Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se
Visitante

Diploma Não é Solução

Recommended Posts

Visitante

LEIA COM ATENÇÃO E COMENTE

Rubem Alves - Colunista da Folha de São Paulo

Vou confessar um pecado: às vezes, faço maldades. Mas não faço por mal. Faço o que faziam os mestres zen com seus "koans". "Koans" eram rasteiras que os mestres passavam no pensamento dos discípulos. Eles sabiam que só se aprende o novo quando as certezas velhas caem. E acontece que eu gosto de passar rasteiras em certezas de jovens e de velhos...

Pois o que eu faço é o seguinte. Lá estão os jovens nos semáforos, de cabeças raspadas e caras pintadas, na maior alegria, celebrando o fato de haverem passado no vestibular. Estão pedindo dinheiro para a festa! Eu paro o carro, abro a janela e na maior seriedade digo: "Não vou dar dinheiro. Mas vou dar um conselho. Sou professor emérito da Unicamp. O conselho é este: salvem-se enquanto é tempo!". Aí o sinal fica verde e eu continuo.

"Mas que desmancha-prazeres você é!", vocês me dirão. É verdade. Desmancha-prazeres. Prazeres inocentes baseados no engano. Porque aquela alegria toda se deve precisamente a isto: eles estão enganados.

Estão alegres porque acreditam que a universidade é a chave do mundo. Acabaram de chegar ao último patamar. As celebrações têm o mesmo sentido que os eventos iniciáticos —nas culturas ditas primitivas, as provas a que têm de se submeter os jovens que passaram pela puberdade. Passadas as provas e os seus sofrimentos, os jovens deixaram de ser crianças. Agora são adultos, com todos os seus direitos e deveres. Podem assentar-se na roda dos homens. Assim como os nossos jovens agora podem dizer: "Deixei o cursinho. Estou na universidade".

Houve um tempo em que as celebrações eram justas. Isso foi há muito tempo, quando eu era jovem. Naqueles tempos, um diploma universitário era garantia de trabalho. Os pais se davam como prontos para morrer quando uma destas coisas acontecia: 1) a filha se casava. Isso garantia o seu sustento pelo resto da vida; 2) a filha tirava o diploma de normalista. Isso garantiria o seu sustento caso não casasse; 3) o filho entrava para o Banco do Brasil; 4) o filho tirava diploma.

O diploma era mais que garantia de emprego. Era um atestado de nobreza. Quem tirava diploma não precisava trabalhar com as mãos, como os mecânicos, pedreiros e carpinteiros, que tinham mãos rudes e sujas.

Para provar para todo mundo que não trabalhavam com as mãos, os diplomados tratavam de pôr no dedo um anel com pedra colorida. Havia pedras para todas as profissões: médicos, advogados, músicos, engenheiros. Até os bispos tinham suas pedras.

(Ah! Ia me esquecendo: os pais também se davam como prontos para morrer quando o filho entrava para o seminário para ser padre —aos 45 anos seria bispo— ou para o exército para ser oficial —aos 45 anos seria general.)

Essa ilusão continua a morar na cabeça dos pais e é introduzida na cabeça dos filhos desde pequenos. Profissão honrosa é profissão que tem diploma universitário. Profissão rendosa é a que tem diploma universitário. Cria-se, então, a fantasia de que as únicas opções de profissão são aquelas oferecidas pelas universidades.

Quando se pergunta a um jovem "O que é que você vai fazer?", o sentido dessa pergunta é "Quando você for preencher os formulários do vestibular, qual das opções oferecidas você vai escolher?". E as opções não oferecidas? Haverá alternativas de trabalho que não se encontram nos formulários de vestibular?

Como todos os pais querem que seus filhos entrem na universidade e (quase) todos os jovens querem entrar na universidade, configura-se um mercado imenso, mas imenso mesmo, de pessoas desejosas de diplomas e prontas a pagar o preço. Enquanto houver jovens que não passam nos vestibulares das universidades do Estado, haverá mercado para a criação de universidades particulares. É um bom negócio.

Alegria na entrada. Tristeza ao sair. Forma-se, então, a multidão de jovens com diploma na mão, mas que não conseguem arranjar emprego. Por uma razão aritmética: o número de diplomados é muitas vezes maior que o número de empregos.

Já sugeri que os jovens que entram na universidade deveriam aprender, junto com o curso "nobre" que freqüentam, um ofício: marceneiro, mecânico, cozinheiro, jardineiro, técnico de computador, eletricista, encanador, descupinizador, motorista de trator... O rol de ofícios possíveis é imenso. Pena que, nas escolas, as crianças e os jovens não sejam informados sobre essas alternativas, por vezes mais felizes e mais rendosas.

