Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

Qual o melhor processador para jogos? - setembro/2019

       
 21.973 Visualizações    Testes  
 22 comentários

Testamos o desempenho de 13 processadores atuais em oito jogos para descobrirmos qual o modelo com melhor relação custo-benefício. Confira!

Qual o melhor processador para jogos? - setembro/2019

Conclusões

Em primeiro lugar, lembre-se que os resultados obtidos são válidos para os jogos utilizados e na configuração de vídeo utilizada. Em outros jogos, é possível que um processador que se saiu bem em nosso comparativo não seja a melhor escolha, ou que um processador que obteve desempenho relativamente baixo saia-se bem. Além disso, rodamos os testes com uma placa de vídeo topo de linha, em resolução Full HD e qualidade de imagem média ou alta, com o objetivo de não introduzir um gargalo na placa de vídeo. Se utilizássemos uma placa de vídeo de baixo custo, com qualidade de imagem no máximo e resolução 4K, por exemplo, é bem possível que os resultados de desempenho fossem os mesmos para todos os processadores, já que o gargalo estaria na placa de vídeo (clique aqui para saber mais sobre isso).

Dito isso, nossa primeira conclusão é que todos os processadores testados mostraram desempenho mais do que suficiente para uma excelente jogabilidade. Isso já era de se esperar, visto que não utilizamos nenhum processador das linhas mais básicas (Celeron ou Pentium da Intel, Athlon ou série A da AMD).

A taxa média de quadros ficou acima de 138 fps em todos os jogos, o que é excelente. Assim, nenhum destes processadores pode ser considerado "ruim para jogos". A diferença de desempenho é pequena se compararmos à diferença de preço.

O que nos leva a uma importante constatação: os processadores topo de linha podem ser excelentes para tarefas como renderização (e demais aplicações que se beneficiam de maior desempenho em processamento simétrico), mas não são a melhor escolha para computadores voltados para jogos, simplesmente porque são mais caros e não apresentam grande vantagem frente aos processadores intermediários como o Ryzen 5 e Core i5. Processadores topo de linha são, portanto, recomendáveis apenas caso você vá utilizar o computador para aplicações profissionais ou para quem deseja jogar ao mesmo tempo que roda outra aplicação, como no caso de jogadores que transmitem suas partidas ao vivo ou que capturam seus jogos em vídeo.

Outra conclusão clara é que os processadores Ryzen de terceira geração conseguiram um substancial aumento de desempenho em relação à geração anterior. Enquanto os Ryzen de segunda geração estão na parte de baixo de nossos gráficos, o Ryzen 7 3700X e o Ryzen 5 3600 mostram um excelente desempenho, e atemos té mesmo um processador da AMD (o Ryzen 9 3900X) como o processador mais rápido de nossos testes, o que é inédito.

Por outro lado, a Intel continua oferecendo a melhor relação custo-benefício no segmento intermediário, com o Core i5 9400F, mesmo que seguido de perto pelo Ryzen 5 3600.

Também é destaque a relação custo-benefício do Ryzen 3 2200G: o processador da AMD obteve o desempenho médio mais baixo de nossa tabela, mas também a melhor relação custo-benefício de todos, o que significa que ele continua sendo uma boa opção para um PC voltado para jogos de baixo custo. O Core i3-8100 também destaca-se pela excelente relação custo-benefício.

Para finalizar, concluímos que pode valer a pena utilizar um processador intermediário (ou mesmo de entrada) com uma placa de vídeo do segmento intermediária ou topo de linha. Utilizar um processador topo de linha vai custar muito mais caro e trazer uma vantagem de desempenho muito pequena ou mesmo inexistente.

Compartilhar

  • Curtir 13
  • Obrigado 1
  • Amei 1


  Denunciar Artigo

Artigos similares


Comentários de usuários


Parabéns pelo teste!

É meio complicado realmente nomear um CPU como sendo o melhor para jogos, afinal são tantas combinações de peças e situações diferentes.

Segundo estes testes, se for pensar na atual demanda para 60 FPS, o 2200G e o i3-8100 são os vencedores pela relação do custo/frame. Contudo, para ter uma boa folga de desempenho, obter uma boa experiência em todas as aplicações e pensando em uso a longo prazo, um Ryzen 3600 seria mais indicado.

Outro bom CPU é o i5-9400F, porém a falta de HT deixa um pouco a desejar, principalmente quem tem como objetivo fazer transmissões.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Se for pra pensar no CPU apenas como vídeo game, o 9400f seria imbatível, já que R3 2200g e 8100 teriam pouco fôlego a longo prazo. 

Agora, se for colocar as demais utilizações do computador, inclusive streaming, a coisa pende para o lado do R5 3600.

Enfim, vai só jogar: 9400f. 

Vai jogar e fazer streaming: 3600.

