Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se
Entre para seguir isso  

Roubos de Laptop e Motoboys Criminosos

       
 1.808 Visualizações   9 comentários

No dia 29 de Dezembro de 2005 fui assaltado em São Paulo. Moro a 700 metros do trabalho e, embora a distância seja pouca, costumo ir e voltar de carro. Pura preguiça, embora seja uma preguiça justificada pela constante divulgação de assaltos e roubos de laptop na Avenida Luis Carlos Berrini, onde a empresa em que trabalho se localiza em São Paulo.

Roubos de Laptop e Motoboys Criminosos

No dia 29 de Dezembro de 2005 fui assaltado em São Paulo. Moro a 700 metros do trabalho e, embora a distância seja pouca, costumo ir e voltar de carro. Pura preguiça, embora seja uma preguiça justificada pela constante divulgação de assaltos e roubos de laptop na Avenida Luis Carlos Berrini, onde a empresa em que trabalho se localiza em São Paulo.

Acontece que especificamente no dia 29 de Dezembro de 2005 eu estava sem carro. Em dois dias eu estaria de férias no Rio de Janeiro e aproveitei para deixar o carro na revisão.

Eu nunca me considerei uma provável vítima de assalto. É o tipo de coisa que acontece com os outros. Roubo de laptop? Impossível! Não faço o perfil "gringo sorridente", estou ambientado à violência das grandes cidades e não tenho cara de otário. Pelo menos eu achava que não. 

Ao sair a pé do trabalho até minha casa, fui abordado por dois motoboys que foram enfáticos ao pedir que eu entregasse "o notebook senão leva um pipoco". Não vi arma e não conversei, saí correndo. Para meu azar (ou sorte), a sola do meu sapato prendeu na tampa quebrada de um bueiro e ali mesmo minha corrida acabou. Fiquei sem um pé de sapato, de terno e com o laptop em uma mochila nas costas. Impossível fugir. Voltei, vi que um deles havia sacado um revólver e pedi calma aos dois: "perdi, pode guardar a arma, vamos conversar".

Depois de um minuto de conversa entreguei o laptop, mas não a mochila onde estavam meus documentos, celular, chave de casa e a passagem aérea das minhas férias no Rio de Janeiro. Depois que eles foram embora, liguei para a polícia, que levou quarenta minutos para aparecer. Ao registrar a queixa na delegacia, fui informado que somente naquela semana eu era o sexto caso de roubo a laptop na região. O delegado de plantão me disse que provavelmente o inquérito não daria em nada. Embora eu tenha dado todos os detalhes e descrito com precisão a roupa e as motocicletas dos assaltantes, nada poderia ser feito sem o número da placa, que estava dobrada impossibilitando a leitura. No mínimo eu deveria fornecer também o endereço dos criminosos.

Revoltado com a incompetência investigativa da Polícia Civil de São Paulo, decidi investigar por mim mesmo. Não que eu espere encontrar e prender os bandidos. Queria mesmo era entender o mercado por trás desse crime. Descobri que há dois destinos para os laptops roubados na região do Brooklin em São Paulo: são trocados por drogas em favelas da zona sul ou repassados a revendedores que os compram por valores inferiores a R$ 1.000,00. Ainda que sejam trocados por drogas, cedo ou tarde esses laptops acabam sendo revendidos em algum lugar.

Existem alguns lugares onde um laptop roubado pode ser comprado. O centro de São Paulo está cheio deles. A região da Rua Santa Efigênia e algumas lojas na região da Rua 25 de Março são dois exemplos. Sites de leilão na Internet também revendem laptops roubados, que são vendidos como mercadoria usada, sem que a maioria dos compradores desconfie da procedência. Alguns receptadores não se preocupam sequer em remover as etiquetas de patrimônio que alguns laptops de empresas levam.

O jornal "O Globo", nessa semana, trouxe uma reportagem sobre os roubos de laptop em São Paulo. A secretaria de segurança do estado não tem (ou não quer ter) estatísticas precisas sobre o crime, mas o problema já é considerado grave. Além da região da Avenida Luiz Carlos Berrini, a Avenida Paulista e os aeroportos de Congonhas e Guarulhos são os pontos que mais registram a ocorrência. Em muitos casos, os criminosos começam a seguir a vítima já na saída dos hotéis mais utilizados por turistas de negócio.

Esse crime não teria tanta repercussão se não fosse fomentado pelas próprias vítimas. Quando um laptop é comprado sem que a procedência seja cuidadosamente verificada, há a chance de que seja fruto de crime. E uma vez que você ande na rua com esse laptop, a possibilidade de que ele volte a ser roubado é grande. É um efeito bola-de-neve, onde uma coisa alimenta a outra.