Tive um amigo professor que foi guindado, contra a sua vontade, à posição de reitor de um grande colégio americano no interior de Minas. Ele odiava essa posição porque era obrigado a fazer discursos. E ele tremia de medo de fazer discursos. Um dia ele desapareceu sem explicações. Voltou com a família para o seu país, os Estados Unidos. Tempos depois, encontrei um amigo comum e perguntei: "Como vai o Fulano?". Respondeu-me: "Felicíssimo. É motorista de um caminhão gigantesco que cruza o país!".

Rubem Alves, 60 + 10, é escritor, educador e contador de histórias. Escreveu, entre outros, "O Decreto da Alegria" (Paulus) e "Mais Badulaques" (Parábola Editorial).

Site: www.rubemalves.com.br

P.S Os grifos são nossos. Só na cidade de São Paulo existem mais diplomados desempregados do que analfabetos. E os poucos que conseguem, vivem o sub-emprego ou desemprego intelectual, ou seja não trabalham na área de conhecimento para a qual se formaram.

bração, B)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Muito bom texto, Quemel. Agora vamos comentar...

Lá estão os jovens nos semáforos, de cabeças raspadas e caras pintadas, na maior alegria, celebrando o fato de haverem passado no vestibular. Estão pedindo dinheiro para a festa! Eu paro o carro, abro a janela e na maior seriedade digo: "Não vou dar dinheiro. Mas vou dar um conselho. Sou professor emérito da Unicamp. O conselho é este: salvem-se enquanto é tempo!". Aí o sinal fica verde e eu continuo.
Naqueles tempos, um diploma universitário era garantia de trabalho. Os pais se davam como prontos para morrer quando uma destas coisas acontecia...l

São dois lados da mesma moeda. As pessoas ainda acham que se tem um bom emprego SE E SOMENTE SE tiverem diploma. Quão errado é isso! Os jovens se divertem com o trote achando que a parte mais difícil já passou... Que bobagem!

E as opções não oferecidas? Haverá alternativas de trabalho que não se encontram nos formulários de vestibular?

Ainda bem que essas opções abundam.

Já sugeri que os jovens que entram na universidade deveriam aprender, junto com o curso "nobre" que freqüentam, um ofício:
Só na cidade de São Paulo existem mais diplomados desempregados do que analfabetos. E os poucos que conseguem, vivem o sub-emprego ou desemprego intelectual, ou seja não trabalham na área de conhecimento para a qual se formaram.

Estão em situação precária pois só se formaram, mas não sabem o ofício que caminha lado a lado com a profissão. Você pode ter tirado 10 em todas as matérias (digamos, do curso de informática), mas se não sabe programar, não sabe trocar peças do micro, etc... então seu diploma não vale nada.

O mercado está cheio de gente que "finge saber", que tem diplomas e mais diplomas. O que é preciso é de gente que sabe por a mão na massa.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Autor do tópico
  •    2
    Visitante

    Caro tabqal,

    esse modelo ainda é cultural e adotado no Brasil, pois que reproduz desde a época dos escravos a alienação.

    Mesmo no curso superior somos "educados" para sermos empregados e assim dar continuação ao ciclo vicioso.

    Em outros países não é "crime" não ter curso superior e em algumas culturas, ele influencia pouco.

    A realidade no entanto tem mostrado que mesmo quem tem canudos não garante emprego e foi pensando nisso que se criaram as certificações como as "salvadoras da lavoura".

    Atualmente nem diploma e nem certificações garantem um bom emprego. Sem eles se torna mais difícil, mas não impossível.

    O empreendedor não é um ser abençoado que nasce com essa capacidade, mas alguém com conhecimento de técnicas e visão acima do normal do horizonte longíquo de oportunidades

    Um dos vice-presidentes do Citibank tem apenas o 2º grau, mas por ele passam orçamentos que superam milhões de dolares.

    O diploma significa em muitos casos, como aqui em Brasilia, que o diplomado garantirá cela especial quando for preso ao ser descoberto!

    Por isso para os técnicos em computadores que se acham diminuidos pelos "doutores" da informática, que revejam seus conceitos.

    Não precisa ir muito longe: aqui mesmo nesse Forum onde seu idealizador não é "engenheiro", mas manda ver, produzindo conhecimento de qualidade e beneficiando a todos: usuários e técnicos.

    Como é mesmo o nome dele? :rolleyes:

    Não adianta seu "O engenheiro" se a única coisa que você faz é represar conhecimento.

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    Não querendo defender os "Superiores", pois não sou e concordo c você na maioria das coisas q você colocou no tópico, mas um ponto importante do nível superior e a possibilidade nos concursos, por exemplo: a partir de agora PRF só nível superior, Banco do Brasil tem p nível médio, mas a diferênça de salário, sem comntários, como disse não estou defendendo os "superiores" mas para eles tem mais portas se abrindo do q para só quem tem nível médio ou curso técnico!