Vai trabalhar e jogar ocasionalmente: 2600/3600.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Obrigado pela bateria de testes, dessa forma fica muito mais fácil fazer a escolha, eu particularmente estava na dúvida, mas já me decidi. 🤑

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Artigo bem útil pra consultar e indicar.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Bons testes , como eu sempre digo , pessoas que vão comprar um pc novo devem ter em mente primeiro a placa-mãe , porque ela vai determinar o seu limite de upgrade em termos de memoria e processador , se voce da uma estrangulada no orçamento comprando uma placa-mãe com mais recursos e inicialmente poupando em memorias e processador  cria-se uma reserva tecnologica pra no futuro poder usar memorias melhores e um processador mais potente sem ter que trocar a placa-mãe . placa-mãe é a chave , se você comprar errado , compromete todo o resto a curto medio e longo prazo ( a menos que o sujeito tenha um pé de dinheiro no quintal e trocar tudo todo ano não seja um problema rsrsrsrsr ).

 

Sinceramente eu não sei da viabilidade ou do trabalho que isso daria pra ser feito , mas futuramente poderia se fazer um teste com 3 exemplos de placas mãe ( low , mid e hi end ) intel e amd , criando uma especia de caminho das pedras pras pessoas porque as vezes não adianta colocar um processador hi end numa placa-mãe mid porque mesmo oficialmente tendo suporte a gente sabe que na pratica a placa-mãe mid não sera capaz de empurrar o cpu  hi end em aplicações pesadas quando velocidades de barramento ou fases de alimentação falharem e causarem travamentos ou a simples perda de desempenho .

 

Pra finalizar , outra velha regra é sempre ter uma fonte de alimentação a altura de seu sistema , infelizmente ate hoje a gente ve muita gente comprando fonte mid , pra segurar CPU e GPU hi end , ai não rola , 500w de uma fonte "generica" nunca vão ser iguais aos 500W de um corsair por exemplo .

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
3 minutos atrás, Rogério Ottoni disse:

Sinceramente eu não sei da viabilidade ou do trabalho que isso daria pra ser feito , mas futuramente poderia se fazer um teste com 3 exemplos de placas mãe ( low , mid e hi end ) intel e amd , criando uma especia de caminho das pedras pras pessoas porque as vezes não adianta colocar um processador hi end numa placa-mãe mid porque mesmo oficialmente tendo suporte a gente sabe que na pratica a placa-mãe mid não sera capaz de empurrar o cpu  hi end em aplicações pesadas quando velocidades de barramento ou fases de alimentação falharem e causarem travamentos ou a simples perda de desempenho .

De certa forma, já fizemos isso que você sugere:

 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Sim, realmente ja havia um teste a respeito dessa questão , que bom então 😁.

Espero que as pessoas tenham entendido a real importancia dessa questão .

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

gostei muito do artigo, muito esclarecedor, gostaria que tivesse o core i3-9100f no testes, acho que ele ganharia a relação custo-benefício, mas ajuda a gente bastante, parabéns 👏👏👏.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
37 minutos atrás, Alessandro Rozendo disse:

gostei muito do artigo, muito esclarecedor, gostaria que tivesse o core i3-9100f no testes, acho que ele ganharia a relação custo-benefício, mas ajuda a gente bastante, parabéns 👏👏👏.

A Intel ficou de nos enviar o Core i3-9100F em breve.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Pelo jeito a Intel deve estar fechando as portas, pra chegar ao ponto de ter de devolver o processador a ela... Mas o que mais gostei de ver mesmo no teste foi a evolução da linha Ryzen.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

O i5-9400F é bem interessante para que está pensando em montar um computador para jogos mas não está mirando os jogos da próxima geração que virão, ou em upgrade na plataforma já que com a Intel upgrades é uma situação mais complicada.

 

Em 03/09/2019 às 21:30, Excelsior disse:

Pelo jeito a Intel deve estar fechando as portas, pra chegar ao ponto de ter de devolver o processador a ela... Mas o que mais gostei de ver mesmo no teste foi a evolução da linha Ryzen.

A Intel está em uma péssima situação mas ela vai dá algum jeito para competir com os novos Ryzens (mesmo que não seja com novos processadores em 10nms, as refresh em 14nm+++ ainda pode segurar algum tempo até os zen3 e os seus prometidos 10nm), e sobre a evolução dos Ryzen é realmente impressionante, mas o mais impressionante é o número de brasileiros que andam preferindo importar os Ryzen 1000, ou mesma pegar um Athlon aqui mesmo para fazer upgrades na plataforma quando entrar na promoção, do que pegar um i5-9400F ou i3-9100F.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Grande análise como sempre. Miro no 3600 ou 2700, mas acho que pelo bolso vou ficar no 2600 mesmo.

