Ir ao conteúdo
Entre para seguir isso  

Arquitetura da Série GeForce 8

       
 134.371 Visualizações    Tutoriais  
 9 comentários

A NVIDIA acabou de lançar a sua nova série GeForce 8 (G80) usando uma arquitetura totalmente nova. Aprenda como esta nova arquitetura funciona.

Arquitetura da Série GeForce 8
Gabriel Torres Editor executivo do Clube do Hardware

Introdução

A NVIDIA acabou de lançar a sua nova série GeForce 8, anteriormente conhecida por seu codinome, G80. Esta nova série usa uma arquitetura completamente diferente dos demais chips gráficos, usando um motor de sombreamento unificado. Neste artigo explicaremos em detalhes todas as novidades desta nova série de chips gráficos.

A GeForce 8 é a primeira série de chips DirectX 10 (modelo Shader 4.0). Vamos primeiro falar um pouco sobre o que há de novo no DirectX 10.

Uma das novidades do DirectX 10 é o processamento de geometria. Até agora o processador do micro é quem estava encarregado desta tarefa. No DirectX 10 o processamento de geometria pode ser feito pelo processador gráfico. O processamento de geometria suaviza superfícies curvas e você pode ver uma melhora na qualidade da animação de personagens, expressões faciais e cabelo.

O DirectX 10 oferece mais recursos ao processador gráfico, melhorando o desempenho 3D. As principais diferenças de recursos disponíveis para o processador gráfico entre o DirectX 9 e o DirectX 10 você encontra na tabela abaixo.

Recursos DirectX 9 DirectX 10
Registradores Temporários 32 4.096
Registradores Constantes 256 16 x 4.096
Texturas 16 128
Alvos de Renderização 4 8
Tamanho Máximo da Textura 4.048 x 4.048 8.096 x 8.096

Na tabela abaixo você vê uma comparação entre os modelos Shader 1.x (DirectX 8.1), Shader 2.0 (DirectX 9.0), 3.0 (DirectX 9.0c) e 4.0 (DirectX 10).

  Shader 1.0 Shader 2.0 Shader 3.0 Shader 4.0
Instruções de Vértice 128 256 512 65.536 *
Instruções de Pixel 4+8 32+64 512 65.536 *
Constantes de Vértice 96 256 256 16 x 4.096 *
Constantes de Pixel 8 32 224 16 x 4.096 *
Registradores Temporários de Vértice 16 16 16 4.096 *
Registradores Temporários de Pixel 2 12 32 4.096 *
Entradas de Vértice 16 16 16 16
Entradas de Pixel 4+2 8+2 10 32
Alvos de Renderização 1 4 4 8
Alvos de Texturas - - 4 128 *
Texturas de Pixel 8 16 16 128 *
Tamanho da Textura 2D - - 2.048 x 2.048 8.192 x 8.192
Operações de Inteiros - - - Sim
Operações de Carga - - - Sim
Derivativos - - Sim Sim
Controle de Fluxo de Vértice - Estático Estático / Dinâmico Dinâmico *
Controle de Fluxo de Pixel - - Estático / Dinâmico Dinâmico *

* Como o DirectX 10 implementa uma arquitetura unificada, como explicaremos na próxima página, este número é para toda a arquitetura e não somente para esta característica em particular.
 
Além do aumento na capacidade de recursos, há várias outras novidades no DirectX 10. Em resumo, o objetivo deste novo modelo de programação é reduzir o papel do processador da máquina no desempenho 3D – isto é, ele tenta evitar o uso do processador do PC o máximo possível.

É claro que teremos de esperar jogos DirectX 10 serem lançados para vermos esses recursos em ação. Alguns dos jogos que serão lançados baseados no DirectX 10 incluem o Crysis e o Hellgate London.

Mas a principal diferença entre a série GeForce 8 e todos os chips gráficos disponíveis hoje é o seu motor de sombreamento unificado, um recurso novo introduzido pelo modelo de programação Shader 4.0. Vamos falar mais sobre esta arquitetura.

Editado por

Compartilhar



  Denunciar Artigo
Entre para seguir isso  

Artigos similares


Comentários de usuários


Vai ser impressionante o salto de qualidade do DirectX 10.

Tem uns exemplos no site da nVIDIA do que essa placa é capaz. É impressionante!!!!