    Parabéns pelo tópico, vai dá uma discurssão boa! :palmas:

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    O brasileiro tem mania de grandeza simbolo de status, já aconteceu com um colega meu de ser discriminado por não ter diploma superior. O diploma não é garantia mas é importante te-lo para procurar um emprego melhor. Acho que quem tem uma profissão está mais preparado que quem tem um diploma.

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
  • Autor do tópico
  •    2
    Visitante

    Foi como eu falei em outros tópicos, estamos caminhando onde o profissional será mais valorizado do que as profissões.

    Pois o fato de ser diplomado, prova apenas que você passou a anos em uma faculdade.

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    Ei amigos, tenho 17 anos eu penso em fazer uma faculdade sei la, mas pretendo fazer isso razao de aprimorar meus conhecimentos e não pelo fato de que só vou ter um ótimo emprego se eu tiver curso superior o que não é verdade como todos já sabemos, o que eu acho é que devesmo ir atras das grandes oportunidades elas estão la só esperando alguem com vontade de fazer e alguem que SAIBA fazer.

    Não estou criticando o ensino superior, mas o que vale não é o que você tem pindurado na parede e sim o que você sabe fazer olhando pra parede!

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    Parabens pelo topico, achei muito interessante mesmo, e tudo que foi dito é o que realmente está acontecendo, a maioria das pessoas saem da faculdade sem saber nada, e outras pessoas que não fizeram ou não tiveram oportunidade de fazer, é um grande profissional.

    Mas tem o outro lado, acho que a faculdade abre bastante o conhecimento, pois passa uma visão ampla de tudo e depois você que corre atras do que quer fazer, e também acho o seguinte, para quem vai querer disputar uma vaga em uma empresa, faculdade é quase requisito básico em um mercado cada vez mais competitivo, o importante é se diferenciar,, talvez você seja um grande profissional mas na seleção seu curriculo seja descartado pois não tenha faculdade ou pos e os seus concorrentes possuem tudo isto....é claro que isto não é regra,, mas esta é minha opnião....

    Abraços. :-BEER

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    aqui vai a opiniao de um tecnico que por motivos outros não seguiu na conquista de um nivel superior, mais não me sinto mal por isso. Minhas conquistas vieram com :muro: Passei por varios momentos dificeis, porém sempre aprendendo, ajundando em algumas vezes ate mesmo pessoas que se dizem "ENGENHEIROS". Muita teoria pouca pratica, e as vezes nem um nem outro,penso que o cartucho ajuda a quem gosta realmente do que faz, mais não e o tudo :-BEER apesar de não beber um brinde a todos os participantes desse forum, sem destinçao de aprendiz, tecnico ou engenheiro.

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    Eu achei bem legal o topico. Ele incentiva a quem esta comecando a sua vida

    profissional ou quem ainda esta perdido e não sabe por onde comecar. O ideal

    também e que a pessoa saiba comecar do zero, e não esperar ter um curso superior

    para ganhar experiencia depois.

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
    Guest carmagedon666

    É claro que um bom curso superior é a solução! mas, continuo com a opinião de que isso é uma REALIZAÇÃO PESSOAL, que julgam ser requisito pra realização profissional.

    Não é não! Para realização profissional o requisito é o SUCESSO FINANCEIRO, e isso é o objetivo a ser alcançado no SUCESSO PROFISSIONAL.

    Já o DIPLOMA é o objetivo daqueles que buscam o conhecimento como REALIZAÇÃO PESSOAL, se esse conhecimento poderá ser aplicado no objetivo profissional, isso ninguém pode garantir, CONHECIMENTO se adquire subjetivamente e DINHEIRO se adquire objetivamente.

    A confusão se deve ao caso de todo mundo querer ser um Alto Executivo, ter um posto de Chefia ou Gerência, etc. de grandes empresas, que por sua vez exigem um nivel superior para o preenchimento desses postos.

    No Brasil pessoas atingem o Sucesso Profissional jogando bola, fazendo novela, pegando onda ou pulando de skate ou bike, e todos são PROFISSIONAIS CONSAGRADOS! e qual a diferença?

    Se imaginarmos uma pirâmide, esses são o tijolinho lá em cima, enquanto os amadores lá em baixo bancam esse sucesso comprando produtos divulgados, indo ao estádio assistir, vendo TV (que os patrocinadores bancam pra exibir produtos), então, não existe essa mistura, exceto para quem confunde, não é porque jogo bola com facilidade, nem porque sei fazer um calculo científico que tenho que ser um deles, mas sim, quando me inserir no "jogo" dos negócios e souber realmente fazer esse dinheiro chegar até mim.