 

obrigado 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

CDH Como sempre show de bola! Mostrei o teste para o meu "moleque" que tem 12 anos e um pc com o ryzen 3 2200g e mostrei a ele o que é o tal "custo-beneficio"...ate que Ele entendeu!!!😅

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Ótimo teste como sempre, só senti falta do meu Ryzen 5 2400G rs, mas acredito que ele esteja ali empatado com o Ryzen 2200G. Também seria legal o R5 1600, preferido de quem importa da China.

 

Citação

Além disso, rodamos os testes com uma placa de vídeo topo de linha, em resolução Full HD e qualidade de imagem média ou alta, com o objetivo de não introduzir um gargalo na placa de vídeo

 

Na verdade, alguns jogos também estão em qualidade baixa, só para complementar a informação, mas sei que a ideia é a mesma rs.

 

 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Abaixo segue um gráfico que busca demonstrar a relação custo x benefício.

Quanto mais para cima estiver o processador, mais caro ele é.

Quanto mais para a direita ele estiver, maior a sua média de desempenho.

20472377_Disperso.png.e674ce2867db8bcfcce41f1a9967a7bd.png

 

 

Assim fica mais fácil de visualizar onde está cada processador em relação aos demais.

Por exemplo, pode-se perceber que o Ryzen 5 3600 está mais a direita (possui maior desempenho) que o Ryzen 7 2700 e ambos estão basicamente na mesma altura em preço. Ou seja, o Ryzen 5 3600 tem uma relação custo x benefício melhor do que o Ryzen 7 2700. Alías, melhor ainda do que o Ryzen 7 2700X, que é mais caro.

Nota: os processadores Core i9-9980XE e Core i9-7900X ficaram de fora do gráfico.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

@Darkmana De onde é essa tabela? Tá meio estranha, hein... Primeiro pensei que priorizaria desempenho single thread (única explicação pro i5 9400f estar tão acima do r5 2600), mas o i3 8100 acima do r5 2600 não faz nenhum sentido no mundo real. Fica parecendo que rolou uma matemática bizarra pra mascarar os dados como UserBenchmark fez recentemente pra fazer os processadores Intel parecerem melhores (passou a atribuir 40% do score ao desempenho single core, 58% quad core e 2% multi-core, antes era 30-60-10... Não preciso nem dizer que a mudança que deveria ter sido feita era pra aumentar o desempenho multi-core, que cada vez mais os programas e jogos conseguem aproveitar, talvez criando um peso específico pra hexa core separado do multi, não sei).
Edit: falando no diabo, nem os caras tem a coragem de dizer que o i3 8100 é superior https://cpu.userbenchmark.com/Compare/Intel-Core-i3-8100-vs-AMD-Ryzen-5-2600/3942vs3955

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

@Darkmana Por favor, indique a fonte da tabela para não termos problemas com direitos autorais, etc. Abraços!

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Em 10/09/2019 às 17:28, Shaman93 disse:

@Darkmana De onde é essa tabela? Tá meio estranha, hein...

 

Em 11/09/2019 às 10:00, Gabriel Torres disse:

@Darkmana Por favor, indique a fonte da tabela para não termos problemas com direitos autorais, etc. Abraços!

 

Eu compilei o gráfico utilizando apenas as informações do próprio artigo:

- Os preços dos processados testados conforme constante na página 2;

- A média de desempenho conforme gráfico da página 5.

Para fins de melhor visualização precisei desconsiderar os processadores Core i9-9980XE e Core i9-7900X, pois em função da sua disparidade de preço o gráfico ficaria ilegível.

 

Em 10/09/2019 às 17:28, Shaman93 disse:

Primeiro pensei que priorizaria desempenho single thread (única explicação pro i5 9400f estar tão acima do r5 2600), mas o i3 8100 acima do r5 2600 não faz nenhum sentido no mundo real.

 

Se você observar o gráfico de Média de desempenho constante no próprio artigo na página 5, verá que o Ryzen R5 2600 é o penúltimo da lista em desempenho. Aliás, se você observar individualmente os gráficos de todos os jogos da página 4, você verá que a posição dele oscilou entre penúltimo e antepenúltimo.

 

Acredito também que os jogos farão uso de mais núcleos no futuro. Os processadores, graças a AMD, deram um salto em números de núcleos. Porém acredito que ainda levará um tempo para os produtores de jogos conseguirem aproveitar ao máximo a quantidade de cores dos processadores mais potentes. Por hora os jogos ainda são muito mais devoradores de GPUs do que CPUs.

