Ir ao conteúdo

Vale a pena fazer overclock no vídeo integrado do Ryzen 3 2200G?

       
 30.558 Visualizações    Testes  
 6 comentários

O processador Ryzen 3 2200G permite que você faça overclock facilmente no seu vídeo integrado Vega 8. Este procedimento vale a pena? Confira!

Vale a pena fazer overclock no vídeo integrado do Ryzen 3 2200G?
Rafael Coelho Editor-chefe do Clube do Hardware

Introdução

Recentemente testamos o processador Ryzen 3 2200G, que tem como destaque o vídeo integrado Radeon Vega. Uma das características deste processador é ele ser desbloqueado para overclock, tanto em seus núcleos de processamento quanto em seu vídeo integrado. Com isso, resolvemos efetuar um overclock no vídeo integrado desse processador para verificarmos o ganho real de desempenho e até quanto conseguiríamos aumentar o clock de vídeo. Confira nossos resultados.

O Ryzen 3 2200G, juntamente com o Ryzen 5 2400G, são os primeiros processadores da série Ryzen com vídeo integrado Radeon Vega. As principais diferenças entre estes dois modelos são a presença da tecnologia SMT no Ryzen 5, o que faz com que ele ofereça oito threads, e o vídeo integrado que, no Ryzen 3 2200G tem oito unidades computacionais Radeon Vega, mas onze unidades computacionais no Ryzen 5 2400G. Ambos os processadores utilizam processo de fabricação de 14 nm, têm TDP de 65 W e são desbloqueados para overclock. O chip Vega 8 do Ryzen 3 2200G tem 512 núcleos de processamento e clock máximo padrão de 1.100 MHz.

Para fazermos os testes, aumentamos o clock do vídeo integrado Vega a partir de 1.300 MHz, subindo até que o sistema travasse.

Inicialmente, tentamos fazer este overclock usando a opção do setup da placa-mãe que permite aumentar o clock do vídeo integrado. Infelizmente, notamos que, qualquer que fosse o valor configurado, o desempenho era o mesmo, o que nos levou a crer que o clock não estava sendo de fato aumentado.

Então, decidimos utilizar o programa AMD Ryzen Master, um utilitário que permite fazer overclock em processadores Ryzen, ajustando diversos parâmetros, dentre eles o clock do vídeo integrado nos modelos que o possuem. Desta vez, obtivemos sucesso.

Testamos o Ryzen 3 2200G com os clocks de 1.300 MHz, 1.400 MHz, 1.500 MHz e 1.600 MHz. Acima disto, o sistema travava imediatamente.

Na Figura 1 vemos o processador Ryzen 3 2200G utilizados nos testes.

over-ryzen3-2200g-03.jpg

Figura 1: processador Ryzen 3 2200G

Veremos os resultados de nossos testes nas próximas páginas. Neles, utilizamos 16 GiB de RAM configurada a 2.933 MHz, que é o clock máximo oficial suportado pelo processador. Importante notar que já mostramos como o desempenho do vídeo integrado desse processador depende do clock da memória, conforme você pode ler clicando aqui.

Editado por Rafael Coelho

Compartilhar

  • Curtir 9


  Denunciar Artigo

Artigos similares


Comentários de usuários


Uma leve correção:

Na página 3, a tabela de porcentagem do 3DMark Time Spy está errado no número que se refere a 1.500MHz, que deveria ser uns 17% no lugar de 32%.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Opa! A parte que mais aguardávamos! :D 

 

Citação

Uma hipótese tem a ver com a tecnologia SenseMI da AMD: esta tecnologia regula o clock do processador em tempo real, baseado em algoritmos que interpretam o número de núcleos sendo utilizados, o percentual de carga do processador, a temperatura e a capacidade de dissipação do cooler. Isso nos leva a suspeitar que, ao fazermos um overclock no chip gráfico, o processador automaticamente se adapta e passa a trabalhar em clocks mais baixos, já que deixamos o processador no seu modo padrão. Seriam necessários testes mais detalhados (fixando o clock do processador) para verificarmos esta hipótese.