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
  • Autor do tópico
  •    2
    Visitante

    O artigo ainda reflete a dicotomia EMPREGO x TRABALHO. Um já entrou em processo de extinção desde a década de 90 o outro cada vez mais explode em oportunidades que não são visualizadas justamente pelo pensar: Como arranjo um emprego.

    Ao buscar somente emprego e não trabalho perdem oportunidades valiosas. Está certo que a barriga seca e o bolso vazio obnubila o pensamento e a razão. Mas uma vez conseguido o emprego (as vezes nem isso, tem també o sub-emprego) novamente se sentem seguros e esquecem que se não adotarem postura pro-ativa em breve serão mais a emgrossar a fila do enxugamento.

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    Postado Originalmente por Nightwish@28 maio 2004, 18:08

    um ponto importante do nível superior e a possibilidade nos concursos, por exemplo: a partir de agora PRF só nível superior, Banco do Brasil tem p nível médio, mas a diferênça de salário, sem comntários, como disse não estou defendendo os "superiores" mas para eles tem mais portas se abrindo do q para só quem tem nível médio ou curso técnico!

    Parabéns pelo tópico, vai dá uma discurssão boa! :palmas:

    Cara você falou tudo agora, quantas vezes meus pais e parentes vieram com essa historia de não interressa se tal faculdade é ruim, interessa o diploma pra você fazer um concurso publico. Meu pai chegou a recomendar o curso de linguas mortas da USP que tem mais candidatos que vagas. Oras bolas, eu não consigo aprender nem inglês que é fundamental,quanto mais linguas mortas(latin grego etc) Alias pra que policia federal precisa de diploma de linguas mortas??(é só para diminuir os candidatos).

    O que adianta ter profissao(isso quando é possivel trabalhar com o que você se formou), se você não serve pra coisa. Eu mesmo passei no concurso do BB e não sei o que fazer, não me imagino num banco, mas terei que ficar até conseguir outra coisa.

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
    Guest LBARROS

    Gente, acho que todas as opiniões estão certas. Mas acho o diploma de 3º importantíssimo. Em primeiro lugar, o diploma lhe dá melhor possibilidade de ganhar mais no mercado, e, como sabemos, mesmo que digam o contrário, dinheiro IMPORTA sim. Em segundo lugar, fazendo faculdade, nós abrimos nossas mentes para muitas outras coisas, ou não. Acho que a faculdade até influencia na formação da pessoa, já que muitas pessoas que vão para a faculdade, têm que morar sozinhas e se virar.

    Outro ponto: quanto mais pessoas no 3º grau, melhor ficam as coisas, a inteligência social aumenta, a população evolui. As pessoas passam a analisar melhor as coisas, pois vão ter conhecimento para tal.

    Não tenho diploma de 3º grau. Pois é ###### (assim defino) entrar em uma faculdade boa. Em 1998 tentei vestibular para a UFRJ, não passei, na UERJ, fiquei por pouco para entrar, e passei na PUC-RJ. Não fui estudar. Por que? Pois a mensalidade era de somente R$1019,00 (altíssima!!!) e eu não teria condições de pagar. O máximo que eu tinha, era uma paixão insuperável por hardware, e um curso destes que a gente faz em escola de informática, de Montagem e Manutenção de Computadores. Nem é um curso técnico. Bem, hoje, em 2004, não moro mais na cidade onde nasci, no sul do estado do RJ. Moro no interior do estado do MT, onde comecei trabalhando em uma loja de informática como "técnico em montagem e manutenção", e atualmente trabalho com suporte técnico e consultoria em um provedor de internet banda larga local.

    Linda a história não? Mas onde quero chegar? Bem, pretendo fazer a faculdade local, somente para ter o diploma mesmo, e poder fazer uma pós boa, o curso será Administração de Empresas, com habilitação para Sistemas de Informação. Mas, como a faculdade não é lá grande coisa, já imaginaram.

    O que quero dizer gente, é FAÇAM FACULDADE SIM. Tenho 23 anos, e, às vezes me encontro até um pouco chateado, ao ver rodas de pessoas de 1, ou até 2 anos a menos que eu, formadas, conversando sobre mercado de trabalho, e informações que AINDA eu não tive acesso. Estudem! Como li um dia, acho que esta frase vale para o estudo também: "Leitura difunde cultura". E acho que o estudo também.

    Ah, vale lembrar, que, mesmo não tendo diploma de nível superior, estou ganhando aproximadamente 5 vezes mais do que eu ganhava no estado do RJ, quando trabalhava em uma Lan House. Isto é para mostrar, que mesmo você sendo formado, é bom estar com coragem para jogar as coisas pro alto, peitar a vida, e mudar (literalmente) de lugar, onde o mercado de trabalho para sua área esteja deficiente, pois o mercado de trabalho lhe deixará satisfeito com salários melhores.

