dá uma corrente máxima teórica de 30 A ou 360 W. A PSN455S2 usa um componente similar aqui. A saída de +5 V é produzida por dois retificadores Schottky MBR3045CT conectados em paralelo, nos dando uma corrente máxima teórica de 60 A ou 300 W. A PSN455S2 usa a mesma configuração aqui. A saída de +3,3 V é produzida por outro retificador desses, nos dando uma potência máxima teórica de 99 W para esta saída. A PSN455S2 usa a mesma configuração. Em outras palavras, a 350R e a PSN455S2 são exatamente a mesma fonte de alimentação!
Figura 11: Retificadores de +3,3 V, de +5 V e de +12 V. O circuito integrado WT7520 apresentado na Figura 10 além de ser o controlador PWM monitora também as saídas da fonte. Ele suporta proteções contra sobretensão (OVP) e subtensão (UVP). Os capacitores do secundário também são da Asia’x. Na Figura 12 você pode ver a etiqueta contendo todas as especificações de potência desta fonte.
Figura 12: Etiqueta da fonte de alimentação. Nesta fonte o fabricante corrigiu a etiqueta, indicando que a fonte tem apenas um barramento – na etiqueta da PSN455S2 o fabricante informava a presença de dois barramentos de +12 V, o que não corresponde à realidade. Vamos agora ver o quanto esta fonte pode realmente fornecer. Nós fizemos vários testes com esta fonte de alimentação, conforme descrito em nosso artigo Nossa Metodologia de Testes de Fontes de Alimentação. Como com fontes de marcas nacionais de baixo custo nunca temos como saber de antemão se elas vão conseguir entregar suas potências rotuladas ou não, nós as testamos de maneira um pouco diferente. Nós vamos aumentando a carga aos poucos, até descobrirmos o máximo que a fonte é capaz de fornecer. Como sempre, nós puxamos sempre mais corrente/potência das saídas de +12 V, pois isso reflete melhor o uso de um computador moderno, visto que o processador e a placa de vídeo são conectados a esta saída. Se você somar todas as potências listadas para cada teste você pode encontrar um valor diferente do que publicamos na linha “Total” abaixo. Como cada saída pode ter uma pequena variação (por exemplo, a saída de +5V trabalhando a 5,10 V) a quantidade total de potência sendo fornecida é um pouco diferente do valor calculado. Na linha “Total” estamos usando a quantidade real de potência sendo fornecida, medida pelo nosso testador de carga. +12VA e +12VB são as entradas independentes de +12 V do nosso testador de carga e como esta fonte só possui um único barramento ambas foram conectadas ao único barramento existente. A entrada +12VB foi ligada ao conector ATX12V enquanto todos os demais conectores foram ligados à entrada +12VA do nosso testador. Entrada Teste 1 Teste 2 Teste 3 Teste 4 +12V1 3 A (36 W) 3,5 A (42 W) 4,5 A (54 W) 5,5 A (66 W) +12V2 2,5 A (30 W) 3,25 A (39 W) 4 A (48 W) 5 A (60 W) +5 V 1 A (5 W) 1 A (5 W) 1,5 A (7,5 A) 1,5 A (7,5 A) +3,3 V 1 A (5 W) 1 A (5 W) 1,5 A (4,95 W) 1,5 A (4,95 W) +5VSB 1 A (5 W) 1 A (5 W) 1 A (5 W) 1 A (5 W) -12 V 0,5 A (6 W) 0,5 A (6 W) 0,5 A (6 W) 0,5 A (6 W) Total 89,8 W 98,6 W 123,2 W 146,2 W % Carga Máx. 25,7% 28,2% 35,2% 41,8% Temp. Ambiente 47,1° C 46,5° C 46,5° C 46,7° C Temp. Fonte 44,9° C 46,3° C 46,6° C 47,1° C Regulação das Tensões Aprovada Aprovada Aprovada Aprovada Oscilação e Ruído Aprovada Aprovada Aprovada Aprovada Potência CA 117,4 W 127,8 W 157,6 W 186,2 W Eficiência 76,5% 77,2% 78,2% 78,5% Tensão CA 115,7 V 115,4 V 115,3 V 115,2 V Fator de Potência 0,640 0,646 0,656 0,665 Resultado Final Aprovada Aprovada Aprovada Aprovada
