Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se

Teste do processador Core i9-9900KS

       
 20.358 Visualizações    Testes  
 31 comentários

Testamos o Core i9-9900KS, processador da Intel com oito núcleos, 16 threads, e que trabalha a 5 GHz em todos os núcleos. Vamos ver se ele é mais rápido do que o seu antecessor Core i9-9900K e que o seu concorrente direto, Ryzen 9 3900X.

Teste do processador Core i9-9900KS
Produto Recomendado

Produto Recomendado

Introdução

O Core i9-9900K (que testamos há mais de um ano) era, até recentemente, o processador mais topo de linha da plataforma principal da Intel (ou seja, excluindo os processadores da plataforma HEDT como este). Porém, a Intel lançou há pouco tempo versão "turbinada" desse modelo: o Core i9-9900KS (esse "S" significa Special Edition), que se diferencia do modelo anterior por ter um clock base e um TDP mais altos e, principalmente, por ser capaz de, em tese, manter todos os seus núcleos trabalhando a 5 GHz quando a plena carga. Vamos ver como este processador se sai em nossos testes.

Na maioria de suas características, o Core i9-9900KS é idêntico ao Core i9-9900K: oito núcleos, 16 threads, processo de fabricação de 14 nm, 16 MiB de cache L3 e clock turbo de 5,0 GHz. Porém, enquanto o clock base do Core i9-9900K é de 3,6 GHz, o do Core i9-9900KS é de 4,0 GHz. O TDP do modelo mais recente, por sua vez, é de 127 W, contra 95 W do modelo anterior.

Mas a principal diferença está baseada na forma como a tecnologia Turbo Boost funciona. Cada processador tem uma "tabela" (normalmente, não divulgada) que diz qual o clock que o processador vai efetivamente utilizar, dependendo de quantos núcleos estiverem em uso. O Core i9-9900K, por exemplo, utilizava o clock de 5 GHz só quando apenas um núcleo estava ativo. Quando os oito núcleos estavam em uso, ele mantinha um clock de 4,7 GHz durante algum tempo, depois disso oscilando o clock entre o valor base de 3,6 GHz e os 4,7 GHz. Já o Core i9-9900KS vem com a promessa de funcionar a 5,0 GHz mesmo com todos os seus núcleos totalmente ativos.

Na Figura 1 vemos a embalagem do Core i9-9900KS, semelhante à do Core i9-9900K, em acrílico transparente em formato de dodecaedro, ou seja, com doze lados.

Corei9-9900KS-01.jpg

Figura 1: caixa do Core i9-9900KS

A Figura 2 mostra a embalagem aberta. Aqui, temos uma pequena caixa que traz o processador. O Core i9-9900KS não vem com cooler.

Corei9-9900KS-02.jpg

Figura 2: embalagem aberta

Podemos ver o Core i9-9900KS na Figura 3.

Corei9-9900KS-03.jpg

Figura 3: o processador Core i3-9100F

A Figura 4 mostra o lado de baixo do Core i9-9900KS.

Corei9-9900KS-04.jpg

Figura 4: lado de baixo

Comparamos o Core i9-9900KS com o seu antecessor Core i9-9900K e com o seu concorrente direto, o Ryzen 9 3900X da AMD.

Utilizamos a GeForce RTX 2080 Ti, que é a placa de vídeo mais topo de linha disponível no momento, de forma a reduzir a chance de que a placa de vídeo induza um gargalo, principalmente nos jogos.

Vamos comparar as principais especificações dos processadores testados na próxima página.

Compartilhar

  • Curtir 5
  • Amei 1


  Denunciar Artigo

Comentários de usuários




Em 20/12/2019 às 17:51, aw_amaral disse:

Sim Gabriel. Pratica "normal" no mercado e nenhuma empresa parece ser isenta deste modelo. Mas não podemos concordar com isso!!!

Exatamente isso, sr. @aw_amaral! Existem umas tabelas aqui no CdH que mostram os <CTRL+C> e <CTRL+V> da amd e da nvidia. Acredito que seja uma artimanha para mostrar uma inovação sem muitos efeitos ou para dizer que o hardware acompanha as atualizações de software, sendo que, muitas vezes uma simples atualização de firmware já seria suficiente.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

A Intel faz qualquer negócio para se manter no topo do ranking, enquanto que a AMD ainda tem limitações até para a disponibilização de hardware para testes.

 

Sobre a limitação de potência da placa-mãe, o CdH poderia testar mais placas mãe e fazer um artigo talvez. Acredito que outros "testadores" de hardware não perceberam esse detalhe.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
1 hora atrás, Darkmana disse:

A Intel faz qualquer negócio para se manter no topo do ranking, enquanto que a AMD ainda tem limitações até para a disponibilização de hardware para testes.

 

Sobre a limitação de potência da placa-mãe, o CdH poderia testar mais placas mãe e fazer um artigo talvez. Acredito que outros "testadores" de hardware não perceberam esse detalhe.

Até é uma boa ideia (testar diversas placas-mãe e ver como o Core i9-9900KS se comporta em cada uma), mas tomaria um tempo enorme e seria uma mera curiosidade... O tempo é melhor investido se o utilizarmos para testar mais componentes. Obrigado pela sugestão de qualquer forma!

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Isso parece uma coisa logica nem precisa de teste , não se coloca uma placa de video top numa placa-mãe de entrada ou mesmo intermediaria , do mesmo modo pra se tirar o maximo de um processador i9 tem que

ser placa-mãe top , por isso eu sempre digo, se uma pessoa quer um pc de performance  , não economize com fonte e placa-mãe .

 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
3 horas atrás, Underdown74 disse:

Isso parece uma coisa logica nem precisa de teste , não se coloca uma placa de video top numa placa-mãe de entrada ou mesmo intermediaria , do mesmo modo pra se tirar o maximo de um processador i9 tem que

ser placa-mãe top , por isso eu sempre digo, se uma pessoa quer um pc de performance  , não economize com fonte e placa-mãe .

 

Mas nesse caso, parece que mesmo placas-mãe topo de linha podem obter desempenho diferente com esse processador, dependendo da forma como tratam o PL1 e PL2.

Em outras palavras, um determinado modelo de placa-mãe topo de linha pode trazer por padrão um limite de potência de longa duração de, digamos, 130 W, e isso vai fazer com que o processador não mantenha os 5 GHz por muito tempo, enquanto outro modelo (também topo de linha) pode trazer o valor automático do PL2 como 200W, o que vai permitir os 5 GHz indefinidamente.

O lado bom é que praticamente qualquer placa-mãe topo de linha permite que você ajuste esse valor no setup, e assim a limitação desaparece.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Em 19/12/2019 às 10:12, Underdown74 disse:

O pessoal não gosta muito que eu fale disso , e eu ate entendo que seja desvio de foco do assunto do post , mas num da pra ignorar que a politica "estuprante " dos impostos no brasil atrapalha muito , imagino que o processador citado em R$3500 deveria ficar pelo menos em uns R$2800 se tivesse uma politica de impostos minimamente decente nesse pais ( ah esqueci ,  Brasil e descencia  são coisas antonimas .🤣.

 

Governo sempre foi e sempre será sócio majoritário de seus rendimentos e de tudo o que você compra...

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites



Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora





Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×
×
  • Criar novo...

Aprenda_a_Ler_Resistores_e_Capacitores-capa-3d-newsletter.jpg

EBOOK GRÁTIS!

CLIQUE AQUI E BAIXE AGORA MESMO!