    Quanto a conhecimento a hardware, sei muita coisa, até coisas que viriam numa faculdade, que procurei saber, mesmo não tendo diploma, para ter um diferencial. Mas ainda às vezes me pego em situações, em que conserto algo, porque sei que está com defeito, e não o por quê do defeito, como seria se eu tivesse 3º grau.

    Bem, fica aí meu recado. Pensem o que pensem, mas estudem, façam faculdade amigos.

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    Realmente o texto tem muito haver com o último bate papo que tive com um usuário. O que noto aqui no Brasil com a experiência que tenho de vevência em outro país é que aqui infelizmente quem não tem diploma não é gente ou pelo fato de se ter um diploma o torna "dono da razão" em comparação com aquele que não tem.

    E sabemos que nem sempre o fato de se ter um diploma signifique que suas informações são corretas, um exemplo é o de muito que fazem faculdades de tecnologia que vão para aprender e acabam ficando presos à opiniões de professores, afinal de contas ele é um professor e deve saber o que fala.

    Um exemplo recente disso foi a entrevista feita com o engenheiro da Poli-USP Demi Getschko no UOL news (quem tiver conta no UOL assista ao vídeo da entrevista).

    Começando com o termo Hacker & Cracker que na opinião dele é tudo a mesma coisa e fim de conversa, para ele pegar malwares é qustão de rodar executáveis ou tomar cuidado com link mas já é de conhecimento de muitos que nem sempre o link que aparece na barra de estatus do leitor de email é o verdadeiro, entre outros absurdos. Então você tem uma base do que as pessoas aprendem e os conceitos que elas são forçadas a acreditar, se a pessoa tiver prévios conhecimentos no assunto saberá filtrar ou contestar certas coisas, mas se for daquele tipo que vai na onda esse tá perdido, além de ficar desiludido o canudo não vai corresponder as necessidades dele.

    Então é como o jornalista explicou mesmo, um diploma não é solução e diploma não é atestado de inteligência.

    Quanto aos comentários de LBARROS eu cheguei a falar aqui no fórum sobre buscar fora de grandes centros por oportunidades, infelizmente para muito Brasil é a cidade aonde moro ou se limita aos amigos que moram a dois blocos de casa. É como você mesmo relatou, uma pessoa preparada encontra melhores condições fora de grandes centros que ela não encontraria em grandes centros nem com PHD etc.

    Ano passado possou no Fantástico se não me falha a memória de casos de pessoas que encontraram oportunidades de trabalho/emprego longe de grandes centros que eles jamais teriam em grandes centros como SP ou RJ por exemplo, um deles foi uma médica que ganhava três vezes mais que ela ganhava, tinha ajuda de custo e outras regalias entre outros exemplos de pessoas bem sucedidas nas suas áreas que até então estavam desempregadas.

    Tem que se quebrar paradigmas mesmo, sair desse aquário que muitos vivem e explorar outros horizontes.

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    aqui infelizmente quem não tem diploma não é gente ou pelo fato de se ter um diploma o torna "dono da razão" em comparação com aquele que não tem.

    Pelo menos em Sampa, essa é uma afirmação mais do que correta. O diploma deixou de ser um trunfo em relação aos outros candidados. É um pre-requisito, junto com uma segunda língua fluente, não importa em qual área você queira trabalhar.

    Sei muito bem, que, pelo menos em meu caso, vale muito mais um curso específico sobre sei-lá-o-que, do que um diploma "genérico", só que o mercado não quer saber disso: É exigido, primeiramente, o curso superior, depois os cursos específicos. Pouco importa o quão necessário seja para a execução das tarefas a serem designadas.

    Por exemplo, eu possuo uma microempresa de manutenção, venda, etc, há mais de 12 anos, e trabalho na área desde 1988, ou seja, uma razoável experiência.

    Um cliente, que queria comprar um computador, não quis fechar o negócio, simplesmente por eu não possuir o tal canudo! Quer dizer, o que tem a ver o diploma com a necessidade do cliente? :tantan:

    Diploma realmente não é nem nunca será atestado de inteligência, só que, cada vez mais, é um atestado de que você possui o mínimo requisito para ser aceito.

    Conselho? Não façam como eu, estudem, tirem o diploma, não importa se vão utilizá-lo ou não. Hoje, a faculdade é o ensino básico. A pós graduação, segundo diploma, cursos específicos, dois (ou mais) idiomas, sim, são diferenciais no tão concorrido mercado de trabalho.

    ps: realmente, excelente tópico

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
    Guest carmagedon666

    Vou um pouco além, quantos milhões de pessoas pelo mundo não jogam futebol melhor do que o Pelé?