Entrada Teste 5 Teste 6 Teste 7 Teste 8 +12V1 6,25 A (75 W) 7,5 A (90 W) 8,25 A (99 W) 9,25 A (111 W) +12V2 6 A (72 W) 7 A (84 W) 8 A (96 W) 9 A (108 W) +5 V 2 A (10 W) 2 A (10 W) 2,5 A (12,5 W) 2,5 A (12,5 W) +3,3 V 2 A (6,6 W) 2 A (6,6 W) 2,5 A (8,25 W) 2,5 A (8,25 W) +5VSB 1 A (5 W) 1 A (5 W) 1 A (5 W) 1 A (5 W) -12 V 0,5 A (6 W) 0,5 A (6 W) 0,5 A (6 W) 0,5 A (6 W) Total 170,5 W 196,0 W 220,3 W 243,6 W % Carga Máx. 48,7% 56,0% 62,9% 69,6% Temp. Ambiente 47,3° C 47,3° C 49,0° C 44,6° C Temp. Fonte 47,7° C 47,8° C 49,2° C 45,4° C Regulação das Tensões Aprovada Aprovada Aprovada Aprovada Oscilação e Ruído Aprovada Aprovada Reprovada em -12 V Reprovada em -12 V Potência CA 217,4 W 251,1 W 290,4 W 323,9 W Eficiência 78,4% 78,1% 75,9% 75,2% Tensão CA 115,0 V 114,6 V 114,2 V 114,1 V Fator de Potência 0,671 0,676 0,68 0,683 Resultado Final Aprovada Aprovada Aprovada Aprovada
Entrada Teste 9 Teste 10 Teste 11 Teste 12 +12V1 10 A (120 W) 11 A (132 W) 12 A (144 W) 14 A (168 W) +12V2 10 A (120 W) 11 A (132 W) 11,75 A (141 W) 13,5 A (162 W) +5 V 3 A (15 W) 3 A (15 W) 3,5 A (17,5 W) 3,5 A (17,5 W) +3,3 V 3 A (9,9 W) 3 A (9,9 W) 3,5 A (11,55 W) 3,5 A (11,55 W) +5VSB 1 A (5 W) 1 A (5 W) 1 A (5 W) 1 A (5 W) -12 V 0,5 A (6 W) 0,5 A (6 W) 0,5 A (6 W) 0,5 A (6 W) Total 267,5 W 289,5 W 312,8 W 351,8 W % Carga Máx. 76,4% 82,7% 89,4% 100,5% Temp. Ambiente 43,4° C 43,5° C 47,4° C 45,2° C Temp. Fonte 44,4° C 42,6° C 47,0° C 41,5° C Regulação das Tensões Aprovada Aprovada Aprovada Reprovada em +12VA Oscilação e Ruído Reprovada em -12 V Reprovada em -12 V Reprovada em -12 V Reprovada em +12 V, +5 V, -12 V e +5VSB Potência CA 360,9 W 397,2 W 441,0 W 492,0 W Eficiência 74,1% 72,9% 70,9% 71,5% Tensão CA 113,7 V 113,6 V 112,4 V 112,2 V Fator de Potência 0,686 0,691 0,692 0,694 Resultado Final Aprovada Aprovada Aprovada Reprovada A 350R (PSN-350S2) realmente consegue entregar sua potência rotulada. Curiosamente ela obteve melhor regulação do que a PSN455S2, que internamente é a mesma fonte: na PSN455S2 as saídas de +12 V apresentavam valores abaixo do mínimo permitido quando puxamos mais de 240 W dela. Na 350R este problema só ocorreu quando puxamos 350 W. A eficiência foi baixa o tempo todo, como esperado em um produto baseado na topologia meia-ponte: entre 70,9% e 78,5%, dependendo do padrão de carga. Como comentado, todas as tensões estiveram dentro da faixa permitida, exceto quando puxamos 350 W da fonte testada. A saída -12 V esteve com um nível de ruído acima do permitido a partir do teste oito. Já as demais saídas apresentaram ruído dentro do permitido até o teste 11, saindo da faixa correta apenas quando puxamos 350 W da fonte. Durante o teste 11 os níveis foram os seguintes: 42,4 mV em +12VA, 44,2 mV em +12VB, 30,2 em +5 V, 11,8 mV em +3,3 V, 143,4 mV em -12 V e 23,0 mV em +5VSB. Abaixo você confere os níveis de ruído apresentados durante o teste 12, com a fonte entregando 350 W. O máximo permitido é 120 mV para as saídas +12 V e -12 V e 50 mV para as saídas +3,3 V, +5 V e +5VSB. Todos os valores apresentados são de pico-a-pico.
Figura 13: Nível de ruído na entrada +12VA de nosso testador de carga com a fonte fornecendo 351,8 W (364,0 mV).
