Ir ao conteúdo
  • Cadastre-se
Equipe Clube do Hardware

OCZ Declara Falência e Recebe Proposta da Toshiba

Recommended Posts

A OCZ iniciou oficialmente o processo de declaração de falência com o objetivo de dissolução e não restruturação.

Segundo a OCZ, a Toshiba fez uma oferta para adquirir todos os ativos da empresa, incluindo patentes e linha de produtos, mantendo todos os funcionários. A OCZ, que tem capitalização de mercado de US$ 43 milhões, disse ter concluído \"substancialmente\" suas negociações com a Toshiba no acordo da compra de ativos. A empresa espera entregar um pedido de falência logo depois de completar a documentação final com a Toshiba e a Hercules Technology Growth Capital, um de seus credores.

Por conta do anúncio, as ações da OCZ caíram mais de 80% na Nasdaq.

A OCZ, que não registrava lucro anual há cinco anos, informou que caso não consiga fechar o acordo com a Toshiba, terá de pedir imediatamente liquidação e falência. A empresa tem enfrentado dificuldades com a falta de chips de memória flash NAND, usados em SSDs, há mais ou menos um ano.


View full notícia

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pessoal, as histórias que sabemos da OCZ são meio sinistras. Por exemplo, aparentemente eles compravam fontes, vendiam abaixo do custo e não pagavam seus fornecedores. Depois que os investidores descobriram esse tipo de coisa e que o presidente e fundador da empresa, Ryan Petersen, tinha um passado criminoso e que ele não esclareceu isso a investidores (contrário a legislação americana que obriga a dirigentes de empresas de capital aberto a fornecerem atestado de antecedentes criminais) fez com que os investidores expulsassem o Ryan Petersen da empresa. Vejam o vídeo de 2011: http://www.bloomberg.com/video/68951346-bloomberg-s-johnson-on-ocz.html

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Pessoal, as histórias que sabemos da OCZ são meio sinistras. Por exemplo, aparentemente eles compravam fontes, vendiam abaixo do custo e não pagavam seus fornecedores. Depois que os investidores descobriram esse tipo de coisa e que o presidente e fundador da empresa, Ryan Petersen, tinha um passado criminoso e que ele não esclareceu isso a investidores (contrário a legislação americana que obriga a dirigentes de empresas de capital aberto a fornecerem atestado de antecedentes criminais) fez com que os investidores expulsassem o Ryan Petersen da empresa. Vejam o vídeo de 2011: http://www.bloomberg.com/video/68951346-bloomberg-s-johnson-on-ocz.html

É triste ver que um player desses da área de tecnologia (que aparentemente tinha produtos de boa qualidade) está abandonado o barco devido estar em más condições financeiras (aka falência).

Tomara que a Toshiba consiga adquirir os ativos e os ponha para dar lucro.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Como será que fica a garantia dos produtos?

Importante pergunta. Estou aqui com uma fonte deles restando ainda 8 meses de garantia. E agora josé? :confused:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Pessoal, as histórias que sabemos da OCZ são meio sinistras. Por exemplo, aparentemente eles compravam fontes, vendiam abaixo do custo e não pagavam seus fornecedores. Depois que os investidores descobriram esse tipo de coisa e que o presidente e fundador da empresa, Ryan Petersen, tinha um passado criminoso e que ele não esclareceu isso a investidores (contrário a legislação americana que obriga a dirigentes de empresas de capital aberto a fornecerem atestado de antecedentes criminais) fez com que os investidores expulsassem o Ryan Petersen da empresa. Vejam o vídeo de 2011: http://www.bloomberg.com/video/68951346-bloomberg-s-johnson-on-ocz.html

Eu fico imaginando o quanto $$$ que esse cara deve ter desviado da empresa..... Uma pena , pois é um concorrente a menos no mercado....

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

É uma notícia péssima para mim (que tenho um SSD Vertex 3) e para todos, porque com ou sem falcatruas, os produtos da OCZ sempre foram de altíssima qualidade. Eles já tinham saído do mercado de RAM havia alguns anos (o que já foi muito lamentado pelos aficionados) e estavam se concentrando apenas em fontes (quase todas excelentes) e SSDs (idem).

Pessoalmente, para mim não vai afetar muito, porque meu SSD não está mais na garantia e se for para o espaço, iria de qualquer jeito (mas até agora vem funcionando perfeita e maravilhosamente). Mas será péssimo ter uma opção a menos no mercado. O suporte deles era ótimo (apesar de recentemente terem cometido um deslize ao lançarem um firmware não muito bem testado e que dava problemas em alguns SSDs, obrigando-os a retirarem a atualização) e os fóruns, os melhores para quem tem SSD, até mesmo de outras marcas.