Como o problema não é exclusividade do Brasil, várias empresas já produzem soluções baseadas em software para que você encontre seu laptop caso ele seja roubado. A Dell incluiu esse recurso nas suas linhas mais recentes da série Latitude. Não adianta. Se é baseado em software (que normalmente funciona via Internet), o receptador pode facilmente desabilitá-lo, tornando o sistema inútil. É provável ainda que os criminosos contratem serviços de um técnico para desabilitar esse sistema e reinstalar o sistema operacional no laptop antes de revendê-lo. Qualquer um sacaria que trata-se de um laptop roubado, mas a idéia de levar vantagem e ganhar uma grana por um trabalho fácil faz muita gente deixar os seus melhores princípios de lado, afinal de contas pimenta nos olhos dos outros não arde.

Nossa sorte enquanto vítimas é que os criminosos são despreparados e estão interessados apenas em revender o hardware. O dia em que as informações contidas nesses laptops roubados começar a ser usada maliciosamente o bicho vai pegar. No disco rígido do seu computador é possível encontrar quase todo tipo de informação pessoal a seu respeito, incluindo informações sobre sua conta bancária e em muitos casos até mesmo seus últimos extratos. Além disso, laptops roubados dizem onde você trabalha e em muitos casos servem como porta de entrada para a rede corporativa de empresas. A maioria dos usuários não se preocupa com os aspectos de privacidade necessários e não emprega as soluções disponíveis gratuitamente para esses problemas.

Eu nunca tinha sido assaltado antes. Morei quase toda a minha vida no Rio de Janeiro e ninguém nunca me incomodou por lá. Precisei mudar para São Paulo para que isso acontecesse. Desde que mudei para São Paulo adquiri repulsa pelos motoboys. Já perdi a conta das vezes em que quase me arrancaram o retrovisor. Agora essa repulsa virou raiva, porque além de arrancarem retorvisores eles também assaltam quando a oportunidade aparece. Uma característica dos motoboys criminosos já me deixa mais ligado atualmente: placas amassadas pelas dobras que fazem para escondê-las quando necessário. Parece que só a polícia não nota esse detalhe.

 

Compartilhar



  Denunciar Post no Blog
Entre para seguir isso  

Comentários de usuários


Amigos vocês não acham que generalizam muito nesse topico e faz uma grande injustiça com os motoboys não, tem uns que são safados agora tem outros que são honestos e como fica isso?

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Concordo. Há um grande perigo em generalizações tipo "odeio os motoboys". Se a pessoa fizer uma estatística, vai ver que mais de 90% dos motoboys não se presta a essas atitudes ou criminosas ou mesmo mal educadas como arrancar retrovisores. Como encontramos muita gente no trânsito, encontramos gente de todo tipo. Há motoboys gente boa e criminosos; há padres gente boa e pedófilos; enfim: há pessoas e pessoas. Temos que ter cuidado com as generalizações. Quanto ao fato, parabéns pela sorte, amigo. Você nasceu de novo.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Eu não generalizei, mas gato escaldado tem medo de água fria. Prefiro distância de qualquer motoboy com aparência suspeita. Infelizmente a maioria deles tem aparência suspeita.

O número de laptops roubados (roubo, não furto) na empresa onde trabalho já passou de uma dezena. Em todos os casos o assaltante era um motoboy.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Em todo caso tem os bons e ruins ...então é saber indentificar... :D

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Postado Originalmente por Alberto Cozer@26 de março de 2006, 00:07

Eu não generalizei, mas gato escaldado tem medo de água fria. Prefiro distância de qualquer motoboy com aparência suspeita. Infelizmente a maioria deles tem aparência suspeita.

O número de laptops roubados (roubo, não furto) na empresa onde trabalho já passou de uma dezena. Em todos os casos o assaltante era um motoboy.

Falou e disse...

Só quem já foi assaltado, principalmente a mão armada, sente o que sentimos.

Todos são culpados e todos são suspeitos, até que se prove o contrário.

Nossa polícia não serve pra ####### nenhuma.

Demora pra chegar no local, quando chegam não fazem nada, estão cançados e saber quem está roubando mas não fazem nada, uando vêem um assalto viram de costas e fingem não estar vendo, não fazem absolutamente nada depois da ocorrência e praticamente falam: "#####!!!! Você foi assaltado?: Problema seu".

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Imagino a sua situação..e concordo plenamente!

Moro em SC, interior.

Em fevereiro tive minha casa arrombada.. (entre minha casa e a delegacia existem apenas duas casas)

mas enfim..

fizeram uma limpeza!