Acho que foi isso mesmo @Rafael Coelho. Pelo que dá pra ver nos resultados, alguns jogos mais exigentes fazem o desempenho cair acima dos 1400 ou 1500mhz. Nesses casos que o desempenho caiu com um OC maior, em quanto estava a temperatura? Vi em outros reviews que apenas o OC da iGPU pra perto desses valores já ultrapassava os 80 graus com o cooler box, então creio que a queda de desempenho pode estar ligada às temperaturas.

 

Sobre fixar o clock do processador, eu acho que também pode estar fortemente relacionado, porque em outros reviews tb tiveram instabilidade quando deixado as tensões/clocks no automático. O meu Ryzen 5 1600 sempre funcionou bem com a mobo no modo automático dos clocks/tensões do processador, mas de vez em quando, 1 vez a cada 2 ou 3 semanas, eu notava q ele dava um reset automatico da BIOS quando eu ia ligar, mas por sorte nunca deu throttling nem tela azul nem nada. Depois que eu fixei a tensão e o clock na BIOS, ele nunca mais deu nenhum probleminha sequer, e já vai fazer 6 meses. Provavelmente precisa de algum polimento nas BIOS de algumas placas-mãe para deixar tudo no auto.
 

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Eu não lembro de ter visto alguém reclamando de travamentos/performance menor ao fazer OC nesse chip. Seria interessante esse tópico ser revisto futuramente.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
10 horas atrás, Steeveantonichen disse:

Opa! A parte que mais aguardávamos! :D 

 

Acho que foi isso mesmo @Rafael Coelho. Pelo que dá pra ver nos resultados, alguns jogos mais exigentes fazem o desempenho cair acima dos 1400 ou 1500mhz. Nesses casos que o desempenho caiu com um OC maior, em quanto estava a temperatura? Vi em outros reviews que apenas o OC da iGPU pra perto desses valores já ultrapassava os 80 graus com o cooler box, então creio que a queda de desempenho pode estar ligada às temperaturas.

 

Sobre fixar o clock do processador, eu acho que também pode estar fortemente relacionado, porque em outros reviews tb tiveram instabilidade quando deixado as tensões/clocks no automático. O meu Ryzen 5 1600 sempre funcionou bem com a mobo no modo automático dos clocks/tensões do processador, mas de vez em quando, 1 vez a cada 2 ou 3 semanas, eu notava q ele dava um reset automatico da BIOS quando eu ia ligar, mas por sorte nunca deu throttling nem tela azul nem nada. Depois que eu fixei a tensão e o clock na BIOS, ele nunca mais deu nenhum probleminha sequer, e já vai fazer 6 meses. Provavelmente precisa de algum polimento nas BIOS de algumas placas-mãe para deixar tudo no auto.
 

Concordo sobre isso também, e acredito que com uma refrigeração melhor um pouco possamos sim evitar esta perda em clocks até os 1600. Um cooler um pouco melhor ofereceria uma margem adicional a este over de GPU. Estou pesquisando até que tipo de cooler com bom preço atenderia este requisito. Percebi que o cooler padrão atende muito bem, contudo outro ainda barato mais eficiente poderia abrir bem este limite dos 1400. Obrigado Rafael.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

@Hélio Corrêa Aqui na nossa realidade, o cooler que tem melhor custo benefício pra OC no 2200G seria o DeepCool GAMMAXX 200T ou o 300. O 200T custa 60 pila na Pichau, que é menos que a conversão do valor em dólares (lá fora é 20 dólares). Com o 200T o pessoal do techspot conseguiu 1650mhz na iGPU com 3,9Ghz no CPU tudo estável e temperaturas de 55º em jogos, o que eu achei sensacional. O desempenho aumentou na faixa de 20 a 30% e ficou parelho com o 2400G em stock, o que significa que aqui, o combo 2200G + DeepCool GAMMAXX 200T custando 560 pila é bem mais vantajoso que pagar 820 pila no 2400G. A única desvantagem é n ter o SMT, mas acho que vale à pena.

Editado por Steeveantonichen

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Umas curiosidades que me surgem ao ver esses testes, é se utilizando o RYZEN MASTER da pra fazer oc do iGPU em mobos com chipset a320 e se nessas mobos dá pra fazer oc nas memórias, e outra curiosidade é se há possibilidade de encaixe de um CM Blizzard T2 no socket AM4. Ainda não encontrei respostas para essas questões.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário






Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×