Nesse mesmo site, tem um link pro jogo World in Clonflict, feito com DirectX 10 http://www.worldinconflict.com/

Assistam ao vídeo do jogo, parece filme!!! E repito novamente, é impressionante!!!!

Além de tudo a placa também faz cálculos físicos no jogos, coisa que até agora era feito em parte pela CPU mesmo o que a sobrecarregava ou por mais uma placa que teríamos que adquirir (Ageia PhysX) caso quiséssemos ter o máximo de qualidade e realismo nos jogos.

Mas o artigo não mencionou uma outra novidade da nVIDIA muito interessante para quem programa/desenvolve software. A possibilidade de se programar diretamente na GPU (processador gráfico) da placa, sendo possível inclusive fazer processamento paralelo entra a GPU e o processador do PC. Fantástico!!!!

Bom, a nVIDIA saiu na frente, agora vamos esperar e ver qual vai ser a reação da AMD/ATi!!!!!

O futuro promete!!!!

Abraços.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Mas como ficaria um jogo DX10 numa VGA DX9.0?

Provavelmente ficaria com algumas opções desativadas (aquelas correspondentes ao directx 10). Isso acontecia quando eu jogava NFSU2 na minha Geforce4 MX4000. O jogo era directx 9.0 e a placa dx7, muita coisa ficava desabilitada (não aparecia outras pessoas nas ruas, só os carros).

Agora os números realmente são de impressionar. Vamos ver o que isso tudo quer dizer na prática.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Na verdade (ou corrijam-me se eu estiver errado) o DirectX 10 trará grandes mudanças, não apenas com implementações do hardware, as mudanças serão mais profundas pois a arquitetura é nova.

Logo, o DirectX 10 não será retrocompatível, ou seja, jogos desenvolvidos em DirectX 10 NÃO vão rodar em placas com directX inferior...

Coitado de quem gastou alta grana numa GTX 7800...

Mas bem, para não mentir, os jogos poderão vir com um "emulador" que converte as informações de DirectX10 para as versões anteriores, mas me dói só de pensar na perda de performance que isso pode causar...

E o pior é que a proposta inicial do DirectX era ser sempre retrocompatível...

E, pasmem, já está em desenvolvimento, para breve, o DirectX 10.1, que trará mais recursos que as placas de DirectX 10 não suportarão :blink:

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
A GPU (aqui estou incluindo a 8800) não é nada comparada a um processador atual em termos de complexidade arquitetural, técnicas de circuito, e esforço de engenharia. E só o fato de não ter execução fora de ordem tornaria qualquer GPGPU um produto de nicho se fosse lançada no mercado como microprocessador.

Esses "128 pipes" são SP (Stream Processors) unificados e não vetoriais. Eles só processam 1 pixel por vez, não 4. Equivalem a 32 pipelines padrão, mas com muito mais flexibilidade e frequências mais altas.

Agora, para os que estão muito entusiamados, alguns números:

Cada Kentsfield tem 4 núcleos.

Cada núcleo tem 2 unidades de ponto flutuante.

Cada unidade de ponto flutuante executa 2 operações de precisão dupla.

Cada processador roda a até 2,66 GHz.

O que significa que a GPU mais rápída do mercado, com 680 milhões de transistores, é apenas duas vezes mais rápida que um processador quadrinuclear x86.

40 vezes mais rápida? Revolução? Fim da CPU? Desconfiem.

Se a Intel, a AMD ou a IBM realmente quisessem, poderiam destruir essa CPU em cinco minutos. É só lançarem algo no estilo do projeto Tarantula. Qualquer extensão vetorial realmente profissional detona essa GPU em aspectos de processamento. Essa arquitetura tem uns números grandes, mas em termos técnicos, não é nada demais para uma empresa de processadores.

Só um recado...

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

De acordo com a matéria:

"Dois modelos GeForce 8 foram lançados nesta semana: GeForce 8800 GTX e GeForce 8800 GTS, ambos para o barramento PCI Express x16. A GeForce 8800 GTX necessita de dois conectores de alimentação extras e tem dois conectores SLI (nos perguntamos se isto não será um suporte a um futuro modo SLI com quatro placas de vídeo)."

Creio que AGP já está fora dos padrões né vei..agora só PCI-E de 16x e boa! :bye:

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×