    Acontece que descarte deles os que passaram dos 17 anos, os que estão fora de um clube famoso, os que não participam da seleção de futebol, os que não fizeram 1000 gols contabilizados em campeonatos oficiais, etc. isso quer dizer que podem haver milhões de pessoas que jogam futebol melhor que o Pelé, mas ele vendeu centenas de milhares de ingressos, chuteiras, cartão de plano de saúde, gibis, propaganda de impotência sexual, etc. aí o requisito jogar futebol está em segundo plano! :wacko:

    A mesma coisa acontece no mundo dos nerds! vocês não são artistas natos, nem atletas campeões, aí se matam de estudar e pronto? :chateado: :naonao: Naaaaão! vocês tem que vender algum produto, prestar algum serviço, se inserir no meio dos "cartolas" de sua profissão, serem explorados como nome ou imagem até a exaustão, aí vão ser "reis" também...hehehehehehe!

    :devil: eu não disse isso!eu não disse isso!eu não disse isso!eu não disse isso!eu não disse isso!eu não disse isso!eu não disse isso!eu não disse isso!eu não disse isso!eu não disse isso!eu não disse isso!eu não disse isso!eu não disse isso!

    :cry: Não me dá advertência não buaaaaaá! :bored: tá bom, lá vai uma sugestão, grandes parcerias surgem de grupos nas faculdades! vejam o Black Sabbath, o Deep Purple, o AC/DC, todos artistas!

    Ou veja, a Microsoft, o Bill Gates, etc.

    Ou então, tente começar por baixo, vá pro campo, troque serviço por galinha, porco, pé de alface, vai ganhando nome, proporção, etc.

    O problema é que todo mundo quer estar no topo da pirâmide, e quem está lá não cede a vez até a morte, assim não dá! :goff: Se pelo menos houvesse um trabalho sério de rotatividade até daria, mas isso é impossível!

    Uma coisa é certa, os horizontes sempre são amplos pra quem para um minuto antes de sair correndo atrás...

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    isso acontece mais é na area de informática onde qualquer um que tenha interesse possa se tornar um super profissional com ajuda de foruns e ajuda de amigos agora o que seria da justiça no Brasil se os advogados não estudassem, eles iriam se procurar onde as procuras, como ficariam as construções das casas a moda baglalão, de qualquer jeito, deve-se pensar bem nisso, o tópico é bom, mas antes de qualquer coisa as pessoas perguntam se você tem ou não o canudo da faculdade, com ele você ja tem uma vantagem a mais sobre os outros, dependendo da faculdade e do aluno é que se vai saber o bom formando

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
    Guest carmagedon666

    Postado Originalmente por ce.lucas@12 nov 2004, 10:11

    isso acontece mais é na area de informática onde qualquer um que tenha interesse possa se tornar um super profissional com ajuda de foruns e ajuda de amigos agora o que seria da justiça no Brasil se os advogados não estudassem, eles iriam se procurar onde as procuras, como ficariam as construções das casas a moda baglalão, de qualquer jeito, deve-se pensar bem nisso, o tópico é bom, mas antes de qualquer coisa as pessoas perguntam se você tem ou não o canudo da faculdade, com ele você ja tem uma vantagem a mais sobre os outros, dependendo da faculdade e do aluno é que se vai saber o bom formando

    :D Não é bem assim!

    Ninguém se torna um super profissional a partir de foruns nem de ajuda de amigos, e a informática não é informágica, há que se separar usuários curiosos de bons profissionais,

    PS.: Seu comentário foi tendencioso e malicioso, e para seu conhecimento um "BOM profissional" de informática domina toda a engenharia, muito mais do que um de construção civil, imagine um "SUPER profissional",

    e outra, advogado, psicólogo e cursos do gênero são cursos voltados pra quem "não quer estudar" e estudam pra fazer a vontade do Papai, filhinhos de papai é que são, e ainda, basta olhar na impunidade do sistema, que gosta de saciar a vontade dos "direitos humanos" dos bandidos, pra Inglês ver e é totalmente inumano para com as pessoas de bem, que trabalham pra bandidos? e os que se tornam bandidos levando dinheiro pra drogas, etc.? Nossa como são inteligentes ! nénão :sne: Quando entrou alguém propondo um Projeto de Lei impedindo advogados de aceitar dinheiro sem procedência alegaram como justificativa a JUSTIÇA SER UM PRODUTO! que se compram pão com dinheiro sujo, se compram isso e aquilo, também podem COMPRAR A JUSTIÇA, sem vergonhas!!!

    Todas as profissões tem bons e maus profissionais, blah, blah, blah, mas a computação e a informática não são uma mera profissão, são ferramentas do conhecimento humano, e portanto dominam e são superiores a todas as outras, inclusive as já citadas, que "tentam" se informatizar pra sair um pouco da incompetência e da era das TREVAS.

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
    Guest carmagedon666
    Postado Originalmente por carmagedon666@08 nov 2004, 14:50

    Vou um pouco além, quantos milhões de pessoas pelo mundo não jogam futebol melhor do que o Pelé?