 

Por fim, apenas como minha opinião, no gráfico destacam-se 5 processadores, dentre os quais você escolheria de acordo com o preço que está disposto a pagar. São eles, começando do mais barato ao mais caro:

- Ryzen 3 2200G

- Core i3-8100

- Core i5-9400F

- Ryzen 5 3600

- Core i7-9700K

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

@Darkmana Compreendo, obrigado pela explicação! Quanto à questão de uso de múltiplos núcleos, é verdade que é tendência que no futuro mais sejam usados (e também que cinco dos 8 jogos testados serem de 2016 ou antes tenha tido influência no resultado, privilegiando os processadores com núcleos individuais mais fortes), mas em muitos jogos já é o caso do gargalo ir se voltando ao processador, com exigência de 6 ou mais núcleos (por exemplo jogos 4x, multiplayer de mundo aberto ou de simulação). Nesse sentido, pra analisar "desempenho" pelo preço de uma maneira mais geral, além disso (jogos que vai jogar e fps médio exigido) também seria prudente pensar nos 1% e 0.1% lows, uso total dos núcleos, tanto um a um quanto globalmente, possibilidade e margem de ganho com overclock, qualidade da solução térmica de fábrica que acompanha o processador, necessidade de núcleos livres pra tarefas paralelas (por exemplo stream, comunicação, etc), possibilidades de upgrade, etc. Pensando em tudo isso, pessoalmente eu recomendaria até mesmo o R5 1600 frente ao i3 8100 até porque, além de ganhar na maioria dos quesitos, no mercado nacional também se encontra uns 10% mais barato.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Em 03/09/2019 às 09:26, Rogério Ottoni disse:

Bons testes , como eu sempre digo , pessoas que vão comprar um pc novo devem ter em mente primeiro a placa-mãe , porque ela vai determinar o seu limite de upgrade em termos de memoria e processador , se voce da uma estrangulada no orçamento comprando uma placa-mãe com mais recursos e inicialmente poupando em memorias e processador  cria-se uma reserva tecnologica pra no futuro poder usar memorias melhores e um processador mais potente sem ter que trocar a placa-mãe . placa-mãe é a chave , se você comprar errado , compromete todo o resto a curto medio e longo prazo ( a menos que o sujeito tenha um pé de dinheiro no quintal e trocar tudo todo ano não seja um problema rsrsrsrsr ).

 

Sinceramente eu não sei da viabilidade ou do trabalho que isso daria pra ser feito , mas futuramente poderia se fazer um teste com 3 exemplos de placas mãe ( low , mid e hi end ) intel e amd , criando uma especia de caminho das pedras pras pessoas porque as vezes não adianta colocar um processador hi end numa placa-mãe mid porque mesmo oficialmente tendo suporte a gente sabe que na pratica a placa-mãe mid não sera capaz de empurrar o cpu  hi end em aplicações pesadas quando velocidades de barramento ou fases de alimentação falharem e causarem travamentos ou a simples perda de desempenho .

 

Pra finalizar , outra velha regra é sempre ter uma fonte de alimentação a altura de seu sistema , infelizmente ate hoje a gente ve muita gente comprando fonte mid , pra segurar CPU e GPU hi end , ai não rola , 500w de uma fonte "generica" nunca vão ser iguais aos 500W de um corsair por exemplo .

 questão de placa-mãe sem duvida que boa parte da "debandada" ocorrida de intel para amd (a tendencia é aumentar) acredito ter sido o fato de tanta troca de socket/chipset logo após 1 ou 2 gerações de processadores, eu mesmo quando comprei um i3 7100 vislumbrei num futuro próximo trocar um processador por algum que desse ganho de desempenho estando na mesma faixa de preço depois de uma ou duas gerações.. ai veio os 8100 e sem compatibilidade com as h110 da vida. a amd no quesito confiança na longevidade está de parabéns. ultimo amd que tive foi um Athlon X2 4400+ em 2008.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
16 horas atrás, Darkmana disse:

Eu compilei o gráfico utilizando apenas as informações do próprio artigo:

- Os preços dos processados testados conforme constante na página 2;

- A média de desempenho conforme gráfico da página 5.

 

🤦‍♂️Olha o mico que eu paguei... 🤣

 

Obrigado por ter montado o gráfico para a gente. Ficou fera!

 

Abraços!

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Uma excelente materia que serve pra continuar nos lembrando da máxima: "Nao compre um canhão pra matar uma formiguinha"  os processadores intermediarios continuam sendo a melhor compra para 99% dos gamers de plantão!

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora





Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×
×
  • Criar novo...

GRÁTIS: minicurso “Como ganhar dinheiro montando computadores”

Gabriel TorresGabriel Torres, fundador e editor executivo do Clube do Hardware, acaba de lançar um minicurso totalmente gratuito: "Como ganhar dinheiro montando computadores".

Você aprenderá sobre o quanto pode ganhar, como cobrar, como lidar com a concorrência, como se tornar um profissional altamente qualificado e muito mais!

Inscreva-se agora!