é revoltante.

só restou um Aparelho de som! q ficou na rua, junto com alguns uísques!

os filh**** da ** ainda deixaram um papelote com crack no meu quarto!

roubam pra trocar por droga e deixam o q tem nu lugar!! q raiva!!

levaram, um celular meu, minha maquina com tudo (dvd-rw, plc video, plc. captura, enfim.. tudo o q imaginar) n vou entrar em detalhes porque me dá até uma tristeza..hehe

roupas, mp3, uma multifuncional, miny-sistem, dvd, enfim uma infinidade de coisas!!

e a polícia sabe muito bem qm é!!

menores viciados!

depois d muito insistir..

até foi feito uma busca na casa de um menor lá..

tudo em vão.. eles agem em 4 ou 5..dai eles pegam 1, q nega..

até eles procurarem os outros..já deu tempo pra se desfazer de tudo!!

a policia militar..

até hoje n apareceu aqui!

foi chamado minutos após o incidente!

é extremamente revoltante!!

Muito bem escrito o seu texto, Párabéns!!

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Eu nunca tinha sido assaltado antes. Morei quase toda a minha vida no Rio de Janeiro e ninguém nunca me incomodou por lá. Precisei mudar para São Paulo para que isso acontecesse. Desde que mudei para São Paulo adquiri repulsa pelos motoboys.

Cara compreendo seu problema só que você achar que São Paulo é que tem a culpa das mazelas que a sociedade sofre, é um tanto utópico.

Não vamos generalizar assim com tem maus motoboys em São Paulo também tem maus motoboys no Rio de Janeiro,e em qualquer estado deste imenso e desigual Brasil.

O que dá a entender é que você menospresou São Paulo com a sentença:

Morei quase toda minha vida no Rio de janeiro e nunca ninguém me incomodou por lá. Precisei mudar para São Paulo para que isto acontecesse.

São Paulo e Rio de Janeiro sofrem com o mesmo mal ou seja polícia ineficiente,corrupção ,baixos salários, equipamentos obsoletos em relação aos bandidos,falta de preparo da maioria dos policiais, delegados um tanto altoritários e tantas outras que não vale a pena citar.

São Paulo é um lugar para todos basta saber como viver nela já que com sua imensa dinâmica, tudo pode mudar no próximo cruzamento ou na esquina mais tranquila se é que existe uma esquina tranquila nesta Babilônia Adorável.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Postado Originalmente por gilzl@31 de março de 2006, 22:58

Cara compreendo seu problema só que você achar que São Paulo é que tem a culpa das mazelas que a sociedade sofre, é um tanto utópico.

Não vamos generalizar assim com tem maus motoboys em São Paulo também tem maus motoboys no Rio de Janeiro,e em qualquer estado deste imenso e desigual Brasil.

O que dá a entender é que você menospresou São Paulo com a sentença:

Morei quase toda minha vida no Rio de janeiro e nunca ninguém me incomodou por lá. Precisei mudar para São Paulo para que isto acontecesse.

São Paulo e Rio de Janeiro sofrem com o mesmo mal ou seja polícia ineficiente,corrupção ,baixos salários, equipamentos obsoletos em relação aos bandidos,falta de preparo da maioria dos policiais, delegados um tanto altoritários e tantas outras que não vale a pena citar.

São Paulo é um lugar para todos basta saber como viver nela já que com sua imensa dinâmica, tudo pode mudar no próximo cruzamento ou na esquina mais tranquila se é que existe uma esquina tranquila nesta Babilônia Adorável.

Infelizmente a violência no Rio recebe muito mais atenção da imprensa do que a violência em São Paulo. São Paulo é a cidade mais violenta do Brasil, mas as pessoas por aqui têm a falsa sensação de estarem seguras, porque assaltos como o que eu sofri não merecem atenção da imprensa, que prefere fechar os olhos para as mazelas da cidade, especialmente porque normalmente o que é ruim acontece longe. Ao contrário do Rio, São Paulo não tem violência encravada no meio dos bairros nobres.

São Paulo é uma cidade excelente, mas não é um lugar para todos como o paulistano acredita. A concentração de pessoas, indústria e empresas em São Paulo é prejudicial para a cidade e prejudicial para o Brasil. Não demora muito a cidade chegará a um colapso e só então o poder público vai criar mecanismos que controlem a concentração que existe por aqui hoje.

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites
Visitante: osarima

Olá, o problema de todos os programas de rastreamento de IP (como o lapfinder) é que depois de descoberto o IP é necessário contratar um advogado para quebrar o sigilo do local onde este IP está e depois fazer a polícia ir ao local recuperar o notebook, o que toma tempo e custa ficando inviável. Já tem aqui no Brasil uma empresa que presta este serviço (que existe há anos nos Estados Unidos) com um custo muito menor que um seguro: http://www.notepolice.com.br

Compartilhar este comentário


Link para o comentário
Compartilhar em outros sites


Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora





Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×
×
  • Criar novo...

montagem2018-capa-newsletter2.jpg

PROMOÇÃO DE QUARENTENA

De R$ 39,90 por apenas R$ 19,90 só até as 23h59min desta sexta-feira 27/12/2020

CLIQUE AQUI E COMPRE AGORA MESMO!