Figura 14: Nível de ruído na entrada +12VB de nosso testador de carga com a fonte fornecendo 351,8 W (392,6 mV).
Figura 15: Nível de ruído na entrada de +5 V de nosso testador de carga com a fonte fornecendo 351,8 W (58,4 mV).
Figura 16: Nível de ruído na entrada de +3,3 V de nosso testador de carga com a fonte fornecendo 351,8 W (40,4 mV). As principais características técnicas da C3Tech 350R (PSN-350S2) incluem: Potência nominal rotulada: 350 W contínuo, 375 W de pico. Potência máxima medida: 351,8 W a 45,2° C. Eficiência rotulada: Mínimo de 70%. Eficiência medida: entre 70,9% e 78,5% em 115 V (nominal, ver resultados completos para a tensão realmente usada). PCF ativo: Não. Sistema de cabeamento modular: Não. Conectores de alimentação da placa-mãe: Um conector de 20/24 pinos e um conector ATX12V. Conectores de alimentação da placa de vídeo: Um de seis pinos. Conectores de alimentação SATA: Dois em um cabo. Conectores de alimentação para periféricos: Três em dois cabos. Conectores de alimentação para a unidade de disquete: Um. Proteções: Sobretensão (OVP), sobrecarga de potência (OPP) e curto-circuito (SCP). Proteção contra subtensão (UVP) presente mas não listada pelo fabricante. Garantia: Um ano. Verdadeiro Fabricante: CWT Mais informações: http://www.c3technology.com.br Preço médio no Brasil: Compramos o modelo testado por R$ 91,10. Neste teste descobrimos que a C3Tech 350R (PSN-350S2) e a PSN455S2 são internamente idênticas, a diferença entre as duas fica somente na configuração de cabos disponíveis e na potência que a C3Tech decidiu rotular a fonte. Na realidade, a própria C3Tech informa que o modelo PSN455S2 é de 350 W contínuos em seu site (mas não no produto), mas eles decidiram rotular esta fonte com a sua potência de pico (430 W). Ficamos realmente felizes em ver o fabricante realmente mudar algo após a publicação de nossos testes, e sinceramente esperamos que a C3 Tech daqui por diante passe a rotular todas as suas fontes com as suas verdadeiras potências. Agora o curioso é como a PSN455S2 custa na faixa dos R$ 70 e este novo modelo nós compramos por cerca de R$ 90. Vai entender. Como explicamos, as duas fontes são internamente idênticas, com o novo modelo inclusive tendo menos conectores do que o modelo PSN455S2. Mas como exaustivamente explicamos em nossos testes, entregar a potência rotulada não é tudo. A 350R apresenta obviamente o mesmo desempenho da PSN455S2, com eficiência entre 70,9% e 78,5%. Curiosamente a nova 350R se saiu melhor do que a PSN455S2 nos outros dois quesitos que analisamos: regulação de tensão e oscilação/ruído. Com a PSN455S2 as saídas de +12 V ficaram com tensões abaixo do mínimo permitido quando puxamos mais do que 240 W dela – o que oferece risco de uso –, enquanto que na 350R isso só ocorreu em um único teste, com a fonte entregando 350 W. As saídas positivas também estiveram com níveis de ruído baixos em todos os testes, menos no teste de 350 W. Se você está procurando uma fonte de baixo custo para um PC simples, a nova 350R da C3Tech pode ser uma opção caso você não vá puxar 350 W dela e desde que você não se importe em ter uma conta de energia elétrica um pouco mais alta do que teria se optasse por uma fonte com maior eficiência. Só há agora um errinho para a C3Tech corrigir: na caixa do produto informa que a fonte vem com o novo cabo de força padrão NBR 14136:2002 (três pinos redondos em paralelo), só que a fonte que compramos veio com o tradicional cabo de força padrão norte-americano (dois pinos chatos e um pino redondo). Quanto ao selo Produto Bomba. Nosso critério para darmos este selo é a fonte apresentar algum parâmetro fora das especificações dentro da faixa de operação prometida pelo fabricante, o que pode ocasionar um comportamento aleatório do computador e até mesmo, em casos extremos, danos aos componentes. Como esta fonte falhou no teste de 350 W temos de dar a ela este selo para mantermos nosso procedimento. Se esta fonte fosse rotulada como sendo de 320 W ela não receberia esta “homenagem”. Fazemos, portanto, a ressalva de que este produto não é de todo ruim, basta operá-lo abaixo de 350 W.