    Acontece que descarte deles os que passaram dos 17 anos, os que estão fora de um clube famoso, os que não participam da seleção de futebol, os que não fizeram 1000 gols contabilizados em campeonatos oficiais, etc. isso quer dizer que podem haver milhões de pessoas que jogam futebol melhor que o Pelé, mas ele vendeu centenas de milhares de ingressos, chuteiras, cartão de plano de saúde, gibis, propaganda de impotência sexual, etc. aí o requisito jogar futebol está em segundo plano! :wacko:

    A mesma coisa acontece no mundo dos nerds! vocês não são artistas natos, nem atletas campeões, aí se matam de estudar e pronto? :chateado: :naonao: Naaaaão! vocês tem que vender algum produto, prestar algum serviço, se inserir no meio dos "cartolas" de sua profissão, serem explorados como nome ou imagem até a exaustão, aí vão ser "reis" também...hehehehehehe!

    :devil: eu não disse isso!eu não disse isso!eu não disse isso!eu não disse isso!eu não disse isso!eu não disse isso!eu não disse isso!eu não disse isso!eu não disse isso!eu não disse isso!eu não disse isso!eu não disse isso!eu não disse isso!

    :cry: Não me dá advertência não buaaaaaá! :bored: tá bom, lá vai uma sugestão, grandes parcerias surgem de grupos nas faculdades! vejam o Black Sabbath, o Deep Purple, o AC/DC, todos artistas!

    Ou veja, a Microsoft, o Bill Gates, etc.

    Ou então, tente começar por baixo, vá pro campo, troque serviço por galinha, porco, pé de alface, vai ganhando nome, proporção, etc.

    O problema é que todo mundo quer estar no topo da pirâmide, e quem está lá não cede a vez até a morte, assim não dá! :goff: Se pelo menos houvesse um trabalho sério de rotatividade até daria, mas isso é impossível!

    Uma coisa é certa, os horizontes sempre são amplos pra quem para um minuto antes de sair correndo atrás...

    :huh: Opa! peguei pesado, né?

    Tá vou tentar corrigir, pros leigos, um cara chega lá pega um monte de placas, liga tudo juntinho (feito lego), pega uns CD, e em vez de música aparecem umas imagens, aí pronto! nossa! :wow: como num passe de mágica o cara fez um computador!!!!!!!!!!!!!!

    O que eu queria dizer, é pra não confundir, montar um computador, instalar uns programinhas não é a informática! a informática está muuuito além disso, e inclusive isso nem precisaria ser feito por um técnico se a pessoa que compra não fosse um leigo, com bastante dindin é lógico, ou então ele vai no Panamericano pegar o Cpu do Milhão!heheheehehehe!

    Fazer um computador é tão mais complexo que nem o Brasil tem tecnologia pra tal.

    tem Advogados (juízes, delegados, promotores, oficiais, agentes, Pol. Federal, etc.) e tem os Porta de cadeia! ué, que adianta o canudo do cara? se ele ainda é um produto manipulado do meio? se ele é um fantoche do dinheiro, seja de quem for, é como um cão que é fiel ao dono, se o dono é bom ou mal, não é com ele!

    Se for pra isso, é melhor que as pessoas não tenham diplomas, assim podem alegar ignorância quando forem presos (apesar de cair em cela comum), mas apesar da mordomia de cair em cela especial, um cara estudar pra ser isso é um contra-senso!

    Canudo é a cobiça dos burros que não sabem como deixar de puxar carga, ou Realização pessoal dos que aspiram ter conhecimentos amplos em uma área para utilizar com sabedoria.

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    pelo o que eu havia entendido deste tópico ele falava que pode haver otimos profissionais sem ter concluido uma faculdade, agoras carmagedon666 você sim é que foi malicioso dizendo que so por cursar uma faculdade a pessoa tem que ser filinho de papai eu faço faculdade, e eu mesmo pego ela, curso Ed. Física, a informática é o que me sustenta no momento, e gosto porque sou curioso, eu moro em uma cidade do interior do Rio Grande do Sul uma cidade pequena, onde existem alguns grandes prédios ,agora me diga se é possivel construir algum desses prédrios, ser somente pedreiro, ou algo parecido como alguns ja falaram antes, e a sua vida se você for parar num hospital qualquer pessoa pode salvar a sua vida pode fazer uma cirurgia em você sem nem mesmo antes ter feito uma "faculdade" o que não serve nada para você certo,

    o que eu quero destaca é que alguns casos é muito importante se ter uma faculdade, um nivel superior, não por status mas sim por exigencia desta ou daquela função B):wow:

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites
    Guest carmagedon666
    Postado Originalmente por ce.lucas@12 nov 2004, 13:50