Menos concorrência é sempre ruim, mas é pior ainda quando morre um fabricante que, pelo menos na área técnica (a financeira e administrativa, obviamente, são outro papo), era muito sério, competente e admirado. :(

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Nossa, fiquei surpreso agora. Pensei que se tratava de uma ótima empresa que fazia, SSDs, Memorias e Fontes de ótima qualidade. Não sabia que não tinham lucro há 5 anos.....Como isso é possível com produtos tão boms?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Nossa, fiquei surpreso agora. Pensei que se tratava de uma ótima empresa que fazia, SSDs, Memorias e Fontes de ótima qualidade. Não sabia que não tinham lucro há 5 anos.....Como isso é possível com produtos tão boms?

Basta ter um CEO visionário, temerário, amante de riscos, com um ego enorme e muito cabeça-dura decidindo os rumos da empresa. Ryan Petersen foi ao mesmo tempo a alma da OCZ - do mesmo jeito que Bill Gates foi para a Microsoft até alguns anos atrás, Steve Jobs para a Apple e Larry Ellison para a Oracle - e a desgraça dela ao final. Ele fundou a empresa e merece o reconhecimento de que gostava muito dela e do que ela fazia. Mas a mesma ousadia que fez a OCZ tão inovadora e com produtos tão respeitados fez Petersen tomar atalhos demais e quebrar regras demais - tanto regras constituídas quanto as do bom senso. Dentre os que citei, Petersen tem mais a ver com Ellison, mas este, embora seja notório por apostar alto e correr muitos riscos, nunca deu um passo maior que as pernas e só corria o risco de perder muito quando tinha o que perder, antes de mais nada.

O erro mais fatal foi não ter construído uma rede de fornecedores confiável. A Apple é famosa por isso e por controlar essa rede com mão de ferro, sem o que seu sucesso não teria sido possível. Todo mundo quer SSDs e outras implementações de memória NAND, que estão bombando e são um dos poucos ramos do negócio de PCs que estão em crescimento numa época de acentuado declínio de vendas. Mas ao mesmo tempo que isso significava ótimas oportunidades de negócio para a OCZ, também significava que os concorrentes todos estavam atrás de um suprimento de componentes limitado a pouquíssimos fornecedores, quase todos de Taiwan, e que estão sabendo administrar muito bem esse oligopólio, mantendo a produção limitada para inflar os preços, da mesma forma que os sauditas fazem com o petróleo.

Sem ter negociado contratos de fornecimento, a OCZ foi obrigada a comprar memórias NAND no mercado aberto, a preços muito mais altos. Mas não podia recuperar esse custo adicional cobrando mais que a Corsair, a Kingston, a Intel, a Crucial (que não tem esse problema, já que é subsidiária de um fabricante de NANDs), para não perder mercado. E também não podia deixar de comprar as NANDs mais caras, para não ficar sem ter o que vender e também perder mercado para os concorrentes. Resultado óbvio: prejuízo.

Mas houve mais. Algum tempo atrás, a Seagate quis comprar a OCZ, num negócio que seria bom para os dois lados. As negociações iam muito bem, até que Petersen estragou tudo insistindo teimosamente em ter um lugar no Conselho de Administração da Seagate, o que esta não quis. Mas o pior foram as falcatruas contábeis, bem ao estilo Enron, que Petersen fez para tentar ganhar tempo e crédito com os investidores e credores. Foram tantas essas ficções contábeis que mesmo depois que Petersen foi expulso da empresa, eles continuaram devendo os balanços e relatórios obrigatórios que, por lei, toda empresa de capital aberto nos EUA tem que apresentar aos acionistas, às bolsas, ao mercado e ao governo (aqui também é assim, só que lá a coisa é levada muito mais a sério - Petersen deve ficar ainda mais falido que a empresa, só de pagar advogados para escapar da cadeia e de outros processos). Aparentemente, os novos controladores não deram conta de arrumar a casa para apresentar os relatórios, atrasados por anos.

Aliás, eles não se saíram melhor que Petersen: para tentar salvar a empresa, contraíram um empréstimo com um grupo de investimentos a juros de agiota, que não conseguiram pagar. Por causa disso, esse grupo é o novo dono da OCZ desde o mês passado. Foi esse grupo que pediu a falência e vendeu a empresa para a Toshiba (a preço de banana, mas ainda com algum lucro em relação ao que tinham emprestado).

Por enquanto, o site da OCZ está funcionando normalmente e não traz nenhum comunicado ou coisa assim, mas quem compraria uma fonte ou um SSD deles atualmente, nesta situação? (RAM eles já não produziam mais; saíram desse mercado muito competitivo e de baixa margem de lucro há algum tempo.) Agora é aguardar o que a Toshiba vai decidir: se vai simplesmente fechar a empresa, se vai incorporar seus produtos e entrar no mercado, se vai manter a marca separada como uma subsidiária (improvável, pelo histórico e pela cultura da Toshiba). No momento, ainda não se sabe.

.

.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar agora





Sobre o Clube do Hardware

No ar desde 1996, o Clube do Hardware é uma das maiores, mais antigas e mais respeitadas publicações sobre tecnologia do Brasil. Leia mais

Direitos autorais

Não permitimos a cópia ou reprodução do conteúdo do nosso site, fórum, newsletters e redes sociais, mesmo citando-se a fonte. Leia mais

×