    [...] carmagedon666 você sim é que foi malicioso dizendo que so por cursar uma faculdade a pessoa tem que ser filinho de papai eu faço faculdade, e eu mesmo pego ela, curso Ed. Física, a informática é o que me sustenta no momento, e gosto porque sou curioso, eu moro em uma cidade do interior do Rio Grande do Sul uma cidade pequena, onde existem alguns grandes prédios ,agora me diga se é possivel construir algum desses prédrios, ser somente pedreiro, ou algo parecido como alguns ja falaram antes, e a sua vida se você for parar num hospital qualquer pessoa pode salvar a sua vida pode fazer uma cirurgia em você sem nem mesmo antes ter feito uma "faculdade" o que não serve nada para você certo,[...]

    :D Cara! não distorce o que eu disse meu! <_<

    Tá bom, tu faz curso de educação física e não de interpretação de textos, hehehehe! vou tentar falar de outra forma! Tche!

    Existem cursos técnicos de contabilidade, de Auxiliar Judiciário, de secretariado,

    Existem os cursos superiores de Contador, Advogado, Engenharia;

    Assim como tem os cursos técnicos de Informática, de computação, de programação,

    E tem os cursos superiores de Engenharia da Computação, Bacharel em Ciência da Computação, Informática (nível Superior), etc.

    E tu tá colocando tudo numa farofada! :wacko:

    Pra ser auxiliar é muito fácil, pra ser um Sr. Profissional é que são as coisas, e acho que nós estamos falando a mesma coisa em angulos diferentes,

    Não falei de ti diretamente, falei daqueles que tiram um curso superior por dinheiro, pra pegar a herança da família (não ser deserdado), eles escolhem curso de Psicologo, Advogado, etc. talvez até educação física, mas se nem te conheço, jamais iria estar falando algo que ignoro, nem tiro a razão deles, quem faz por Status é que é filhinho de papai, pois só precisa dele pra "ASSUMIR" a cadeira de patrão,....etc. só quer o dinheiro, não quer aprender nada!

    Mas, veja, quem tira curso pra ter diploma (ou compra) não sabe nada quando sai do curso, enquanto quem faz curso por querer adquirir o conhecimento sai sabendo onde atuar!

    Separe Realização pessoal (vontade de aprender, crescer, progredir, avançar) de Status (vontade de ser rico, famoso, bajulado, reconhecido, etc).

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    Há um fundo de verdade no que dizem sobre curso superior não fazer grande diferença.

    Mas vejam só: recentemente a IBM abriu vagas para pesquisa e desenvolvimento de programas para o novo processador CELL, que será usado no Playstation 3. O pré-requisito para isto era diploma de nível superior em computação.

    Por que eles queriam alguém que tem diploma universitário? Simples, um técnico não tem o conhecimento teórico suficiente sobre circuitos lógicos, compiladores e programação em baixo nível. É claro que a empresa poderia simplesmente treinar um técnico para ter este conhecimento, mas isto custaria muito mais dinheiro e é simplesmente mais barato contratar alguém que já possui toda a base.

    O diferencial entre um curso superior e um curso técnico é que o curso superior fornece uma base teórica sólida para que a pessoa possa se tornar um especialista com um gasto menor de dinheiro em treinamento.

    Eu já trabalhei como técnico processamento de dados e agora trabalho como bacharel em ciência da computação. No curso técnico aprendi tudo sobre lógica de programação. Na universidade aprendi a otimizar o código e inventar novas metodologias. Posso garantir por experiência própria, que o que eu aprendi na faculdade fez uma grande diferença sobre o que eu posso fazer no trabalho.

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    Descobri hoje este POST, mas realmente, curso hoje 1 conceituada Universidade, claro que devido a este curso, consegui diversos estagios excelente inclusive hoje estagio na própria Universidade.

    Mas concordo realmente que hoje a Faculdade chega a ser uma perda de tempo. Tanto que penso seriament eem vir a tranca-la em breve.

    Claro que também dou razão ao que foi dito em outro comment que dizia ser 1 diferencial para concursos e tal...com certeza...eis o motivo pelo qual estou aí na batalha, mas não compensa o trabalho e perda de tempo e dinheiro até conseguir se formar.

    Estou muito desmotivado e não consegui ainda ver nada que me motiv enovamente.

    Tudo que queria nomomento era 1 carteira assinada para poder largar o curso e me manter trabalhando.

    Compartilhar este post


    Link para o post
    Compartilhar em outros sites

    Crie uma conta ou entre para comentar

    Você precisar ser um membro para fazer um comentário

    Criar uma conta

    Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

    Crie uma nova conta

    Entrar

    Já tem uma conta? Faça o login.

    Entrar agora





    Sobre o Clube do Hardware

    No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

    Direitos autorais

    Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

    ×